Xadrez do pacto político, comentário de Rafael Viera

Por Rafael Viera
comentário no post Xadrez do pacto político entre PT e a centro-direita, por Luis Nassif

Belo xadrez. Vamos por partes.

Armínio Fraga. Li seu artigo publicado aqui no GGN. Na aparência, a preocupação é com o social. Na essência, com a solvência do Estado para garantir a posição relativa dos rentistas. Em outras palavras, se todos ganharem, que nós continuemos a ganhar mais. Senão, no longo prazo, todos seremos iguais, ora. Enfim, somos bonzinhos, mas não somos bestas. Dirá Armínio e sua turma.
Então, para cair na conversa do Armínio, tem que ser besta.

A conversa com Armínio e a turma da bufunfa é a seguinte:
– Vocês vão ganhar relativamente menos para não perder tudo. Certo?!
Se for assim, tem jogo. Ok? Senão, pagaremos pra ver.

Eles então perguntarão:
– Ah, mas até quando ganharemos menos?
– Isso nós vamos ver. No andar da carruagem as melancias se ajeitam.
Enfim, a gente vai conversando, desde que vocês que sempre ganharam mais, comecem ganhando relativamente menos.
Essa é a conversa com a turma da bufunfa. Eles devem aceitar porque têm muito a perder.

Segundo ponto. A crítica da autocrítica está perfeita. Quanto ao PT, está muito acertada, especialmente em relação ao tripé e o isolamento autocrático.

O Brasil pode ser grande, e tem lugar para todos. Ouviram: Forças Armadas, mercado financeiro e empresariado. Pensem grande, como o Lula.

O caminho é a social democracia. Leia-se: desenvolvimento soberano com inclusão social.

A alternativa é a raiva do “homem comum”, e um país autoritário, pobre e dependente.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora