Veja se a queda da Selic em julho afetou o rendimento da poupança

No final do mês de julho, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) reduziu a taxa básica de juros da economia. A taxa Selic que antes valia 10,25%, passou para 9,25% ao ano.

Esta queda da Selic atraiu olhares de muitos investidores que apostam na caderneta de poupança como bom investimento. Porém, o que precisa ficar claro é que este tipo de investimento continua não valendo a pena.

Conforme determinação do governo, o rendimento poupança varia em apenas duas ocasiões:

  • Quando a Taxa Selic for igual ou inferior a 8,5% ao ano, o rendimento poupança é igual a 70% da Selic acrescida da Taxa Referencial.

  • Quando a Taxa Selic for maior que 8,5%, o retorno da poupança será de 0,5% ao mês (ou 6,17% ao ano) acrescida da variação da TR.

Apesar da taxa Selic estar em um patamar menor, o rendimento da poupança não conseguiu melhorar visto que a porcentagem continua sendo 0,5% ao mês acrescida da variação da TR.  

Além de não alcançar boa rentabilidade, o dinheiro aplicado na caderneta ainda podem sofrer desvalorização pois os produtos e serviços estarão com um preço mais alto devido à inflação.

Como é possível perceber, a poupança não possui bons resultados para o capital investido. Mas existem oportunidade mais interessantes no mercado e algumas vezes com a mesma segurança que a poupança.

A maioria das pessoas que procuram investimentos que possuem rentabilidade melhor que a poupança, acabam se interessando pelos investimentos de renda fixa, como:

O Tesouro Direto é uma boa opção de investimento. Quem compra este título público, estará emprestando dinheiro para que o Governo Federal possa financiar suas dívidas internas. Em troca, ele se compromete em devolver o capital acrescido de juros até a data programada.

Esta modalidade é bastante acessível porque dispõe de títulos públicos com valores a partir de R$30. Mas é preciso ter atenção porque nem todos os títulos podem ser comprados por este valor.

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) também é um investimento de renda fixa bastante conhecido. Ele se refere a títulos emitidos por bancos como forma de captar recursos para financiar suas próprias atividades.

Uma das vantagens do CDB é a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Isto quer dizer que, caso o banco que emitiu o título quebre, o investidor possui a garantia de receber o dinheiro de volta. Mas o valor precisa estar no limite de R$250 mil por CPF e por instituição financeira.

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio ) também são títulos de renda fixa emitidos por bancos ou corretoras. A pessoa que adquire esses títulos está emprestando dinheiro para a instituição financeira utilizar em financiamentos no segmento de imóveis ou agropecuário.

Esse tipo de aplicação possui a mesma lógica dos CDBs, porém vem ganhando destaque entre os investidores devido à isenção no Imposto de Renda para pessoas físicas. Apesar desta vantagem, é importante pesquisar e fazer contas para saber se este investimento é o mais atraente para atingir os objetivos definidos.

Além desses investimentos, existem outros que possuem rentabilidade melhor que a poupança. Mas antes de escolher a aplicação, é fundamental ter em mente os objetivos financeiros. Com isso, não será preciso se preocupar apenas em superar o rendimento da poupança.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora