Sobrepreço de itens contra coronavírus pode atingir R$ 1,9 bilhão

Projeção da CGU considera compra de itens básicos para o trabalho dos profissionais de saúde, além dos custos com gestão de hospitais de campanha

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Uma avaliação realizada pela Controladoria-Geral da União (CGU) projetou em torno de R$ 1,9 bilhão o sobrepreço em compras realizadas para o combate à Covid-19 por estados, capitais e outras grandes cidades desde o início da pandemia, em março.

A análise da CGU considera a compra de itens básicos para o trabalho de profissionais de saúde, como máscaras, aventais e medicamentos, além dos custos relacionados à gestão de hospitais de campanha em 357 cidades e entes federados. Somados, os contratos chegam a um total de R$ 13 bilhões.

Segundo o jornal O Globo, o aumento da demanda global pode ter contribuído para o registro de preços mais elevados, mas também existem indícios de conluio e má-fé entre empresas e agentes públicos.

Embora algumas compras relatadas na avaliação da CGU tenham sido interrompidas antes de se tornarem alvo de ações policiais e do Ministério Público, algumas operações ativas que vão exigir um acompanhamento mais próximo: anotação da Controladoria afirma que 12 dos 30 maiores fornecedores – que somam R$ 4,4 bilhões em compras – apresentam um contrato social inferior a 10% da contratação assinada ou são companhias de pequeno porte.

 

Leia Também
GGN Covid: novos casos estabilizam na alta e óbitos continuam em ascensão
Covid-19: Argentina terá testes de vacina da Pfizer; relação com empresa gera dúvidas
Governo Bolsonaro é genocida e deve ser assim chamado, por Tamires Sampaio

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora