Suíça coloca governo Bolsonaro ao lado de ditaduras

Em discurso realizado na ONU, delegação suíça disse que Brasil e outros países aproveitam pandemia para violar direitos humanos

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A delegação da Suíça na Organização das Nações Unidas (ONU) posicionou o Brasil como alvo de preocupação internacional, tanto pela sua postura durante a pandemia do coronavírus como pelos ataques à imprensa.

“A pandemia tem, entre outras coisas, destacado a centralidade dos direitos à liberdade de expressão e de acesso à informação”, disse os diplomatas de Berna em discurso realizado na ONU nesta quarta-feira, como explica o jornalista Jamil Chade em sua coluna no portal UOL.

Em seu pronunciamento, o país diz lamentar que muitos Estados exploraram a emergência para restringir de maneira desproporcional os direitos humanos, inclusive a liberdade de expressão. “Observamos tais restrições ou medidas desproporcionais contra jornalistas e mídia independentes, em particular nos seguintes países: Bangladesh, Brasil, Camboja, Cuba, China, Egito, Iraque, Nicarágua, Rússia, Tanzânia e Venezuela”, afirmou a delegação.

O posicionamento da Suíça causou surpresa entre muitos, uma vez que o país normalmente não faz críticas a governos estrangeiros em público para manter canais de comunicação – e no caso do Brasil, o caso traz mais surpresas após o acordo comercial assinado entre os países no ano passado.

E a retaliação contra o Brasil de Jair Bolsonaro deve continuar: nos próximos dias, instituições como a Conectas Direitos Humanos e a Comissão Arns irão apresentar denúncias sobre a resposta brasileira à pandemia durante a reunião do Conselho de Direitos Humanos, que deve ocorrer em Genebra nos próximos dias.

 

Leia Também
Economistas pela Democracia soltam nota sobre asfixia da agricultura familiar
Gráfico mostra explosão de mortes por COVID no interior de SP
Os EUA e a imposição de regimes militares na América Latina, por Roberto Bueno
Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Rodrigo Maia enterra possibilidade de impeachment contra Bolsonaro

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome