De um cientista para um crente: Uma resposta a Silas Malafaia, por Eduardo Borges

De um cientista para um crente: Uma resposta a Silas Malafaia

por Eduardo Borges

Escrevo esse texto com certo atraso, pois o fato que me motivou a escrevê-lo aconteceu no meio da semana passada. Contudo, o tema em questão é tão pertinente e necessário que é atemporal. Em tempos de profundo obscurantismo intelectual que estamos vivenciando, se torna, inclusive, necessário. Refiro-me ao comentário do  Pastor Silas Malafaia sobre a fala do ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, respondendo a uma declaração de outra ministra do governo Bolsonaro, Damares Alves.

De acordo com a ministra Damares a Igreja Evangélica perdeu o espaço na história e na ciência quando a teoria da evolução entrou na escola sem ser devidamente questionada. O ministro Marcos Pontes fez o que se espera de um gestor responsável pela ciência do país, disse ele: “Não se deve misturar ciência com religião”.

O Pastor Silas Malafaia, que vem nos últimos anos se credenciando a comentador mor do País, não perdeu tempo e respondeu ao ministro, através de suas redes sociais, com toda “suavidade” que lhe é peculiar. Longe de querer polemizar ou desrespeitar o citado líder religioso, quero apenas usar seus comentários para fazer algumas ponderações sobre a relação entre ciência e religião em tempos bolsonaristas.

Escreveu Malafaia: “Se a teoria da evolução fosse verdade comprovada, se chamaria lei da evolução. As leis da ciência são verdades comprovadas que não mudam. As teorias são verdades relativas q podem mudar a qualquer hora”.

O Pastor já demonstra, de saída, um olhar no mínimo enviesado do que é ciência e do que é uma suposta “verdade científica”. Se tivesse ele feito uma rápida leitura de Karl Popper veria que “a ciência jamais persegue o objetivo ilusório de tornar finais ou mesmo prováveis suas respostas. Ela avança, antes, rumo a um objetivo remoto e, não obstante, atingível: o de sempre descobrir problemas novos, mais profundos e mais gerais, e de sujeitar suas respostas, sempre provisórias, a testes sempre renovados e sempre mais rigorosos”.

Malafaia não compreende que diferente de uma “comprovação” religiosa que necessita apenas de fé para ser considerada verdade, uma “verdade” científica pode ser resultado apenas de indícios, de conjecturas, ainda que sempre tendo como premissa básica cálculos e experimentos.

O Pastor afirma que  “Se a criação é uma teoria, a da evolução é pior ainda. Existem mais evidência na natureza para a criação do que para a evolução. Submeta as 2 as seguintes leis e você verá. As leis da biogêneses, causa e efeito,1ª e2ª lei da termodinâmica.O RESTO É CONVERSA!”. A caixa alta no final é apenas um registro da conhecida empáfia do religioso.

Leia também:  Com 168 mil mortes, Bolsonaro afirma ao G-20 que estava "certo" no combate à pandemia

Para Malafaia, recebeu o nome de “Lei” é uma verdade absoluta e pode ser considerada ciência, mas se foi chamada de “teoria”, então é algo a ser relativizado enquanto ciência, pois pode até mesmo ser confundido com crença e fé. Nesse caso, o que teria sido um certo Albert Eistein e sua “teoria da relatividade”, um dos maiores cientistas de todos os tempos ou um competente  proselitista que convenceu muitos para sua causa?

Quando diz que “Existem mais evidência na natureza para a criação do que para a evolução”, o famoso Pastor deve estar pensando na lei da biogênese que afirma que todos os seres vivos são originados de outros seres vivos preexistentes. Desconheço o fato de que Louis Pasteur estivesse interessado em comprovar ou explicar o surgimento do primeiro ser vivo, a biogênese vem para desconstruir a abiogênese e demonstrar a origem da vida a partir de outro ser vivo. Apenas isso, sem kkkkk (você vai entender isso no parágrafo seguinte)

Malafaia insiste em vincular a teoria da evolução a uma crença religiosa e afirma: “A teoria da evolução tem mais de religião do que de ciência, como não tem comprovação, você precisa acreditar nela, com um detalhe, tem que ter mais fé do acreditar na criação. Tudo veio do nada, passou por processos que ninguém sabe. Só kkkkk”.(Como é óbvio e hilário esse Silas).

Insisto na leitura de Karl Popper que o Pastor certamente não terá interesse em fazer. Silas não entende o sentido do termo “comprovação” dentro de uma investigação científica. A crença do cientista não vem de uma abstração como ocorre com a crença religiosa. A “crença” de um cientista é sempre resultante de uma exaustiva pesquisa e experimentação. Retornando a Karl Popper, ele nos ensinou que devemos ter o “reconhecimento de que as nossas teorias, mesmo as mais importantes, e até as que são realmente verdadeiras, nunca deixam de ser suposições ou conjecturas”. Mas, ainda assim, isso não faz de nossas teorias científicas “crenças religiosas”.

Existe, entretanto, uma falsa polêmica entre evolucionistas e criacionistas no que diz respeito à lei da Biogênese. Mesmo que essa lei afirme de que um ser vivo só pode ser originado de outro ser vivo, o que realmente interessa para os evolucionistas é a evolução dos seres vivos, independente de como se deu sua origem primária. Acredito que o Pastor Malafaia, na ânsia de provocar uma boa polêmica, não tenha pensado nisso.

Para os que acreditam (como Silas Malafaia) na teoria do criacionismo não é necessário comprovação científica, basta fazer um simples exercício de raciocínio básico tipo: não é possível que tudo tenha vindo do nada, é necessário que tenha existido uma origem para tudo e isso só pode ter sido Deus. Mas se Deus é a origem de tudo, é aquele que antecede o nada, quem criou Deus? Como diria Malafaia: Só kkkkk.

A famosa teoria do Bin Bang que explica a formação do universo através de uma grande explosão, parte da premissa de que toda a matéria do universo estava comprimida em algum lugar e que a explosão do Big Bang apenas descomprimiu essa matéria concentrada. Certamente que os criacionistas vão perguntar: De onde surgiu essa primeira matéria comprimida?

O  físico americano Alan Guth buscou explicar em seu livro intitulado: “O universo inflacionário”, usando da física quântica, essa questão da origem primordial, identificando o “nada” como o lugar de toda a origem do universo. Tudo teria emergido de um vazio que ao se expandir em grande velocidade seria depois fragmentado pelo Big Bang. Uma dica para quem quiser se aprofundar sobre o tema é buscar o significado de “vazio” para a física quântica.

Sobre a questão da origem da vida, de acordo com a teoria criacionista somos todos resultantes da criação de um Ser Supremo que nos fez à sua imagem e semelhança. Malafaia e Cia acreditam nisso e isso é um direito inalienável deles. Por outro lado, a ciência, ao não se satisfazer com explicações resultantes exclusivamente de uma vontade de fé, tem suas teorias, mesmo que suas “verdades” estejam abertas para serem contestadas ou falseadas.

A mais famosa dessas teorias é conhecida como: “sopa primordial”. Possivelmente, em uma poça de água teria ocorrido uma série de reações químicas sobre substâncias como amônia, metano e agua, resultante de correntes elétricas de tempestades ou de radiação solar que culminaria na formação de moléculas simples que resultaria na origem da primeira experiência de vida na terra.

Veja bem Malafaia, isso é uma teoria científica, logo, como tal, pode ser contestada livremente. Entretanto, para ser contestada, é necessário que se apresente outra teoria com base em conjecturas e experimentos científicos, nunca uma teoria eivada de subjetivismos.

É por isso Pastor Silas e Ministra Pastora Damares, que essa teoria deve estar na sala de aula, porque ela pode ser sempre apresentada como uma hipótese, nunca como uma verdade absoluta.

E é por motivo diferente, que o criacionismo pode e deve estar na Igreja ou na família, nunca na escola, pois em sentido oposto, como é fruto de uma crença, não pode ser contestada nem desconstruída.

Enfim, defendendo o ministro Marcos Pontes, o que ele quis dizer se resume na famosa frase atribuída a Jesus Cristo, “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. Diferente do senhor Silas Malafaia, o ministro, ao separar ciência de religião, apenas demonstrou seu profundo respeito por ambas, mas como se diz por aí, deixando claro que cada um deve ficar no seu quadrado.

Leia também:  Quanto que vale manipular as eleições num grande país?, por Rogério Maestri

Eduardo Borges – Doutor em História

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

20 comentários

  1. Tempos Obscuros

    Tempos Obscuros, são quando as palavras de um Malafaia sobre ciencia ganham proeminência. Isto parece surreal, anos atrás este senhor estaria cuidando de seu templo e contando seus dinheiros.

  2. De dinheiro Malafraia entende
    Na Biblia um mandamento diz “não roubaras” ai Malafraia diz “seu pastor está roubando, não se mete nisso não”, já que isso poderia citar dúvidas sobre as propinas, digo, doações dadas por corruptores notórios na igreja dele

    Quando jesus disse “dai a cesar o que é de cesar” era sobre crentes pagarem impostos, em nenhum lugar diz que jesus benzia dinheiro. Se ele tornava agua em vinho e multiplicava pão e peixe, por que sustentar pastores?? Obrem milagres pra sustentarem suas vidas de luxo ora bolas

    Certo estava Epicuro em seu paradoxo :

    Enquanto onisciente e onipotente, tem conhecimento de todo o mal e poder para acabar com ele. Mas não o faz. Então não é onibenevolente.

    Enquanto omnipotente e onibenevolente, então tem poder para extinguir o mal e quer fazê-lo, pois é bom. Mas não o faz, pois não sabe o quanto mal existe e onde o mal está. Então ele não é omnisciente.

    Enquanto omnisciente e omnibenevolente, então sabe de todo o mal que existe e quer mudá-lo. Mas não o faz, pois não é capaz. Então ele não é omnipotente

    Então por que lhe chamamos Deus?

    • Onisciência, Onipotência …

      Por que ninguém repete a verdade e se compraz com a ilusão e a mentira(?)

      Porque ninguém repete Epicuro se ele diz a verdade?

      Porque o onipotente,onisciente, onipresente e onibenevolente, embora se autodesigne tudo isso, só tem o dom de iludir.

      Ele tira o que você tem para te vender bem caro: a liberddade, a vida, o amor, o raciocínio, a paz, a harmonia…

      Ele exige devoção absoluta apenas pela graça de existir para quem acredita nele.

      Ele se fortalece com a força de quem tem fé.

      Ele é o poder que você lhe dá.

      A ele, só os agradecimentos, a glória, o reconhecimento, a fidelidade a servidão e o temor.

      O Sócio perfeito, ele é o cara que recebe o crédito por tudo de bom que você conquista e te culpa por toda a desgraça que lhe acomete.

      Ele estabelece os limites da sua sobrevivência, e esse limite é NÃO PENSAR.

      Quem pensa contesta, duvida, pesquisa e descobre.

      As recompensas virão aos devotados escravos que mais acéfalos puderem conquistar e manter.

      Por isso pastores, sacerdotes, xamãs, sheikes, rabinos, lamas….etc…

      Ser deus dá trabalho. Tem que estar sempre alerta com os infiéis.

       

  3. Família, GALINHA, Bolsonaro, Cachorro, gato, Malafaia, etc…

    Família

    (Titãs)

     

    Família
    Família, família
    Papai, mamãe, titia
    Família, família Almoça junto todo dia
    Nunca perde essa mania
    Mas quando a filha quer fugir de casa
    Precisa descolar um ganha pão
    Filha de família se não casa
    Papai, mamãe não dão nenhum tostãoFamília ê
    Família A Vovô, vovó, sobrinha
    Família, família
    Janta junto todo dia
    Nunca perde essa mania
    Mas quando o bebê fica doente
    Procura uma farmácia de plantão
    O choro do bebê é estridente
    Assim não dá pra ver televisão Família ê
    Família êFamília
    Família, família Cachorro, gato, galinha
    Família, família
    Vive junto todo dia
    Nunca perde essa mania
    A mãe morre de medo de barata
    O pai vive com medo de ladrão
    Jogaram inseticida pela casa
    Botaram um cadeado no portão Família ê
    Família ê

     

  4. Na boa mano… no caso do

    Na boa mano… no caso do Malafaia a resposta não precisa ser muito sofisticada. Primeiro porque ele não é capaz de ler a béééébria em Grego ou em Latin. Segundo, porque ele não consegue nem mesmo identificar na passagem da bééébria que se refere a morte de João Batista a cópia vulgar de uma história muito mais antiga narrada por Tito Lívio.

  5. Nassif;
    Será que todos estes

    Nassif;

    Será que todos estes fundamentalistas que são os fundamentos deste desgoverno, não teem a sensibilidade cristã para priorizar as carências que a população mais pobre voltou a viver, ao invés de gastarem os nossos recursos e tempo para fazerem proselitismo barato e inócuo ?

    Basta de hipocrisia burra!!!

    Genaro

  6. Lei ou teoria
    Nessa intervenção desse pseudo pastor, o mesmo deveria exemplificar sobre porquê dele dividir seus colaboradores em bronze, prata e ouro e acho que tbm platina (aqui ñ tenho certeza).
    Essa esdrúxula categorização que leva em conta o montante de bufunfa ou verdinhas ou simplesmente dinheiro, que o idiota lhe destina por mês estaria baseada em alguma lei divina ou se elaborou uma teoria para iludir incautos, que mediante premiações literárias, se deixam enganar mais facilmente??

  7. Se me permite um pitaco
    A bem da verdade, aproveitando a passagem bíblica, veio a propósito o ” dar a César o que é de César”. Ou alguém acredita que ele está interessado nas coisas de Deus?

  8. Darwin e Lamarck.

    A teoria de Darwin (evolução das espécies) foi revolucionária. Mas para deixar uma brecha onde se abrigassem os interesses comerciais-religiosos da época, incluiu a tal de “mutação genética aleatória”. Sem explicação da sua origem ou do seu sentido. Os crentes poderiam atribuir a tal mutação aleatória a alguma divindade, mais especificamente à poderosa (não por ela mesma, mas pelos seus vendedores) divindidade judaico-cristã.

    Os cientistas fingem não perceber a enorme incongluência que existe entre “evolução” e “mutação aleatória”. Evolução combina com Lamarck, que a explica pela adaptação dos organismos a condições do ambiente, ficando essa informação impressa nos organismos genéticos do indivíduo. O que Jung classifica como “inconsciente coletivo” nada mais é do que a impressão imprecisa, nos neurônios de um ser humano, dos acontecimentos traumáticos que ele viveu. Essa impressão, altamente imprecisa, é imediatamente transmitida aos semens e óvulos, e passam à geração seguinte na forma de sonhos estranhos, inexplicáveis.

    Isto ocorre também nos animais. Se uma cadela entra no cio, as informações imprecisas dos seus neurônios a manda procurar algum macho que a cubra com movimentos de vai-e-vem. No macho, informação que manda fazer vai-e-vem sobre uma fêmea. Essas duas informações estão misturadas nos neurônios. Assim, se uma cadela não acha no ambiente um macho que a cubra, tenta a segunda informação, cobrir em vez de ser coberta. E aí a cadela, como se pode ver frequentemente, tenta cobrir outra cadela.

  9. Jesus anunciava um reino de

    Jesus anunciava um reino de justiça e que estava dentro de cada um. Jesus não fez proselitismo tendo como prática a pregação do medo, vendo em tudo a presença do diabo ou inimigo. Jesus foi claro: se vos amardes uns aos outros nisso todos saberão que sois meus discípulos. Discípulo de Jesus não condena ninguém sem provas. Discípulos de Jesus não espalha mentiras e ódio via whatssap para se chegar ao poder. Discípulo de Jesus tem compaixão daqueles que se tornaram bandidos por exclusão de uma parte da sociedade que carrega dentro de si o ódio e a mentira. Jesus nos orientou ao dizer que os filhos das trevas são mais espertos do que os filhos da luz… é bom termos cuidado com os falsos profetas que desfrutam de luxo e riquezas… “As raposas têm suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. 

  10. Fé e convicção

    Numa conversa entre médicos, ouvi, de passagem, um deles dizer:

    A ignorância, mais que o saber, traz a convicção.

    Se com a ciência a busca pelo conhecimento não termina, para a fé, ela nem começa.

    Quem tem fé sabe tudo.

  11. Partindo do pensamento primário do mala falha…

    seria interessante perguntar ao dito cujo, se não houve evolução, porque nascemos pelados, sem saber nos comunicarmos, sem conhecer a roda, o fogo, a escrita. Depois de muitos milhares de anos começamos a evoluir não apenas como espécia, mas como seres humanos até chegarmos aqui; onde um boçal usa um smartphone para se eleger e outro usa o mesmo aparelho para difundir besteiras. Sendo então o ser humano fruto da criação divina, porque cargas dágua já não nos liberou a maçazinha desde o berço? Não aquela fruta de adão e eva, mas aquela dos Steve.

  12. apelou

    O autor do texto apelou: pedir para o rapaz ler Popper é demais… A capacidade cognitiva do rapaz é movida a esperteza e menos à capacidade.

  13. Não existe teoria
    Há um grave erro em nomear o criacionismo como uma teoria. O uso do termo se liga a uma hipótese, conjectura ou suposição racional por uso do método científico. A teoria da evolução cumpre os requisitos, a outra não. Os que depositam fé num criador e numa criação, já possuem uma declaração atemporal, porém válida para os seus propósitos. Discutir o Design Inteligente já é outra coisa. Mas, isso é pra outro comentário.

  14. essa turma criacionista não

    essa turma criacionista não tem intereesse nenhum pélos desvalidos, pela

    política de inclusão social, pelo combate ao desemprego etc e tal?

  15. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome