Os Brasis: retrospectiva interminável, prospectiva infinda, por Arkx

Os Brasis: retrospectiva interminável, prospectiva infinda

por Arkx

preâmbulo:

para cada fato uma alternativa. e assim não apenas numa retrospectiva interminável, como numa prospectiva infinda. até a alternativa ser capaz de se impor ao fato. ou a prevalência dos fatos consumir qualquer possibilidade de alternativas.

04-MAR-2016: condução coercitiva de Lula

fato:

após sofrer condução coercitiva, Lula concede longa entrevista coletiva, na qual promete a “volta da Jararaca” para de novo percorrer as ruas do Brasil. como sempre, rapidamente voltou a ser o velho e pacato Lulinha Paz e Amor. afinal, como afirma categoricamente num dos grampos: “Eu não quero incendiar o país. Eu sou a única pessoa que poderia incendiar este país”. posteriormente, o Brasil acabou incendiado do mesmo jeito.

alternativa:

coerente com suas declarações, Lula e uma diversificada comitiva de apoio iniciam as Caravanas pela Democracia, passando por todo o Brasil com enorme receptividade, em especial nas cidades e regiões mais pobres. Comitês de Defesa do Povo Brasileiro são instalados em centenas de municípios. multidões comparecem a cada ato por onde passam as Caravanas. com  diversas manifestações convocadas espontaneamente, indicando o alto grau de dinâmica própria do movimento. já não se tratava de tão somente uma luta por Lula, e sim a população se organizando para um luta pelo conjunto de seus interesses.

16-MAR-2016: vaza grampo ilegal de conversa entre Dilma e Lula

fato:

causando enorme repercussão e provocando protestos na frente do Palácio do Planalto, vai ao ar interceptação telefônica efetuada após ordem judicial de interrupção, sem isto ser considerado de “maior relevância” por Sérgio Moro, juiz responsável pela Lava Jato & Associados. apesar de mesmo antes da posse de Dilma para seu segundo mandato estar em curso um processo para derrubá-la, mesmo com toda a lawfare já desferida contra Lula, ainda assim a reação do Governo é a de ter sido pego de surpresa. a partir de então, perde completamente a iniciativa política e o Brasil mergulha no caos.

alternativa:

ciente desde 2013 da espionagem conduzida pela NSA, conforme as revelações de Snowden, o governo Dilma prepara uma astuta cilada para os inimigos do Brasil. mantendo toda sua comunicação principal protegida em canais seguros, permite a interceptação das linhas convencionais, pelas quais fornece apenas informações diversionistas. assim o inimigo se mantém iludido, sendo ao mesmo tempo minuciosamente monitorado. quando há o vazamento ilegal, o contra-ataque de Dilma é fulminante. a transmissão da Rede Globo é interrompida e toda a verdade vem à tona: uma tentativa de golpe de Estado para entregar o pré-sal e acabar com os direitos da população. fundamentado em vasto volume de provas, reunidas em meses de investigação sigilosa, a Lava Jato & Associados é acusada de crime de alta traição nacional, com pronto cumprimento de centenas de prisões preventivas. milhões se reúnem nas ruas de todo o país, em defesa da Democracia e dos direitos sociais.  

17-ABR-2016: votação da admissibilidade do impeachment

fato:

após a farsa encenada no teatro de horrores da Câmara Federal, com os Deputados votando pela Famiglia, Lula se abraça com Dilma e diz: “chore, Dilma, chore!”. as milhares de pessoas acampadas na Praça do Três Poderes em Brasília abandonam o local cabisbaixas, desmoralizadas, humilhadas, derrotadas, abandonadas e sem qualquer perspectiva de luta.

alternativa:

Dilma e Lula acompanham a votação junto com os acampados em Brasília. após seu encerramento fazem um histórico discurso, mais tarde comparado a uma segunda “Carta Testamento”. todos saem juntos, de mãos dadas, numa marcha até contornarem o eixo monumental para retornar à frente do Congresso Nacional, onde se estabelece uma ocupação permanente. apesar das várias tentativas violentas da repressão para desalojá-la, a cada dia a multidão aumenta, numa sucessão de atos-show, aulas-públicas, palestras e debates e todo tipo de atividade para manter a mobilização em Defesa do Brasil e de seu Povo.

22-ABR-2016: Dilma discursa na Assembléia Geral da ONU

fato:

apesar da grande expectativa que o antecedeu, o discurso de Dilma na Assembléia Geral da ONU foi murcho, pálido, impotente e incapaz de sequer denunciar o golpe para o mundo. apenas mencionando de forma “corretamente protocolar” o ”grave momento que vive o Brasil”. Dilma foi grande em apenas um único ponto: em deixar patente sua inapetência e seu despreparo para ser uma das lideranças do Brasil em tão “grave momento” de nossa História.

alternativa:

longamente aplaudida de pé pela maioria dos líderes mundiais presentes, Dilma provoca uma pronta e impactante repercussão com seu discurso, logo alçado ao mesmo nível do célebre pronunciamento de Putin, no ano de 2007 em Munique. enfatizando de modo brilhante como o golpe no Brasil faz parte de uma Grande Guerra Híbrida Mundial, Dilma não deixa pedra sobre pedra, e traça o mapa do caminho para os BRICS se contraporem ao Império na construção de um mundo multipolar.

epitáfio:

tanto a retrospectiva dos fatos quanto a prospecção de cenários, não deixam dúvida: não haverá nenhum Feliz Ano Novo.

para haver o Novo, e ele ser Feliz, o velho deve morrer. enquanto todos os laços não forem rompidos, retrospectivas e prospecções se repetirão, numa exasperante espiral de farsas e tragédias.

assim como o Brasil, todos nós já estamos mortos. esta é a insuportável constatação com a qual temos que nos reconciliar.

2018 não nos trará qualquer esperança. quando muito, apenas nos apontará em direção a mais uma chance, cada vez mais remota, de renascimento. para cujo parto não receberemos nenhuma ajuda, a não ser aquela que nós mesmos formos capazes de nos fornecer.

vídeo: Sweet Child o’ Mine – Capitão Fantastico (LEGENDADO)

.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora