Da hipocrisia e covardia inomináveis do nosso Judiciário, em mais um dia em que emporcalharam o nosso país, por Eduardo Ramos

As pessoas não compreendem que há EXCEÇÕES QUE NÃO PODEM SER ABERTAS, pois emporcalham a nação, a civilidade, o Direito, a Democracia.

Da hipocrisia e covardia inomináveis do nosso Judiciário, em mais um dia em que emporcalharam o nosso país, por Eduardo Ramos

Como brasileiro, me sinto envergonhado (como poucas vezes me senti na vida…) pela divulgação da reunião ministerial. A decisão de Celso de Melo, pra mim não tem nada a ver com o Direito, ou democracia, mas soa como um revide ao fato de terem sido chamados, os ministros do STF, de “vagabundos”, pelo ministro da Educação. Viramos o país em que o Judiciário, de modo subjetivo, decide o que o povo deve ou não tomar conhecimento, de falas que se presumiam sigilosas. Não vejo diferença, em termos de absurdo e insanidade, na liberação da gravação de Dilma e Lula e dessa reunião ministerial. Sinto como um gesto covarde, um gesto de força, por parte do Judiciário. No fundo, é Sérgio Moro impondo ao país, mais uma vez, seus objetivos pessoais, seus desejos de vingança, seus ódios…… Celso de Melo se rebaixou a seguir o exemplo baixo, mesquinho, criminoso de Moro.

Um juiz soltou a gravação de uma presidente, agora, um ministro do STF solta uma reunião ministerial, cabe uma pergunta: POR QUE O POVO NÃO PODE TER ACESSO ÀS REUNIÕES SIGILOSAS ONDE O JUDICIÁRIO REVELA SUAS PODRIDÕES e opiniões pessoais sobre os outros poderes?

As pessoas não compreendem que há EXCEÇÕES QUE NÃO PODEM SER ABERTAS, pois emporcalham a nação, a civilidade, o Direito, a Democracia.

Ontem foi com Dilma, Lula, família de Lula, hoje, com Bolsonaro, e amanhã, se Moro e Globo quiserem derrubar outro presidente eleito?

Leia também:  Por uma educação livre dos fantasmas do passado e dos demônios evangélicos, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Ora, fosse decente e digno, esse mesmo Judiciário teria punido Moro exemplarmente e freado a Lava Jato, fosse decente e digno, esse mesmo Judiciário anularia as eleições pelo escândalo das Fake News, fica fácil agirem apenas quando o ambiente social é desfavorável ao presidente do momento, o nome disso é FARSA E COVARDIA, hipocrisia, oportunismo!

Sou radicalmente contra que o Judicário possa A SEU BEL PRAZER, escolher quais telefonemas e/ou reuniões ministeriais divulgar, é uma atitude torpe, vergonhosa que só nos humilha enquanto nação civilizada, é dar um poder discricionário absoluto e altamente manipulador a um dos poderes contra os outros.

Sinto-me envergonhado enquanto brasileiro. Quero que Bolsonaro caia pelos motivos e métodos corretos, DENTRO DA LEI, não com o uso de métodos e ações escusos e criminosos.

É o Judiciário brasileiro, Moro à frente mais uma vez, emporcalhando o Brasil diante do mundo…

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora