TRF-4 atende Lula e paralisa ação da Lava Jato sobre doações da Odebrecht

No caso, ex-presidente é réu por suposta lavagem de dinheiro de doações feitas pela Odebrecht ao Instituto Lula. O ex-ministro Antônio Palocci e Paulo Okamotto também respondem ao processo

Ex-Presidente Lula da Silva durante reunão com parlamentares do PT, no hotel San Marco, em Brasília.| Foto: Sérgio Lima/Poder360 18.02.2020

do Poder 360

por Paulo Motoryn

O TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) paralisou uma ação da Lava Jato de Curitiba contra o ex-presidente Lula (PT) a pedido da defesa do petista.

No caso, Lula é réu por suposta lavagem de dinheiro de doações feitas pela Odebrecht ao Instituto Lula. O ex-ministro Antônio Palocci e Paulo Okamotto também respondem ao processo.

A decisão foi proferida pelo juiz Luís Alberto d’Azevedo Aurvalle nessa 5ª feira (24.dez.2020). A informação foi publicada pelo jornal O Globo.

O magistrado determinou que a resposta dos advogados de Lula sobre as imputações ocorra após a defesa ter acesso a todos os documentos que embasaram a denúncia.

“Ante o exposto, defiro o pedido liminar para interromper o prazo para a apresentação de resposta à acusação do paciente Luiz Inácio Lula da Silva, até que seja oportunizado à defesa o efetivo acesso aos elementos acima especificados”, escreveu Aurvalle.

O CASO

A denúncia foi apresentada pelo MPF (Ministério Público Federal) com base em supostas doações irregulares da Odebrecht para o Instituto Lula. Os valores somam R$ 4 milhões.

Segundo os procuradores, o petista foi “comandante e principal beneficiário do esquema de corrupção que também favorecia as empreiteiras cartelizadas”, como a Odebrecht.

A defesa do ex-presidente afirma que a denúncia é descabida e não passa de “mais um ato de perseguição”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. A Odebrecht mudou de nome. Chama-se agora NOVONOR. A gigantesca máquina de corrupção, com atuação de compra e venda de presidentes e ministros em toda a América Latina – um ex-presidente do Peru, Alan Garcia, metido até o pescoço nas roubalheiras e corrupção de contratos da célebre empreiteira, suicidou-se no ano passado – não mudou em nada suas práticas de negó$$ios, mas o nome é novo. A Odebrecht está morta, a corrupção da empresa não. O filho Marcelo tem dado discretas entrevistas sobre porquê não fala mais com o pai, o super mafioso Emílio Odebrecht.

  2. Li sobre plantação de cânhamo e sua relação com a guerra contra a maconha (drogas) Destruíram países pobres alegando combater o tráfico.
    Washington , o pai do General George Washington 1º Pres EUA, tinha plantação de canhamo.
    Com a nascente indústria de tecido sintético nos Estados Unidos precisaram eliminar o concorrente (o inimigo) representado pelo CÂNHAMO. E assim destruíram plantações em Bangladesh (produzindo inundações) e iniciaram “guerra contra as drogas” por causa da maconha (cânhamo) http://www.fernandosantiago.com.br/maconh2.htm

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome