Temer é denunciado na Lava Jato por peculato, corrupção e lavagem

Ministério Público afirma que ex-presidente está ligado a grupo que desviou ou prometeu pagamentos de propina que somam R$ 1,8 bilhão

Jornal GGN – A Lava Jato no Rio de Janeiro denunciou o ex-presidente Michel Temer nesta sexta (29) em duas ações diferentes, por desvios envolvendo recursos da Eletronuclear. O ex-ministro Moreira Franco também foi acusado pelo Ministério Público Federal. Em uma das ações, Temer é acusado de corrupção e peculato. Na outra, lavagem de dinheiro.

Os investigadores afirmam que Temer está ligado a um grupo que desviou ou prometeu pagamentos de propina que somam até R$ 1,8 bilhão. As ações estão relacionadas às obras da usina nuclear de Angra 3, que motivaram a prisão de Temer na semana passada. O ex-presidente e outros investigados foram soltos após pedido de liminar.

Na quinta (28), a Justiça Federal no Distrito Federal aceitou outra denúncia contra Temer, por corrupção passiva. Ele é acusado de ser destinatário de uma mala com R$ 500 mil e de outros pagamentos ilícitos da JBS, no caso envolvendo Rodrigo Rocha Loures.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fachin foi mais lavajatista que a própria Lava Jato em voto a favor de Moro

1 comentário

  1. Vimos como agiu Eduardo Cunha, como Presidente da Câmara, para conseguir o feito de nos fazer passar a maior vergonha do mundo, com a compra de parlamentares, enquanto Dilma era arrastada para um impeachment sem causa. E ficou como herói, mas por pouco tempo. E, por razões que a razão desconhece, embora Temer já em início de mandato tivesse sido delatado pelos Jowesleys, com imagens de malas de dinheiro, por força de amizades com o STF, que não podia baixar as calças depois daquele malfadado impeachment, cumpriu seu mandato até o fim, ouvindo as massas gritarem FORA TEMER diuturnamente, mas o homem agradava demais a mídia monopolista, e a justiça, sem mais ouvir a impressão do povo, antes tão badalado como necessária. Chegou a passar a faixa presidencial a Bolsonaro, com risos e afagos, numa falsa demonstração de um evento natural, democrático, de um país de primeiro mundo.
    Tal como Cunha, prestado o serviço sujo, hoje tá lá o homem, ora preso, ora solto, mas com o lombo coberto de processos de um corrupto da pior espécie.
    Nossa História é muito mal-contada, desde Cabral. Por isso, no século XXI presenciamos nossas instituições em franca degradação, enquanto o povo, que pensou ser possível tirar Dilma e viver no paraíso, perceber, agora, que sua vida já é vivida num inferno com todos os diabos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome