Uma prova material, por Dilma Rousseff

Moro não pode negar: ele protegeu Eduardo Cunha, não apreendeu seu celular, e com isso escondeu a verdade sobre o golpe de 2016

Foto Sul21

Uma prova material

por Dilma Rousseff

em seu site 

Um dos fatos mais graves que mostram o viés político e a parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça de Bolsonaro, foi revelado em nova reportagem do Intercept, em parceria com o site BuzzFeed. Fica evidente que Moro orientou o chefe da força-tarefa, Deltan Dallagnol, a não pedir a apreensão dos telefones celulares de Eduardo Cunha, diferentemente do que ocorreu em relação a outros réus.

Dallagnol recebeu, em 18 de outubro de 2016, instruções do ex-juiz Moro, em conversa pessoal. No mesmo dia, informou aos seus colegas procuradores o resultado dessa conversa com Moro: “Conversamos aqui e entendemos que não é caso de pedir os celulares, pelos riscos, com base em suas ponderações”, afirmou num aplicativo à sua equipe. Quais riscos? Riscos para quem? Que ponderações?

No dia seguinte, 19 de outubro, Eduardo Cunha, o piloto do golpe que derrubou meu governo, por meio de um impeachment sem crime de responsabilidade, foi preso, condenado por corrupção, sem que seus celulares tenham sido apreendidos.

O ex-juiz Moro se defende atribuindo as divulgações da Vaza Jato a falsificações de hackers. Neste caso particular, os fatos desmentem seus argumentos, mostrando de forma incontroversa sua perseguição ao PT e sua descarada parcialidade.

OS TELEFONES CELULARES DE EDUARDO CUNHA NÃO FORAM APREENDIDOS, E ISTO É UM FATO QUE NÃO DIZ RESPEITO A HACKERS.

Independe da Vaza Jato. A pergunta é por que o ex-juiz Moro não queria que se revelassem as ignóbeis condições que cercaram o impeachment? Para proteger o governo ilegítimo de Temer? Proteger os cúmplices do golpe? Os financiadores do golpe? Setores da mídia que insuflaram o golpe?

Isso não exclui que a razão do privilégio estivesse acrescida também da ânsia de poder de um juiz da primeira instância que procurava, a qualquer custo, evitar que o controle e o conhecimento dos fatos fugisse de suas ambiciosas mãos.

Leia também:  O histórico de polêmicas do procurador Januário Paludo, suspeito de receber propina

Mas, sobretudo, queria esconder as razões espúrias do golpe de 2016.

Tem razão o ex-senador Roberto Requião, que entende que o privilégio que Moro e os procuradores da Lava Jato deram a Eduardo Cunha impediu que a sociedade brasileira tivesse acesso a um arquivo de informações reveladoras sobre o golpe, quem o financiou e quem foi beneficiado.

A manifestação de Requião: “A não apreensão do celular do Cunha impediu que tomássemos conhecimento das articulações do impeachment da Dilma, que interesses o financiaram e a quem aproveitaria? É isto Moro? É isto Dalagnol?”

DILMA ROUSSEFF

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. O que mais precisa vir a público?
    Quanto cinismo e dissimulação ainda usarão para acobertar crimes?
    O que está acontecendo com nossas Instituições? Elas não estão funcionando.

  2. Na fatídica operação de busca e apreensão na casa de Lula e que culminou com sua condução coercitiva ilegal, apreenderam até os i-pad dos netos do Lula. Lembro muito bem de Lula ter cobrado a devolução dos aparelhos para os netos em audiência com o juiz de piso. Por falar nisso, nas perícias dos aparelhos do ex-presidente e de seus familiares foram encontrados indícios, que fossem, de ilícitos. Por obvio que não, pois se do contrário fosse, já teria sido amplamente vazado para a imprensa amiga.

    • Desculpem. A frase “Por falar nisso, nas perícias dos aparelhos do ex-presidente e de seus familiares foram encontrados indícios, que fossem, de ilícitos?” É interrogativa.

  3. Resumindo: SÉRGIO MORO É UM CAFAJESTE E TODOS QUE ACREDITARAM NELE E NOS BANDIDOS DA LAVA JATO NÃO PASSAM DE IGNORANTES ÚTEIS QUE FIZERAM UM BOÇAL CHEGAR AO PODER, AGORA, E UM TRAIDOR DAR O GOLPE EM DILMA, QUE FOI O INÍCIO DE TUDO ATÉ CHEGARMOS À MERDA EM QUE SE TRANSFORMOU O BRASIL. SE ESSES IGNORANTES TIVESSEM VERGONHA NA CARA, PEDIRIAM DESCULPAS TODOS OS DIAS E SE COLOCARIAM À DISPOSIÇÃO PARA IREM ÀS RUAS DERRUBAR OS BANDIDOS DO PODER. A COMEÇAR PELOS VERMES DA JUSTIÇA QUE, SEM VERGONHA NA CARA TAMBÉM, NÃO COBRAM A RESPONSABILIDADE DO ASSASSINO MORO E SEU BANDO LAVAJATISTA. AFINAL, JUIZ QUE NÃO É CORNO PEDIRIA O CELULAR DE CUNHA, POIS ESSA É A FONTE DE TODAS AS INFORMAÇÕES DE COMO SE ARMOU TODO O GOLPE PARA TIRAR O PT DO PODER E, ASSIM, ESSES FILHOS DE PUTAS ENTREGAREM O BRASIL AOS INTERESSES AMERICANOS………..SÓ NOSSO ÓDIO É O QUE CONTA AGORA: QUE MUITOS DESSES, CRIMINOSOS E VOTANTES NELES, MORRAM DO PIOR TIPO DE CÂNCER, APODRECENDO VIVOS, COM MUITA DOR. MALDITOS.

  4. O celular do Cunha deve trazer todos os defeitos de fábrica de todos os que permitiram o golpe…

    foi golpe de uma inteligência artificial, como instituição, sem qualquer supervisão ou controle humano

    a mesma que está protegendo e garantindo o Bolsonaro atualmente

    • CREIO QUE NÃO, PARA EXPLICAR O GOLPE. ESTAVA NA CARA. MAS CREIO QUE SIM, PARA REVELAR OS ARTÍFICES DO MESMO. ACREDITO (TENHO QUASE ABSOLUTA CERTEZA) DE QUE SERIAM REVELADOS NOMES COMO OS DO MORO E DOS FINANCIADORES DO GOLPE.

  5. O probo juiz Moro entendeu que não deveria haver muitas provas de crimes no celular do Cunha, oras…
    Já o celular do Artur, falecido netinho do Lula, o heroico juiz, com sua perspicácia de águia, uma
    grande e velha ave de rapina, demandou uma perícia que demorou mais de um ano.
    Isso que é um juiz dos bons! Um juiz das pessoas “de bem”.

  6. E curioso como as impressões acerca dos fatos, todas as sensações que eles provocam, vão se solidificando para formar uma percepção mais profunda  da realidade.
    Sem dúvida nenhuma fica cada vez mais claro que o grande momento de toda essa crise, a ferida que fragilizou o país sobremaneira, foi a remoção de uma presidente fora do processo eleitoral e de maneira extremamente  injusta. Isso foi a grande ruptura com o processo de legalidade e progresso que vivíamos desde o fim da ditadura. O Brasil vinha inegavelmente numa crescente, não só com o PT, mas com Itamar, FHC e até mesmo com o governo do Sarney, pois Era um caminho de volta à luz após décadas de trevas.
    Mas aí veio o ato de suma seriedade que foi retirar uma presidenta eleita sem nenhum motivo honesto e importante. Ora isso eh uma ferida sangrenta demais para uma democracia, que jamais seria permitida num país evoluído politicamente como os Estados Unidos,  por exemplo.
    Derrubar uma presidente eleita legitimamente sem um motivo extremamente grave representa
    Uma violação do sagrado que existe na manifestação soberana de um povo, no próprio espírito da democracia,  e balançou profundamente o equilíbrio de nossa sociedade.
    Significou romper com as regras do jogo mais importante de todos.
    Quando algo de tamanha gravidade e executado, de tamanho desrespeito ao fundamento legal de um país, ora,  isso emite sinais que se propagam pelas profundezas da sociedade. E como um daqueles ruídos que somente os animais percebem. e aí todos os lobos levantam as orelhas e lambem os beiços, porque elês sabem imediatamente que é chegada a hora deles.

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome