Bem-vindo à era Fagin, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Quanto pode ser lucrado preservando uma floresta? Quanto dinheiro passou pela City e se alimentou da devastação da Amazônia?

Bem-vindo à era Fagin

por Fábio de Oliveira Ribeiro

Uma das consequências da entrada em vigor do Brexit será a amplificação do conflito político entre  a Irlanda do Norte e a Irlanda. O estremecimento das relações entre a Escócia e a Inglaterra são visíveis, pois os escoceses preferem ficar na União Europeia. Até em Wales já existe um movimento em favor da independência em relação ao Reino Unido. Entretanto, existe algo que não foi e não será objeto de questionamento: a autonomia da City de Londres.
O poder privatizado da City de Londres é absoluto e não está sujeito ao controle das autoridades públicas. Ele pode conviver com um Reino unido ou desunido, com o poder político centralizado ou descentralizado. A preservação da paz ou o início de uma guerra civil não devem afetar o fluxo financeiro. Na City o cálculo da maximização do lucro supera qualquer consideração sobre a melhor organização política do Reino Unido.
Não há questão nacional ou internacional que prejudique os interesses da City de Londres. Eles são regidos apenas pelas relações financeiras. Se o fluxo financeiro conseguir se impor à política, a questão do nacionalismo ou do internacionalismo também passa a ser secundária, assim como a preservação da Natureza.
Quanto pode ser lucrado preservando uma floresta? Quanto dinheiro passou pela City e se alimentou da devastação da Amazônia?
Em 2012, o governo inglês impediu a entrega de armas russas à Síria ao convencer uma seguradora da City a revogar o seguro de carga (um exemplo típico de como as finanças podem apoiar uma decisão política). Alguém já viu as finanças punirem a devastação de florestas no Brasil, Canadá ou Indonésia?
Quando alguém escrever uma história dickensoniana fictícia dos últimos 50 anos da política inglesa, Margaret Thatcher será considerada responsável por elevar Fagin de vilão desagradável à modelo de agente financeiro da City de Londres. Boris Johnson é uma personificação moderna do Sr. Bumble.
Fagin é o respeitável banqueiro que explora o endividamento dos países desenvolvidos enquanto governantes neoliberais deixam crianças pobres passarem fome e aprisionam crianças imigrantes. Ele também é o único herói dos Bancos que destroem as economias nacionais para impor o neoliberalismo, minando a soberania popular nos países subdesenvolvidos.
Bem-vindo à era neoliberal Fagin. Aprendam crianças tolas como funciona a verdadeira “mão invisível” do mercado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora