Práticas pra realmente se curar (ainda mais se você mora no Rio de Janeiro), por Matê da Luz

Práticas pra realmente se curar (ainda mais se você mora no Rio de Janeiro)

por Matê da Luz

Hoje, em meio a infinitos diálogos e discursos sobre a abominável aprovação da classificação do homossexualismo como doença tratável (abordarei quando as lágrimas pararem de escorrer vermelhas), recebi este email:

“Nosso RETIRO DE YOGA E MEDITAÇÃO desse ano está se aproximando e abaixo coloquei todas as infos pra quem tiver interessado:

Nesse encontro teremos duas práticas por dia, meditações guiadas, cânticos, momentos de caminhada, sauna, descanso e se o grupo se interessar abordaremos algum estudo. Nenhuma atividade é compulsória, você poderá escolhê-las de acordo com sua possibilidade e interesse. A participação é aberta a todos, com ou sem experiência na prática. Podem levar as crianças, desde que haja dois responsáveis para se revezarem durante as práticas. Nos retiros anteriores combinamos um sistema de caronas para chegar ao local que deu super certo e pretendemos fazer dessa maneira novamente.

O custo do local com acomodação e alimentação (maravilhosa por sinal!) fica um total de R$ 720. Além desse custo, há a contribuição pelo trabalho da professora (eu, no caso) que não está definido, é uma contribuição livre que você irá definir de acordo com suas possibilidades e vontade. Irei conduzir todas as atividades, práticas, meditações, cantos e estudos.

A inscrição pode ser feita diretamente comigo através de depósito ou ao vivo. Pode ser parcelado, combinamos (meu whatssapp 21 993140111)
Peço que, dentro do possível, se inscreva com antecedência pois devo satisfações ao local e para facilitar a organização.

Aqui tem umas imagens do encontro do ano passado: http://shodashiyoga.com/…/retiro-de-yoga-e-meditacao-em-mo…/
E aqui mais sobre o encontro: http://shodashiyoga.com/…/retiro-de-yoga-e-meditacao-com-a…/

A vida é abundante.”

Deixei os links como estão, claro, pra que se alguém realmente se interessar, que siga.

Leia também:  Manifesto de Policiais Civis indica última dança de Bolsonaro, por Rogério Maestri

Houve tanto encantamento com as palavras e o sentido desta mensagem que tocou minha alma no que diz respeito à confirmação de que sim, muito, sem dúvida alguma, vale continuar na batalha – e que algumas delas são simplesmente silenciosas (tais e quais um retiro de yoga e meditação).

A professora não tem pretensão de mudar o mundo. Não apresenta sua prática como transformadora, inovadora ou salvadora da lavoura em 10 ou 12 encontros, mas promove a convergência de pessoas, a dedicação de gente pra gente – e isso, pessoal, tem valia que poucos, atualmente, conhecem.

Das delicadezas do texto, a abertura para que as crianças estejam presentes, apresentada de forma leve; a proposta de carona comprovadamente eficaz no ano anterior; a liberação da cobrança por hora de trabalho, colocada como contribuição consciente, onde cada um dá o que pode, como pode, sem ser excluído ou sentir-se excluído.

A mensagem “a vida é abundante”, aqui, se faz presente e mostra o que é privilégio de verdade: essa coisa de partilha, de cuidado, de cura de sintomas que, estes sim, são a verdadeira doença deste mundo: os olhos e o coração fechados para si e, então, em consequência, para o outro.

Obrigada, Ana, por colorir meu dia que estava pesado, triste e abatido. 

1 comentário

  1. Seria a homossexualidade uma doença intratável?

    A questão levantada é se a homossexualidade é uma doença tratável ou intratável. Mas a homossexualidade é uma doença?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome