Zambelli consegue liminar para barrar Renan Calheiros na relatoria da CPI da Covid

Conflito de interesses: juiz federal acatou argumento de que Renan Calheiros não pode relatar a CPI da Covid porque é pai de um governador

Jornal GGN – A deputada bolsonarista Carla Zambelli (PSL) afirmou em sua conta no Twitter, na noite desta segunda (26), que conseguiu uma decisão liminar da Justiça de Brasília para barrar o senador Renan Calheiros (MDB) na relatoria da CPI da Covid.

O argumento utilizado na decisão judicial é o de conflito de interesses, pois Renan é pai do governador de Alagoas, Renan Filho, e a CPI, em tese, pode investigar repasses federais aos estados e municípios para o enfrentamento à pandemia.

O governo Bolsonaro não quer senadores independentes na relatoria e na presidência da comissão parlamentar de inquérito que vai apurar a conduta imprudente da União no combate à Covid-19, porém não tem força política para evitar que não-governistas assumam o controle da CPI.

Com base em um acordo político, o senador Omar Aziz, do PSD, deverá ser eleito presidente da CPI na sessão de terça-feira (27), e em seguida nomear Renan Calheiros, pelo bloco do MDB, como relator.

Por volta das 19h, Zambelli informou que o “juiz Charles Renaud, da 2ª Vara Federal de Brasília, atendeu ao pedido de liminar da nossa ação popular e SUSPENDEU o nome de Renan Calheiros para a votação que decidirá a relatoria da CPI!”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora