O ódio, a barbárie e o golpe final, por Maister F. da Silva

O desejo da família Bolsonaro e do grupo que a rodeia é criar no país um ambiente de total ingovernabilidade

O ódio, a barbárie e o golpe final

por Maister F. da Silva

Jair Bolsonaro não se preocupa em apresentar propostas para o país, reencontrar o caminho do crescimento econômico, geração de empregos, políticas públicas que possam mitigar os danos causados pela crise internacional e dar maior qualidade de vida ao povo brasileiro, porque está imbuído na implementação do projeto autoritário o qual acredita. O presidente abdica de escutar os clamores do povo trabalhador, para garantir os interesses do grupo político que dá sustentação ideológica a sua política autoritária, conservadora e excludente.

Blindando-se atrás de um inimigo interno inexistente – o comunismo – e o mantra de ataque diário em seu twiter, lives no facebook e pronunciamentos contra o PT e o PSOL, ele suprime a verdade que é a sua total incapacidade de governabilidade nos marcos tradicionais da política brasileira. O presidente e seu séquito de terraplanistas querem elevar ao máximo as tensões no Brasil e no continente latino-americano, por isso a obsessão por uma guerra com a Venezuela, a outorga de “licença” para matar comunicada aos fazendeiros e o estímulo de atitudes violentas contra educadores, gays, negros e índios. O grupo político mais fiel ao presidente, com o qual ele se identifica, continua apregoado ao passado ditatorial e não consegue conviver com as liberdades pressupostas ao estado democrático de direito.

O desejo da família Bolsonaro e do grupo que a rodeia é criar no país um ambiente de total ingovernabilidade, um ambiente de violência descontrolada nas ruas para justificar a implementação de um projeto ainda mais autoritário do que o demonstrado até aqui. O corte de recursos para as universidades públicas pode ser um sintoma desse estímulo. É fato que a juventude é o extrato da sociedade mais impetuoso e suscetível a movimentações de massa, é também o espaço mais vulnerável e de mais fácil infiltração.

Bolsonaro, Moro, Guedes, Olavo de Carvalho, Onyx Lorenzoni, Eduardo, Carlos e Flávio Bolsonaro esforçam-se diariamente para empurrar as forças progressistas a uma condição de clandestinidade, todavia, há dias que a natureza da luta requer panos frios e acúmulo de forças.

O pacote Anticrime apresentado por Sergio Moro pode ser brincadeira ao que vêm por aí, caso logrem êxito em sua empreitada fascista. O sonho deles é não realizar eleições em 2022.

Maister F. da Silva – Militante do Movimento dos Pequenos Agricultores e membro do FRONT – Instituto de Estudos Contemporâneos

4 comentários

  1. É revelador o apoio que a globo e seus “jornalistas” dão ao bolsonaro.
    Aqui e ali uma denúncia, mas convenientemente não reiterada. Só para mostrar o que poderia fazer e com isso conseguir as verbas publicitárias.
    A guerra contra a Venezuela há muito já assumida pela globo é também reveladora deste apoio e de onde vêm “as ordens”.
    O caso fifa que nunca chega na globo, incrível, é uma das chaves de o porque a globo é tão Trump.
    Curriola criminosa.

  2. É por isso que adoram Guaidó…
    e não se trata de ser uma escada, porque Guaidó tem zero de valor político. trata-se de um laboratório para o que querem que aconteça no Brasil

  3. O povão, que durante a campanha eu não ousava emitir um mínimo comentário, inclusive aos funcionários do meu condomínio, motoristas de táxis, aplicativos, domésticas, pedreiros, e todos, enfim, da classe mais carente, submissa, jamais ouvira falar em Bolsonaro – aqui em Natal, principalmente. Foi tudo na farra, naquilo que mais parecia uma festa de cantores sertanejos. Esperei o tempo passar, com paciência. Agora, o que presencio é um incômodo dessa gente. Sequer sabem responder o que acham de Bolsonaro. Uns dizem que ainda é cedo, e mete o sarrafo em Lula, seguindo o discurso dos caras. Mas, muitos dizem: “Eu não votei nele pra ver isso que estou assistindo”. Ainda há os que dizem que foi uma pena Lula não ter podido se candidatar, pois seu voto seria dele.
    Eu nunca me surpreendi por ver nordestino rico empresários, como o dono da Riachuelo, ficar ao lado desses políticos da hora. Não conseguia compreender era o povão indo as ruas, trocando mensagens, como se estivessem votando em Deus. Sim, na verdade, infelizmente, parte significativa dessa população é fiel, de carteirinha, aos neo-pentecostais. Foram vítimas de dupla manipulação: ora nas igrejas, ora nas praças com Bolsonaros nos palanques.
    Mas, tenho muita esperança de ver uma reversão do quadro em pouco tempo. Não se salvarão, claro, os anti-petistas patológicos. Esses são como Regina Duarte: era um milhão de vezes, mas não cede um milímetro; só que ela faz parte da elite estúpida.

  4. O que eu acho trágico é que esses zes-ruela papagueiam que o PT queria criar uma Venezuela no país quando eles mesmos são os culpados pelo caos em que o país mergulhou….

    Mais trágico é o partido ficar calado, aliás, para uma oposição combativa, motivos não faltariam para fustigar esse governo dia e noite…..

    Mas hoje é sexta feira…..os trabalhadores vão tomar uma gelada……já os lojistas, vão bater bumbo e rodar mais que pião em homenagem ao pé de pato…….

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome