Se Congresso abrir mão do Orçamento, manifestação perde força, diz Bolsonaro

Projeto a que o presidente se refere é parte do acordo que foi feito com os parlamentares para evitar a derrubada dos seus vetos à lei orçamentária

Por Lisandra Paraguassu

Da Reuters

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, a uma plateia de apoiadores em Miami, que se até o dia 15 de março o Congresso desistisse da proposta de manter o controle sobre 15 bilhões de reais do Orçamento, as manifestações marcadas para aquele dia poderiam nem acontecer, ou ao menos não terem a mesma força.

“Acredito ainda que, se até o dia 15, os presidentes da Câmara e do Senado anunciam algo no tocante a dizer que não aceitam isso e se a proposta chamada PLN4 tiver dúvida no tocante a ficar com eles, para que venham destinar os recursos para onde eles acharem melhor, e não o Executivo, acredito que eles possam botar até um ponto final na manifestação”, disse Bolsonaro.

“Não um ponto final, porque ela vai haver de qualquer jeito, no meu entender, mas para mostrar que estamos sim afinados no interesse do povo brasileiro”, acrescentou.

O Projeto de Lei do Congresso Nacional 4, a que o presidente se refere, é parte do acordo que foi feito com os parlamentares para evitar a derrubada dos seus vetos à Lei de Diretrizes Orçamentárias, negociado pela equipe econômica e com aval do próprio presidente.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Do Banestado à Lava Jato: a polêmica cooperação entre Brasil e EUA

3 comentários

  1. Mas que força essa manifestação tem? Agora é esperar porque, caso a manifestação seja um sucesso, Bolsonaro sairá fortalecido e pressionará o Congresso, já caso ela seja um fracasso ou tenha baixo apoio popular, ficará impossível para o Bozo governar e ele correrá até risco de ser empichado…

  2. Eita teatrão, agora alguns próceres do congresso recuarão em nome do entendimento, o presidente diz que mandou os milicos, meganhas, milícias, pastores, seus seguidores fanáticos que povoam a massa ignara a ficarem em casa, e estará pronta a justificativa para um movimento que certamente seria um fracasso de público.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome