A pimenta e os olhos azuis de Miriam Leitão, por Sergio Saraiva

Não pretendia tratar do assunto da “agressão de petistas a Miriam Leitão”. Desde o início, pareceu-me algo como a tal “agressão de moças pretas à moça branca que usava turbante afro”.

Miriam

A pimenta e os olhos azuis de Miriam Leitão

por Sergio Saraiva

E talvez, melhor, pelo tempo decorrido entre o fato e sua denúncia e pelos desmentidos de terceiros que presenciaram ocorrido, pareceu-me com aquela história mal contada do ministro Gilmar Mendes em relação a uma ameaça feita a ele por Lula no apartamento de Nelson Jobim.

Porém, dada a repercussão na imprensa, em solidariedade a Miriam, não vejo como não me posicionar.

Primeiro, achei um absurdo os posicionamentos de Merval Pereira, no Globo, e Vera Magalhães, na Folha. Ambos acabaram, em seus textos sobre o assunto, por responsabilizar a própria Miriam pela agressão sofrida. Culpabilizaram a vítima.

Merval Pereira em ”Que país é esse?”:

“A agressão à jornalista Miriam Leitão em um voo Brasília-Rio, por todas as formas inaceitável, é um sintoma dos ânimos exaltados, mas também reflexo do estilo agressivo de fazer jornalismo que a Globo levou adiante no país nos últimos 12 anos. Quem não é amigo é inimigo, e qualquer um pode ser amigo, desde que aceite a hegemonia global. Uns mais iguais que os outros”.

Vera Magalhães em ”Começar de novo”:

“Miriam Leitão e O Globo podem evocar Lula, os petistas, os bolivarianos ou uma combinação desses inimigos de sempre, mas o lamentável ataque de que foi vítima a jornalista no voo da Avianca deveria ser compreendido pelo jornal como um sinal inequívoco de seu divórcio com os leitores da capital e da antiga capital do pais”.

Segundo, pior ainda foi o posicionamento de Rogério Gentile em seu texto ”Síndrome do avião cheio”.

Leia também:  Medidas econômicas por coronavírus levam a golpe de Estado, por Pedro Serrano

Aqui, Gentile naturaliza a agressão:

“Miriam Leitão foi constrangida recentemente em um avião. Outros jornalista da Globo têm ouvido “o povo não é bobo, fora a Rede Globo” durante transmissões ao vivo. Miriam teve de engolir um discurso irônico durante voo de Brasília ao Rio de Janeiro. Todas essas situações são chatas e desagradáveis. Refletem também certa falta de noção e de educação. Mas, ao contrário do que têm dito alguns globais, que costumam chamá-los de “ilegítimos” e “fascistas”, protestos desse tipo fazem, sim, parte da democracia, assim como os aplausos e elogios. Somente em regimes democráticos, figuras públicas podem ser questionadas na lata, cara a cara, sem que o autor seja punido”.

Quando o que Miriam sofreu pode ser considerado um protesto? Foi a pessoa dela quem foi agredida, não a empresa a que ela de alguma maneira representa. Há uma enorme diferença entre as duas entidades. Miriam é uma pessoa – não pode ser agredida. É um absurdo alegar o direito político de protestar para relativizar o direito universal à integridade física de uma pessoa.

Mas Gentile vai além e se escarnece da agressão sofrida por sua colega de trabalho:

“Os globais que, no entanto, não querem correr o risco de enfrentar cenas explícitas de insatisfação não precisam, de modo algum, se abster de sair de casa. Como ensinam os artistas, jogadores de futebol e celebridades “BBBs”, gorro, peruca e óculos escuros são extremamente úteis para quem não deseja ser reconhecido em local público”.

Anos atrás, foram os petista os agredidos. Poderiam agora lembrar os Evangelhos: ”… porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão”. Lucas 6:38.

Leia também:  Por quem as panelas batem, por Cleiton Leite Coutinho

Mas não foi essa a atitude adotada pela presidente do PT. Ainda que, ao fim, os petistas nada tenham a ver com as agressões à Miriam Leitão, ainda que sequer elas tenham acontecido da maneira que foi narrada pela própria, melhor assim.

Como aqui foi dito em ”Um elogio à agressão”: os textos de Merval, Vera e Gentile são erros. Erros que transformam seus autores em tolos a serviço do mal.

O ovo da serpente necessita de tolos que o choquem.

PS: Oficina de Concertos Gerais e Poesia: “verba volant, scripta manent”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

12 comentários

  1. Uma opinião particular sobre o caso Mirian Leitão.

    Coloquei minha opinião sobre o assunto Mirian Leitão no post sobre o assunto do Ion de Andrade e reposto aqui. 

    Uma opinião particular para o caso Mirian Leitão.

    O caso Mirian Leitão nos aponta ao jogo de sempre: colar a imagem dos petistas como vândalos, arruaceiros, bolivarianos, antidemocráticos, justamente em um momento de descrédito crescente da Globo, diante do apoio ao Golpe e a promessa de ser o Golpe a Salvação do Brasil.

    Quando Mirian Leitão cria este cenário noticioso dela mesma, ela mesma ou por ordem superior, onde os petistas são o alvo, ela ou quem mandou quer dar uma sobrevida a tudo o que está dando errado no País e ao caos de Temer & Cia.

    Impedir o fim do Golpe via Diretas-Já ou anulação do impeachment (remota possibilidade), e dar respaldo às indiretas.

    É colocar na berlinda que se o PT voltar ao Poder são irresponsáveis em todos os sentidos que irão voltar.

    Então, que seja qualquer um menos os petistas e as esquerdas no pós-Temer.

    Se eu dou a corda para me enforcar a Mirian Leitão puxa a corda sem nenhum pudor. Afinal, ela já não mais age dentro de nenhum republicanismo e age sem nenhum sentido de ética ou respeito ao adversário ideológico, que para ela é inimigo e não adversário. Ela já faz parte da sociedade doentia e sem limites que no Brasil cresceu com o Mensalão e a Lava-Jato.

    Imaginemos que a vítima da mentira: o PT, representado na invenção da Jornalista da Globo pela militância partidária, foi quem acabou por colocar na testa dos militantes petistas os adjetivos sonhados pela Mirian e quem ela representa, afinal, se desculparam de uma mentira e as desculpas sobre o fato mentiroso correm o Brasil, não que o fato é mentira e nem os vários desmentidos para o fato, desmentidos que ficam/ficarão restritos aos blogs e alguns portais progressistas e redes sociais, no círculo fechado das esquerdas, prioritariamente.

    A pressa é inimiga da perfeição, diz o ditado, e é precisa neste caso.

    Uma informação simples de ser combatida deveria ser checada e já dado de prima que é mentira.

    E não ter dado a chance de as desculpas serem a notícia, ao invés de ser valorizado que estamos diante uma não-notícia, uma pós-verdade apenas, ou seja, um fato inventado.

    Bem sabemos.

    Se a verdade pudesse ser exprimida na velha mídia e na Globo, o fato mentiroso sequer existiria.

    O fato mentiroso cresceu, também, porque, nós da esquerda, quisemos dar uma de bons-moços e éticos, mostrar como deve ser a postura de uma pessoa honesta, democrática e republicana e saímos pela porta do imediato e da necessidade de dizer: – eu não faço assim! – Não me representa quem fez!

    Quem não deve não teme, outro ditado justo, que caberia aqui. Nós não precisamos dizer que somos honestos e republicanos e democráticos, as ações falam por si. E tinha, no nosso meio social, esquerdistas preocupados em externar o que é intrínseco do caráter de um sujeito de esquerda autêntico.

    Se fosse o caso de Lula, que a direita jurídico-midiática mente sobre sua pessoa, sempre se precisa combater a mentira e reestabelecer a honestidade dele; quem não é perseguido por este conluio não precisa.

    Desde o episódio do Mensalão em que as esquerdas partidárias não fizeram a defesa de seus líderes: Genoíno e Dirceu, a situação de não defender a esquerda violentada diariamente na velha mídia e no Judiciário aumentou.

    – Não é comigo, deixa para lá! – Eu sou honesto!

    E a direita/ extrema-direita jurídico-midiática nem ai para isto se aproveitou para continuar por este caminho de difamação sem medo e pudor, porque, como, boa parte da esquerda partidária, queria, apenas salvar cada um a sua pele e a sua honestidade, o Golpe vingou e a Presidenta honesta virou a Presidenta corrupta para a opinião pública midiotizada.

    No fim de tudo o intento da Mirian Leitão se dá com força, diz sem provar, a gente sem checar confirma. E era este o objetivo traçado. As condolências com quem não queria mais do que nos ferrar.

    Checando antes, a gente terminava em poucas horas a discussão, e esta era fácil, tinha muita gente no avião do lado nosso e do lado da verdade (não só militantes), estas pessoas mereceriam, de prontidão, ser procuradas e entrevistadas, e em se restabelecendo a verdade, se soltaria uma nota reprimindo a mentira e não se veria o desmerecimento à nossa militância aguerrida de esquerda, que foi gravada nela, de forma proposital pela Jornalista, adjetivos pejorativos e negativos que não condizem com a realidade da quase totalidade da militância petista.

    O fato relatado foi em um ambiente privado, não é programa de auditório da Globonews, onde a Mirian Leitão noticia o que quer, o que mandam, fala e comenta o que quer e entrevista quem quiser ou mandam, quase sempre, sem mínimo contraditório. E contraditório tinha em profusão. Era a palavra dela contra a de dezenas, ao menos, de pessoas.

    Fica como lição:

    Coloquemo-nos no lugar da militância petista ao invés de tomar as dores da Mirian Leitão por uma não-notícia (fato inventado) no Jornalismo de guerra da pós-verdade da Rede Globo & velha mídia.

    Quem deve ser valorizado? Quem deve ser primeiro ouvido?

    Aprendamos a não ter pressa da próxima vez.

  2. Como Era Gostoso Meu Frances

    Comentei no post do Fabio sobre o Microm frances e ao ler esse artigo dizendo que o povo deve sofrer todas as agressões, roubos, fascismos educada e civilizadamente, se possivel fazendo um acordo com os de sempre, lembrei de outro filme que, acredito eu, caracteriza muito bem o povo brasileiro (otimo filme nacional por acaso): Como Era Gostoso Meu Frances.

    No caso quem esta sendo comido ou literalmente fudido somos nós brasileiros. E ainda devemos sorrir e agradecer.

  3. O ASSEDIO VAI CONTINUAR POIS A GLOBO NÁO VAI MUDAR

    MANCHETE (ESCOLHIDA A DEDO) DE O GLOBO

    Brasil
    Joesley: ‘Lula e PT institucionalizaram a corrupção’
    Em entrevista à ‘Época’, empresário diz que o ex-ministro Guido Mantega era seu interlocutor no partido para negócios e propinas

    MANCHETE (VERDADEIRA) DE CAPA DA EPOCA

    Política
    Joesley Batista: “Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil”
    Em entrevista exclusiva a ÉPOCA, o empresário diz que o presidente não tinha “cerimônia” para pedir dinheiro e que Eduardo Cunha cobrava propina em nome de Temer
     

  4. Pêlo em ovo

    Parem de procurar pêlo em ovo… já está ficando chato… Ninguém defendeu a Dilma das agressões dessa maneira que estão defendendo a leitão

  5. Mentira Leitão

    Sinceridade.

    Assunto de M…, todos com QI de 50 sabe que essa noticia é mentira, fica dando moral para essa?

    Só existe uma coisa pior que facista, e empresário brasileiro, é um ex comunista.

  6. Entrevista da globo
    Fui entrevistado por um jornalista da globo enquanto estava na fila pra renovar o título de eleitor

    As perguntas eram altamente direcionadas a culpar o governo (do PT) pela fila. Respondi que a culpa era minha mesmo, por ter deixado pro ultimo dia. A jornalista insistiu, e eu reforcei que brasileiro gosta de deixar pra ultima hora. Ela saiu e… A entrevista não foi ao ar.

  7. Vergonha na cara

    Quanta gente sem-caráter esse maldito golpe está a des-mascarar.

    Algum verniz que porventura tivessem a cobrir-lhes a cara, de tão fina a camada, derreteu, evaporou; e tão feias e pavorosas são todas essas almas pútridas e fétidas.

    O Brasil não resistiu aos poucos e raros anos de luz e revelou o que sempre foi.

     

     

  8. E se um petista dissesse que teria que romper no procedimento?

    Imagina se um petista desejasse à Miriam Leitão o que um Açougueiro/Médico Coxinha desejou para a Sra. Marisa:

    “Esses fdp vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela”?

    Cairia uma banda do mundo.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome