História da Lava Jato será a história do sistema corrompido vencendo o sistema de investigação, diz Fachin

Questionado sobre o que acha das mensagens reveladas pela Vaza Jato, Fachin respondeu: "Eu não acho que a provailícita pode ser varrida para debaixo do tapete, agora é preciso saber o que fazer com ela"

Jornal GGN – Em entrevista veiculada com exclusividade pelo Estadão neste sábado (13), o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, disse que decisões que serão tomadas nos próximos “dias ou meses” definirão o modo como a Lava Jato entrará para a história. Mas, em sua visão, tudo indica que a hist´pria será a mesma da operação “Mãos Limpas”.

“É a história de uma derrocada, em que o sistema impregano pela corrupção venceu o sistema de apuração de investigação e de condenação dos delitos ligados à corrupção. Portanto, esse é o diagnóstico que eu faço”, disse o relator da Lava Jato no Supremo.

Na última segunda-feira (8), Fachin ajudou a escrever um novo capítulo da Lava Jato quando acolheu um habeas corpus movido pela defesa de Lula em novembro de 2020 e anulou todas as condenações e ações penais que tramitavam em Curitiba contra o ex-presidente. Fachin entendeu que a 13ª Vara Federal não era o foro apropriado para discutir as acusações contra Lula e remeteu os autos para a Justiça do Distrito Federal.

Dessa forma, o ministro achou que poderia evitar o julgamento do habeas corpus que trata da suspeição do ex-juiz Sergio Moro, mas ficou vencido pela Segunda Turma do Supremo, que decidiu, por 4 votos a 1, continuar a discussão no dia seguinte, terça (9).

O julgamento da suspeição foi paralisado pelo pedido de vistas do ministro Kassio Nunes. A ministra Cármen Lúcia sinalizou que será a última a proferir seu voto. Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, à luz das mensagens de Telegram, votaram pelo reconhecimento da parcialidade de Moro. Fachin, como sempre alinhado à Lava Jato, é contra o HC.

Questionado sobre o que acha das mensagens reveladas pela Vaza Jato, Fachin respondeu ao Estadão: “Eu não acho que a provailícita pode ser varrida para debaixo do tapete, agora é preciso saber o que fazer com ela.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora