Três aspectos do fascismo

A cada turno em que o capital é confrontado por uma crise estrutural e assim tem aprofundado seu ciclo de crises, a burguesia se utiliza da classe média enquanto ponta de lança para implementação de políticas de choque em conjunto com a destruição organizativa e física das instituições e direitos do operariado. Portanto, a mesma crise que dá vazão ao estopim revolucionário é também aproveitada pelo reacionarismo capitalista para implementação de um sistema de extração de mais-valia tão profundo e violento quanto o escravagista.

A esse processo regido pelo capital se dá o nome de fascismo.

Já o Estado Fascista, que é a consequência da tomada do poder pelas organizações fascistas patrocinadas pelo grande capital, a partir dessa coroação, implementam-se as políticas fascistas de vigilância, totalitarismo, cartelização, … sendo o traço mais importante deste a destruição das instituições democráticas e direitos trabalhistas, o que possibilita a implementação da fascismo seguindo  as diretrizes almejadas pelos seus patrocinadores, finalidade esta, o corporatismo, enquanto a subordinação das políticas estatais às demandas dos grandes grupos econômicos. Na Itália fascista o ministério do trabalho alocava a mão de obra e ditava o valor do salário, sendo o ministério formado por representantes dos cartéis nacionais. Na Alemanha nazista, Speer e Himmler alocavam a mão de obra dos alemães em concorrência à dos prisioneiros dos campos de concentração de forma a atender ao esforço de guerra produzindo armas e demais suprimentos sob o jugo de empresas privadas.
Para dar uma perspectiva abrasileirada a esse horror, pense na FIESP dizendo onde, quando e como você vai trabalhar e não só, mas o quanto você receberá por esse trabalho ao mesmo tempo, que impõe uma competição assimétrica com o trabalho forçado em regime escravo de toda a população carcerária do país.

Por fim, o caráter fascista representa a predisposição do indivíduo a desenvolver traços fascistas, que podem ser compreendidos em uma acepção ampla, por irracionais, primitivos e instintivos, onde podem ser enumerados, a anti intelectualidade, o racismo, tradicionalismo, machismo… Emoções vis e desdobramentos de características psicossociais classistas que possibilitam o agrupamento de iguais no facho, a sua arregimentação e mobilização enquanto grupos, para implementação de ataques violentos, gestados, em geral no seio da classe média, para ser, enfim, a infantaria dos movimentos fascistas.

Leia também:  Documentário: Os Antifascistas (2017)

Conclui-se que o capitalismo em um primeiro momento apoia e financia os movimentos fascistas de forma que estes arregimentem indivíduos com predisposição a desenvolver o caráter fascista, consequentemente estes se agrupam e cultivam esses traços fascistas ao passo que em um momento de crise implementam as políticas de terror contra os movimentos operários, sempre, absolutamente sempre, mirando um golpe de estado. Por fim implantado o estado fascista com o intento de possibilitar aos patrocinadores do primeiro momento, o saque geral e irrestrito de toda a sociedade, destruindo a pequena burguesia nacional, as instituições democráticas e movimentos operários e subjugando violentamente qualquer forma de reação ao regime fascista.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome