Tarifas caem e demanda por voos aumenta 6,79%

Enquanto a demanda por voos regionais aumenta, o número de passageiros nos voos internacionais permaneceu estável durante o ano de 2012, segundo informações divulgadas nesta segunda-feira pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

De acordo com a agência, a demanda do transporte aéreo doméstico de passageiros –a relação entre passageiros e km pagos transportados– teve crescimento de 6,79% no ano de 2012, quando comparado a 2011. A oferta de voos aumentou em 2,72%.

Também no acumulado do ano passado, a taxa de ocupação dos voos domésticos de passageiros (RPK/ASK) cresceu 3,96%: passando de 70,17% em 2011 para 72,95% em 2012.

O aumento na demanda de passageiros acontece no mesmo período em que houve diminuição no preço das passagens aéreas. De janeiro a setembro de 2012, o preço médio da tarifa foi de R$ 273,32, valor 0,15% inferior do que do mesmo período de 2011. A redução é maior quando o preço médio da passagem hoje é comparado com os valores praticados em 2002: R$ 562, 64. Ainda neste mesmo período de 2012, 60% dos assentos foram vendidos a um preço inferior a R$ 300. Tarifas inferiores a R$ 100 representaram 15,63% e apenas 0,23% das passagens foram vendidas com valor superior a R$ 1.500,00.

Mercado

Em relação à participação de mercado (market share), as empresas de maior porte alcançaram 74,69%, sendo 40,79% para o Grupo Tam e 33,91% para a Gol. A participação das demais empresas acumulou alta de 18,12% (passou de 21,42% para 25,31%) em relação ao mesmo período do ano anterior. A Avianca e a Trip registraram o maior crescimento na participação em 2012, em relação a 2011: a primeira passou de 3,14% para 5,36% (crescimento de 70,66%) e a segunda, de 3,24% para 4,47% (crescimento de 37,79%).

No transporte aéreo internacional, a demanda de passageiros das empresas aéreas brasileiras em 2012 teve aumento de 0,32% em relação a 2011. A oferta registrou redução de 0,01% em relação a 2011.

Leia também:  PT volta ao Conselho do Ministério Público contra Deltan, agora por "empresa de fachada"

Recorde

A demanda do transporte aéreo doméstico de passageiros (passageiros-quilômetros pagos transportados – RPK) cresceu 2,37% em dezembro de 2012, se comparado ao mesmo mês de 2011. Trata-se do maior nível de demanda para o mês de dezembro desde o início da série Dados Comparativos, em 2000. Já a oferta (assentos-quilômetros oferecidos – ASK) teve redução de 7,39% no mesmo período.

Entre as empresas que apresentaram participação no mercado doméstico superior a 1% (em RPK), a Avianca e a Trip tiveram as maiores taxas de crescimento da demanda, quando comparadas com o mesmo mês de 2011: 67,96% e 11,42%, respectivamente.

 A taxa de ocupação dos voos domésticos de passageiros (RPK/ASK) alcançou 77,73% em dezembro, contra 70,72% no mesmo mês do ano anterior – o que representa melhora de 10,54%. Essa é a melhor taxa de ocupação para o período desde o início da série Dados Comparativos.

Entre as cinco empresas que apresentaram participação no mercado doméstico superior a 1% (em RPK), as maiores taxas de ocupação em dezembro de 2012 foram alcançadas pela Avianca e pelo Grupo Tam, com 82,27% e 81,89%, respectivamente.

Em relação à participação de mercado, o Grupo Tam e a Gol lideraram o mercado doméstico em dezembro de 2012, com participação (em RPK) de 43,66% e de 34,42%, respectivamente. A participação das demais empresas apresentou redução de 10,45%: passou de 24,48%, em dezembro de 2011, para 21,92%, em dezembro de 2012.

A respeito do transporte aéreo internacional, a demanda de passageiros das empresas aéreas brasileiras cresceu 5,95% em dezembro de 2012, se comparada com o mesmo mês de 2011. Já a oferta registrou aumento de 13,20% no mesmo período. São os maiores níveis de demanda e de oferta para dezembro desde o início da série histórica.

Leia também:  "Quadros do Itamaraty têm profissionais altamente qualificados para quaisquer embaixadas", diz Associação de Diplomatas

A taxa de ocupação dos voos internacionais de passageiros operados por empresas brasileiras (RPK/ASK) alcançou 71,75% em dezembro de 2012, contra 76,66% do mesmo mês de 2011, representando uma variação negativa de 6,40%.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome