A ameaça a Fachin e o jogo complexo das fakenews, por Gustavo Conde

A ameaça a Fachin e o jogo complexo das fakenews

por Gustavo Conde

Qual o modus operandi da direita? Achacar, ameaçar, chantagear, produzir fakenews. Vide Cunha, Geddel, Temer, Padilha (o Eliseu), Doria, Bolso-humans et al. No Brasil atual, tendem a vencer todas.

Qual é o modus operandi da esquerda? Confiar nas instituições. Vide Dilma, Lula, Genoíno, Dirceu, Getúlio, Jango. No Brasil atual, tendem a perder todas.

Pergunta: quem ameaça Fachin? Resposta: a direita fascista. A mesma que despeja bala na caravana de Lula. Por quê? Porque, já que a esquerda não se utiliza dos métodos fascistas e não pode ser acusada de achacadora, a estratégia é plantar uma boa fakenews melodramática (em rede nacional com o bem comportado Roberto D’Ávila). Ameace-se Fachin e jogue-se a culpa no PT.

Aliás, essa é a estratégia que a imprensa e os segmentos fascistas (nem vou usar mais a palavra “conservadores”; são fascistas mesmo) tentam colocar em prática há bons 5 anos para pressionar o STF: pressionar e jogar a responsabilidade da pressão para o lado oposto, aquele que, justamente, confia na constituição – talvez, de maneira ingênua – e que fica de mãos atadas diante de tanta articulação intramuros.

Tivesse o Brasil uma polícia ou um governo, o leão de chácara que ameaça Fachin seria descoberto em 24 horas (bastava Fachin dar os detalhes à polícia e não à imprensa). Mas, interessa ao sistema que essa ameaça fique sob sigilo e mistério. Interessa que ela seja associada à esquerda, interessada no habeas corpus de Lula.

A epidemia de fakenews não está nas redes sociais – venho falando disso há mais de 2 anos. A epidemia de fakenews esta na imprensa e no subsolo político golpista brasileiro. O caseiro de Palocci, a ficha falsa de Dilma, o próprio mensalão (a maior fakenews da história recente), o triplex “do Lula”, a propina que Dilma recebeu de Pasadena, o Lulinha dono da Friboi. Não tem fim a prodigiosa usina de fakenews da nossa elite golpista.

E aí, vem o nó psicanalítico que permeia todo esse processo: a elite golpista de direita  elabora o delito e o projeta imediatamente ao segmento democrático da esquerda. Essa é a lógica da terceirização da culpa que grassa no país desde Getúlio Vargas.

O grau zero do recall desse processo subjetivo-coletivo-político foi a compra da re-eleição pelo PSDB, em 1997. O PSDB ficou tão mal consigo mesmo diante daquela evidência olímpica de corrupção escancarada que passou a “empurrar” esse modus operandi para o PT. O mensalão é isso: é a projeção da compra da re-eleição pelo PSDB  que tomou forma diante das pressões que a mídia exerceu no STF naquele momento.

Nós ficamos mal acostumados com os 13 anos de democracia plena construídos pelo PT e pela parcela democrática da sociedade brasileira (eram 87% em 2010). Esquecemos que o Brasil elitista era esse poço sem fundo de mal-caratismo aplicado.

Calculem agora – e à distância – o que foi construir uma vitória acachapante em cima desses golpistas inveterados. Foi épico. E as vitórias eleitorais atrás de vitórias eleitorais acabaram por assanhar o pântano das bestas. Hoje, é fácil dizer que isso era previsível.

Talvez, daí decorra aquele conjunto de ditados populares que visam aplacar a dor da realidade a todos nós humanos: “a realidade é dura”, “a vida não é fácil”, “cada um leva a sua cruz”. 

Doce – dolorosamente doce – é saber que a humanidade tem lado. E que esse lado é ocupado por esse segmento que o mundo acostumou a chamar de “esquerda”, desde que os jacobinos ocuparam essa posição na Assembleia Nacional Francesa.

A direita preda, alicia, esmaga, extermina, ameaça, chantageia, trunca, blefa.

A esquerda joga (e sabe perder).

 

Redação

17 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Os onze princípios da
    Os onze princípios da propaganda nazista de J. GOEBBELS 1)    Princípio de simplificação e do inimigo único. Adotar uma única idéia; um único símbolo; individualizar o adversário em um único inimigo.2)    Princípio do método de contágio: Reunir os adversários em uma só categoria ou indivíduo. Os adversários tem de constituir-se em suma individualizada.3)    Princípio da transposição. Atribuir ao adversário os próprios erros ou defeitos, respondendo o ataque com o ataque: “Se não podes negar as más notícias, inventa outras que as distraiam”.4)    Princípio do exagero e desfiguração: Converter qualquer anedota, por pequena que seja, em ameaça grave.5) Princípio da vulgarização: “Toda propaganda deve ser popular, adotando seu nível ao menos      inteligente dos indivíduos, aos que se dirige. Quanto maior seja a massa a convencer menor há de ser o esforço mental a fazer. A capacidade de entendimento das massas é limitada e sua compreensão rara; além do mais tem grande facilidade para esquecer.”6) Principio de orquestração: “A propaganda deve limitar-se a um número pequeno de ideias e repetí-las incansavelmente, apresentando-as de diferentes perspectivas; mas sempre convergindo sobre o mesmo conceito. Sem ranhuras nem dúvidas”. Daquí vem também a famosa frase: “Se uma mentira se repete suficientemente, acaba por converter-se em verdade”.7) Principio de renovação: Emitir constantemente informações e argumentos novos a um ritmo tal que, quando o adversário responda, o público está já interessado em outra coisa. As respostas do adversário nunca devem poder contrariar o nível crescente de acusações.8) Principio da verossemelhança: Construir argumentos a partir de fontes diversas, através dos chamados balões de ensaios ou de informações fragmentadas.9) Principio do silêncio: Calar sobre as questões das quais não se tem argumentos e encobrir as noticias que favorecem o adversário; também contraprogramando com a ajuda de meios de comunicação afins.10) Principio da transfusão: Por regra, a propaganda opera sempre a partir de um substrato preexistente, seja uma mitología nacional ou um complexo de ódios e prejuízos tradicionais. Se trata de difundir argumentos que possam se nutrir em atitudes primitivas.11) Principio da unanimidade: Convencer muita gente que se pensa “como todo o mundo”, criando impressão de unanimidade.

      1. Eu não escrevi isso. Há muito

        Eu não escrevi isso. Há muito tempo encontrei alguns blogs na internet tratando deste assunto e citando estes “onze mandamentos” e guardei, mas perdi o link. Coloquei no meu comentário porque achei muito apropriado para nossa situação atual. 

  2. Descoberta a pólvora! A direita não tem ética! Ohhhh!!!

    Gente, não nos deixemos infantilizar. Esse tipo de maneira de pensar: “Se o resto do mundo não fosse malvadinho, as ingenuidades que fizemos não teriam ajudado a estragar tudo” é coisa de quem não tem maturidade sequer para fazer uma auto-crítica. Sendo assim, como pode pretender exercer o poder?

  3. Isso vai “validar” a

    Isso vai “validar” a radicalização do STF!

    Que morram os outros, eu não!

    Se isso se acontecer é certo que haverá milhares de mortos!

    Morrerão milhares em silêncio nas nossas guerras urbanas onde a falta secular de investimento massivo em educação que permite que de dentro das familias fragilizadas saiam aqueles que poderiam crescer sendo cidadãos de bem, vejam no crime uma opção…

    Ou que tenhamos uma guerra civil com ressentimentos de lado a lado…

    Os EUA viram a oportunidade, mas a globo especialmente vem batendo no LULA e PT desde sempre…

  4. A elite não vai tomar providências contra a violência ao Lula

    As Otoridades competentes só tomariam provifdências imediatas se fosse uma bolinha de papel atirada no Zé $erra. Mas atiraqr balas no Lula, ah, ele faz por merecer.

  5. Sequestre-se o Abílio Diniz e culpe o PT

    Já ouviram falar na revoada das Galinhas Verdes?

    Temos que abater essas Galinhas Verdes tardias em pleno võo rasante, pois uma águai voa tão baixo quanto uma galinha mas uma galinha jamais voará tão alto quanto uma águia.

  6. A globo é quem manda?

    Quer dizer que ele informou à globo que estava sendo ameaçado? Não devia ser à polícia? E o adendo, já pedí providencia à carmen só confrima isso.

    Esquisito. 

  7. trata-se de um factóide,…

    … criado para contrabalançar as notícias do atentado à comitiva do Presidente Lula, … é sabido que no contexto do golpe, …”com supremo, … com tudo”, … o fachin é alinhado ao pessoal da república de curitiba…

    O objetivo desse factóide fantasiado de notícia, é relativizar a ameaça do nazismo bolsonarista contra a democracia e as instituições, que tem a cumplicidade das polícias nos estados…

    lembram-se do “grampo sem áudio”, … criado em parceira do então senador demóstenes e do ministro gilmar mendes ?

    factóides, …. factóides, …. factóides…

  8. Acho essa palhaçada do

    Acho essa palhaçada do Fachin, um desrespeito com a família do Min. Teori que foi assassinado pelos fascistas que, aliás, pressionam pelo voto contra Lula na Corte, ou seja, se tivessem que ameaçar/executar algum ministro e/ ou familiares não seria Se Fachin, lavajateiro de carteirinha. Mais respeito pelos que lutam, resistem ou, pelo menos, pela inteligência das pessoas, Seu Fachin.

     

    O país em guerra e, tem gente que ainda arruma um tempinho pra fazer palhaçada. Ou é muita falta de dignidade ou muita vontade de aparecer num dia em que os atentados a vida do “réu como outro qq do STF”, é que são notícia.

    De qq forma, segundo Alckmin, que faz parte do grupo do min. Fachin, se ele ou qq dos familiares for alvejado, estará colhendo o que plantou e os assassinos receberão discursos calorosos de apoio da senadora, Ana Amélia, tb, do mesmo grupo. Além disso, O parceiro Jungmann já comunica que a PF não vai investigar, ou seja, se vira.

    Pelamor, Min. Fachin, convida o Min. Barroso pra jogar um biribinha e, descansa pro espetáculo do dia 04 pq aqui fora a coisa tá bem complicada.

  9. Nossas vozes estão sendo sufocadas

    O problema é que o campo progressista não tem peso nas instituições. Lula mesmo teve que governar fazendo concessões à velha oligarquia, uma parte dessa colocando dificuldades em seu caminho. Precisamos de contrapesos nos postos chaves, que hoje são dominados pela mentalidade ora da velha oligarquia ora dos neo-moralistas, como o pessoal do MPF.

  10. O mesmo de sempre

    O mesmo blablablá de sempre.

    A direita má, cruel, fascista e a esquerda do bem, democrática e mais humana.

    Sempre o mesmo lixo propagado por fascistas de esquerda (já que o fascismo é um posicionamento que não adota uma ideologia), pois serve para fomentar um ódio, típico do que ocorria na Itália e na Alemanha na década de 20 e 30.

    Logo, somos um país de fascistas, tanto na esquerda e na direita, ainda mais quando usam de referência um governante que era simpático ao governo italiano (Getúlio Vargas), pintado como esquerdista por imbecis que desconhecem a história.

    Este é o país da ilusão, da mentira, da hipocrisia e da intolerância.

    O pior do Brasil é o brasileiro.

      1. O Getúlio de sempre

        O mesmo Getúlio que a esquerda idolatra, que foi um ditador que perseguiu opositores, entre eles comunistas.

        Que coisa não?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador