Quando a grande mídia pedir desculpas por acabar com a democracia, o que faremos?

Sugestão de Cintra Beutler

do Diplomatique

A criação de um grande monstro

por Raphael Silva Fagundes

É muita cara de pau uma jornalista como Miriam Leitão vir dizer agora que o PT combateu a corrupção e que representa muito mais a democracia que Bolsonaro. A Globo foi a corporação midiática que contribuiu na disseminação da maior fakenews de todas: a de que o PT quebrou o Brasil.

Essa fakenews misturada com o enfraquecimento das instituições promovido também pela mídia, pois destacava que tudo resumia-se a corrupção, acabou por criar o monstro da extrema direita. Quando as instituições estão nitidamente enfraquecidas, as pessoas se refugiam nos elementos religiosos, e os candidatos da extrema direita aproximaram-se, oportunamente, da religião que mais cresce no Brasil: o neopentecostalismo.

Se olharmos os governos petistas, observaremos o crescimento na economia, a queda nas desigualdades sociais, o acesso maior às liberdades de expressão e religiosas, o controle da inflação, desemprego baixo etc. A “quebra” se deu a partir da crise política que chegou ao cume em 2015, já que o PSDB não conseguiu convencer a população de seu projeto econômico. Os defensores desse projeto forçaram Dilma a ceder a partir daí. Em 2016, com a necessidade de desvincular o PT a esse projeto desencadeou-se o golpe. Mas deu-se um tiro no pé. O projeto econômico de Temer, o mesmo do PSDB e que o PT negou-se a corroborar, aprofundou o país em uma crise ainda maior.

A estratégia adotada então foi não prender Temer mesmo sabendo de sua relação com Eduardo Cunha. Mantendo o famigerado golpista no poder, criou-se uma vitrine ao redor dele para servir de mais um motivo para odiar o PT, já que quem votou na Dilma, também votou no Temer, como se diz. Um embuste, já que é o candidato do PSL que irá dar continuidade ao modelo neoliberal de Temer, criticado abertamente por Haddad.

Leia também:  Assim como Witzel, Doria segue a trilha do genocídio, por Luis Nassif

A Globo, que apoiou o golpe e a política econômica que ele trouxe, criou um terreno perfeito para o crescimento da extrema direita, já que não deu espaço para não odiar, pelo contrário, transformou o ódio em moda, acusando os políticos corruptos de serem a única causa da crise, livrando as grandes corporações de todo o esquema. (A crise não foi gerada pela corrupção. Esse argumento é um engodo. A corrupção é evidenciada em tempos de crise para nos desviar da ideia de que o capitalismo, como explicam Marx e Engels, assemelha-se ao feiticeiro “que já não pode controlar as potências infernais por ele postas em movimento […] basta mencionar as crises que, com seu periódico retorno, põem em questão e ameaçam cada vez mais a existência de toda a sociedade burguesa”).[1] Dessa forma, o político que teve disposição para dizer, sem ressalvas e escrúpulos, que também odeia tudo, ganhou espaço. A extrema direita apenas brotou do terreno fértil adubado pela mídia.

O ódio à corrupção, criado pela imprensa, para fazer com que o povo não aprofundasse o seu conhecimento sobre política, contribuiu – talvez até sem querer – para minimizar os outros tipos de ódio. Ele ocupou todo o espaço. O ódio ao negro, à mulher, ao homossexual tornou-se insignificante em relação ao ódio que se tem à corrupção. Por isso, quando criticam Bolsonaro por disseminar o ódio, ecoa apenas uma frase: “eu não sou corrupto”. A partir daí tudo é permitido. Por isso, seria importante e honesto a mídia assumir a sua parcela de culpa.

Foi a mídia que criou esse abismo que agora o povo brasileiro está prestes a se lançar. Até porque “o autoritarismo não surge do nada. Os demagogos não podem florescer no meio de instituições funcionais, justas e imparciais”, destacam os jornalistas Glenn Greenwald e Victor Pougy do site norte-americano Intercept.[2] E a nossa mídia, aliada a um Judiciário que não pune certos políticos por racismo, por excitar o ódio ou por induzir os eleitores a cometer crimes eleitorais, revela sua parcialidade forjando, na cara dura, tiranos.

Leia também:  Um músico diferençado, por Aquiles Rique Reis

Através das fakenews, que agora faz de tudo para combater, a mídia acabou com a democracia no país e criou um grande monstro que pode nos levar a uma época sombria, fomentando o que há de pior nas pessoas. Agora, o que diz perdeu credibilidade, tanto por aqueles que acreditaram em suas mentiras quanto por aqueles sempre desconfiaram. Portanto, a suposta investida de Miriam Leitão e da Globo contra Bolsonaro não surtirá efeito algum. Basta chorar o leite derramado.

Como esquerda não podemos acreditar no discurso dessa mídia que compactua com o imperialismo. É necessário reorganizar as forças dos movimentos sociais em termos classistas para assim promover uma corrente realmente revolucionária, ou pelo menos restabelecer a democracia. O PT estava guiando o Brasil em um rumo não muito agradável em termos trabalhistas, mas ainda assim esboçava certo crescimento econômico e uma diminuição tímida da desigualdade social. Precisamos defender esse Brasil, para em seguida exigirmos mais democracia e a socialização da riqueza produzida.

*Raphael Silva Fagundes é doutor em História Política pela Uerj e professor da rede municipal do Rio de Janeiro e de Itaguaí.

Referências

[1] Marx, K. e Engels, F. O Manifesto do partido comunista. São Paulo: Martin Claret, 2006. p.51.

[2] Greenwald, G. e Pougy, V. “Mídia, Justiça e empresários do Brasil, uma fábrica de demagogos”. Le Monde Diplomatique Brasil, out. 2018.

————————————————————————————————-

Original em:

https://diplomatique.org.br/quando-a-grande-midia-pedir-desculpas-por-acabar-com-a-democracia-o-que-faremos/

20 comentários

  1. A mentira como forma de expressão

    A globo não pode vencer BS, como não pôde vencer Temer, porque os três usam a mentira como forma de expressão

    “Lula é o maior ladrão da história do país” – mesmo os supostos crimes não chegando a 1 décimo, em termos de valores, de crimes comprovados como de Cunha, Temer, Serra/Paulo Preto/Alckmin, Aécio

    “Basta tirar Dilma que tudo vai mudar” – não mudou nada

    “Eu não sou corrupto” – sendo

    E como uma mentira mil vezes acaba se tornando uma verdade, estamos onde estamos.

  2. A questão é que a

    A questão é que a movimentação de Bolsonaro em conluio com a Record de Edir Macedo está mais que evidente.

    Não é uma simples questão de declaração de apoio por afinidade política ou religiosa.

    É uma gorda fatia de dinheiro de verba publicitária que está em jogo.

    A Globo sabe que, sem essa receita, seu destino fica definido.

    E Edir Macedo cumprirá seu declarado objetivo de destruir a Globo.

    A única tábua de salvação da Globo poderá ser, quem diria, o PT.

    Haddad, como Lula, não rói corda: concilia.

    O tom do jornalismo da Globo, após o debate e a concomitante entrevista (sic) de Bolsonaro à emissora do bispo, mudou.

    https://theintercept.com/2018/10/13/bastidores-universal-edir-macedo-apoio-portal-r7-bolsonaro/

  3. O “pedido de desculpas” virá

    O “pedido de desculpas” virá daqui a 30 anos, já terei 75, espero já não ter contato com esta mídia, para não ser um velhinho raivoso, querendo jogar coqueteis molotovs nos defuntos da Globo 🙂

  4. bom post.

    No geral concordo.

    Mas o que quer dizer “O PT estava guiando o Brasil em um rumo não muito agradável em termos trabalhistas,…” confesso que não endendi.

    Aproveitando o post, esta eu pensando, o que leva as pessoas a desconsiderar os perigos reais que o Bolsonaro representa? Depois de tudo o que disse e o que está escrito no seu plano de governo.

    O que aconteceu nas vidas dos eleitores pobres e de classe média de tão grave, chocante para tomar essa decisão?.

    E querer repetir de novo no dia 28. 

    Corrupção?, ela existe desde que o homem branco aportou por aqui.

    Politicos desonestos?, existem desde o tempo colonial.

    Anti sistema? E desde quando votar no Bolsonaro é ser contra o sistema. Ele é 100 % sistema, senão nao teria o apoio dos militares.

    Insegurança. Não vai ser na força bruta que vai ser resolvido o problema. Ledo engano, é só ver o caso do Mexico, Honduras, El salvador.

    Porquê as pessoas estão  optando por teclar a TECLA F…-SE? 

     

  5. bom post.

    No geral concordo.

    Mas o que quer dizer “O PT estava guiando o Brasil em um rumo não muito agradável em termos trabalhistas,…” confesso que não endendi.

    Aproveitando o post, esta eu pensando, o que leva as pessoas a desconsiderar os perigos reais que o Bolsonaro representa? Depois de tudo o que disse e o que está escrito no seu plano de governo.

    O que aconteceu nas vidas dos eleitores pobres e de classe média de tão grave, chocante para tomar essa decisão?.

    E querer repetir de novo no dia 28. 

    Corrupção?, ela existe desde que o homem branco aportou por aqui.

    Politicos desonestos?, existem desde o tempo colonial.

    Anti sistema? E desde quando votar no Bolsonaro é ser contra o sistema. Ele é 100 % sistema, senão nao teria o apoio dos militares.

    Insegurança. Não vai ser na força bruta que vai ser resolvido o problema. Ledo engano, é só ver o caso do Mexico, Honduras, El salvador.

    Porquê as pessoas estão  optando por teclar a TECLA F…-SE? 

     

  6. Afasta de mim esse cale-se

    O grupo Grupo fez um mea-culpa por ter apoiado até o fim a ditadura militar e hoje esta apoiando discretamente bolsonaro. A imprensa que pede ao Haddad que se imole em nome do PT, é incapaz de fazer uma auto-analise sobre sua postura durante todo o governo Lula, apoiando o golpe irretritamente e Temer e agora com o bolsonaro nas mãos. Não creio que irão pedir desculpas, vão continuar jogando a culpa no PT, no brasileiro que não sabe votar, etc.

  7. “A “quebra” se deu a partir

    “A “quebra” se deu a partir da crise política que chegou ao cume em 2015, já que o PSDB não conseguiu convencer a população de seu projeto econômico. Os defensores desse projeto forçaram Dilma a ceder a partir daí. Em 2016, com a necessidade de desvincular o PT a esse projeto desencadeou-se o golpe.”

    Não entendi a lógica da argumentação, como assim “o PSDB não conseguiu convencer a população…”? O PSDB não era governo, ora. E essa mesma população “forçou Dilma a ceder”.  O parágrafo todo não tem pé nem cabeça…

    • Na eleição

      O que está escrito é que o PSDB não conseguiu vencer a eleição em 2014, e o autor enfatiza que isto aconteceu, na visão dele, porque o PSDB não conseguiu convencer a população a apoiar majoritariamente seu projeto econômico.

      A partir daí, os defensores desse projeto (ou seja, os políticos que concordavam com as propostas do PSDB) começaram a chantagiar o governo Dilma.

      Não acho que esteja difícil de entender não.

  8. Esquece

    a grande mídia só “esteve na luta” em defesa da democracia para faturar. A preocupação da grande mídia, inclusive a Folha de S. Paulo, com a democracia brasileira é uma piada de mal gosto.

  9. Grande Mídia

    Míriam Leitão nada mais faz do que cumpir ordens. Para a Globo, o verdadeiro adversário a ser batido é Bolsonaro que , aliás, disse expressamente que vai cortar verbas que hoje jorram no complexo Globo.

    Haddad é muito mais fácil de ser cooptado do que o capitão. Vide o exemplo de Lula que liberou verbas do BNDES para a Vênus Platinada. No entando, já está assente que Bolsonaro assumirá o Planalto e o complexo Globo vai passar por um turbilhão.

  10. Em quem irão votar no segundo turno?
    1 Carlos Alberto Sardenberg
    2 Cláudio Humberto
    3 Denise Campos de Toledo
    4 Fábio Pannunzio
    5 José Paulo de Andrade
    6 Joseval Peixoto
    7 Marco Antonio Villa
    8 Merval Pereira
    9 Miriam Leitão
    10 Rafael Colombo
    11 Reinaldo Azevedo

    Técnico: Arnaldo Jabor

    E agora “JOSÉS” ?

  11. Bobagem

    A mídia não tem esse poder todo. Povão não lê editorial de jornal. Além do que, o poder da mídia corporativa é declinante nessa era em que proliferam as mídias virtuais. Note que a Globo vinha atacando o PT desde 2005, e não adiantou nada, o PT venceu as eleições enquanto proporcionou melhoras à condição de vida do povão. A crise começou já no final do primeiro governo de Dilma, e quando o povo viu o estelionato eleitoral que ficou claro desde o primeiro mês do segundo governo Dilma, abandonou o PT. As “pauta bombas” que vieram depois só agravaram a situação, mas o divórcio entre o PT e o povo já estava firmado.

    Enfim, é isso. Quem derrubou o PT não foi a mídia, e simi a crise que o próprio PT provocou a partir da Nova Matriz Econômica, que incluía medidas para postergar os efeitos da crise de 2008 e assim permitir a vitória em mais algumas eleições, mas que todos sabiam que ia estourar um dia. A bomba estourou na mão de quem a armou.

     

    • Nao esquece que o Lula seria eleito no 1 turno
      Pedro, tuas conclusoes sao falsas porque tuas premissas tambem sao falsas

  12. Telhado de vidro
    Todas as argumentações, por mais lúcidas ou lógicas que sejam, esbarram num único ponto: o PT tem telhado de vidro. Estamos colhendo os frutos naturais do desgaste de ser governo por 13 anos; os amargos frutos dos equívocos de gestão; os azedos frutos da revolta da população contra os políticos e partidos. A mídia nada pode fazer quando não é ouvida pelo povo, que entende ser manipulação a volta vida esquerda ao poder.

    • Cesário, sua análise é tão rasa quanto a sua memória

      Você se esqueceu que se não tivesse sido perseguido e inviabilizado pelo Ministério Público, pelo Judiciário e pela Imprensa, o Lula seria eleito no primeiro turno.

      Sua análise é tão fraquinha.

  13. As nações prosperam ou decaem simultaneamente com a imprensa

    “As nações prosperam ou decaem simultaneamente com a imprensa.” – Joseph Pulitzer

    A imprensa e o Brasil estão de malas prontas para o Haiti, ou melhor, o Haiti está de malas prontas para o Brasil.

     

    Bolsonaro luta para que qualquer assassinato praticado por policiais seja considerado em legítima defesa. Em outras palavras, ele defende a pena de morte para pretos, pobres, putas e petistas, já que a polícia não mata ricos, por maiores que sejam os seus crimes, só mata pobres e pretos, mesmo que sejam inocentes. Porém, ao mesmo tempo em que pretende dar carta branca aos policiais para matarem pretos, pobres, putas e petistas, o Bolsonaro se comprometeu, perante Cri$tão$ hipócritas, a defender a liberdade das religiões e contra a descriminalização do aborto e das drogas.

     Bolsonaro e os Cri$tãos hipócritas vêem tanto espírito no feto e nenhum no marginal. Portanto, eu vou votar para que o Bolsonaro seja Presidente da República Federativa do Haiti, pois o Haiti é aqui.

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome