Sobre a parcialidade da mídia e da blogosfera

Atualizado `às 17:00
 
No aeroporto de Brasilia encontro uma alta fonte do setor energético. Está entusiasmado com as mudanças ocorridas no país. Pela primeira vez o crescimento do consumo no nordeste superou todas as demais regiões, em valores absolutos. 
 
No ano passado, o nordeste enfrentou uma das piores secas da história. Este ano, é o sudeste. Faz parte do jogo. De seca em seca, o assunto ruma para os boatos no ano passado, do suposto apagão de energia.
 
Ele estava em sua casa quando recebeu telefonema da Globonews informando-o sobre o furo da colunista da Folha – e da Globonews. Não conseguiu entender
 
– Ela descobriu que a presidente convocou uma especial do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética), apenas para discutir o racionamento, explicou-lhe o produtor.
 
Ele, membro do CNPE, disse não saber de nada. O CNPE reune-se periodicamente, de acordo com agenda previamente definida. E não houve reunião especial alguma.
 
No estúdio da Globonews, enquanto se preparava para entrar, o produtor admitiu: 
 
– De fato, foi uma barriga. Mas pelo menos teve a vantagem de chamar a atenção para o tema!, explicou para o entrevistado, que mal podia acreditar no que ouvia.
 
No debate, houve a oportunidade de esclarecer o tema. Mas nos cinco dias restantes, nenhuma reportagem da velha mídia admitiu a “barriga”. Nem mesmo depois que o próprio Ministro das Minas e Energia (MME) procurou a colunista e lhe passou todas as informações – que não foram publicadas. A versão verdadeira só foi divulgada pela blogosfera.
 
Por esse e outros episódios, percebe-se a importância do contraponto das redes sociais e dos blogs, mesmo com todos seus exageros, mesmo quando se transformam na outra face da mesma moeda, de dar divulgação a qualquer factoide jornalístico, diluindo as denúncias graves em pegadinhas – como a foto de Joaquim Barbosa com o Mahfuz, uma bobagem colocada no mesmo nível das enormes impropriedades cometidas por Joaquim à frente do STF.
 
Faltam espaços de mediação na internet e, principalmente, espaços de jornalismo. Tudo está muito radicalizado, como se o estilo Veja-Cachoeira tivesse conquistado os dois lados. Importa dar apenas o que o leitor quer, como se o produto notícia tivesse ganhado alforria geral em relação aos fatos.
 
Ainda assim, vale a máxima de Capilé
 
– Eu tenho a minha parcialidade, você tem a sua. Da soma das parcialidades, sai um país mais democrático
 
Posts sobre Joaquim Barbosa
 
 
 
 

124 comentários

  1. o problema dessa máxima é que

    o problema dessa máxima é que se eu tenha a minha parcialidade apoiada em dinheiro de transnacionais ou na máquina do Estado a parcialidade dos reles mortais é reduzida a nada. Por isso é engraçado ouvir “progressistas” cobrando do governo um tipo de reforma de comunicações sendo que os agentes já não tão novos da blogosfera pouco parecem se preocupar em gerar uma nova cultura de comunicação social na população, procuram dar voz apenas com entrevistas, pois parecem ter medo de uma democracia comunicacional radical demais.

  2. – Eu tenho a minha

    – Eu tenho a minha parcialidade, você tem a sua. Da soma das parcialidades, sai um país mais democrático.

     

    Não, não sai. Sai perspectivas extremas do mesmo fato. Pílulas douradas demais ou enfarinhadas demais. A ‘blogosfera’, que tanto reclama da parcialidade da ‘velha mídia’, usa e abusa das mesmas armas (ignorar os podres da situação, exagerar os podres da oposição). Quando começaram os protestos contra a corrupção do Alckimin ano passado, uma galera aplaudiu. Quando começaram os protestos contra a corrupção da Copa começaram este ano, a mesma galera chiou. Existem cada vez menos espaços para debate civilizado, especialmente na véspera das eleições. Tudo o que envolve política se torna pessoal. Todo mundo quer afirmar sua opinião sem refletir no que o outro diz. Estamos caminhando a passos largos para a facebookation das frases feitas (ganha quem tem mais curtidas), e nos afastando da orkutization dos fóruns de discussão (nos que ainda existem, persistem panelas conversando as mesmas receitas…).

    Triste isso.

     

  3. Sempre pensei sobre isso, e

    Sempre pensei sobre isso, e gostei da reflexão. Uma das razões pelas quais sempre volto aqui, mesmo não sendo petista roxo, e também não sendo antiPT (crítico o dia todo, mas foi o unico partido em que votei em todas as eleições em que não anulei),  é porque é um espaço de moderação.  Não que a linha do blog seja parcial em ralação a qualquer partido, mas os leitores e comentaristas também constróem o espaço e colocam suas preferências partidárias.

    Quem se sente à deriva nesse sistema político radicalizado, com o centro sendo um mero balcão de negócios sem ideologia, ainda consegue se encantar com a Política por aqui. É um lugar em que se lê coisas interessantes à esquerda e à centro-direita, mas sem messianismo ou sebastianismo como linha editorial.

    Por essas e outras que leio bastante, e de vez em quando tento contribuir com alguma questão nova. Tudo por acreditar que é um espaço de contraponto, e de ampliação do debate democrático. Na Faculdade de Direito lemos “O Processo” de Franz Kafka e 1984 de George Orwell. Dois livros sobre os riscos do pensamento único e hegemônico.

    Dois livros que ficam ainda mais importantes à medida que ficamos velhos e vemos os estragos que podem causar um burocrata com a máquina estatal nas mãos, sem contestação e contraponto. E que de alguma forma mostram a importância de um blog de grande porte trazendo outras versões das mesmas histórias.

    E que também é grande imprensa. Este é um dos lugares com textos mais compartilhados entre os amigos que se interessam por política e que tem alguma formação cultural. Já ultrapassou a influência da Veja faz tempo, ao menos no circulo em que convivo, que é do Judiciário e da Universidade Pública.

    Textos do blog são citados ou criticados, e até como prova em processo judicial, para afirmar que houve uma greve em uma universidade,  eu já vi. Textos da outra revista, quando aparecem, são ignorados sem maior repercussão. Definitivamente, esse lugar é a imprensa dos anos que estão vindo.

  4. Remando contra a maré.

    O advento da internet, e com ela, o surgimento do compartilhamento dos fatos e notícias em alta velocidade, pelas redes sociais, ainda não conseguiram mudar o jeito antigo de informar ou opinar, no sentido de formar opiniões, da velha mídia, que insiste na velha fórmula de divulgar o que é ruim, para o governo, do qual é adversário, e omitir e/ou divulgar tentando confundir os leitores, o que que está dando certo, porem contradíz o pensamento dos donos dos meios de comunicações.

    É a tática Ricuperiana, de fazer jornalismo informativo.

    • Já leram a coluna do Ricúpero

      Já leram a coluna do Ricúpero de hoje?

      Marcha infalível e desastrosa rumo à tempestade perfeita!

      • Anjos irrecuperáveis

        Perdoe, Anjos, pelo trocadilho.

        Mas Ricúpero, o homem da parabólica, com o seu famoso “não tenho escrúpulo, mostro o bom, o que é ruim oculto” (transcrição de memória, não literal), não é fonte das mais confiáveis.

        A conclusão é irremediavelmente extraída da eterna desconfiança a rondar os seus textos, por conta da frase-confissão.  

        • Está perdoado.
          Mas, a frase

          Está perdoado.

          Mas, a frase vazou ou foi vazada, enquanto ele, ministro da Fazenda do FHC, esperava entrar no ar e mantinha uma conversa informal com seu entrevistador, CarlosMonforte (alías, seu cunhado) em estúdio da Globo em Brásilia.

          ‘… o que é bom, a gente mostra, o que é ruim a gente esconde….”

          Quanto à irrecuperabilidade, eu, no post lá em cima, já disse o que havia de dizer.

           

           

  5. Dia virá que  a presidenta  

    Dia virá que  a presidenta   será  surprendida  por  jornalistas com afirmações ,decisões e medidas , das quais

     não cogitou,não tomou , tampouco executou.

     

    • Nao, Durval.  O Brasil nao

      Nao, Durval.  O Brasil nao tem governo celular – onde uma parte nao sabe o que a outra esta fazendo, mas todas podem fazer tudo porque deniability eh possivel em todas as circunstancias devido aa forca das leis de gigolagem populacional.

  6. Se a minha parcialidade por

    Se a minha parcialidade por vários motivos, que deveriam ser objeto de legislação que propiciasse equilíbrio, alcança dez mil pessoas  e a parcialidade de outro alcança dez milhões, não há democracia nenhuma nesse sistema.

  7. Que comparação é essa Nassif ?

    É simplesmente absurda a comparação da postura da mídia golpista com a dos blogs. Compreendo o desejo de ser imparcial, mas pelo amor de Deus. A grande mídia, entre inúmeras outras coisas, apoiou a ditadura, boicotou o Diretas Já, tentou fraudar eleições com a Proconsult, sabotou Lula no debate com Collor e há dez anos mente, sabota, conspira para tirar o PT do governo. Comparar isto com um erro ou outro cometido pelos blogs, alguns realmente muito radicais, é de uma injustiça imensa. Se quisermos usar a isenta matemática e comparar estatisticamente os “equívocos” de ambos os lados, o resultado será escandaloso contra a grande mídia. 

    • Experimente

      Experimente fazer algum comentário criticando o governo aqui, pra você ver. Pode ser o comentário mais justo do mundo. Garanto que será questão de segundos até você ganhar 1 estrelinha. Experimente fazer algum comentário elogiando alguma coisa que o Geraldo Alckmin fez, também será a mesma coisa. Experimente fazer o elogio mais bobo que você conseguir fazer ao Lula aqui, estilo Hariovaldo ao contrário, e veja como você receberá 5 estrelinhas na hora. É isso que eu imagino que o Nassif tenta combater, eu acho.

      • Cabra Radical !

        Não é verdade o que você preconiza. Existem radicais dos dois lados, mas aqui no blog, desta forma irônica que você conota, não existe. Vá uma secão de comentários da Veja, do Globo, do Noblat é pau de baixo calão em tudo que o governo faz e fez. Veja a mediocridade que o  Serra  deflagrou. Recebo e-mails  chulos todos os dias falando mal do PT, do Lula e da Dilma, do alcapone Zé Dirceu e do deus Barbosa. Nunca recebi nenhum falando mal do FHC, do Serra ou do ético e sóbrio Pó Neves.

        Todos os comentários pró- PT feitos aqui no blog estão associados as notícias fatídicas e desastrosas do Globo,  Estadão, Álvaro Peruca Dias e auxiliar Sampaio – todas, todas defendendo o PT. Lula e Dilma,. que estranhamente apanham calados há muito. Você esqueceu que a Globo manipulou o Collor – Lula , manipulou as eleições do Rio com a Proconsult, foi contra as Diretas Já , trocou a queda do avião da GOL por uma forjada notícia de doláres no dia anterior da eleição de 2006….. e quem são os radicais ?   Os leitores éticos petistas do blog ?  

        Conta outra !!

        • Você tem facebook?

          Eu quase não recebo nada criticando Lula. Dilma sim, mas porque há coisas criticáveis, né?

          Já hoax anti-Aécio, anti-Marina e anti-PSoL recebo a todo momento na Linha do Tempo.

          Logo logo começarão os anti-Campos, não?

          E meus facemigos são distribuídos mais ou menos no meio a meio para cada lado.

          É muito deselegante isso, não é modo de recuperar eleitores.

          Mas se as militâncias acham que é…

          • Ah então é isso? Se no seu

            Ah então é isso? Se no seu mundo facebuquiano tem mais contra PSDB e adversarios petistas quer dizer então que quem faz o jogo sujo é a militancia? Se for no caso do meu mndo facebuqiano eu posso dizer que quem faz o jogo sujo é o PSDB e adversarios do PT. Ora, mais dois casos de extrapolação das amostras para falar da comunidade.

          • Você nem leu o que escrevi?

            Eu tenho +/- 400 faceamigos. Metade curte “Lula’, ‘Dilma Bolada’, etc. A outra metade curte coisas variadas como ‘Aécio’, ‘Marina Silva’, etc.

            Eu estou comparando duas metades antagônicas e os diferentes comportamentos dos grupos.

            Só isso.

            Hoaxs com Aécio vêm todo dia.

            E os eventuais hoaxs contra o PT eu conheço porque os petistas é que postam (já com o que julgam necessário comentar para defender) O episódio (bobo) da parada em Lisboa eu recebi várias vezes de militantes do PT e nenhuma do universo que é chamado de ‘coxinha’. Faz algum sentido isso?

            E em 2010 era o contrário. As pessoas são basicamente as mesmas, se mudaram de comportamento eu vou fazer o quê? Deixar de comentar?

          • Então você está bem de

            Então você está bem de amigos. Porque eu recebo uma carrada de hoax, mentiras e até ameaças contra Lula e Dilma.

            E pela quantidade de pessoas que me falam que recebem a mesma quantidade, só posso pensar que você é que é um ponto fora da curva. MAs se você quer continuar dizendo que são os petistas que postam mentiras na Internet, tudo bem, conheço muita gente que vive falando isso, só que eles estão mentindo e você eu confio que não está, mesmo que seja completamente diferente da minha experiência pessoal.

          • Gunter, você tem amigos

            Gunter, você tem amigos excepcionais porque eu recebo direto todo tipo de email com mentiras, enganações, maledicências e até ameaça de morte para o Lula e a Dilma.

            Assim é com meus parentes e amigos, não estou colocando apenas a mim como espaço amostral.

            Já contra Aécio e Marina é muito difícil receber alguma coisa por email e quando recebo e vou conferir na Internet achei a confirmação de quase tudo.

            Não digo que o meu depoimento é mais válido que o seu, mas não é menos.

            Então eu acho, pela minha experiência, que sua crítica não procede.

          • É, tua imparcialidade já era companheiro
            Só contra a Dilma Fora contra Lula, seu filho, José Dirceu e o PT Tinha um conceito melhor sobre você!

            http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/os-e-mails-falsos-sobre-dilma

            Ricardo D

            Visite o Seja Dita Verdade, de Stanley Burburinho,

            Todos os emails falsos sobre Dilma Rousseff

            Para facilitar a divulgação nesta última semana de campanha, fiz uma compilação dos emails falsos que circulam nesta campanha sobre Dilma Rousseff e seus respectivos desmentidos. Cada link remete ao leitor ao texto em questão. Espalhem, é importante:

            A morte de Mário Kosel Filho: http://migre.me/1pfAb

            A Ficha Falsa de Dilma Rousseff na ditadura http://migre.me/1pfCc

            O porteiro que desistiu de trabalhar para receber o Bolsa-Família http://migre.me/1pfEJ

            Marília Gabriela desmente email falso http://migre.me/1pfSW

            Dilma não pode entrar nos Estados Unidos http://migre.me/1pfTX

            Foto de Dilma ao lado de um fuzíl é uma montagem barata http://migre.me/1pfWn

            Lula/Dilma sucatearam a classe média (B) em 8 anos: http://migre.me/1pfYg

            Email de Dora Kramer sobre Arnaldo Jabor é montagem http://migre.me/1pfZH

            Matéria sobre Dilma em jornais canadenses é falsa: http://migre.me/1pg1t

            Declarações de Dilma sobre Jesus Cristo – mais um email falso: http://migre.me/1pg2F

            Fraude nas urnas com chip chinês – falsidade que beira o ridículo: http://migre.me/1pg58

            Vídeo de Hugo Chaves pedindo votos a Dilma é falso: http://migre.me/1pg6c

            Matéria sobre amante lésbica de Dilma é invenção: http://migre.me/1pg7p

            FONTET: http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2091

            Por Stanley Burburinho

            Oi, o site Seja Dita a Verdade que esse a compilação dos e-mail não é meu não. rsrsrsr Eu só enviei para cá o texto que eles fizeram. Valeu. 

             

             

      • Você tem razão

        O nível e diversidade dos posts do blog é ótimo. Não existe blog/portal perfeito, mas este é o mais equilibrado e empenhado em verdade.

        Já a área de comentários virou “Noblat ao contrário”.

        E, às vezes, “Reinaldo Azevedo ao contrário” também.

        O debate foi substituído por propagação de bordões, mesmo que contraditórios com os bordões do ano passado.

        Eu lembro bem como Malafaia foi criticado ao apoiar Serra em 2012.

        Será este ano?

  8. foto falsa ou verdadeira?

    Eu não entendi. Vi num blog concorrente a foto do Barbosa com o tal Mahfuz, de quem nunca ouvira falar. A foto é uma montagem para ilustrar uma piada ou é verdadeira? Você não esclareceu, Nassif.

    • verdadeira

      mas o JB não estava confraternizando, parece. Apenas posou com um “fã”. Acho o fato do presidente da Suprema Corte posar de ídolo meio discutível, mas o tom da divulgação foi de escândalo. Simbolicamente é uma bola fora. Mas até que ponto o JB tem que saber quem está querendo uma foto com ele? e no caso seria melhor ele dar uma desculpa educada e dizer que não deve bater fotos com algum admirador? …

      • Não estava confraternizando.

        Não estava confraternizando. Estava apenas usufruindo o momento para satisfazer sua vontade imensa de aparecer! Isso não é comportamento de um juiz fazer isso? Ah, me enganei: Tem também aquele do Habeas Corpus canguru!

    • Consta que é verdadeira. Aí

      Consta que é verdadeira. Aí está a diferença da blogosfera, pegando aqui os principais blogs sujos, para o pig. A blogosfera muitas vezes passa do tom, dá umas escorregadinhas no nível. Mas é muito mais fiel à verdade factual, como diz o Mino.

      Não achei o espisódio da foto importante por isso não li. Mas não cheguei a recriminar pois o prórprio Barbosa se rebaixou a um nível tal que é dificil discuti-lo em outros termos.

      Suas ações são tão rasteiramente injustificadas e tão primárias que a gente não tem saco para rebater com o óbvio do óbvio. O esforço é conter-se no xingamento

    • Ora, ora, Álvaro…
      Leia mis

      Ora, ora, Álvaro…

      Leia mis sobre o assunto – Coloque no Google e mande ele procurar as notícias…

      A foto é verdadeira e foi postada na página do próprio Mahfuz, com comentários, incusive.

      Não justifica a repercussão apesar de eu abominar o Tucano Barbosa

    • Um cara que chega em um

      Um cara que chega em um boteco no popstar e pede para ser fotografo junto. Apenas um deslumbrasmento à altura do nível popularesco de Joaquim Barbosa, nada mais.

      • Nassif, você está abordando a

        Nassif, você está abordando a questão por uma óptica enviezada.

        A questão é que justamente para evitar esse tipo de constrangimento (ser fotografado ao lado de um foragido da justiça) é que os juízes não podem se comportar como popstars.

        Fosse um político, artista, escritor ou coisa que o valha, eu concordaria com você. Mas trata-se de um juiz que por isso mesmo não deveria dar-se a esse tipo de desfrute.

        JB perde credibilidade ao aparecer ao lado do foragido SIM. Mas é porque não deveria, enquanto juiz, ter esse tipo de comportamento histriônico. Se ele quer notoriedade que saia do STF e entre para a política ou forme uma dupla sertaneja. O comportamento do JB não é aceitável e essa foto apenas ilustra o que acontece com juízes prima-donna.

        Quem fala demais dá bom dia a cavalo.

        Que tal abordar um pouquinho essa questão? Ou não é uma questão válida também?

  9. alarmismo

    O artigo me lembrou uma cronica do Stanislaw Ponte Preta. Nos dias posteriores a 31 de março/64 , um sujeito em uma cidadezinha estava infernizando a população com boatos alarmistas. O chefe do destacamento militar resolveu dar uma lição, prendeu o elemento e simulou um pelotão de fuzilamento com balas de festim. Passado o susto com o “fuzilamento”, o protagonista recebeu uma bronca e foi libertado.  Ao chegar no primeiro boteco, parou pra tomar uma e disparou: _Voces não sabem da maior…o exercito esta totalmente sem munição!

    Sim , o Brasil pode estar até em uma posição mais ou menos confortável no quesito eletricidade, porque as usinas térmicas vêm sendo despachadas ja ha algum tempo e, principalmente, por causa do baixo crescimento econômico. Mesmo assim, os valores do MWh no PLD (Spot) estão estratosféricos, o que é inequivocamente um mau sinal. Outro mau sinal é que a curva de aversão ao risco, que poderia esclarecer um pouco mais sobre o assunto, teve a divulgação suspensa em outubro último, com uma justificativa bonitinha, mas ordinária., veja só:

    http://www.portalpch.com.br/index.php/noticias-e-opniao/noticias-gerais-do-segmento/1838-16-10-2013-ons-deixa-de-publicar-curva-de-aversao-ao-risco-no-ipdo

    E vai continuar sendo assim, sempre, porque é mais facil e rápido licenciar uma usina térmica a combistível fóssil do que uma hidrelétrica, pelo que Stanislaw, se vivo, chamaria de FEBEAAPÁ- Festival de Besteira Ambiental que Assola o País.

    abs

    Paulo Victor

     

    • Boa crônica do Stanislaw.

      Boa crônica do Stanislaw. Sergio Porto, se vivo estivesse, teria bem às mãos  fartíssimo material para Febeapás.

      Quanto ao resto, não entendi muito bem a parábola….

      Ainda mais porque nos próximos dois anos o pais vai ter sua capacidade de geração hidrelétrica aumentada em praticamente 1/3 – me corrija se eu estou enganado.

      Quanto ás usinas pequenas, privadas, elas e o mercado spot, etc., explique mais, o problema é Ibama, estaduais e mps?

  10. Tomate, estádios da Copa, inflação, …

    ‘Água mole em pedra dura tanto bate até que fura!’

    Este é o mantra da mídia. Uma mentira ou meia-verdade repisada à exaustão acaba virando uma verdade incostestável. É só pegar alguns sujeitos engravatados e rancorosos politicamente para dar entrevista que esta falsa verdade não admite prova em contrário. 

    Está criada uma convocação para a população mudar seu voto.

    O caso do preço do tomate, pura sazonalidade, foi um espetáculo à parte da Globo.

    Na questão das obras da Copa tiveram que abaixar o tom porque quase convulsionaram o País. Acabou sobrando para a própria imprensa que não podia mais nem mostrar a cara na rua.

    A inflação é o atual mote. Quer a imprensa tradicional fazer a população acreditar que ela está fora de controle. Todos que fazem uma análise técnica da economia veem que isto não está acontecendo.

  11. Parcialidade geral

    Acredito muito na parcialidade, todos temos convicções, só que as convicções dos poderosos sempre foi o que prevaleceu.

    Essa coisa de ser julgado por tirar foto ao lado de criminoso é perigoso sim, jogadores de futebol e cantores populares já foram imcriminados por fotos com traficantes….ou estou errado?

    Desde que a tese do conhecimento dos fatos virou moda, não adianta dizer que não conhecia, autoridades tem que se precaver sim, o fato é que a parcialidade da mídia tem prevalecido e a blogsfera aina carece de representação, os comentário agressivos acabam desqualificando o debate na internet.

     

    abraços

  12. Grande circo


    Apesar do perigo, não levo mais a sério a PigMídia. Em princípio, não creio no que venho a ler, mesmo que seja verdade já entro desconfiado de pegadinha.

    A mesma coisa com o Sr. Joaquim Barbosa, presidente do STF (quero separar aqui o cidadão Joaquim Barbosa, não posso falar de quem não conheço).

    Só consigo fazer piada com eles. Nada mais.

     

     

  13. Barbosão tá pagando o preço

    Barbosão tá pagando o preço de ser uma celebridade. Tirar fotos com quem pedir dá nisso. Constrangimento a posteriori. Esse sentimento de onipotência é perigoso. Faz pagar mico a 3×4. É o caso.

  14. Sempre desconfiei da

    Sempre desconfiei da comemoração neste blog do “fim do jornalismo tradicional”, confiando que meia dúzia de comentaristas e alguns blogueiros pudessem substituir uma comunidade editorialista de décadas, forjada no apuro jornalístico e no “manual de redação”.

  15. O post é um exemplo bom e

    O post é um exemplo bom e acabado sobre parcialidade…a favor da grande mídia que, somos testemunhas oculares, tanto enxovalhou o blogleiro que o escreve.

    O que pode estar acontencendo ao nosso companheiro, Sindrome de estokolmo?

    Será mera coincidencia que tal moléstia o venha acometendo após o surgimento do GGN?

    Seria uma maneira de se tornar palatável aos paladadres do mercado?

    Em nada disso creio, pois conheço o seu trabalho de longa data, desde o plano cruzado, quando internet nem pensava em existir. E quem conhece o trabalho de um homem conhece tambem o seu carater.

    No entanto a discrepancia contida na análise é tão gritante, tão abissal, que é melhor que tais questões sejam levantadas por quem o conhece mais longamente.

    • Prezado
      ninguém bateu mais em

      Prezado

      ninguém bateu mais em Joaquim Barbosa do que este blogueiro. Mas bati nos seus defeitos capitais, naquilo que desmoralizou o Supremo e ameaçou os direitos individuais. Se você acha que foto de bar é mais relevante, dê um curtir na foto.

      • Curti e compartilhei

        Não apenas curti, como compartilhei.

        Voçê pega um exemplo, talvez se possa dizer, uma derrapada da blogosfera e a generaliza como se fosse uma prática comum da mesma, uma prática da escadalização, da espetacularização, tipica da grande mídia.

        Coloca os dois casos nos dois pratos da mesma balança e diz que tem o mesmo peso? Qual é, Nassa! Se seu artigo  tem alguma serventia, é como advertencia, mas não como comparação. Isso definitivamente, não.

          • É bom, de vez em quando, dar

            É bom, de vez em quando, dar esses toques anti-manada. Não ofende nem desqualifica ninguém, só incomoda um pouquinho, e é necessário. 

  16. Primário bem-feito! para poder ler notícias com incredulidade

    “Por esse e outros episódios, percebe-se a importância do contraponto das redes sociais e dos blogs,”

      

    contraponto 100% eficaz subversivo explosivo aos fatos míticos da mítica fonte de mitologias: a mediocracia dos medíocres de plantão mais os honoráveis colunistas fardão/jaquetão, é o contraponto educacional proposto pelo filósofo Russell e discutido sabiamente por Borges.

     

    jorge luis borges / outras inquisições

    “Let the People Think é o título de uma coletânea dos ensaios de Bertrand Russell. Wells, na obra cujo comentário esbocei, nos leva a repensar a história do mundo sem preferência de caráter geográfico, econômico ou étnico; Russell também dispensa conselhos de universalidade. No terceiro artigo – “Free thought and official propaganda” – propõe que as escolas primárias ensinem a arte de ler com incredulidade os jornais. Entendo que essa disciplina socrática não seria inútil. Das pessoas que conheço, muito poucas chegam a soletrá-la. Deixam-se embair por artifícios tipográficos ou sintáticos; pensam que um fato aconteceu porque está impresso em grandes letras negras; confundem a verdade com o corpo 12; não querem entender que a afirmação “Todas as tentativas do agressor para ir além de B fracassaram de maneira sangrenta” é um mero eufemismo para admitir a perda de B. Pior ainda: exercem uma espécie de magia, pensam que formular um temor é colaborar com o inimigo… Russell propõe que o Estado trate de imunizar os homens contra esses agouros e sofismas. Por exemplo, sugere que os alunos estudem as últimas derrotas de Napoleão através dos boletins do Moniteur, ostensivamente triunfais. Planeja deveres como este: depois de estudar em textos ingleses a história da guerra com a França, reescrevê-la, do ponto de vista francês. Nossos “nacionalistas” já exercem esse método paradoxal: ensinam a história argentina do ponto de vista espanhol, quando não quíchua ou querandi.”

     

  17. .
    .
    “…como a foto de

    .

    .

    “…como a foto de Joaquim Barbosa com o Mahfuz, uma bobagem…”

    Nassif, nessa frase você absorve o JB. Aí eu te pergunto:

    Com que direito, você faz isso ?

    Para o JB não vale a “inovação jurídica” do STF…ou seja, que o réu prove a sua inocência !?!?

    Brincadeiras a parte…Por muito menos o Lula e a sua família foram sangrados em praça pública !!!

    Você se esqueçeu dos boatos sobre as várias fazendas que o filho do Lula tem ?

    Você se esqueçeu das várias contas, do Lula, em paraísos fiscais ?

    E os dólares que vieram de Cuba, em uma caixa de rum, para o PT ?

    E a ficha falsa da Dilma ?

    Todos esses boatos e muitos outros rodam pela internet ha anos…

    Não se tem um documento, uma foto, nada que comprove esses e outros boatos, porém eles estão aí ?

     

    Agora, essa foto do JB é simbolica, por vários motivos:

    1- Um ministro do STF deveria ser mais reservado.

    2- O JB tem um apto proximo de onde este sujeiro da foto mora.

    3- O cara da foto tem 221 processo no Brasil.

     

    O JB, como presidente de um poder, deve sim, explicações sobre o seu comportamento público.

    Do mesmo modo que ele disse, certa vez, ao Ministro Gilmar Mendes: “….o senhor está destruindo a imagem do judiciário brasileiro….”, ele deveria olhar-se no espelho e ter mais compostura.

     

     

     

     

    • Usando a Teoria do Domínio do Fato: Babosão culpado

      O Babosão  usou a Teoria do Domínio do Fato para incriminar inocentes. Os blogues sujos usam a mesma Teoria para mostrar que o Babosão tem lado: o lado do Mahfuz, do banqueiro condenado, da sonegadora famiglia Marinho, dos Privateiros e Trensaleiros do PSDB.

      Neste momento o pau que bate no Chico não pode bater no Francisco! Os blogues sujos não podem usar levianamente a Teoria do Domínio do Fato como foi usada pelo Babosão.

      • Tá, mas….

        Nassif, sobre a foto com o foragido da justiça, a assessoria de Barbosa informa que ele(Barbosa) não pede RG de ninguém que quer tirar foto com ele, tudo bem, mas…………………Mas quem diria: Seria a lei do retorno? Senão vejamos: O mesmo Barbosa que ignorou a presença da presidente quando da recepção ao Papa Francisco, talvez para “preservar” sua imagem de imperador impecável,  agora tem sua imagem ao lado de um foragido rolando por ai, sim, entendo que isso não seja grave, qualquer homem público pode ser fotografado ao lado de um Marcola da vida, entendo, também sou contra o olho por olho dente por dente mas……,,,,…mas o que quero dizer essa de JB com um foragido evoca frases que o denunciam,…tais como:  Aqui se faz aqui se paga,.,,,,diz-me com quem andas que direi quem és……,,,e por ai vai…rsss

  18. Poderia ter sido diferente, mas não foi

    Lá pelos idos de 2008/2009 a blogosfera parecia imparcial. Abordava o que fosse necessário, de um modo holístico, criticar o governo também. Eu gostava bastante da blogosfera naquela época e a elogiava.

    Como, nos últimos tempos, “nivelou por baixo”, resumindo-se a um governismo acrítico e que não quer ver um unicórnio azul ou um elefante cor-de-rosa mesmo que arrombe a porta da sala, pronto, o que tivemos é que a grande mídia recuperou parte do espaço perdido em termos de credibilidade. E não por seus méritos, frise-se.

    • A oposição acredita em unicórnios!

        kkkk, depois acham ruim quando agente não dá bola à esse trololó. Daqui a pouco vem um dizer que viu elefante voar, fiquei um governista roxíssiomo por causa dessa oposição cômica.

        Imparcial é coisa que a blogosfera nunca pretendeu ser, pelo contrário é contraponto do Partido da Imprensa Golpista, o que a blogosfera faz é ser mentirosa, armando fichas falsas e atentados com bolinha de papel.

    • Desculpe Gunter mas eu

      Desculpe Gunter mas eu discordo completamente.

      O fato é que a imprensa produz grande quantidade de mentiras e mistificações e só tem a blogosfera para fazer o contraponto.

      Muitas mentiras geram muitos desmentidos e esses desmentidos que você está vendo como um “governismo acrítico”.

      Se a imprensa desse uma folga você veria florecer todo tipo de divergência na blogosfera. Porém como ficar quieto ao ver mentiras descaradas sendo veiculadas na maior cara de pau?

      Eu sei que você está procurando motivos para manter sua preferẽncia pelo Eduardo Campos e a sua vice, mas sinceramente acho que não é por aí.

      Você sabe muito bem o que aconteceria com uma foto do Genoino ou do Dirceu ao lado de um criminoso foragido (para não falar do Lula ou da Dilma) e tenho certeza que você não colocaria uma única letra em um comentário para reclamar das manchetes escandalosas e apelativas que iriam vicejar em toda a imprensa. Engraçado que se disponha a falar contra a radicalização justamente para defender o Barbosa… São milhares de exageros da imprensa e UM dos blogs, mas é seu direito falar somente quando a crítica é em cima dos blogs.

      Operação “blindagem” para Barbosa

      http://www.ocafezinho.com/2014/02/03/operacao-blindagem-para-barbosa/

      Operação “blindagem” para BarbosaOperação “blindagem” para Barbosa

  19. Babosão decidiu qual é o seu lado

    O Babosão  escolheu o lado que quer ficar: o lado do empresário condenado que fugiu do Brasil, da grande imprensa do PIG e dos udenistas. Ele teve chance de ficar do outro lado, do lado da Jusitça social, do povo, do desenvolvimento soberano do país. O Babosão merece o que vem recebendo neste momento, pois ele usou e abusou da Teoria do Domínio do Fato para incriminar inocentes (que ele sabia serem inocentes) e inocentar criminosos (que ele sabia serem criminosos).

    A mentira dita pelos órgãos do PIG tem muito mais repercussão e destruição que a parcialidade dos blogues sujos. Basta alguns minutos de mentiras do PIG para destruir a vida de pessoas. É necessário muitas e muitas “parcialidades” dos blogues sujos para desfazerem a mentira do PIG.

    O PIG e seus mafiosos se dizem imparciais e declaram que os blogues sujos são instrumentos de manipulação do PT. Essa impressão é a que fica quando alguém acompanha a programação mafiosa da mídia piguista. Pior que o Babosão está do lado da mídia piguista.

  20. Não acreditei no que li, apesar de que …

     

    apesar de que … nos últimos tempos sinto uma crescente falta de “combatividade” deste blogueiro.

    Olha, se vc é jogador de futebol é muito provável que conheça outros tantos jogadores.

    Se é piloto é provável que conheça bastante de carros.

    Se é Juiz do STF … deveria conhecer melhor as premissas do cargo: reputação ilibada, aperfeiçoar mais e mais a discrição…. Convenhamos senhor Nassif como pode afirmar que uma foto de um ministro do STF com um FORAGIDO DA JUSTIÇA NÃO É ALGO NO MÍNIMO NO MINIMO …. M.A.L.U.C.O.

    Nassif se vc é uma pessoa do PSDB não é problema ser do PSDB !!

    • Nassif não é tucano, hoje

      O jornalista Luis Nassif não é tucano hoje. Na época do FHC ele esteve mais próximo de algumas das ideias tucanas: privatizar (com a ideia de tirar o Estado das áreas em que os tucanos diziam que o Estado não deveria estar).

      Nassif comprou a ideia da privatização, mas tenho certeza que ele percebeu o erro colossal cometido pelos tucanos, que fizeram Privatarias e sumiram com o dinheiro das estatais “doadas” a preço de banana para os amigos do rei, no caso o finado FHC.

      • Se não é tucano então …

        então parece estar cansado e não anda pensando o quanto de seguidores e admiradores possui … porque escrever o post que escreveu com a argumentação usada … me entristeceu muito.

        Comparar a blogosfera com a sistema capitalista ora reinante no mundo, foi demais. Midia não existe, existe empresas que defendem os interesses do grande capital. São braços e partes de grandes grupos financeiros, industriais, …, representam e propalam o que o jornalista Paulo Nogueira definiu como TCM = Tipico Classe Media.

        A 500 anos nos dominam e agora por causa de 10 parcos anos de um governo que teve que fazer mil e uma concessões, o que irritou muito dos seus apoiadores, … ficam bradando como loucos (os que estavam a 500 !! Ou o casa grande).

        Voce com sua experiência de vida queria o que Nassif? Que não houvesse esta revolta dos donos do poder? Se houvesse um processo de busca pela justiça verdadeiro, muitos sofreriam penas que não posso imaginar.

        Me comparar com o Globo foi ultrajante. Comparar algumas vozes solitárias que é seguida somente por uma parcela educada da sociedade, é decepcionante.

        Não entendo porque a foto do ilustrissimo JB não o causa repulsa !!

        • O que me causa repulsa são as

          O que me causa repulsa são as palavras e atos de Joaquim Barbosa.

          A vida me ensinou que, quando você supervaloriza episódios irrelevantes – como essa foto -, perde-se toda a eficácia para denunciar episódio centrais. Especialmente, junto a quem não é da torcida.

          • Como ainda considera isto

            Como ainda considera isto irrelevante? Me desculpa a insistência.

            Bom, vejamos o seguinte: o que vc diria se o rato, um rato procurado, publicasse uma foto abraçado ao gato mor? Isto é irrelevante? Isto mostra de forma fotográfica o que é o poder nos moldes do nosso STF atual. Isto é uma prova fotográfica de tantas ações espúrias tomadas por alguns ministros. Alguns argumentos que chocam: como fulano não é fulano, todo preso tem o direito a fugir, habeas corpus sem sentido (pra nós !! )…. e o JB é pra tristeza geral o caso mais emblemático.

            Todo juiz tem que procurar o discrição. Isto é vital pra ser imparcial ou JUSTO. A partir do momento que o cara se acha um pop star isto por si só caberia impeachment numa sociedade mais séria. Vivi alguns fora e nunca vi um juiz dando entrevista. Juiz não deve ter amigos (ossos do ofício meu amigo).

            Quando vc relativisou este fato e nos comparou com a estrutura citada vc misturou as coisas meu amigo. ADEMAIS O QUE É  A BLOGOSFERA PRA VC? Os blogs que posso contar progressistas são mínimos (o seu incluso), há muitos blogs são extensões da veja, globo, … Até aqui sentimos o peso da confusão que se cria na cabeça das pessoas, é o que a Bíblia diz: poucos deixaram de cair nas redes da besta, até mesmo aqueles potencialmente escolhidos.

            E no estágio atual o que mais se pode falar e fazer? Se pudessemos não teriamos destituído este hipócrita de seu castelo? Não temos este poder que pregas e por isto a comparação sua foi totalmente injusta. Apenas somos um bando de pessoas que tem um pouco de educação, que lê (e mesmo com esses adjetivos muitos só lêm e acreditam na veja !!) reflete, se indigna com as injustiças …. podemos fazer barulho mas mesmo quando fazemos barulhos, o grande poder toma a luta e vira-se pra eles veja o que aconteceu com o movimento do passe livre em SP. Logo virou a baderna em alguns lugares, … e  em menos de 24 horas o Sr Jabor mudou de opnião …  vc sabe porque?

          • Creio que alguns

            Creio que alguns comentaristas desejam que o Sr. Nassif aja da mesma forma que alguns políticos do psdb, em relação aos atos da Presidenta Dilma, a qualquer ato fazem, com ajuda da mídia golpista, o maior escarcéu. Haja paciência.

             

             

  21. Nassif, fala sério,
    Mil veze

    Nassif, fala sério,

    Mil veze a blogosfera. Vide o gráfico da inflação da Globonews onde a barra de 6,5% é menor que a de 5,83%. Impossível  erro involuntário num gráfico excel!  Outra, comparar blogosfera não tem nem 2% dos finaciamento dso desacreditados grandes jornais. Credibildiade destes, jamais recuperarão…

     

     

  22. A foto e a foto

    Nassif, com todo o respeito à sua posição, os atos e contradições profundas de Joaquim Barbosa, sua prática e seu comportamento são os fatores que levaram  à conclusão  errada ou, quem sabe, certa, sobre a foto. 

    Se por trás da máscara de justiceiro, se descobre um homem de índole agressiva e sobretudo dúbia, praticando aquilo que diz condenar, como então interpretar de outra forma uma foto como aquela?

    Não precisa aqui listar os inúmeros fatos que flagraram Joaquim Barbosa ferindo não apenas os mínimos princípios para uma pessoa na posição dele, mas sobretudo aquilo que ele mesmo prega diante das câmeras e holofotes.

    O que pensar da fotografia com um ricaço foragido da justiça, em Miami, ao mesmo tempo que se sabe que Joaquim Barbosa possui uma empresa fantasma com a qual adquiriu um apartamento de 10 dólares, na mesma Miami?? Diante de coincidências obscuras e suspeitas, quem é que deve uma explicação?  Quem  comete um erro de interpretação ao condicionar a foto a um episódio ocasional ou relacioná-la com o modus operandi de um juiz injusto, polêmico e de personalidade reconhecidamente duvidosa?

  23. A alteração mecânica da

    A alteração mecânica da mídia, por conceber resultados políticos e sociais, se transformou na manipulação dos próprios agentes; algo a ser também consumado por por seres humanos.

  24. Eleitores de Lula e Dilma na mira

    O alvo são os eleitores de Lula e Dilma, eles são a parte mais frágil do eleitorado, os mais manipuláveis pela grande mídia e os mais fáceis de enganar. Trabalho com construção civil e vejo isso no meio dos operários, eles já absorveram as manipulações da mídia oficial e veem nisso uma verdade. Acham sim que Lula está milionário e que seu filho Lulinha é dono da Friboi e não não tem quem diga o contrário, se dizem enganados, que o Bolsa Família é uma esmola pra iludir, enfim tudo que a grande mídia propa-la aos quatro ventos eles já absorveram e tendem a anular o voto ou votar no Eduardo Campos ou Aécio, não enxergam o que esse candidatos representam no quadro político. Muitos deles recebem Bolsa Família, mas não enxergam que isso tenha ajudado, nem tão pouco seus empregos contantes na construção civil. Eles nem sabem que existe na internet um jornalismo alternativo a aquilo que eles vêem na TV, pois poucos tem a leitura como algo corriqueiro. Triste ver isso ocorrer, mas é a realidade e não vejo o Governo ter a mesma comunicação com essa classe do que tem com a Classe média. Parece até que tudo é classe média, mas estes eleitores da classe operária não percebem isso e absovem muito fortemente a lenga-lenga moralista da Rede Globo e no JN, onde tudo está tomado pela corrupção. A Blogosfera quem lê são apenas a Classe média esclarecida e com certo nível de instrução. De resto ninguém sabe e ninguém viu.

    • Merecem?

      Fernando68,

      Os que não conseguem perceber o seu próprio interesse, e se deixar levar facilmente,  talvez não mereçam mesmo a ajuda que tiveram.

      Um boa lição, com a perda destes benefícios, pode ser muito educativo. Só temo pela violência com que responderão.

       

       

      • Também acho. Há muito pobre e

        Também acho. Há muito pobre e beneficiário das medidas do governo embarcando na mentirada da mídia. Vai atrasar o país? Vai. Mas paciência, que não venham reclamar pra mim.

    • Não Posso concordar

           Ola,

           Não posso concordar com o seu comentário. É o mesmo raciocínio que o pessoal da Direita faz: só vota no PT quem é manipulado pela Bolsa Família ou qualquer outro tipo de propaganda. 

           Manipulados somos todos nós. mesmo criticando as informações que recebemos passa sempre uma frase aqui ou outra ali.

           Pobre não é mais manipulado por ser pobre. Ele – pobre, mas também classe média e ricos, todos votaram no Lula! – decidiu votar no Lula quando a opção FHC/PSDB se mostrou pior. Não teve Globo, PIG que resolvesse. Não estou dizendo que o PT não fez acordos para garantir esta eleição, mas estes acordos fogem deste tema. Lula foi eleito novamente e Dilma também. Aqui bateu-se bumbo, falou-se em bala de prata, Pig e sabe mais o que. eleições tranquilas. Dilma, provavelmente será novamente eleita, na minha opinião fácil.

           Tudo isso porque o povo na sua maioria, sejha de classe for, procura a melhor auternativa para si. Só entre nós, na maioria das vezes, ele sabe melhor do que nós o que é melhor para ele. Nem que esxte melhor seja a segurança de não ter alguém pior no lugar do já muito ruim.

           A economia vai bem para a maioria das pessoas quando elas tem emprego e o salário dá para comprar o básico e as vezes sobra um pouquinho para sonhar. Se os filhos vão para a escola ou para a faculdade, se tem médico, tudo isso é econia boa. Dolar, balança de pagamentos, isso é para quem não acorda cedo para trabalhar, simples assim.

           O PT só sai do poder se  esta economia começar a ir mal ou se alguém muito bom de conversa convecer a todos que a mudança certamente será para melhor. Vai ter que ser muito bom de conversa, pois brasileiro não muda time que está ganhando e para a grande maioria o time atual está ganhando. 

           Desculpe as simplificações…

      • Não estou negando

        Não estou negando os avanços dos governos Lula e Dilma, acho-os positivos sim, o que estou dizendo aqui é o que vejo no canteiro de obras com mais de 300 operários e a radio peão com suas discussões do horário do almoço a respeito do que assistem na TV e a regra básica é essa, eles estão absorvendo o que o JN diz a respeito do Mensalão e acham mesmo que todos são ladrões e que Lula os traiu e que ficou rico. Infelizmente é isso que tenho visto, mesmo discutindo com muitos e apontando informações que acabam com esse raciocínio rasteiro. Participo das eleições de Lula desde 1989, militei e faço o possível sempre para mostrar o projeto de governo que precisamos para avançar mais, mas o eleitorado de Lula e Dilma, digo o pessoal que se utiliza de Bolsa Família e demais programas de distribuição de renda, não analisa as coisas assim, eles não fazem essa ligação do que eles conquistaram hoje e estão conquistando com o advento do governo Lula-Dilma, essa ponte, essa ligação é um reciocínio mais complexo para eles, não generalizo, mas garanto aqui que em torno de 80% deles pensa assim. Vivo em Salvador-BA e é o ambiente dominado pelos coronéis ainda, mesmo com o PT do governo do estado. Eles votaram em massa no ACM Neto querendo mudar o que não sabem bem o que. Temos técnicos de nível médio nas obras que são pessoas que estudaram nos programas de educação técnica e que não enxergam esses avanços. Observando isso, penso que há um nó na comunicação do governo federal com essas camadas e acho mesmo que o governo seguiu a agenda da direita em só se comunicar com a classe média que tem PC, Internet, TV e acessa os Blogs. Conversando na obra com o pessoal de nivel médio eles nunca ouviram falar de Blogs alternativos. Assistem JN e acham que lá está a informação. Infelizmente.

    •  
      Engano seu, Fernando, a

       

      Engano seu, Fernando, a maioria do povão dificilmente se expõe explicitamente quando o assunto é política . quase todos ouvem, balançam a cabeça, mas só aceitam a opinião de Lula ..

       

       

    • Voçe e formidavel

      Simplesmente formidavel,quinze linhas de pura realidade

      este e o meu dia dia, trocando farpas contra quem so fala

      asneiras,nao passo o dia no PC estou na rua (a trabalho) so ouvindo e retrucando

      vou imprimir  e andar com ele no bolso ja que nao tem Pasquim,folhetim

      panfletim,voçe tem pega.

  25. Ganhou alforria, sim!

    “…como se o produto notícia tivesse ganhado alforria geral em relação aos fatos.”

    Nassif!

    Só lembrando que ganhou alforria, sim, e foi naquele discurso de posse da Presidenta, onde ela disse o seguinte e eles interpretaram como território livre pra qualquer tipo de chicana:

    “Reafirmo meu compromisso inegociável com a garantia plena … da liberdade de imprensa e de opinião.

    Reafirmo o que disse, ao longo da campanha, que prefiro o barulho da imprensa livre ao silêncio das ditaduras…”

    Ela disse bem: ba-ru-lho! E é exatamente isso que temos visto desde nunca dantes na história deste país.

     

    • aplausos de pé !
      a narrativa

      aplausos de pé !

      a narrativa precisa ser mudada para mostrar a diferença ideológica!

       

       

  26. O foco da foto

    O foco principal da foto não seria o Ministro e nem o multiprocessado Mahfuz, mas sim o que há de simbólico por trás dela: o tipo de pessoa que se deixa seduzir pelo comportamento francamente midiatizado do atual presidente do STF.

    O Nassif realmente é um grande jornalista. E é crítico consequente e honesto da forma como o JB tem – se conduzido – e conduzido a Justiça. Principalmente na questão da AP 470, instrução, julgamento e execução. E isso não é pouca coisa. De modo algum.

    Evidente que em uma perspectiva ideal – inexistente – colar a imagem do presidente do Supremo à de um criminoso por conta de uma foto casual para depois extrair comparações impertinentes (digamos assim), isso não seria recomendável. Seria até censurável. 

    Mas o quadro gravemente assimétrico que temos hoje, um aparato midiático fazendo as vezes de partido político de oposição e com rara sordidez “contra” uma legião constituída em grande parte por cidadãos-jornalistas e jornalistas-cidadãos no uso das prerrogativas que o inconformismo humano concede e a tecnologia digital permite (ainda), com este quadro não dá para dizer que a exposição da foto nivela os dois lados. Até mesmo porque as Globos da vida fizeram, fazem e farão coisas bem piores do que esta. Bem piores mesmo! 

    Além do mais, dados os chiliques moralistas do Ministro, e mais do que isso, dao o esconso uso da teoria do domínio do fato para a condenação de alguns dos réus da AP 470, é mais do que compreensível a utilização da foto para impactar, chamar a atenção para os exageros condenatórios do “Eminente Relator”.

    Tudo isso para ao final voltar ao ponto do início: o tipo de figura que enriquece as hostes do moralismo justiceiro de ocasião. 

     

     

  27. Radicalização do debate é um

    Radicalização do debate é um instrumento político manjado.

    Tanto que o argumento do “medo” é usado por todos os lados. 

    A blogosfera tem medo da “volta da direita”, e rotula como reacionarismo qualquer crítica ao governo (WGS já abordou esse assunto), mesmo que sejam justas e relacionadas com ideias que o PT sempre defendeu.

    Já a mídia tem medo do “fantasma comunista”, como se Dilma fosse patrocinada pelos irmãos Castro e pretendesse dar um golpe de Estado com fuzis importados da Venezuela.

    No final, é puro terrorismo para manter seus rebanhos sob controle. Tanto que Marina fala de “Chavismo do PT” para atrair o eleitorado acéfalo, e os governistas falam de “Marina Itaú” para assustar o eleitorado esquerdista (como se o Itaú não estivesse plenamente representado nesse governo).

    Não que não houvesse alternativas.

    Fora do campo “neocon”, temos diversos intelectuais que conseguem discutir razoavelmente nosso país, tal qual Singer, Pochmann, Safatle, Sicsú, Belluzzo, o próprio Nassif, dentre outros, cujos livros, textos e ideias poderiam fomentar, por parte dos defensores do governo, um debate mais crítico e propositivo sob os grandes temas nacionais.

    Só para ficar com um exemplo, nenhum acadêmico de direita criticou com tanta contundência o conceito lulista de nova classe média tal qual fez Pochmann. Isto fomentou, na blogosfera, um debate crítico sobre os limites e incoerências da “inclusão social pelo consumo”? Não. E ai de quem tenta debater um tema incômodo desses. 

    Se a blogosfera de fato pretendesse fincar pé como alternativa a grande mídia, teria que suprir TODAS as suas deficiências. A deficiência maior do establishment é a simplificação, os estereótipos e o estabelecimento de “não-temas”, por ferirem interesse de grandes anunciantes. A mídia alternativa, no entanto, optou por se afastar do caminho “Think Tank” e também estabelecer não-temas, igual a grande mídia, para não abordar temas sensíveis ao governismo, ou que possam de algum modo prejudicá-lo eleitoralmente.

    Se perguntar, claro, não dá para comparar o tamanho, a grana envolvida e o alcance que a blogosfera possui, em comparação com a grande mídia. Só que, vinculada a esta mentalidade pequena, de assumir uma defesa incondicional do governo e só contrapor os grandes órgãos de imprensa quando o interesse do PT é afetado, a blogosfera apequenou-se, perdeu chance de crescer, e hoje a maioria destes blogs são frequentados apenas por militantes radicais.

    Não causa surpresa, então, que quando “não-temas” da blogosfera e da grande mídia coincidem, ambos adotam postura idêntica, como por exemplo no início das manifestações de junho, em que ambos, e por razões distintas, condenaram que a população ocupasse as ruas para se manifestar.

    Sem se reciclar, ou seja, adquirir autonomia relativa do governismo e ser mais propositiva, a blogosfera, de um modo geral, vai continuar sendo o que foi nestes últimos 3 anos: reduto de militância radical e acrítica.

    • A mídia alternativa, no

      A mídia alternativa, no entanto, optou por se afastar do caminho “Think Tank” e também estabelecer não-temas, igual a grande mídia, para não abordar temas sensíveis ao governismo, ou que possam de algum modo prejudicá-lo eleitoralmente.

      Arthur,

      Talvez o problema seja a falta de (mais) atores na mídia alternativa vinculados com a academia. Por sinal, você citou vários intelectuais no comentário. Mas impressão que tenho, é que os acadêmicos ainda não caíram na rede de fato, acabam usando ela como se fosse a velha mídia, sem muita interação com os “mortais”. Ou então, caíram, mas passam desapercebidos normalmente, em função do anonimato, o que seria compreensível.

      Uma maior presença deles na mídia alternativa, poderia levar ao modelo “Think Tank”, fugindo do lugar comum de atuar sobre um tema somente quando há o fato noticiado que “implora” pela opinião alheia.

      No geral, o que temos na mídia alternativa são jornalistas, militantes e jornalistas militantes. O que vai gerar apenas jornalismo, panfletos ou uma mistura de ambos.

      • Mídia alternativa

        é uma esperança que ainda não se concretizou. Está o que você fala: um panfleto permanente.

        Em 2010 comecei a seguir um monte de jornalistas no facebook. Não quero ser descortês e ficar clicando em unfollows agora, mas vejo um monte de nomes para os quais não me dá vontade de ler nada…

        Tirando algumas questões pontuais, ainda estamos como há 5 anos atrás: academia escreve em revistas especializadas, alguns com colunas na mídia.

        Quem poderia usar think tanks também seriam os grandes partidos, como os Democratas fazem.

         

    • Acho que nem foi Pochmann quem criticou primeiro

      Na Carta Capital especial de fim de ano, de 2012, teve um artigo com umas 8 páginas apresentando como essa estória de ‘nova classe média’ foi superestimada em muita coisa.

      Eu lembro que eu propus o link na época, mas não virou post então e agora não sei como achar de um modo fácil…

      Na mesma época havia imensas críticas do MST ao governo, tanto Carta Capital como Azenha publicaram uma entrevista com Stédile. Sumiu no vácuo do governismo (e, ao contrário de questões LGBT, essa é uma que não será a grande mídia quem irá abordar…)

      Acho Belluzzo ótimo. O único que fala (o que eu acho ser) a verdade: sem tributação do setor agrário não há como escapar da armadilha da ‘doença holandesa’ e o câmbio vai ver novos surtos de valorização. Vai contar isso pro PMDB.

      Em algum momento alguém da blogosfera aceita debater os efeitos do aumento das commodities no desempenho econômico e o risco de refluxo geral que pode haver se elas despencarem (ciclicamente) de preço? Não. Isso é tido como propaganda ‘tucana’.

      Falam de ‘Marina Itaú’ para os ‘esquerdistas’, mas falam de ‘Marina evangélica’ para os LGBT. Quem acredita nisso depois do governo que vimos?

      Safatle é legal, bom pensador. E de um partido que eu gosto. Só que… quando ainda era do PT e com chances de participar do governo haddad, fez um artigo elogiando a participação de pentecostais na política. Eu mereço isso? rsrs

      Em termos de blogs que se apequeneram, talvez o Azenha tenha sido menos pior (mas com uma fase muito ruim, quando defendeu todas as estripulias do Congresso vis-a-vis STF, incluindo os projetos de Fonteles.) O da “Socialista Morena’ é bom também. O resto? Virou uma geleia em busca de convites.

      As contradições em torno da PEC 37, alguém lembra? Até dezembro/2012 o PT não apoiava, dizia que era coisa da polícia federal aparelhada pelo PSDB e o projeto é de…um obscuro deputado da oposição que é… delegado federal. Depois virou panaceia. Depois teve as manifs e o vexame: os deputados do PT votaram contra.

      Como pode ver, concordo com você, só estou dando mais exemplos. Este é o único blog que frequento agora porque, simplesmente, é o único que sobrou com diversidade de pensamento e interesse em verdade.

       

    • Não concordo.

      Tem muita critica ao governo nos blogs. Aqui mesmo no Nassif, lemos as melhores criticas ao governo petista. O que ocorre é que a oposição (direita/esquerda), ao meu ver são mais criticáveis do que o governo. Os caras não tem proposta para o país e vivem tentando dar um golpe. Você mesmo Gunter faz boas criticas ao governo aqui no blog, as reações dos colegas por vezes são exageradas, mas o nível do blog se mantem em alta. 

    • A divisão salomônica da oposição sem discurso.

      É famosa a historinha

      “Duas mulheres, diante do rei Salomão disputavam a maternidade de uma criança e ele, sabiamente disse: ” Guarda! parta essa criança no meio e dê um parte para cada mãe. Uma das mulheres gritou! Não majestade, por favor não faça isso eu abro mão do meu filho para que ele continue vivo e o rei, tomado de emoção disse: ” Dê a criança a essa mulher, pois ela é a verdadeira mãe. Entendeu?”.

      ”  Alf, em http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070314105323AAD2Ok3

         Alguns dicursos lembram a ideia do rei, mas só a primeira parte, pois ao final estão nivelados por baixo o dois lados e o país que se dane, ainda bem que esse rei não decide quem está certo no Brasil.  Um dos lados tem razão nessa disputa. aliás é pra temer os dois lados ? não temas nenhum ?

         Por falar em não temas, esse o principal “não tema”, discute-se sobre os debatedores e o debate. Oposicionistas não tem argumentos, quando apresentam algum, frequentemente viram motivo de piada como no “escândalo lisboa”, a partir daí eles tem uma reação surreal, cobra-se de governistas críticas ao governo e não de opositores, hora, sinceramente, se eles não são capazes de fazer isso os últimos à quem eles deviam recorrer pedindo ajuda é a quem encontra na blogosfera um espaço para defender o governo do ataque constante e injusto de uma imensa estrutura de comunicação da direita.

            O pior é que esse “fogo amigo” existe, uma olhada nos blogs tidos como chapa branca revela críticas a ministros tão contundentes quanto às distribuídas à oposição, mas evidentemente isso não traz um tratamento equânime, simplesmente porque as forças políticas não agem da mesma forma, vide o caso da cracolândia em São Paulo, mas a principal razão dos ataque aos governistas é algo mais básico e instintivo, não se consegue convencer o interlocutor das “verdades aqui demostradas” então vamos nos convencer que o problema está na “surdez” do ouvinte e não na inconsistência do discurso oposicionista, tem-se dessa forma um álibi para manter o discurso opositor.

          É o chamado “argumento circular” em seu ápice:  ele é um radical portanto vai se negar a enxergar “minha verdade” que é tão evidente,  no entanto eu estou certo pois minhas ideias não foram contestadas a não ser por “radicais acríticos”, se realmente me ouvissem me daria razão e não seriam radicais , e por isso mesmo eu também estaria certo. Assim é bom demais.

         Na verdade não passa de uma fuga embora tente parecer o contrário, é como chamar alguém pra uma partida e depois dizer que é o juiz, ao se entrar no debate argumenta-se em favor de uma determinada ideia, a única garantia de não aderir a nenhum lado é não apresentar argumento algum, ao se portar como um juiz um “ex-debatedor” ganha um ar de superioridade, embora tenha fugido do debate, no entanto, caso não haja outros “adversários” para assumir seu lugar, o seu interlocutor terá ganho a partida por W.O.

       

    • Uma vela para deus e outra para o diabo.

      Artur, me permitra a intromissão:

      Radicalização do debate é um instrumento político manjado.

      Tanto que o argumento do “medo” é usado por todos os lados. 

      A blogosfera tem medo da “volta da direita”, e rotula como reacionarismo qualquer crítica ao governo (WGS já abordou esse assunto), mesmo que sejam justas e relacionadas com ideias que o PT sempre defendeu.

      Comentário: WGS é um grande pensador, mas seguindo a sua própria concepção de livre pensar (defendida por você) não é definitivo e inquestonável, e nem se reivindica como tal. Olhando conceitualmente a questão, a suposta coerência em se permitir criticar e debater temas incômodos, mas que antes eram defendidos e hoje são evitados (geralmente sob o argumento da governabilidade, que não deve ser desprezado em uma Democracia jovem como a nossa), eu poderia dizer que é tão importante o exercício da crítica como definir o objetivo dela. Considerando que nenhuma crítica é neutra, e muito menos só um tratado de boas intenções, levando-se em conta o dramático jogo de poder que vivenciamos, demarcar campos políticos e afastar os críticos-contrabandistas, ou seja, aqueles que sob pele de cordeiro buscam o enfraquecimento das estruturas de governo, é muito importante para militantes e internautas governistas deixarem claro estas questões antes de adentrarmos o debate em si.

      Em todos os lugares do mundo um certo exagero nas tintas com as quais pintamos os adversários são necessárias para darmos coesão discursiva aos campos em disputa, o que de certa forma nos revela os posicionamentos em questões-chave: nos EEUU democratas em geral são pró-imigrantes, republicanos contra (o que não quer dizer que haja variações dentro destes campos), enquanto se digladiam em questões fiscais, dentre outras coisas. E assim vai pela Europa e etc.

      Já a mídia tem medo do “fantasma comunista”, como se Dilma fosse patrocinada pelos irmãos Castro e pretendesse dar um golpe de Estado com fuzis importados da Venezuela.

      No final, é puro terrorismo para manter seus rebanhos sob controle. Tanto que Marina fala de “Chavismo do PT” para atrair o eleitorado acéfalo, e os governistas falam de “Marina Itaú” para assustar o eleitorado esquerdista (como se o Itaú não estivesse plenamente representado nesse governo).

      Não que não houvesse alternativas.

      Comentário: Há um traço, um cacoete elitista em seu comentário. Não há eleitorado acéfalo. Há eleitorado que se orienta por questões diferentes e estas questões são políticas e transclassistas. O discurso chavismo do PT é um exagero sim, como já mencionei, mas que demarca um campo anti-intervenção do Estado, contra o controle social da mídia, e estruturado no “tripé” na condução da economia, e mais: moralista e higienista politicamente. Enfim, anti-aborto e dúbio em relação aos gays (algo como “tolerar” desde que eles fiquem “quietinhos no canto deles, ou reproduzam apenas os estereótipo de sempre”, como foi a propaganda do PV, recentemente).

      Fora do campo “neocon”, temos diversos intelectuais que conseguem discutir razoavelmente nosso país, tal qual Singer, Pochmann, Safatle, Sicsú, Belluzzo, o próprio Nassif, dentre outros, cujos livros, textos e ideias poderiam fomentar, por parte dos defensores do governo, um debate mais crítico e propositivo sob os grandes temas nacionais.

      Só para ficar com um exemplo, nenhum acadêmico de direita criticou com tanta contundência o conceito lulista de nova classe média tal qual fez Pochmann. Isto fomentou, na blogosfera, um debate crítico sobre os limites e incoerências da “inclusão social pelo consumo”? Não. E ai de quem tenta debater um tema incômodo desses. 

      Comentário: Eu não poderia afirmar que estes intelectuais não sejam ouvidos pelo governo. Pochmann é do IPEA, não? O que eu não posso entender que intelectuais, com toda a contribuição que possam dar, sejam mais relevantes que os politicos eleitos que conduzem o país e que têm conseguido, às vezes a revelia destes setores intelectuais, mais sucesso que o previsto.

      A construção de Pochmann sobre a nova classe média foi o típico caso de quem pretendeu se legitimar sendo mais “realista que o rei”. Comparar a instância do discurso político de Lula com o rigor exigido para o embate acadêmico não é ingenuidade. É tolice que beira a desonestidade intelectual.

      A produção simbólica de Lula se destinou (como estadista que é) a dar pertencimento a uma parcela considerável da população que viveu a margem do país por anos e anos.

      Parâmetros sócio-econômicos nunca vão dar conta de explicar politicamente o efeito de uma família que morava em uma favela, ligação clandestina de luz, com duas lâmpadas, uma TV, geladeira velha, um ventilador e três cômodos para sete pessoas, que de repente vai morar em um imóvel próprio (de alvenaria) de 5 ou 6 cômodos, eletrodomésticos novos, luz legalizada, ar condicionado e quem sabe um carrinho usado na garagem.

      Se a blogosfera de fato pretendesse fincar pé como alternativa a grande mídia, teria que suprir TODAS as suas deficiências. A deficiência maior do establishment é a simplificação, os estereótipos e o estabelecimento de “não-temas”, por ferirem interesse de grandes anunciantes. A mídia alternativa, no entanto, optou por se afastar do caminho “Think Tank” e também estabelecer não-temas, igual a grande mídia, para não abordar temas sensíveis ao governismo, ou que possam de algum modo prejudicá-lo eleitoralmente.

      Comentário: Outro erro grave. Mídia empresarial serve para uma coisa. Blogosfera serve para outra. Não há um estamento da blogosfera que consiga replicar a mídia com sinal trocado, ou seja, elegendo não-temas. A prova disto é este debate aqui.

      O papel da blogosfera é antes fazer política, e por isto mesmo, informar.

      A pretensão da mídia é antes informar para fazer política, ou seja, o contrário.

      A grande vantagem comparativa da blogosfera é a possibilidade de você listar vários blogs e ser capaz de dizer qual a orientação deles, seja o esgoto azevediano, seja o oásis do blog do Nassif.

      Não há temas não abordados por serem contrários ao governismo. O que não se admite aqui é uma abordagem que se pareça com o que já faz a mídia empresarial.

      Se perguntar, claro, não dá para comparar o tamanho, a grana envolvida e o alcance que a blogosfera possui, em comparação com a grande mídia. Só que, vinculada a esta mentalidade pequena, de assumir uma defesa incondicional do governo e só contrapor os grandes órgãos de imprensa quando o interesse do PT é afetado, a blogosfera apequenou-se, perdeu chance de crescer, e hoje a maioria destes blogs são frequentados apenas por militantes radicais.

      Não causa surpresa, então, que quando “não-temas” da blogosfera e da grande mídia coincidem, ambos adotam postura idêntica, como por exemplo no início das manifestações de junho, em que ambos, e por razões distintas, condenaram que a população ocupasse as ruas para se manifestar.

      Comentário: Diante do siége que o governo enfrenta, não há pecado em haver um setor dedicado a defesa incondicional deste governo, ou de qualquer outro, diga-se.

      Outra besteira é imaginar que esta defesa setorial (governista) apequene o debate ou a relevância da blogosfera.

      O que apequena a blogosfera é a falta de um setor não militante com qualidade teórica e peso político para propor uma ultrapassagem dos temas e da agenda do governo, ou da mídia empresarial que encurrala o debate sempre no binômio: contra ou a favor o governo.

      A linha de crítica de partidos mais a esquerda é um lixo. Ora entalados no moralismo higienista, ora no vanguardismo infantil, e por fim, atados a dicotomia falsa direitos humanos versus governabilidade.

      Sem se reciclar, ou seja, adquirir autonomia relativa do governismo e ser mais propositiva, a blogosfera, de um modo geral, vai continuar sendo o que foi nestes últimos 3 anos: reduto de militância radical e acrítica.

      Comentário: Nos últimos três anos, eu (só posso falar por mim) li aqui no Nassif um sem número de críticas a posições do governo, umas relevantes, outras tolas. Assim como no Viomundo, Rodrigo Vianna, Miro, Miguel do Rosário, etc.

      Tais posts deram origem a debates profundos e outros menos.

      Em alguns momentos, blogs como O Cafezinho, tornam mais aguda a defesa de pontos pró-governo, realçando suas escolhas legítimas, mas o fato é que nem assim abrem mão de certos questionamentos.

      A mídia empresarial, como eu disse, só existe para legitimar governos conservadores ou atacar os progressistas.

      Não existe mídia empresarial “do bem”, ou um “jornalismo redentor”.

      À blogosfera não cabe uma “autonomia”, porque seu papel mais “revolucionário” é quebrar esta lógica, e provar que é possível fazê-lo (defender governos progressistas) sem se render incondicionalmente.

      Outro engano é dizer que a blogoesfera é reduto de militância radical.

      Ora bolas, na tradição brasileira os espaços orgânicos de debates sempre foram restritos e coisa de aficcionados.

      Lendo o comentário do senhor Artur parece que sempre houve uma Super Ágora onde todas as classes sociais foram chamadas a definir os rumos da nossa Democracia e o do País.

      Não creio nisto. Portanto, a blogosfera é a reprodução virtual de um fenômeno comum, ou seja, só os mais interessados se dedicam ao cotidiano do política.

      E nunca houve esta grande instância autônoma de debates, nem aqui, nem na França ou na China.

      Saudações.

  28. A mídia não joga no time da Democracia.

    Prezados e prezadas,

    Difícil debater um tema destes com alguém da estatura do Luis Nassif.

    Vamos nos aventurar:

    Primeiro é bom situar as coisas: Mídia empresarial e blogs, ainda que consideremos aqueles blogs laureados (como este), resultado de grifes pessoais que se consolidaram como exceção no ambiente midiático (e talvez por isto estejam mais fora que dentro dele), são coisas totalmente diferentes e se prestam a coisas totalmente diferentes na disputa pelo controle da informação na luta por hegemonia política, embora ambos atuem no setor de comunicação.

    A mídia, desde que se estruturou como caixa de ressonância empresarial da ideologia capitalista (burguesa) sempre foi e sempre será anti-democrática, porque ela existe ou para corroborar e justificar governos conservadores (ainda que eleitos) ou para torpedear e destruir a credibilidade de governos que signifiquem alternativas anti-estamento (anti establishment), de forma simplista, governos progressistas.

    O discurso da mídia é sempre pró-Ideologia.

    De tempos em tempos, já disse isto em outros posts sobre o tema, o sistema capitalista traz inovações tecnológicas dramáticas que abrem espaço (pequeno), ou pequenas brechas, para o funcionamento de nichos anti-sistema.

    Há desarrumações severas nas esferas de atuação descritas por Marx, partindo do campo da tecnologia e da cultura (existem outras cinco, ao que me lembro).

    Foi a reunião de trabalhadores em linhas de produção organizadas a partir do salto tecnológico do uso do vapor, e depois das energias fósseis, que por sua vez resultou em urbanização acelerada, ou o advento fordista da produção, que paradoxalmente fortaleceram as primeiras organizações sindicais, logo colocadas sob ferro e fogo das estruturas jurídico-policiais.

    Também foi a novidade da impressão em larga escala que multiplicou ideias e disseminou informação, junto com a captura de imagens em fotografias e imagens em movimento, e o assombro da transmissão pelo rádio, que fermentaram revoluções e levantes, mas por outro lado, criaram monstros modernos de propaganda totalitária.

    De todo modo, os momentos nos quais a imprensa e o jornalismo estiveram a serviço da Democracia são raros e fugazes.

    Ao menor alerta, os donos de poder trataram de redimensionar as regras da “liberdade de imprensa e de expressão” para que coubessem nos limites permitidos e desejáveis.

    A internet é outro evento neste ciclo de readaptação capitalista, e por isto, traz algum sopro de liberdade até que, novamente, os donos do mundo possam entender e adaptar as formas “adequadas” de funcionamento desta rede.

    Por enquanto, é tolice imaginar que parcialidade de um blogueiro, por mais dramático ou puerial que seja, alcance os mesmos efeitos e objetivos da parcialidade de uma empresa de mídia.

    O contraponto de um blog é imediato. Até o hoje a tal “barriga energética” não teve reparo à altura, e o que é pior: por nenhum concorrente.

    A parcialidade da blogosfera é profícua, ela rende debates, contraditórios e até ofensas.

    A parcialidade da mídia é morta.

    Mal comparando, a blogosfera é um grande campeonato com múltiplas torcidas. A mídia é um jogo de portões fechados e onde um único time ganha sempre por W.O.

    Pretender descobrir uma racionalização da parcialidade da blogosfera, sem entender que não há como abrir mão do papel da luta política (bem mais amplo que o mero “informar”), é entregar o “ouro aos bandidos”. Seu aspecto aparentemente caótico é a sua natureza libertária e que, justamente, ameaça os detentores do poder de controle das formas tradicionais de produção de informação.

    As regras do jornalismo e da mídia não combinam com Democracia, muito menos com liberdade de expressão.

    É justamente esta “isca” que desejam que nós engulamos para que depois nos empurrem o controle corporativo (E IDEOLÓGICO).

    Saudações.

  29. Vocês lembram da palavra

    Vocês lembram da palavra ‘recato’. Pois é… Deixou saudades no Judiciário, né? A escandalização da foto de JB com um foragido da Justiça no Brasil é o efeito colateral das atitudes de um juiz midiático, fanfarrão, demagogo, hipócrita, mau, incompetente, truculento etc. Quantos adjetivos ainda cabem? Quando atacou o Gilmar Mendes com aquela frase – “Vossa Exª está na mídia destruindo a credibilidade do judiciário brasileiro” – JB não estava gritando pela moralidade do país, mas sim externando sua inveja do então presidente do STF, que aparecia na mídia mais do que ele. O sucesso da vaquinha dos réus do mensalão fará muito mal à cabecinha dele. 

  30. Não concordo Nassif.

    Vi a dita foto no O Cafezinho, não alterou em nada minha percepção do JB. O blog do Miguel deixou bem claro ser uma coisa menor, em um universo bem mais amplo de malfeitos do ministro. Por isso, penso que a comparação entre blog e grande mídia (velha mídia) está errada. A grande mídia mente, omite, manipula, não é um erro ocasional, coisa que qualquer ser humano comete é por interesses dos mais mal-intencionados.

  31. o jb se transforma na frente de um lente

    e se transforma tanto, que até parece boa gente.

    prometo que se um dia cruzar com ele em um boteco, enquanto e administra doses de seu remédio para coluna, vou tirar uma foto com o batman. mas só publico com um photoshop a moda dilma em portugal.

    não sei porque me lembrei da personagem / livro de Edy  Lima, A Vaca Deslumbrada.

  32. Parcialidade

    A imprensa por mais nova que seja nunca alcançará um patamar aceitável de imparcialidade. Na maioria dos casos narra-se os fatos e, desta forma, sempre haverá argumentos para distorcê-los. Tais argumentos se sustentam em interesses polítcos e econômicos que são motivos suficientes para o ceticismo ad infinitum dos leitores .

  33. O significado dessa foto eh o

    O significado dessa foto eh o de dar um tapa na cara dos seguidores do cacador de bruxas medieval. Nao se engane, o cerebro de muitos seguidores do Ditador “Honoravel” nao tem meio neuronio. Nao adianta explicacoes profundas politicas e juridicas a meio neuronio. Essa foto pode ser devastadora para muitos deles. Eh o sensacao de que o homem eh humano, nao eh Deus, o todo poderoso, implacavel.

  34. Joaquim Barbosa eh a

    Joaquim Barbosa eh a representacao de tudo que nao pode ser um Juiz; perverso, espetaculoso, exibicionsta e mais outros istas incompativeis com a posicao de um Juiz e principalmente de um Presidente de Corte Suprema.

    Ministro do Supremo nao eh politico e muito menos artista de cinema, televisao ou celebridade instantanea, a eles se encaixa como luva o ditado; 

    “À mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta”.

    • Aconteceu

      De Juiz que esconde provas de seus colegas juizes e comete fraude para condenar um réu a qualquer preço isso eu nunca imaginei que um dia pudesse acontecer mas aconteu né

  35. O Nassif é o Lewandowiski do

    O Nassif é o Lewandowiski do jornalismo, um gentleman. Mas desta vez foi um”ponto fora da curva”

    O problema Nassif é que o JB não se deu ao respeito como seu colega Lewandowiski.

    Este quando foi atacado pelo PIG, por ser contrario as determinações do Merval, foi defendido de maneira veemente por todos blogs sujos. MUitos ou a grande maioria fazendo ressalvas naquilo que achava pertinente mas a defesa foi muito forte e naquele momento o Ministro, com certeza, teve sua auto-estima elevada e sua imagem preservada pelos blogs sujos.

    Não li no PIG, nenhuma defesa ao ministro jb neste caso da fotografia. porque não houve defesa ?

    Outra coisa, quando o governador de SP apareceu ao lado de um traficante numa fotografia, os blogs sujos se cansaram de levantar/criticar/zoar com a situação, mas não vi nenhuma defesa do governador, menos ainda aqui no cafofo.

     

  36. Não sei qual o pior Joaquim

    Não sei qual o pior Joaquim Barbosa ou Gilmar Mendes, esses dois fizeram história que será contada por muitos anos  como aqueles em que prevaleceu  a vilania e  a esperteza, os anos de luto da justiça  no Brasil. 

  37. http://www.ocafezinho.com/201

    http://www.ocafezinho.com/2014/02/03/operacao-blindagem-para-barbosa/

    Operação “blindagem” para Barbosa

    Neste final de semana, estorou nas redes sociais uma foto de Joaquim Barbosa ao lado de um sujeito com mais de duzentos processos judiciais nas costas, e que até 2007, quando ganhou um habeas corpus de Ayres Brito, era considerado foragido pela Justiça brasileira.

    O Nassif publicou um post hoje debatendo os excessos da parcialidade política na blogosfera. A gente reclama que a mídia é extremamente parcial, mas – argumenta Nassif – os blogs também pisam na bola ao pegar no pé de Joaquim por uma foto ao lado de um sujeito que ele, provavelmente, nem conhecia.

    A mídia não perdeu tempo. Globo, Folha e Estadão publicaram textos tentando blindar a imagem de Barbosa e atacando os blogs, sempre mencionados como “alinhados ao petismo”, etc. Toda aquela ladainha de sempre.

    Concordo com o Nassif. Mas com uma ressalva. Não podemos esquecer que os blogs, em geral, não posam de imparciais, nem sequer isentos. Muito menos se arvoram em paladinos do politicamente correto ou da lhaneza aristocrática.  Um pouco de malícia não mata ninguém, e boa parte dos blogs e seus comentaristas são cidadãos gostam de se expressar com uma veemência que às vezes flerta com a ofensa. Isso é a vida real. A liberdade de expressão não é limpinha. É suja, caótica, apaixonada.

    A diferença dos blogs em relação à mídia é que eles são plurais e democráticos. Qualquer um pode ter um blog. Já a grande mídia, no Brasil, tem um histórico mais complicado; consolidou-se com dinheiro público, financiamento estrangeiro clandestino e suporte a ditadura.

    *

    Barbosa é encarado como um adversário político porque ele se comporta não como um juiz, mas como um político.

    E ninguém perdoa político.

    Além disso, a foto tinha sim um valor jornalístico. Mostra Barbosa em Miami com um de seus mais fanáticos eleitores. A maneira como o tal sujeito ficha-suja se refere a Barbosa não é como se tratasse de um político. Barbosa é idolatrado por Mahfuz como um “justiceiro”. Em caixa alta.

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/03/operacao-blindagem-para-barbosa/#sthash.vRA0Rwrl.dpuf

    Neste final de semana, estorou nas redes sociais uma foto de Joaquim Barbosa ao lado de um sujeito com mais de duzentos processos judiciais nas costas, e que até 2007, quando ganhou um habeas corpus de Ayres Brito, era considerado foragido pela Justiça brasileira.

    O Nassif publicou um post hoje debatendo os excessos da parcialidade política na blogosfera. A gente reclama que a mídia é extremamente parcial, mas – argumenta Nassif – os blogs também pisam na bola ao pegar no pé de Joaquim por uma foto ao lado de um sujeito que ele, provavelmente, nem conhecia.

    A mídia não perdeu tempo. Globo, Folha e Estadão publicaram textos tentando blindar a imagem de Barbosa e atacando os blogs, sempre mencionados como “alinhados ao petismo”, etc. Toda aquela ladainha de sempre.

    Concordo com o Nassif. Mas com uma ressalva. Não podemos esquecer que os blogs, em geral, não posam de imparciais, nem sequer isentos. Muito menos se arvoram em paladinos do politicamente correto ou da lhaneza aristocrática.  Um pouco de malícia não mata ninguém, e boa parte dos blogs e seus comentaristas são cidadãos gostam de se expressar com uma veemência que às vezes flerta com a ofensa. Isso é a vida real. A liberdade de expressão não é limpinha. É suja, caótica, apaixonada.

    A diferença dos blogs em relação à mídia é que eles são plurais e democráticos. Qualquer um pode ter um blog. Já a grande mídia, no Brasil, tem um histórico mais complicado; consolidou-se com dinheiro público, financiamento estrangeiro clandestino e suporte a ditadura.

    *

    Barbosa é encarado como um adversário político porque ele se comporta não como um juiz, mas como um político.

    E ninguém perdoa político.

    Além disso, a foto tinha sim um valor jornalístico. Mostra Barbosa em Miami com um de seus mais fanáticos eleitores. A maneira como o tal sujeito ficha-suja se refere a Barbosa não é como se tratasse de um político. Barbosa é idolatrado por Mahfuz como um “justiceiro”. Em caixa alta.
     

    Não deixa de ser  didático e alarmante que uma parcela do eleitorado tenha essa visão de democracia, de que a solução para o Brasil é um presidente “justiceiro”.  É uma visão antidemocrática, incentivada pela própria mídia, que transformou Barbosa em heroi não por suas qualidades, mas por sua truculência e parcialidade.

    Além disso, é um tanto engraçado que um sujeito com tantos problemas na justiça tenha tanta admiração por um juiz conhecido pela falta de cuidados com o direito de réus. Ou seja, o valor de Barbosa enquanto justiceiro é tão alto para Mahfuz, que ele sequer pensou que, se ele fosse um petista e estivesse sendo julgado por Barbosa, teria motivos para sérias preocupações. Barbosa, ao contrário do que alguns pensam, não inspira medo em criminosos; estes o vêem como alguém que persegue apenas petistas, e por isso,  o idolatram, por se identificaram com o antipetismo.

    *

    Se você pensar bem, a brincadeira com Barbosa foi inocente. Afinal, era bem óbvio que Barbosa aparece na foto apenas como uma “celebridade” ao lado de um fã.  Podia acontecer até com Dalai Lama. Não é o tipo de malícia que vinga por muito tempo. Por que então o nervosismo da mídia em blindar Barbosa, “desmontar” a imagem e atacar os blogs?

    Simples, porque eles se sentiram também ameaçados. Barbosa é uma imagem importante para a grande mídia, porque é seu marionete de estimação. Ninguém pode falar mal de Barbosa perto dos jornalões e revistões. Ele tem que manter a aura de santo. Só que não está mantendo, e a mídia está nervosa ao ver a imagem que construiu com tanto zelo sendo descontruída por um punhado de malucos sarcásticos da internet.

    Entre a imparcialidade hipócrita da mídia, que mal esconde seu cinismo e suas más intenções, e o sarcasmo quase diabólico, mas franco, assumidamente parcial, das redes sociais e da blogosfera, eu prefiro este último. Podemos passar do ponto, flertar quase com a ofensa e com a baixaria, como se estivéssemos num boteco, mas ao menos sabemos de que lado estamos. E ter lado, em política, é o primeiro passo para saber o que almejamos.

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/03/operacao-blindagem-para-barbosa/#sthash.vRA0Rwrl.dpuf

    Não deixa de ser  didático e alarmante que uma parcela do eleitorado tenha essa visão de democracia, de que a solução para o Brasil é um presidente “justiceiro”.  É uma visão antidemocrática, incentivada pela própria mídia, que transformou Barbosa em heroi não por suas qualidades, mas por sua truculência e parcialidade.

    Além disso, é um tanto engraçado que um sujeito com tantos problemas na justiça tenha tanta admiração por um juiz conhecido pela falta de cuidados com o direito de réus. Ou seja, o valor de Barbosa enquanto justiceiro é tão alto para Mahfuz, que ele sequer pensou que, se ele fosse um petista e estivesse sendo julgado por Barbosa, teria motivos para sérias preocupações. Barbosa, ao contrário do que alguns pensam, não inspira medo em criminosos; estes o vêem como alguém que persegue apenas petistas, e por isso,  o idolatram, por se identificaram com o antipetismo.

    *

    Se você pensar bem, a brincadeira com Barbosa foi inocente. Afinal, era bem óbvio que Barbosa aparece na foto apenas como uma “celebridade” ao lado de um fã.  Podia acontecer até com Dalai Lama. Não é o tipo de malícia que vinga por muito tempo. Por que então o nervosismo da mídia em blindar Barbosa, “desmontar” a imagem e atacar os blogs?

    Simples, porque eles se sentiram também ameaçados. Barbosa é uma imagem importante para a grande mídia, porque é seu marionete de estimação. Ninguém pode falar mal de Barbosa perto dos jornalões e revistões. Ele tem que manter a aura de santo. Só que não está mantendo, e a mídia está nervosa ao ver a imagem que construiu com tanto zelo sendo descontruída por um punhado de malucos sarcásticos da internet.

    Entre a imparcialidade hipócrita da mídia, que mal esconde seu cinismo e suas más intenções, e o sarcasmo quase diabólico, mas franco, assumidamente parcial, das redes sociais e da blogosfera, eu prefiro este último. Podemos passar do ponto, flertar quase com a ofensa e com a baixaria, como se estivéssemos num boteco, mas ao menos sabemos de que lado estamos. E ter lado, em política, é o primeiro passo para saber o que almejamos.
     

  38. Prezado Nassifi, 
    A foto é

    Prezado Nassifi, 

    A foto é simbólica e o Miguel (O Cafezinho) tem razão. Por exemplo, hoje, na Globonews, valorizaram o discurso do Joaquim Barbosa no STF e, pasme, mostraram cenas do João Paulo Cunha almoçando com “militantes do PT” em ato contra as penas da Ação 247. O que você avalia dessa combinação ? Aliás, quem popularizou o termo “mensalão” ? A Blogosfera ou o conhecido PIG ?

     

  39. Sobre a imparcialidade da blogosfera

    Nassif,

    Em respeito as minhas convicções e a necessária transparência e urbanidade que deva existir em nosso meio gostaria de publicar uma opinião (minha) originalmente postada no Site o Cafezinho (http://www.ocafezinho.com/2014/02/03/operacao-blindagem-para-barbosa/) oriunda de uma discussão iniciada por você sobre a necessária imparcialidade da blogosfera.

    ______________________________________

    Respeito profundamente o jornalista Paulo Nassif como pessoa, profissional e blogueiro ativista nesse era de guerra politica que granjeia na seara digital.

    Contudo, com o devido respeito, divirjo da sua leitura que a blogosfera deveria ser menos parcial, embora entendo o ponto de vista do jornalista. Eis os pontos principais do meu descontentamento:

    1) Imparcialidade não existe. Querer que jornalista seja imparcial é o mesmo que querer que o julgador assim o seja, o jogador de futebol, o seu José da Esquina ou qualquer um. Posicionamento todo mundo tem é natural, é humano. O que tem que existir é o uso responsável de sua conduta, isto é, não agir açodadamente para denegrir a outrem ou impor sua vontade sob os demais.

    1.1) Não vou entrar em debate filosófico sobre as diferenças entre neutralidade (acredito inexistir) x imparcialidade.

    1.2) Quanto ao juiz ele é sim parcial “vítima” de suas convicções pessoais, contudo, na sua atividade de ofício não poderá jamais impor sua vontade sobre o réu/processo. Ele continuará sendo parcial, poderá até mascarar sua tendência em uma fundamentação jurídica. Entretanto, reconhece-se um verdadeiro magistrado pela sua capacidade de decidir um caso pelos fatos/provas envolvidas, bem como em consonância com a tradição cultural sedimentada no seio da sociedade a qual está inserido a despeito das suas mais íntimas convicções morais.

    2) Os blogs não podem pretender ser imparciais (Ora a grande mídia não é!). Sendo os ditos blogs sujos o contraponto, o farol em um mar revolto que ilumina o naufrago a sair do oceano de ignorância!

    2.1) Devem, com efeito, os blogueiros progressistas serem combativos e parciais (sim!), pois estamos em guerra e há lados nesse conflito, caso contrário, seremos tragados para a profundeza desse mar turvo e inclemente que é a grande mídia.

    2.2) Lutar o bom combate (sim!), conquanto é claro, não sejamos levianos! Daí a importância de generais e capitães (blogueiros) responsáveis que não admitam guarida a iniquidades ou pequenezas (como as pessoas do outro lado) que só contribuem para o enfraquecimento de nossa causa!

    Eu estou pronto para o combate, e vocês?  

  40. Não problema em ser parcial,

    Não problema em ser parcial, ser parcial é adotar um lado, apoiar claramente uma linha de pensamento, o que não quer dizer apoiar ou ser a favor de tudo que determinado grupo pense ou faça. 
    Até a mídia pode ser parcial, desde que deixe isso bem claro, para todos, e não faça uso de meia verdades ou de manchetes distorcidas para mostrar um fato manipulado no “photoshop”, a imagem até está lá, mas com certeza não é a verdadeira.

  41. Alcances diferentes.

    Velha Mídia X Blogs Progressistas.

    Eu penso que seja importante pensarmos em Matemática, quando se busca a distinção ou até semelhanças de fins e resultados práticos, entre velha mídia e blogs progressistas.

    Uma notícia no JN tem alcance imediato de 20/30/40 milhões ou mais de brasileiros. 

    Em um blog, se tivermos 50 leitores on-line deve ser muito. E, geralmente, creio eu, são as pessoas já convertidas. 

    Se a notícia se propaga pelo JN e corre as rádios do Sistema Globo, seu portal na sequência e milhares de jornais e rádios de cidades espalhadas pelo país o número de pessoas receptoras da notícia aumenta ainda mais.

    Já a blogosfera posta uma notícia de contraponto, via Facebook ou twitter ou e-mail, ao noticiado no JN, notícia retirada de um blog progressista, e a notícia precisará ser clicada e lida. Quantos leitores teremos desse contraponto? Quantos clicarão e lerão a notícia que compartilhamos? E, serão convencidos da verdadeira realidade dos fatos, como no caso da Reunião mensal que virou reunião de emergência?

    Eu tenho cerca de 400 pessoas no meu Facebook. Sei que boa parte não lê nada do que posto, alguns discordam da notícia sem sequer argumentar o porquê e outra boa parte lê, mas tem a mesma visão de mundo que eu e por isso não vão mudar a opinião delas por causa da minha notícia compartilhada. 

    São realidades distintas. Velha Mídia atinge milhões ao mesmo tempo e com imagens e voz, e é mais fácil de acompanhar a notícia, certo? Os blogueiros, quase sempre, atingem poucos leitores de uma vez, e ainda é texto escrito. E, sabemos que muitos brasileiros não se dão ao luxo de ler uma notícia inteira, além do título e quem sabe o primeiro parágrafo. 

    Seria interessante fazer uma pesquisa quantitativa e qualitativa dos blogs progressistas: quem são seus leitores, qual o alcance das notícias neles veiculadas, há credibilidade, há mudança de postura sobre os acontecimentos de quem chega até os blogs progressistas ou lê alguma de suas notícias via redes sociais e e-mail, sendo telespectador de notícias da velha mídia? Falamos para quem quando postamos uma notícia do Nassif, do Azenha, do PHA, do Tijolaço, do Diário do Centro do Mundo, do Sul 21, da RBA, da Retratos do Brasil, do Brasil de Fato, da Carta Maior, do O Cafezinho, quantos somos capazes de informar e/ou convencer que estamos falando a verdade, etc.? 

    Como poderemos organizar melhor a resistência via internet? Eu gostaria de ter uma luz para atingir de forma satisfatória meu alvo, que é o de informar corretamente as pessoas, sendo que elas possam ter a credibilidade/confiança que as notícias por mim postadas, dos blogs progressistas, são de qualidade, informam a verdade e são úteis para a pessoa que vai ler e até transformadoras da postura de passividade dela, diante de uma notícia veiculada pela velha mídia, que a entrega pronta e, quase sempre, sem um ponto de vista outro, além da ideologia que defendem. 

    Às vezes parece existir na internet apenas uma duplicidade de percepções. – Aquele é petista, então, defende o meu lado, portanto, a minha verdade. Eu leio suas postagens. – Aquele outro é tucano, então defende o seu lado, portanto, a sua verdade. Não o leio. Então, um lado não lê o que o outro lado posta.

    Como romper essa barreira, que coloca de antemão um rótulo na notícia por quem a realiza e quem a compartilha?

    Nós somos o tostão. A velha Mídia o milhão. Será que já temos forças, nós dos blogs progressistas, para disputar audiência com a velha mídia? E, como poderemos agir para trazer mais gente até os blogs progressistas?

    Como devemos agir para não passar ao novo leitor das nossas notícias a impressão de que ela é partidarizada? (Mesmo que não seja). 

  42. Operação “blindagem” para Barbosa

    “O que me causa repulsa são as palavras e atos de Joaquim Barbosa. A vida me ensinou que, quando você supervaloriza episódios irrelevantes – como essa foto -, perde-se toda a eficácia para denunciar episódio centrais. Especialmente, junto a quem não é da torcida” (Luis Nassif)

    Concordo com o Nassif mas não posso deixar de concordar, também, com o Miguel do Rosário

    Por Miguel do Rosário, no Cafezinho

     

    Neste final de semana, estorou nas redes sociais uma foto de Joaquim Barbosa ao lado de um sujeito com mais de duzentos processos judiciais nas costas, e que até 2007, quando ganhou um habeas corpus de Ayres Brito, era considerado foragido pela Justiça brasileira.

    O Nassif publicou um post hoje debatendo os excessos da parcialidade política na blogosfera. A gente reclama que a mídia é extremamente parcial, mas – argumenta Nassif – os blogs também pisam na bola ao pegar no pé de Joaquim por uma foto ao lado de um sujeito que ele, provavelmente, nem conhecia.

    A mídia não perdeu tempo. Globo, Folha e Estadão publicaram textos tentando blindar a imagem de Barbosa e atacando os blogs, sempre mencionados como “alinhados ao petismo”, etc. Toda aquela ladainha de sempre.

    Concordo com o Nassif. Mas com uma ressalva. Não podemos esquecer que os blogs, em geral, não posam de imparciais, nem sequer isentos. Muito menos se arvoram em paladinos do politicamente correto ou da lhaneza aristocrática.  Um pouco de malícia não mata ninguém, e boa parte dos blogs e seus comentaristas são cidadãos que gostam de se expressar com uma veemência que às vezes flerta com a ofensa. Isso é a vida real. A liberdade de expressão não é limpinha. É suja, caótica, apaixonada.

    A diferença dos blogs em relação à mídia é que eles são plurais e democráticos. Qualquer um pode ter um blog. Já a grande mídia, no Brasil, tem um histórico mais complicado; consolidou-se com dinheiro público, financiamento estrangeiro clandestino e suporte a ditadura.

    *

    Barbosa é encarado como um adversário político porque ele se comporta não como um juiz, mas como um político.

    E ninguém perdoa político.

    Além disso, a foto tinha sim um valor jornalístico. Mostra Barbosa em Miami com um de seus mais fanáticos eleitores. A maneira como o tal sujeito ficha-suja se refere a Barbosa não é como se tratasse de um político. Barbosa é idolatrado por Mahfuz como um “justiceiro”. Em caixa alta.

    Não deixa de ser  didático e alarmante que uma parcela do eleitorado tenha essa visão de democracia, de que a solução para o Brasil é um presidente “justiceiro”.  É uma visão antidemocrática, incentivada pela própria mídia, que transformou Barbosa em heroi não por suas qualidades, mas por sua truculência e parcialidade.

     

    Além disso, é um tanto engraçado que um sujeito com tantos problemas na justiça tenha tanta admiração por um juiz conhecido pela falta de cuidados com o direito de réus. Ou seja, o valor de Barbosa enquanto justiceiro é tão alto para Mahfuz, que ele sequer pensou que, se ele fosse um petista e estivesse sendo julgado por Barbosa, teria motivos para sérias preocupações. Barbosa, ao contrário do que alguns pensam, não inspira medo em criminosos de colarinho branco; estes o vêem como alguém que persegue apenas petistas, e por isso,  o idolatram, por se identificaram com o antipetismo.

    *

    Se você pensar bem, a brincadeira com Barbosa foi inocente. Afinal, era bem óbvio que Barbosa aparece na foto apenas como uma “celebridade” ao lado de um fã.  Podia acontecer até com Dalai Lama. Não é o tipo de malícia que vinga por muito tempo. Por que então o nervosismo da mídia em blindar Barbosa, “desmontar” a imagem e atacar os blogs?

    Simples, porque eles se sentiram também ameaçados. Barbosa é uma imagem importante para a grande mídia, porque é seu marionete de estimação. Ninguém pode falar mal de Barbosa perto dos jornalões e revistões. Ele tem que manter a aura de santo. Só que não está mantendo, e a mídia está nervosa ao ver a imagem que construiu com tanto zelo sendo descontruída por um punhado de malucos sarcásticos da internet.

    Entre a imparcialidade hipócrita da mídia, que mal esconde seu cinismo e suas más intenções, e o sarcasmo quase diabólico, mas franco, assumidamente parcial, das redes sociais e da blogosfera, eu prefiro este último. Podemos passar do ponto, flertar quase com a ofensa e com a baixaria, como se estivéssemos num boteco, mas ao menos sabemos de que lado estamos. E ter lado, em política, é o primeiro passo para saber o que almejamos.

     

    http://www.ocafezinho.com/2014/02/03/operacao-blindagem-para-barbosa

     

    •  Perfeito o texto do José

       Perfeito o texto do José Carlos,  mas complemento acrescentando::

      “É uma visão antidemocrática, incentivada pela própria mídia, que transformou Barbosa em heroi não por suas qualidades, mas por sua truculência e parcialidade ” e por ser  NEGRO.( grifo meu)

      Explico: por ser negro – 1 – todos que o criticam podem até serem considerados racistas, afinal falar mal de preto dá cadeia.

                                          – 2 -negro e douto, levando-se a consideração acima, é a expressão da vontade e superação da pobreza que tornam este douto um semideus ( Veja e o Menino Pobre) que deve ser diuturnamente enaltecido e  até ser , por que não, o mais indicando para ser o lider do povo.

                                           – 3- negro é a conotação “do mais pobre” ou do que deve ser ” socialmente ajudado”, que lembra o bolsa família  que foi o diferencial do PT em relaçãoaos outros partidos. Se um negro se torna um radical antipetista é porque tem corrupção –  e isto interessa aos vendedores de notícias.

                                            -4 – um negro apoiado pela mídia e elite cria a ideia  de justiça social; é o rico que ama o pobre, o rico que não é racista, o rico que é gente; o rico que é antipetista por serem estes corruptos e enganadores, que fazem um negro e douto ( que supõe-se freudianamente apto e isento pensar) se desgarrar de gente enganadora e amiga de Satanás. É o rico elitizado e hipócrita que se insinua como um novo irmão que vai promover uma nova vida. será que vai permitir os seus filhos conviverem e ajudarem estes novos “irmãos’? Ou vão continuar a se consultarem com os economistas e suas teorias que constestam o aumento do salário mínimo por serem inflacionários na res regiões não urbanas do país – vendo pobre como produto de mercado e de lei de oferta e procura ?

  43. A verdade sempre.

     

    Srs,

     

    Acerca deste assunto, posso lhes dizer que o Blog do Nassif é o único que visito preparado para ler notícias boas e também notícias ruíns, acerca do governo atual, por quem torço.

    Quando quero ler notícias contra o governo, leviandades, acusações baratas, etc, vou nos blogs da direita, como no Reinaldo Azevedo por exemplo. Quando quero ler bajulações, elogios, aplausos, só notícias boas à favor do governo, vou no Esquerdopata, no Saraiva, no Aposentado Invocado, na Carta Capital e tantos outros.

    Aqui ainda há um pouco de equilíbrio. O dia em que o Nassif mudar esta linha editorial, seu blog perderá a riqueza.

    O governo Lula/Dilma não ficarão melhores com bajuladores e sim com críticos honestos que torcem pelo Brasil.

     

    Pv 27:6 “O amigo quer o nosso bem, mesmo quando nos fere; mas, quando um inimigo abraçar você, tome cuidado!” 

     

     

     

  44. Pelo visto o Nassif  acho

    Pelo visto o Nassif  acho normal apartamento comprado a U$ 10,00 em Miami, deu na mídia ou ficamos sabendo através dos Blogs Sujos???

    Vou mais longe não me convece esta história de que não sabia….estamos falando de dois Brasileiros em Miami e com certeza a comunidade se conhece porque se frequenta. Não é atoa que quiz ter um imóvel neste local.

     

  45. 1. Se o saber das ciências

    1. Se o saber das ciências humanas é dialético é possível avança-lo cerceando o diálogo (ex. impedir o lado que me critíca de falar recorrendo à falácias como ataque ao interlocutor, ou simplismente juntado um grupo para impedir que o crítico consiga abrir a boca como no caso da blogueira cubana)?

    2. É impossível ser 100% imparcial, mas também é impossível ser 100% igualitário. Por exemplo, os defensores da parcialidade não dão direitos iguais a seus críticos, afinal por que deveriam o grande capital está os financiando. Isso significa que só existem 2 visões de mundo, não existe nada mais longe da realidade, mas o comentarista igualitário escolhe cometer esta desigualdade pelo bem da real-politick.

    • A blogueira cubana faz um

      A blogueira cubana faz um tour pelo mundo xingando os Castros, e quando cansa volta pra Cuba descansar e usufruir o dinheiro ganho dos millenius da vida.

      Agora um jornalista mineiro está preso porque mostra a sacanagem explícita dos ‘donos’ de Minas Gerais: lista de Furnas, helicóptero dos Perrelas…

      • 1.Em que momento a crítica
        1.Em que momento a crítica vira xingamento, você tem um exemplo?
        2. Porque um jornalista “do seu lado” sofreu injustiça então você ganha o direito de injustiçar o “lado oposto”?

  46. Descompromisso

    Creio que pode estar em evolução um processo perigoso do descompromisso com a responsabilidade da informação, pelos dois lados, ainda que muitíssimo mais pela grande mídia nacional. O termo “pegadinha” pode até parecer um elogio perto do pouco tempo que, talvez, falte para esse descompromisso se tornar um vale tudo em baixarias, onde a alça de mira estrá apontada sempre na direção da honra e do caráter, seja pessoa física ou jurídica. E ele (o vale tudo) será  alimentado por matérias forjadas, sem seriedade, sem respeito, sem conteúdo ético e recheado de tudo que seja produzido para atender apenas o interesse do lado agressor, seja o maior e mais tradicional (já contaminado em grande parte) ou, para nossa decepção, alguns poucos que atuam do lado alternativo. 

  47. Comparação surrealista

    Comparar a carcomídia, que serviu à ditadura, com blogs mantidos, muitas vezes, por blogueiros solitários, é exdrúxulo.

    A carcomídia movimenta BILHÕES. Os blogs não movimentam, praticamente, dinheiro algum. A maioria dos blogueiros tem que, inclusive, tirar dinheiro do bolso para manter seus blogs.

    A carcomídia (o PIG, partido da imprensa golpista) mente, falsifica e destroi reputações. A Folha carregou presos políticos da ditadura em suas caminhonetes. A Globo foi agraciada com concessão pública na ditadura.

    A carcomídia se finge de neutra. Os blogs, não.

    Comparar os Marinhos, donos da maior fortuna do Brasil, com blogueiros, é absurdo!!

  48. O “blog do Nassif”, se é que

    O “blog do Nassif”, se é que podemos chamar assim, de todos os blogs, é o mais jornalístico, democrático e ético. Nassif faz jornalismo e de grande qualidade. Pode-se discordar dele, mas ele faz jornalismo. Isso é inegável.

    Particularmente, creio que o que pode um dia ter sido um blog se tornou um ótimo site de notícias, de debates sobre os mais variados assuntos, ótimas análises, discussões políticas. O GGN é uma ótima alternativa na imprensa brasileira. Com o tempo, o site irá se aperfeiçoar cada vez mais. Gosto muito do site, do estilo, da pluralidade e da seriedade com que busca informar os leitores, sem perder o seu perfil único, que é o que torna as coisas interessantes, afinal, nada mais cansativo do que repetir um perfil que já existe por aí.

    O GGN está longe disso. Tem um perfil todo peculiar e pode, no futuro, ocupar um espaço ainda maior do que o que atualmente ocupa no mercado do jornalismo e informação na Internet.

  49. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome