Sergio Moro prepara turnê de palestras pelo Brasil

Lançamento de livro será termômetro para as eleições presidenciais; carreira será administrada pelo empresário do cantor Roberto Carlos

O ex-ministro da Justiça, Sergio Moro. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – O ex-ministro da Justiça Sergio Moro assinou contrato para a empresa Delos Cultural administrar sua imagem e carreira como palestrante corporativo. Além de realizar palestras e divulgar seu livro, as viagens também devem ser um termômetro para as eleições presidenciais de 2022, embora tal intenção seja publicamente negada.

Segundo o jornal O Globo, a Delos Cultural é um braço voltado à área do conhecimento dentro da DC Set, que conta com o empresário Dody Sirena como sócio -fundador e já atuou junto a artistas como Michael Jackson, Fafá de Belém, e Roberto Carlos.

“A passagem pelo ministério agrega-se à experiência na magistratura e na Lava-Jato. A mensagem principal é fazer a coisa certa, não importam as circunstâncias. Pode-se perder o cargo, mas não a alma”, diz o ex-juiz, que está escrevendo um livro a ser lançado pela editora Sextante em abril, que abordará temas de corrupção e compliance.

Embora os representantes da DC Set declarem que a parceria fechada com Moro não apresente pretensões políticas, aliados do ex-juiz acreditam que a peregrinação programa funcione como um termômetro para a eleição presidencial do ano seguinte, embora o próprio afaste a relação entre a nova parceria e uma candidatura ao Planalto.

 

Leia Também
Moro trabalha para bilionário israelense investigado por corrupção na Suíça e EUA
Moro ganha R$ 750 mil para produzir 3 pareceres sem nunca ter sido jurista
Os abusos de Sergio Moro na Lava Jato em 12 pontos
Começou a operação “Salva-Moro”, por Gustavo Conde
Hacker de Sergio Moro guardou acervo de mensagens inéditas e negocia delação

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Para entender a disputa entre a Vale e o bilionário israelense

7 comentários

  1. Já teve mandado de prisão preventiva, enrolado com doleiros no caso Gremio-ISL em 2000. Conincidentemente época do Banestado.
    http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/qualidade-de-vida-sc/19,0,941713,

    Caso ISL: Dody Sirena deseja se apresentar à Justiça
    Advogado do empresário não irá impetrar habeas corpus
    O advogado criminalista Oswaldo de Lia Pires não irá impetrar habeas corpus para anular a prisão preventiva do empresário Dody Sirena, decretada na última segunda pela 1ª Vara Criminal. Lia Pires disse que ontem recebeu um fax de Sirena. No documento, o empresário manifestou sua vontade de se apresentar espontaneamente à juíza Kátia Elenise Oliveira da Silva, titular da 1ª Vara Criminal, e responsável pelo processo Grêmio-ISL.

    De acordo com Lia Pires, Sirena só não compareceu à audiência de interrogatório, realizada segunda-feira, por não ter sido intimado. É possível, de acordo com o advogado, que tenha ocorrido uma demora por parte de familiares de Sirena em comunicar à oficial de Justiça designada para citá-lo que ele se encontrava em São Paulo.

    Nesse período, segundo o advogado, o empresário viajou para o Exterior, o que impediu seu comparecimento à audiência. Lia Pires salientou que seu cliente está envolvido atualmente em um grande evento internacional e vive no eixo São Paulo-Europa.

    – Ele não está se furtando de falar. Pelo contrário. Faz questão de comparecer e esclarecer muita coisa. Os fatos verdadeiros irão aparecer. E vão doer em muita gente. Evidentemente, ele se trata de uma vítima – disse Lia Pires, sem revelar o local em que Sirena se encontra.

    Na segunda-feira, o advogado Norberto Flach, também contratado por Sirena, esteve no Fórum acompanhando o interrogatório dos outros 10 réus denunciados pelo Ministério Público.

    O processo investiga o sumiço de três cheques, totalizando US$ 310 mil, enviado pela ISL ao Grêmio em 2000. O dinheiro não entrou na contabilidade do clube, sendo depositado em contas de doleiros de Brasília e Santa Catarina.

    ZERO HORA

  2. Isso explica o dinheiro que Sujo Moro recebeu da Rede Globo por supostos pareceres que ele fez. Não seria o caso do Ministério Público investigar ambos por fraude eleitoral?

  3. Já dizia o Dallagnol:

    “Se tudo der certo nas palestras, vai entrar ainda uns 100k [R$ 100 mil] LIMPOS até o fim do ano. Total líquido das palestras e livros daria uns 400k [R$ 400 mil]. Total de 40 aulas/palestras. Média de 10k LIMPO”.

    Já sabemos quanto vai entrar de dinheiro limpo, queremos saber quanto entrará de dinheiro sujo

    Amoraiza, por onde você estava, Mana? Um dia desses estava me lembrando de você e me perguntando porque você desapareceu do GGN.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome