Um Argentino um Minerin e Dois Ceguinhos

Carro argentino

Os argentinos são famosos por se superestimarem. Digamos que, além de possuírem um ego do tamanho do Everest, às vezes, só às vezes, eles mentem um pouquinho para ganhar de nós, brasileiros. Por outro lado nós sempre damos o troco. E o pior foi que,  desta vez um argentino quis tirar uma da cara do Minerin.

Dois fazendeiros, um argentino e o Minerim se encontram e começam a jogar conversa fora.

O argentino pergunta ao Minerin:

— Qual o tamanho da sua fazenda?

 

— Para o tamanho do Brasil é uma fazenda mais ou menos boa. Tenho mil hectares. E a sua?

 

— Olha, eu saio pela manhã da sede com minha camionete Peugot, e na hora do almoço eu não cheguei nem na metade da fazenda.

 

Imediatamente o Minerin interrompe.

 

— Cara! Eu também já tive uma camioneta Peugot argentina. É uma merda mesmo…

 

 

 Os Dois Ceguinhos

 

No aeroporto os passageiros esperavam a chamada para embarcar num voo. 

Aparece o copiloto, todo uniformizado, de óculos escuros e de bengala branca tateando pelo caminho. A atendente da companhia o encaminha até o avião e assim que volta explica, diante do espanto de todos, que apesar dele ser cego é o melhor copiloto da companhia. 

Alguns minutos depois chega outro funcionário também uniformizado, de óculos escuro de bengala branca, e  amparado por duas aeromoças. A atendente, mais uma vez, explica  que apesar dele ser cego é o melhor piloto da empresa e tanto ele como copiloto formam a melhor dupla da companhia. 

Leia também:  ONU condena mortes na Bolívia e alerta que a situação pode sair do controle

Todos os passageiros embarcam no avião preocupados com os pilotos. O comandante avisa que o avião vai levantar voo e começa a correr pela pista. Aumentando cada vez mais a velocidade. Todos os passageiros se olham, suando frio, com medo da situação. O avião vai aumentando a velocidade e nada de levantar voo. A pista está quase acabando e nada do avião sair do chão. Todos começam a ficar cada vez mais preocupados. O avião correndo e a pista acabando. O desespero toma conta de todo mundo. Começa uma gritaria histérica no avião. Nesse exato momento o avião decola, ganhando o céu e subindo suavemente. O piloto vira para o copiloto e diz:

— Se algum dia o pessoal não gritar, a gente se fode…

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome