A realidade caótica do mundo refletida na internet

Comentário ao post “A balbúrdia democratizante das redes sociais

“A Internet surge para romper esse bloqueio. Ainda é uma realidade caótica,”

E assim continuará por muito tempo.

Para se entender os acontecimentos no Brasil e no mundo, nada melhor do que dar uma passada na filosofia que se distancia do usual, do dito correto, da nossa sociedade, e por isso mesmo, denominada brilhantemente de “sociedade de pensamento único”

Diz Hermes Trismegisto:

  • Lei da Correspondência: “Aquilo que está em cima é como aquilo que está embaixo
  • Lei da Vibração: “Nada está parado, tudo se move, tudo vibra”.
  • Lei da Polaridade: “Tudo é duplo, tudo tem dois polos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados”
  • Lei do Ritmo: “Tudo tem fluxo e refluxo, tudo tem suas marés, tudo sobe e desce, o ritmo é a compensação”.
  • Lei do Gênero: “O Gênero está em tudo: tudo tem seus princípios Masculino e Feminino, o gênero manifesta-se em todos os planos da criação”.
  • Lei de Causa e Efeito: “Toda causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa, existem muitos planos de causalidade mas nenhum escapa à Lei”.

Acadêmicos, sacudam a poeira e percebam o que é o mundo e que a internet apenas reflete o que ele é na atualidade.

Sobre isso, outro brilhante pensador que analisa o mundo pós-moderno, Zygmunt Bauman, o define como “um mundo líquido” e portanto difuso.

A internet segue esta linha que caracteriza o mundo como difuso e efêmero, portanto individualista, passageiro, e mutante.

É esse aparente caos (difuso e efêmero), facilmente observado nas relações diárias, que, paradoxalmente, manterá a sociedade em seu sonho por mudanças.

Esse caos é que leva leitores a concordarem ao mesmo tempo com o que está escrito na Carta Capital e no Instituto Millenium, a depender da “inspiração” do momento.

A ansiedade da sociedade de consumo que se caracteriza exatamente por tornar qualquer produto efêmero para criar a dependência por produtos ou conceitos novos a cada respiração, leva os leitores a procurar muito mais “slogans” do que a busca por conhecimento.

O “slogan” de logo estabelece a ligação rápida e prática entre o que busca o internauta para “confirmar” a sua opinião, enquanto a busca de conceitos e fundamentos se torna muito mais enfadonho.

Os BBB não fazem sucesso apenas nas TVs, aqui pela internet é comum o sucesso de post que favoreçam o julgamento, o linchamento ou o aplauso, a depender daquilo que lhe, simplesmente, agrade ou desagrade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora