Déjà vu: Eis o “novo herói” Sérgio Moro, por Eduardo Ramos

Bolsonaro será, provavelmente, defenestrado, mas, em seu lugar, eis o "novo herói", o "homem que teve a dignidade de sair e denunciar o monstro", Sérgio Moro!

Foto: Marcelo Cabral/ABr

…”Déjà vu”…

Por Eduardo Ramos

Termina a entrevista de Moro em que relata “seus motivos” para o pedido de demissão do cargo de Ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro. Há mais de uma hora, assistimos todos à Globo, endeusando Moro e “enumerando todos os crimes de Bolsonaro”… Quem vê, sem conhecer a podridão da emissora, até se comove com tanto civismo e patriotismo…. (sic…).

Minha tristeza é perceber entre uma multidão de amigos e familiares as perguntas óbvias, que ELES NÃO SE FAZEM:

1 – Moro está saindo por causa da demissão do Valeixo ou usou o episódio a seu favor, espertamente, por ser o álibi moral perfeito?

2 – Por que Moro, servindo ao Bolsonaro por dezesseis meses seguidos, jamais teve “um momento de indignação tão drástico”. Só agora, que o presidente já estava em processo de desmoronamento…?

3 – Onde está a honestidade de Moro quando fala sobre a “necessidade de independência” da Polícia Federal, sendo que o The Intercept provou que ele comandou as investigações da Lava Jato o tempo todo, dando ordens diretas aos delegados da Polícia Federal e ao seu “menino de recados” no MPF, o Dallagnoll? Nenhum agente público politizou mais as instituições do que Sérgio Moro, nos últimos 50 anos!

Por coisas assim, me veio a triste sensação de “Déjà vu”… Mais uma vez nossas classes médias serão usadas como uma espécie de “gado humano”. Bolsonaro será, provavelmente, defenestrado (o que é certamente necessário…), mas, em seu lugar, eis o “novo herói”, o “homem que teve a dignidade de sair e denunciar o monstro”, Sérgio Moro!

Leia também:  Com cinco trilhões de reais na gaveta, Bozo surta e baba, por Armando Coelho Neto

Pobre país, incapaz de ter cidadãos livres, pensantes, racionais, que vivam em cognição com a realidade. Globo e oligarquias farão a nação de marionete, mais uma vez.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora