Sem nomeação oficial, Carlos Wizard anuncia suspensão de contratos no exterior para compra de respiradores

De acordo Wizard parque industrial nacional conseguirá suprir toda a demanda do produto essencial na pandemia do novo coronavírus

Foto: Prefeitura de Araraquara/Divulgação

Jornal GGN – Antes mesmo de assumir oficialmente a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE), braço do Ministério da Saúde, o empresário Carlos Wizard afirmou durante entrevista à CNN nesta terça-feira, 2 de junho, que os contratos firmados com empresas no exterior para compras de respiradores foram suspensos. 

De acordo Wizard, uma de suas propostas à secretária foi limitar os gastos com respiradores e garantiu que o parque industrial nacional conseguirá suprir toda a demanda do produto essencial na pandemia do novo coronavírus.

“Fiz um trabalho gigantesco de prospecção de mercado nacional e internacional. E estipulamos que não pagaríamos mais de US$ 10 mil dólares por aparelho. Quando passamos a estudar o cenário, os aparelhos que estavam vindo da China, Alemanha, Inglaterra, Alemanha… estavam por US$ 20 mil, US$ 30 mil”.

Como já abordado pelo GGN, o setor industrial de produtos hospitalares alertou na semana passada para a disparidade entre as tributações cobradas para empresas nacionais e internacionais, que desfavorece as organizações brasileiras. 

De acordo com o superintendente Paulo Henrique Fraccaro, da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (Abimo), essa tributação imposta enquanto os “importados similares ficam isentos” promove a “desindustrialização do parque nacional”. 

Mas, segundo Wisard, a decisão de suspender tais contratos fortalece a indústria nacional e irá privilegiar o parque industrial. “Mês passado a indústria nacional entregou 1.622 respiradores. De forma que todo e qualquer contrato previsto com mercado internacional foi cancelado e a própria indústria está conduzindo o que precisamos”, disse à CNN.

A SCTIE foi oferecida à Wisard pelo ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello. Segundo informações do Estado de S. Paulo, o empresário será conselheiro de Assuntos Estratégicos no ministério e a equipe da pasta já foi avisada sobre a nomeação do novo chefe. 

Com informações do Uol.

7 comentários

  1. Desde que os aparelhos estejam disponíveis em tempo, antes que a pandemia acabe.
    O que se estranha é que o governo federal pouco fez nestes 4 a 5 meses (sim, c=deveria ter se preparado desde o inicio. forçando uma ação estadual e municipal que evidentemente dá margem a “oportunidades”.
    Além do leilão nacional e internacional, se tivesse agido como coordenador e negociador em escala, muito do que ocorreu poderia ter sido muito melhor.
    Preferem discutir a cloroquina ou os interesses da Havan, SmartFit, Templos (e cursos de inglês?).
    Ou os problemas criminais dos filhotes.

    • Imbecil. Isso nao é hora de comecar uma politica de incentivo a industria nacional.
      Uma pergunta para esse wizard(??): se sua mãe estivesse dependendo de um respirador para sobreviver vc daria preferencia ao produto brasileiro?

  2. A questão e saber quantas pessoas estão necessitando de respiradores agora.
    Mas uma coisa já foi definida. Ávida da maioria dos brasileiros, não vale mais que US$ 10,000.00

  3. Outro que pretende sufocar – literalmente – os infectados, para “poupar” dinheiro eou, pior, para fazer “negócios”. Esse papo de chegar no segundo tempo e querer mudar o jogo… Tem truta!
    Ainda mais para alguém que enriqueceu enganando os trouxas com seu inglês de meia pataca.

  4. Outro sujeito do mal .. uma pessoa que pensa em política industrial neste momento é o que? Foda-se o povão. Biliardário ele compra 10 vagas na UTI do Einstein para abrigar sua família. Mas um dia vai ficar na fila pra entrar no Inferno!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome