Natal em pandemia: pelo bem maior, por Patrick Mateus

Até que ponto? Será que os profissionais de saúde merecem arriscar suas vidas por pessoas que estão lotando as rodoviárias, estações de trem e aeroportos?

Imagem: Volodymyr Hryshchenko/Unsplash

Por Patrick Mateus

No Facebook

Assistindo ao frenesi da população nas rodoviárias e aeroportos, as ruas e centros comerciais abarrotados de gente, as lojas com pessoas transitando sem máscara, eu me pergunto: Vale a pena?

Cientistas virarem noites estudando, profissionais de saúde comprometidos arriscando suas vidas na linha de frente, quando não morrendo, tendo que lidar com as sequelas da síndrome pós-covid, e tudo isso para ajudar uma gente que não é capaz de perder um único natal em família para benefício do bem maior e da coletividade?

Vale a pena alguns de nós, vejam o caso do Nassif, passar as festas com suas contas bloqueadas, sua família apavorada sem saber o que será do amanhã, as perseguições, as injúrias, as difamações, tudo isso valerá a pena por essa gente?

Essas pessoas merecem mesmo tanto suor, sofrimento, dor e lágrimas?

Será que tudo que eu já perdi na minha vida valeu alguma coisa em nome de se defender aquilo em que se acredita?

Será que os profissionais de saúde que se pautam pelas evidências e pela ciência, e que neste exato momento estão sendo perseguidos, injustiçados e destruídos por essas mesmas pessoas que estão lotando as rodoviárias, estações de trem e aeroportos, merecem arriscar suas vidas por esse tipo de gente?

Até quando? Até que ponto?

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora