Vamos descomemorar! 17 de abril de 2016. Um ano do golpe de estado. Uma ano de infâmia.

Dia 17 de abril de 2016 não será conhecido apenas como a data do golpe de estado mas também como o dia da infâmia.
Infâmia porque decorrido 1 ano da palhaçada proporcionada pela câmara dos deputados fica claro quem é quem nesta história toda.
Sabemos que a presidenta Dilma é uma pessoa extremamente honesta, justa e zelosa pelas coisas públicas.
Que, mesmo após meses de tortura psicológica a que foram submetidos os “delatores” pelo indigno juiz Sérgio Moro, ninguém, repito ninguém, ousou acusa-la de algo ilícito. Só citações.
Que combateu a corrupção com coragem.
Que não se curvou às chantagens de Eduardo Cunha e Michel Temer.
Que ela e a presidenta da Petrobrás Graça Foster estancaram a roubalheira na empresa.
Que deu todo o suporte disponível à PF nas investigações.
Que não censurou a imprensa.
Que não interferiu no MPF e na escolha do PGR.
Que nunca desceu ao nível de seus detratores.
Essa é a Dilma Rousseff.
Aí restou aos canalhas difamá-la. Geralmente é o que fazem os covardes diante de alguém com essa postura de vida.
Tentaram desconstruir sua imagem. Humilhá-la de todos os modos. Foi chamada de vaca, puta, gerentona, safada, incompetente, analfabeta, burra e etc. Adesivos e piadinhas correram soltas.
Mas, mesmo diante desse quadro, esta magnífica mulher não esmoreceu e lutou – e continua lutando – para recuperar, além de sua imagem, o que a maioria dos brasileiros lhe concedeu: a legitimidade para governar.
Pelo outro lado temos os golpistas.
Pessoas despossuídas de caráter, ou de um quê de responsabilidade com a nação. Psicopatas com interesses escusos.
Formaram a quadrilha: a mídia, os procuradores, o PGR, o judiciário, a PF, a OAB, os deputados federais, os senadores, os governadores, os partidos políticos, as igrejas, FIESP e empresários.
A mídia mentiu, manipulou, amplificou e fabricou factoides. Criou, semeou e espalhou o ódio contra a presidenta, contra o PT e contra os políticos de um modo geral. Incentivou as manifestações fascistas.
O PGR Janot, os procuradores (capitaneado pelo procurador com nome de xarope) e os delegados não encontraram indícios ou provas contra Dilma ou contra o Lula. Aí apelaram para suas convicções e seus PowerPoints.
O congresso, que aprovou o impeachment fraudulento, de cada 10 parlamentares, 7 estão envolvidos em corrupção, segundo o JB.
O judiciário, espetacularizado pelo Moro, vaza seletivamente, prende sem prova, tortura o sujeito até o cara delatar. E não pode ser qualquer delação. Tem que ser contra a Dilma ou o Lula. Se for tucano… não vem ao caso.
A OAB apoiou o golpe de estado. Agora fala em convocar uma nova constituinte. Hipócritas! O que restou de nossa constituição cidadã tem que ser preservada. E não mais vilipendiada. A organização de advogados deveria lutar pelo estado de direito. É sua obrigação. Mas não! Quer é por um fim em tudo.
Os partidos políticos e os governadores que aí estão só tem razão de ser por causa da democracia. E o que fazem? se unem desavergonhadamente para acabar com a democracia.
A FIESP financia manifestantes e grupelhos fascistas para dar caráter popular ao golpe. Não olham o próprio rabo. Dentro da federação há corruptos e corruptores.
Odebrecht e Globo se juntam para dar o golpe.
Odebrecht disponibiliza 50 milhões de reais ao então presidente da câmara dos deputados Eduardo Cunha. Motivo: subornar os parlamentares para aprovarem o impeachment.
Eis o que sabemos até o momento.
Comparem quem é Dilma e quem são os golpistas. Quanta diferença, não é mesmo?
Sem sombra de dúvidas, essas pessoas envolvidas neste ato vil do golpismo podem ser chamadas tranquilamente de bandidos. Criminosos da pior espécie que há.
Vamos descomemorar esse dia. E aqueles que pedem diretas, nova constituição, diálogos com golpistas estão erradas.
Temos uma cidadã honesta. Já legitimada pelas eleições de 2014 dando sopa.
Querem voltar a estabilizar o país antes que seja tarde demais? Pois eis a solução: STF anule o golpe. Reconduza Dilma Vana Rousseff ao cargo de presidenta. É o certo a ser feito.
A presidenta foi impedida de continuar a governar o país por corruptos, ladrões, escroques, espiões, entreguistas e hipócritas. Nenhum desses personagens têm moral para depor quem quer que seja, ainda mais a presidenta.
Está nas mãos do STF o futuro do país.
Ou será que teremos que adicionar mais um membro ao bando de golpistas?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome