Trump e Bolsonaro articulam barrar a China na OMS, diz colunista, comentário de Ed Vett

Por isso, países que se pretendem soberanos precisam investir em ciência e tecnologia militares para não se submeterem. Aí são propagados como "ameaças" à liberdade alheia.

Por Ed Vett
comentário no post Trump e Bolsonaro articulam barrar a China na OMS, diz colunista

A “civilização ocidental” tal como é hoje, deve uma parte razoável à milenar sabedoria chinesa e suas invenções, sem maiores cobranças ou contra-partidas…
As que viabilizaram parte do Renascimento, os conquistadores espanhóis e portugueses, os piratas ingleses e a (re)colonização da América e África (entendendo-se que já havia humanos nestes continentes, massacrados e/ou escravizados em sequência), etc.
Com a demonização do comunismo devorador de criancinhas (NB: nunca fui comunista) pelo financismo “ameaçado” e sua rede de propaganda, a China a partir de 1948 até seu atual sucesso tornou-se para este ocidente “civilizado”(**), a “caça a ser abatida” (a URSS teve sucesso militar e tecno-científico, mas não o econômico da China).
(** o da guerra do ópio, a primeira facção criminosa de traficantes de drogas oficial, apoiada pela coroa, como seus piratas, do nazi-fascismo, das colônias africanas do rei belga Leopoldo “corta-mãos, do tráfico de escravos, das únicas bombas atômicas jogadas em alvos civis, apesar das alternativas, etc.).
O obscurantismo e a ganância financista pensa e age assim (o temor, compreende-se…).
Visto como uma ameaça a seus privilégios, não consegue sequer permitir considerar que o comunismo (que é diferente do socialismo, como por ex. na Escandinávia) é apenas uma das milhares de idéias sistêmicas da História Humana, que tem uma proporção qualquer de erros e acertos e por isso deve ser estudada e aproveitada em relação a estes últimos. Experiência e Conhecimento!
A milenar China de hoje, apesar de um governo “comunista children devourer”, já se tornou a maior economia capitalista por PPP (e o será por qualquer critério em breve), tem bolsa, empresas e bilionários privados, um desenvolvimento tecnológico surpreendente e não se apresenta como ameaça fora do mesmo jogo ocidental comercial em que superou os “professores” competidores.
Que força os EUA ao típico jogo sujo (com alguns não pode ser militar), por ex. por não conseguir competir com o 5G da Huawei). Acusam-na de querer “fazer espionagem”, a MESMA que já fazem há décadas, de conhecimento público, com interferências em dezenas de países soberanos.
Ou vc que está lendo este (se não for exceção), usa hardware diferente de Intel, AMD, Qualcomm, sistemas IOS, Windows, Google, redes e armazenamentos lá projetados e estabelecidos, locais ou na “nuvem”, quase um monopólio de transporte e guarda de dados e informações de todo o mundo.
Quando não conseguem competir limpamente, apelam para qualquer outra “solução”, como sanções asfixiantes (ainda que nem sejam ameaças diretas, como Cuba, apenas como “exemplo”), cooptação de governos e elites ou, se for necessário, a invasão ou a guerra por qualquer desculpa esfarrapada.
Por isso, países que se pretendem soberanos precisam investir em ciência e tecnologia militares para não se submeterem. Aí são propagados como “ameaças” à liberdade alheia.
Não é o caso deste nosso braZil, insisto: um dos 3 a 5 países com condições de (vir a) ser uma nação líder em quase qualquer indicador sócio-econômico, industrial, tecno-científico, militar, de bem-estar e desenvolvimento humano, etc. Sabemos tudo que nos impede mas não saimos do atoleiro do atraso!
A esta altura devem estar achando que este comentário é “anti-americano” ou “anti-ocidental”.
Não é, apenas anti-hipocrisia, anti-esperteza e anti-submissão de qualquer dos envolvidos.
Aquela história de “domínio do homem pelo homem”. Que é diferente de liderança e aí, vale para todos.
O mundo pode ser muito mais que esta m#[email protected] que estamos cada vez mais nos transformando.
E o poder que impera não está preocupado com isso, mas com as mansões, iates, jatinhos, acompanhantes, cocaína, Bugattis e … ter mais! E mais!
Tanto que nem conseguem gastar ou usar, enquanto milhões morrem à míngua de fome e doenças, crime…
Esta visão da China (que não é santa e tem interesses) é, em termos de braZil, burra e ignara, pois é muito melhor parceira no MOMENTO do que os EUA, por sua já histórica interferência e exploração que nos prendem como um albatroz ou um condor amarrado já há mais de século com as cordas do “Destino Manifesto” e da “Doutrina Monroe”.
Pior, como ovos de vespas nos devorando vivos, cooptando nossa mediocrérrima “elite” que sequer consegue pensar BraSil. Somos atrasados por dentro, pelos “nossos”.
Não é uma questão de “troca” ou escolha exclusiva: (“um ou outro”), mas de ampliação diversificativa.
Amanhã podem ser outros (qual o potencial da África?…), em outras proporções.
Avisem isso por favor ao adolinquente que nos (des)governa!

4 comentários

  1. Já que estão repetindo o excelente comentário do Ed Vett, repito também o que fiz naquele post sobre a imbecilidade de Trumph e Boçal tentarem barrar a China na OMS. Ou seja: é preciso que alguém com peso suficiente para dar uma sugestão à China diga para referida embaixada agir pra valer e não apenas falar (de vez enquanto apenas). Tal ação seria simplesmente tirar todo o pessoal diplomático chinês do Brasil e expulsar a diplomacia brasileira que está lá, ao mesmo tempo em que suspenderiam unilateralmente todos os contratos de importação junto ao Brasil e todos os investimentos chineses por aqui. Pois sem dúvida isto causaria prejuízo de alguns bilhões à balança comercial brasileira frente à China e deixaria o pessoal do agronegócio com o mico nas mãos, deixando de ganharem muito com suas exportações. E daí a China daria o troco no Boçal idiota que teria que explicar a seus apoiadores do agronegócio a grande cagada que fez…sem contar que esse troco chinês pioraria mais ainda o PIB brasileiro. Ah! mas a China também depende do que importa do Brasil? Ora, quem tem o peso que tem na economia mundial não vai ficar dependendo de importação de um país governado por imbecís. E se for o caso de precisar muito dessas importações mesmo, dê um tapa na cara do boçal pra valer e importe dos americanos…sugerindo que os exportadores brasileiros enfiem suas comodities naquele lugar. Agora, se a China resolvesse falar grosso com o governo de idiotas, daria um recado: ALÔ EXPORTADORES BRASILEIROS, QUEREM VOLTAR A VENDER PARA NÓS, ENTÃO METAM O PÉ NA BUNDA SUJA DOS IDIOTAS QUE VOCÊS PUSERAM NO GOVERNO, O BOÇAL E OS MILITARES ENTREGUISTAS E TODO O BANDO DO AGRONEGÓCIO, PUXA SACOS DE IMBECÍS.

  2. Medo: A China vai invadir o Brasil?

    O que as redes sociais tem de melhor são os relatos espontâneos, verdadeiras crônicas do cotidiano. Tudo o que a pessoa vê ou vivencia vai desaguar na rede, para nossa sorte. Algumas pessoas têm a veia ficcional exacerbada, e não raro exageram. Não é o caso, a autora não é dada a ficções, e nos brindou com a pérola abaixo, retrato fiel do ponto de rebaixamento e degradação a que chegou o país:

    “Dia desses, porque era necessário, saí com uma pessoa que quero bem. Ela não lê jornal impresso sequer saberia usar um computador. O telefone serve apenas para telefonar e enviar coraçõezinhos acompanhados de bem frases bonitinhas. O único instrumento de notícias dessa minha amiga é a rede globo de televisão. Fui de uber e ela, não que precisasse, foi de ônibus. O destino era o centro e os pontos de ônibus estavam bastante cheios. As ruas também. Então ela disse: “vc está com muito medo do vírus, não é necessário isso”, e saiu pelas ruas bem rente a todos. Podia eu ter comentado a respeito de tantas mortes no Brasil, mas me calei. Falamos de docerias deliciosas, de roupas lindas, de shampoo… De repente ela me olhou com bastante seriedade e questionou: “você não está com medo?” ‘medo de quê?”, perguntei curiosa. E ela respondeu: “da China invadir o Brasil”. Eu não me contive e ri. Apenas perguntei a ela que jornal ela anda assistindo. Então ela se calou. Não falamos mais disso.”

    Hobsbawm, vivo fosse, escreveria um cartapácio de 800 páginas, sua última e derradeira obra, intitulada Brasil, a era da estupidez, subtítulo Um país imbecilizado pelo WhatsApp.

  3. Ótimo exemplo: não ter medo do vírus que já levou mais de 1,1 milhão de humanos à morte, mas ter da invasão chinesa é o tipo de coisa que, como venho dizendo, merece mais esforço de entendimento do que explicar o mitosco adolinquente e sua “entourage”, que “qualquer Freud” explica.
    Explicar como milhões de braZileiros elegeram essa aberração psicótica até que dá: é só ler um pouco sobre psicologia e manipulação de massas: Goebbels, Bernays, Aleksander Kogan, Bannon, Cambridge Analytica, redes sociais, disparos de rede, o efeito emocional de fake-news, anos de campanha dessa míRdia que hoje nem sabe como desfazer a m#[email protected] que ajudou a causar (inclusive para si, hehe).
    Tudo isso pode ser “compreendido” (embora não justificável).
    O que intriga é a persistência (!) desse apoio, dessa crença fanática destes seguidores de um guru alucinado desta seita destrutiva e “non sense”, após tantos e tantos FATOS, AÇÔES e FALAS vomitórias que, ao contrário, por mais bizarras que sejam, são aplaudidas e comemoradas pelos incólumes seguidores fiéis (as baixas são lentas e poucas). Isto sim está difícil de compreender e explicar!
    Nossa esperança é que em algum momento, estes passarinhos presos com “sal na cauda” (conhecem a história né?) façam a repentina revoada libertadora aos céus do bom senso e da razão.
    Onde o último a sair acenda a luz…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome