Secretário da Saúde diz que projétil que atingiu Cid deve ser calibre 40

Em boletim, o hospital informou que o senador do PDT será transferido para o hospital Monte Klinikum, em Fortaleza, nesta quinta-feira (20)

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O senador Cid Gomes (PDT) será transferido para o hospital Monte Klinikum, em Fortaleza, nesta quinta-feira (20). Em condições de saúde estáveis, a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) informou que a bala que atingiu o parlamentar deve ser de calibre 40.

Ainda na noite de ontem (19), o deputado estadual soldado Noelio (PROS), que é líder do motim dos policiais militares, disse que os tiros que atingiram o parlamentar do PDT eram “legítima defesa”, e que a reação do senador “causaria algum tipo de reprimenda”.

“Qualquer pessoa mediana sabe que aquela medida que ele tomou causaria algum tipo de reprimenda, de questionamento por parte de quem estava lá”, disse Noelio no 18º Batalhão de PM, ao jornal O Povo, na manhã desta quinta (20).

Por outro lado, as ações ocorrem em meio aos preparativos para as eleições municipais deste ano. O pré-candidato a prefeito de Fortaleza, Capitão Wagner (Pros), por exemplo, aproveitou o momento para também sair em defesa da ação dos militares como “legítima defesa”.

Segundo o deputado e pré-candidato, o momento estava “propício” para medidas violentas. “As imagens falam por si só. Tinha centenas de pessoas filmando lá, a população teve acesso às imagens do que aconteceu e viu a medida louca de um cara que parece que não tem juízo”, completou o Soldado Noelio.

Também segundo o jornal local, o secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, afirmou que Cid seria transferido ao hospital Monte Klinikum, em Fortaleza, no começo desta manhã.

“Clinicamente, acho que vai ter condição de transferência, porque o quadro clínico é estável. Não tem sinal de sangramento e nenhum órgão foi acometido”, havia dito.

Dois projéteis atingiram Cid, perfurando o pulmão, sem gerar sangramento e também não afetou vasos sanguíneos ou a região do coração. Ao ser acionado após o ocorrido, o secretário enviou um cirurgião cardíaco e torácico ao hospital. Por outro lado, Dr. Cabeto confirmou que o projétil que atingiu o ex-governador deve ser de calibre 40.

“Agora, o que está sendo feito é garantir uma boa hidratação para preservar os órgãos e não ter queda de pressão. Com reposição de oxigênio até o pulmão se expandir completamente. Para garantir que o pulmão se recupere totalmente e acompanhar se o órgão apresentará sangramento”, narrou o secretário ao O Povo Online.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. Uma greve? Apesar do entendimento abaixo?
    “…Em 2017, os ministros do Supremo Tribunal Federal confirmaram a proibição das paralisações de servidores que atuam na segurança pública. A regra serve para agentes das polícias Civil, Militar, Federal, Rodoviária Federal, Ferroviária Federal e do Corpo de Bombeiros, além de funcionários das áreas administrativas.”
    Então, como na greve dos petroleiros, haverá ameaças (de demissão/exoneração) ou multas pesadas, etc?

  2. Portal Disparada
    O silêncio de PT, PSOL e PCdoB sobre Cid Gomes é uma vergonha históricaDE: LUIZ ROQUE MIRANDA CARDIA / 42 MINUTOS ATRÁS

    “Se fere minha existência, serei resistência!” “Ninguém solta a mão de ninguém!” “Frente ampla contra o fascismo!” – Grande parte da esquerda brasileira tornou-se uma verdadeira agência publicitária de slogans sobre “resistência” para candidatos parlamentares. Todo o discurso montado para as lives de Facebook, Instagram e Twitter de “líderes” partidários e de movimentos sociais é baseado na coragem retórica de repetir incessantemente que haverá “resistência”. Quando Cid Gomes saiu pelas ruas de Sobral unindo a população contra a violência de um grupo armado que ameaçava comerciantes, essa esquerda ficou em silêncio. Seus slogans só podem ser usados em suas próprias campanhas.

    O PT soltou uma nota envergonhada em apoio a… Camilo Santana!!! O governador do Ceará que é… do PT!!! Desejaram de forma protocolar a recuperação do senador cearense que levou dois tiros de policiais amotinados! Imagino o constrangimento e inveja dos histriônicos líderes petistas que não têm coragem de sair na rua para confrontar bolsonaristas desarmados, imagine para enfrentar policiais que estavam aterrorizando a população. O professor da USP, Fernando, não o Henrique, o Haddad, gritou histérico no aniversário do PT: “Vamos botar esses fascistas pra correr!”. Cid Gomes botou os fascistas pra correr em Sobral e recebeu uma palavra lacônica de solidariedade do poste de Lula na eleição de 2018 que apenas copiou os termos da nota do PT assinada por Gleisi Hoffman. Lula manteve-se em um silêncio gritante.

    Flávio Dino, do PCdoB, com seu discurso de “Frente Ampla contra o fascismo”, que não passa de fazer insistentes elogios, nunca retribuídos, a Luciano Huck, não deu uma palavra em solidariedade a um aliado nordestino que enfrenta FISICAMENTE o bolsonarismo e o violentíssimo corporativismo policial, problema que assola toda a região. Manuela D’ávila que aceitou ser vice do vice do PT aparentemente também não vê nada de resistência no enfrentamento a policiais amotinados. Justiça seja feita a Orlando Silva, deputado em São Paulo, que prontamente se indignou com o atentado a Cid Gomes.

    O que dizer do PSOL? Partido do sectarismo radical, contrário às alianças institucionais, defensor do protagonismo dos movimentos sociais, da “democracia de bases”, que inclusive atropela essas bases para impor um candidato externo à militância partidária. Nenhuma palavra de Guilherme Boulos, herói das ocupações e do enfrentamento direto com a classe dominante e seu braço armado estatal? Também não se tem notícia do “Exército de Stédile” no confronto com o motim de policiais no Ceará.

    As acusações de “divisão da esquerda” feitas por esses grupos contra Ciro Gomes e o PDT tornam-se absolutamente ridículas diante de um fato dessa magnitude. Aliás, a ingratidão e falta de solidariedade dos petistas e aliados com Ciro e seu irmão em um momento desses é da mais pura pusilanimidade. Ciro e seu grupo político ajudaram Lula e o PT em todos os momentos difíceis.

    Na crise do mensalão, enquanto petistas pediam a “refundação do PT”, o ministro Ciro Gomes e o presidente da Câmara Aldo Rebelo, foram os mais corajosos defensores de Lula contra o golpismo tucano. Ciro apoiou o PT em todas as eleições até 2014, mesmo avisando ainda em 2013 que Dilma corria sério risco de cair se não mudasse sua forma de governar e sua política econômica. Em 2015, Ciro e Cid foram os primeiros e os mais agressivos políticos a denunciarem o golpe contra Dilma. Cid foi demitido do governo por chamar Eduardo Cunha de achacador!!! Em 2016, Ciro propôs levar Lula para uma embaixada diante da prisão arbitrária que viria, e apoiou a candidatura desastrosa e derrotada no primeiro turno de Fernando Haddad à reeleição em São Paulo.

    Em 2018, Ciro legitimamente foi candidato a presidente com um programa nacionalista e desenvolvimentista, totalmente isolado por Lula e por Temer que articularam o afastamento tanto do PSB como do centrão do candidato que tinha as melhores expectativas de voto contra Bolsonaro. Diante de tudo isso, Ciro é que divide a esquerda?

    De volta ao que interessa. A Polícia Militar do Ceará enfrenta há anos reivindicações salariais. No entanto, é proibido aos agentes de segurança pública realizarem greve, pois são servidores armados e não podem usar esse poder militar para obter seus interesses corporativos. Mesmo assim, o governo Ceará negocia com os grevistas. Porém, não satisfeitos, grupos de policiais invadem batalhões, furam pneus de viaturas, fazem bloqueios nas ruas, e em Sobral circularam mascarados de armas em punho ameaçando a população. Tudo isso, apoiados por parlamentares bolsonaristas de oposição ao governo estadual, entre eles o candidato a prefeito de Fortaleza e deputado estadual Capitão Wagner.

    Diante disso, o senador Cid Gomes, ex-governador do Ceará, ex-prefeito de Sobral, saiu de Fortaleza e foi para Sobral organizar a resistência da população contra a violência desse grupo de policiais. Ele discursou em cima de um carro no aeroporto. Circulou pela cidade tranquilizando a população de que não ficariam sem segurança e nem seriam mais ameaçados. Por fim, foi até um batalhão invadido por amotinados mascarados e armados negociar a retirada deles do local. Eles se recusaram a sair pacificamente.

    Então, eis que um ex-governador, ex-ministro, e senador, desarmado, subiu em uma retroescavadeira para derrubar o portão e debelar o motim. Os amotinados, um bando armado em violação ao art. 5º da Constituição Federal, que proíbe manifestações com armas, responderam com tiros e atingiram Cid Gomes no peito com balas calibre 40. Felizmente ele já está em recuperação e sem risco de morte.

    Diante da resistência retórica, Cid Gomes mostra o caminho do enfrentamento real. Momentos radicais exigem atitudes radicais. No entanto, o radicalismo e o sectarismo não são mais problemas teóricos da esquerda como no passado. São apenas táticas eleitorais. Frases de efeito bonitas para colocar nas legendas de fotos de punho estendido em manifestações em casas noturnas frequentadas pela classe média do Rio de Janeiro.

    Luiz Roque Miranda Cardia
    Advogado, mestrando em Direito Político e Econômico na Universidade Presbiteriana Mackenzie, e editor do Portal Disparada.

    • Defender Cid e levar uma patada !? Tipo aquela em ele disse que os militantes do pt são idiotas ou quando Cid e Ciro apoiaram Bolsonaro, isso pq Cid e Ciro não fizeram campanha contra o Bolsonazi e qualquer um que fosse apoiar o Cid na empreitada dele poderia ser escurrassado pelo próprio Senador, lamentável tudo isso, Ciro e Cid logo ao começo do governo Bolsonaro falou em não fazer críticas ao governo e os irmãos são contra o fora Bolsonaro, agora vem com essa conversa sobre covardia, afinal de contas eles não gostam de ” montar banca !”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome