É urgente um pacto de não agressão entre os candidatos da esquerda, por Leonardo Avritzer

É urgente um pacto de não agressão entre os candidatos da esquerda

por Leonardo Avritzer

Acho que vale a pena tentar uma interpretação dos dados das últimas pesquisas que mostram um crescimento do Bolsonaro e a estagnação do Haddad . Acho que têm dois fatores por trás do avanço do Bolsonaro. O primeiro deles, é uma certa antecipação do segundo turno na medida em que o Haddad cresceu e a campanha do Bolsonaro passou a ser atacada. Ao que parece o #elenão também teria tido um papel neste processo de antecipação do voto no Bolsonaro (desculpe minhas amigas feministas mas parece que houve este efeito).

Todos os que a princípio o apoiavam ou poderiam fazê-lo e estavam em outras candidaturas se movimentaram na direção dele para ancorar uma candidatura anti P.T. Se de um lado, isso fez com que a candidatura dele rompesse a marca dos 30% dos votos, eu acho que torna o segundo turno mais difícil para ele porque ele já conseguiu a maior parte dos votos fáceis. Vale a pena apontar que o Datafolha mostrou variação negativa da Marina, do Alckmin e do Amoedo. 

Ainda que estas variações estejam na margem de erro, todas elas vão na mesma direção e estes votos podem ter ido ao Bolsonaro. Acho que tem um segundo elemento importante: o apoio que o bispo Edir Macedo da igreja universal deu a ele no final de semana. Tem movimentações no apoio a ele difíceis de explicar como o crescimento do voto no Bolsonaro entre mulheres na região Nordeste que ganham até 1 salário mínimo. Acho que só o apoio da universal pode explicar isso.

Leia também:  Dodge enviou manifestações contra porte de armas antes de deixar a PGR

De outro lado, está ocorrendo na reta final o que muitos temiam. A concentração da pauleira no campo da esquerda. Se juntando à grande imprensa que não teve nem ao menos a dignidade de dar as manifestações do #ele não em primeira página no domingo. Todos bateram no Haddad, que também apanhou do Ciro e da Lava Jato com a liberação da delação requentada do Palloci.

De todas as formas, o fato é que o Haddad estagnou e ainda pior: os apoiadores do Bolsonaro estão ocupando as ruas das grandes capitais do país tentando criar uma onda a favor dele. É preciso urgentemente um pacto de não agressão entre os candidatos da esquerda ou então a esquerda chegará muito fraca ao segundo turno. O momento é de fazer o que o campo conservador fez na última semana, cerrar fileiras em torno do candidato mais viável.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

17 comentários

  1. Houve erro de marketing na

    Houve erro de marketing na campanha #EleNão, diz Ciro

              Ciro Gomes também disse hoje, segundo o Estadão, que a campanha #EleNão teve “um erro de posicionamento de marketing”.

    “O ato das mulheres foi a coisa mais linda que aconteceu. A política tem coisas que a gente só vê depois. Eu percebi só depois que quando demos a ideia de ‘ele não’ acabamos trazendo uma polarização que não ajuda nossa causa.”

    O candidato do PDT continuou:

            “Agora é hora de dizer sim. O erro foi de posicionamento de marketing. Não tem ele não na urna. Tem 12, 13, 18. Assumam o sim para o seu se não for para mim.”

  2. Fiquei estarrecida com o

    Fiquei estarrecida com o Paulo Henrique Amorim hoje, afirmando que foram o Moro e o Lula que colocaram o Bolsonaro onde está! Nunca mais vou ler o que esse jornalista escreve!  Será que mais uma vez a esquerda vai confirmar que só se une na cadeia e, na saída, briga para pegar o taxi… Se não houver união já, o risco da besta fera ser eleito no primeiro turno começa a ser real. E os brasileiros, classe média alienada principalmente, pagarão caro. Adeus Brasil. Passará a ser Brazil como a elite do atraso gosta e quer. 

    • Só faltou

      explicar porque você achou que o PHA está errado.

      Não está mais do que óbvio que a estratégia era arriscada?

      Não é óbvio que a população não é obrigada a dar um segundo cheque em branco pro Lula? Já deu uma pra Dilma e deu no que deu, por que daria de novo? (Li um relato aqui no blog mesmo de um comentarista que disse o seguinte: conversando com um eleitor do coiso, e ponderando que o melhor seria votar no Haddad, recebeu a seguinte resposta: se o Haddad ganhar e em um ano não mudar a economia, ele sofre outro impeachment. Mas com o capitão e um general, não fariam isso. E acrescentava: é muita humilhação outro impeachment, melhor votar nos militares e não correr esse risco. A pessoas raciocinam das maneiras mais loucas, mas nessa loucura sempre tem um fundo de verdade. Só a nossa arrogância não quer enxergar…)

      Ter esgarçado a eleição até o limite e transformado num plebiscito PT e AntiPT era a estratégia correta?

      Em que remoto rincão do universo mental dos BUROCRATAS petistas eles acharam que não se faria de tudo para impedir que eles ganhassem essa disputa depois de terem sido apeados do poder? Nesse sentido, foi um erro colossal misturar a questão da prisão do Lula com a eleição. (Na verdade, se é mesmo importante não deixar que ele mofe na cadeia, era preciso ter dado um passo atrás para dar dois à frente: abrir mão da cabeça de chapa, compor com as outras forças de esquerda, reconhecer que foi um erro se aliar aos golpistas por tanto tempo e propor um novo modelo de atuação no governo. Vencida a eleição, botar o judiciário na caixinha e aí, só aí, haveria esperança de ser feita justiçao ao ex-presidente (anulação do processo por vícios incontáveis). Imaginar que vai ganhar a eleição como cabeça de chapa e que vai ter condições políticas de fazer isso sozinho é mais do cegueira, é estupidez.)

      Mas não, o importante é brincar de ser dono da esquerda. Tô bem cansado e de saco cheio do PT (e  dos petistas cegos e enlouquecidos que não enxergam um plamo diante dos seus narizes) e olha que eu voto nesse partido há 27 anos…

      É possível ganhar do coiso no segundo turno, mas vamos correr um risco enorme, gigantesco, de ver o traste eleito pelo voto popular. Tudo , porque o PT nunca abre mão de sua hegemonia…

      • Continuam os Robôs com nome em “ingrés”

        Além do Whatever tem o Forrest e o “Collingwood”…..rs, rs, rs

        Ciro comprou um sofftware importado, que já trazia o nome dos robozinhos em “ingrés”.

      • Leonardo, meu candidato era o

        Leonardo, meu candidato era o Ciro Gomes. Não sou petista. O momento agora é de união e é nesse sentido que critico o Paulo Henrique Amorim. 

  3. Para existir tal pacto as

    Para existir tal pacto as candidaturas deveriam convergir para um e a escolha não seria difícil.

  4. Eles não tão nem aí pro #elenão

    Essa subida é fruto dos votos das mulheres evangélicas e pobres que migraram da Marina pro coiso.

    Já vi meme com a imagem do Lula e na testa dele #elenão…

    Embora muita gente tenha ido pra rua, é uma bolha, só tem classe média intelectualizada nesses eventos, povão não tem.

    Por que teve o golpe? Porque não tinha povo na rua, só a mesma claque de sempre.

    A estratégia é bater sem dó no coiso, chutar o balde, por uma lado, e por outro, falar de economia, grana, dinheiro no bolso, como pano de fundo pode ter as questões identitárias, mas o primordial é mostrar o desastre econômico que seria um governo ultraliberal do coiso pros pobres e pra classe média.

    • Concordo

      Esqueçam as questões de gênero, ditadura, fascismo.

      O foco na reta final tem que ser economia e classe média. A agenda econômica do Bozo será mais dura para o classe média que está sendo a de Temer.

      Fim do 13º (prefiro dizer, roubo), taxação exorbitante deIR para a classe média, gasolina nas alturas. Fim do SUS e de qualquer estrutura de proteção social. Aumento da violência. Cenário tipo Argentina ou Venezuela.

       

  5. Quem é antiPT vai votar no

    Quem é antiPT vai votar no Bolsonaro já no primeiro turno, é isso que está acontecendo. É o problema de tornar a eleição um plebiscito sobre PT ou AntiPT. Tomara que os indecisos votem. Pelo menos eles não são antiPT, pois caso contrário estariam com Bolsonaro. 

    Devia se ter concentrado forças em torno de Ciro Gomes. Essa é a verdade. Mas preferiu-se essa aposta. No meu entender se bateu mais em Ciro que o contrário, através da mídia de esquerda, tudo que Ciro fez foi travar uma campanha contra um oponente. Além disso, Ciro tem mais chances de vencer no 2o turno que o Haddad. Não parece que se queira derrotar o fascismo entreguismo pilantra do Bolsonaro. 

  6.  SE tiver segundo turno,

     SE tiver segundo turno, porque Boça está com números parecidos aos do Alckmin.

    O Brasileiro está apaixonado por Bolsonaro. Não enxerga os defeitos do seu amado !!! 

    As mulheres espancadas por seu marido um dia foram apaixonadas por ele e ignoraram suas tendências violentas.

  7.  SE tiver segundo turno,

     SE tiver segundo turno, porque Boça está com números parecidos aos do Alckmin.

    O Brasileiro está apaixonado por Bolsonaro. Não enxerga os defeitos do seu amado !!! 

    As mulheres espancadas por seu marido um dia foram apaixonadas por ele e ignoraram suas tendências violentas.

  8. A desarticulação das equerdas aprece uma questão menor

    O grande problema é que emergiu (no Datafolha e no Ibope) uma rejeição monstro da classe média ao PT, segundo a análise do Miguel do Rosário.

    https://www.ocafezinho.com/2018/10/03/analise-a-rejeicao-a-haddad-na-classe-media/

    Não sei analisar as causas. Tenho a impressão que as manifestações femininas do #EleNao irritaram profundamente o brasileiro médio, que é essencialmente racista e machista. Pra esses caras, pior que o PT só as mulheres – de fato – no poder, dando as cartas, decidindo o país.

    • MCM, acertou na mosca!
      O caso

      MCM, acertou na mosca!

      O caso é que esses são profetas de um mundo morto.

      Estive na manifestação anti-coiso, e se a elite, classe-média, acha que a discriminação, a submissão e a invibilização vão ser aceitas de bom grado pelas mulheres, GLBTs, quilombolas e outros, estão redondamente enganados.

      Assim, como não é possível fazer o fascismo, atiçado pela mídia volltar para lâmpada, o retrocesso que se quer  impor as “minorias” é irrealizável.

      A luta será encarniçada, mas o tempo está do nosso lado.

      Luciana MOTA

  9. A tormenta nas redes sociais,
    A tormenta nas redes sociais, principalmente grupos de zap, com memes, videos, piadas com conteudo pró boçalnaro, antipetista e esquerdofobica nao foi percebida pelos envolvidos na campanha de Haddad, muito nenos pelos doutores da universidade, que só enxergam os movimentos das intençoes de votos relacionados a “as ruas”.

    Pelo menos acordaram para a grande imprensa “que nao ‘deu'” as manifestações do #elenao… (É mesmo, é?!).

    Sairam os resultados Ibope e Datafolha e hoje a shitstorm já está mais serenada… Tudo leva a crer que um contrato encerrou, e outro esta sendo negociado.

  10. Ciro Vence Sendo Contrário ao Projeto Golpista, Então Tá…

    Acorda! A questão é manterem o projeto político e econômico golpista, pouco importa quem ganhe.

    Engolem Bolsonaro à falta de candidato da Casa para vencer a eleição e dar continuidade ao golpe, ou seja, o projeto geopolítico que atende os interesses do Norte e do mercado financeiro, e que retorna o país a colônia, suas riquezas são vendidas a preço de banana e eliminadas todas as possibilidades do Brasil tornar-se soberano tão cedo, que de fato é o que desejam, pouco importa com qual candidato, desde que obedeça-os, como Temer e caso do Bolsonaro. 

    Que já foi precificado, será devidamente embalado para controle, receberá plastificação para garantir a segurança e se sair do script, botam-no pra fora, assume o Mourão e o projeto do golpe continua. Simples assim, caso ‘LullaHaddad’ não estivesse entre os anunciados que disputarão o segundo turno, em 07 de outubro à noite.

    Se Ciro acordasse desempenhar esse papel, também poderia tornar-se o candidato dessa gente, até houve um ensaio com uso de pesquisa, como agora, para embala-lo, mas não prosperou sabe-se lá por que, mas que houve, evidências há que sim.  

    Nessa altura, se Ciro estivesse à frente de Haddad e sendo contrário a continuidade do projeto golpista, já estaria fulminado e derrotado pelo candidato golpista, pela simples razão que não possuí estrutura partidária e sobretudo pessoal, para suportar a bateria de ataques a serem desferidos pelo monopólio da mídia, a justiça lavajateira e o supremo com tudo, para manterem o atual projeto político e econômico para o Brasil.

    Não apressemos em julgamentos, domingo a noite veremos que Haddad não apenas estará no segundo turno, como com as condições para, com muito esforço e luta, como sempre feito, enfrentar e vencer, mais uma vez, a ‘classe dominante golpista’.

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome