Temos que lutar contra o crime VERDADEIRAMENTE organizado, os Bancos.

Temos que lutar contra o crime organizado, os Bancos.

Na situação atual brasileira, vemos o crime que está se cometendo contra todos os setores produtivos brasileiros em nome do mercado. São os operários, os trabalhadores do campo e parte imensa dos empresários sendo esmagados e jogados uns contra os outros, não numa luta de classes tradicional, pois no momento os capitalistas e a burguesia em geral, não está querendo ampliar o seu poder, mas sim amassar o proletariado para compensar as perdas que estão sofrendo.

Salvo o grande empresariado ligado intimamente ao setor financeiro-bancário, que junto a este está sobrevivendo pelo rentismo, os empresários de qualquer porte, que não obtém o seu lucro da especulação financeira encontram-se contra a parede, uma parede almofadada e bem diferente da parede cheia de pregos dos operários, mas mesmo assim estão contra a parede.

Porém há um setor que está nadando a braçadas com todo este golpe, o setor financeiro-bancário, os lucros dos bancos e das financeiras estão subindo como estivéssemos numa situação de crescimento da economia, e importante destacar é que quem está no controle de toda esta verdadeira orgia onde o povo é o que é servido no banquete, é exatamente um ex-diretor de um banco internacional, Henrique Meirelles.

A maior ironia é que este senhor, que era vendido pelos partidos golpistas, PMDB e PSDB, como os verdadeiros garotos de ouro que iam consertar a economia, mantiveram-se fiéis aos seus amigos e parceiros, os grandes BANCOS BRASILEIROS e ESTRANGEIROS, para saquear TODA A POPULAÇÃO BRASILEIRA.

Leia também:  Clipping do dia

Taxas bancárias exorbitantes, créditos inexistentes e quando presentes só para os amigos, taxas de cartão de crédito e cheque especial da mesma ordem da época que se tinha uma inflação de 100% a.a., ou seja, um verdadeiro assalto a mão armada contra o povo brasileiro. Pior do que um assalto normal, criam uma sensação de insegurança para quem ainda tem um pouco de dinheiro, comprar nos seus maravilhosos cartões de crédito.

A pouco fiz uma demonstração a uma lojista, se todos pagassem a dinheiro, e ela depositasse num banco o faturamento de um turno, seria mais em conta ela ser assaltada uma vez por mês do que receber seus pagamentos em cartão de crédito. Como o cartão cobra em torno de 5% para cada operação bancária, no fim de 22 dias ela paga 110% do faturamento diário, ou seja, mais do que o assalto do crime desorganizado que levaria somente 50% do faturamento de um dia.

Logo, proponho, temos que lutar contra o crime organizado, OS BANCOS.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome