“Estou no PMDB de Ulisses e Temer, que vai reunificar o Brasil”, diz Marta

Jornal GGN – No tradicional teatro Tuca, em São Paulo, conhecido e escolhido por Marta Suplicy por ser palco de muitas lutas pela democracia, a senadora oficializou sua entrada no PMDB, com discurso rápido mas com direito a elogios a Eduardo Cunha, Renan Calheiros, Michel Temer e críticas à corrupção e ao atual governo.

Segundo informações do jornal Valor, Marta disse que “algumas decisões são difíceis”, mas diante de fatos que “ferem nossos princípios, o melhor caminho é o rompimento. Hoje, me sinto acolhida no PMDB, não tenho dúvidas de que aqui é o meu lugar.”

A senadora afirmou que agora está “livre daqueles que usam a mentira para obter vantagen” e apontou que está no “PMDB de Ulisses Guimarães e Michel Temer, que vai reunificar o país.” Marta ainda disse que o PMDB é o partido do “focado” Eduardo Cunha e “paciente” Renan Calheiros. Em troca, ouviu elogios sobre sua importância política e o reforço que traz para o PMDB no Senado.

No evento, Eduardo Cunha, presidente da Câmara, aproveitou para defender o rompimento com o PT. Outras lideranças falaram em começar o divórcio por São Paulo. Na capital, o partido apoiou a eleição de Fernando Haddad (PT), mas agora deverá escolher entre Marta e Gabriel Chalita para disputa o Paço na eleição de 2016.

Presidente nacional da legenda, Temer também proferiu rápidas palavras. Disse que o PMDB “é um partido sabida e reconhecidamente grande, mas com a presença de Marta ele ficou maior ainda”. Em outro momento, comentou que “Marta tem uma presença extraordinária no Congresso, ela nunca usa as palavras sem ter um conteúdo, ela é estupendamente animada.”

Além de Temer, Renan e Cunha, o evento de filiação de Marta contou com a presença de Eduardo Braga, Eduardo Paes, Gabriel Chalita, Paulo Skaf, entre outros caciques peemedebistas que ajudaram a reforçar o coro pela união do partido com vistas ao Planalto em 2018.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

54 comentários

  1. Ela anunciou quando vai

    Ela anunciou quando vai devolver o mandato conquistado às custas do PT? Eu nunca votaria nesta mulher, só o fiz porque ela era a candidata do partido a cargo majoritário. Devolve o mandato, Marta! Devolve porque ele não te pertence, ainda mais para exerce-lo pelo pmdb, partido no qual eu nunca votei ou votaria.

    • CB, essa lei ornamental DE

      CB, essa lei ornamental DE MERDA continua ornamental.  E DE MERDA.  Pra comecar, quem votou em Martha NAO votou no PT, e provavelmente a lei eh inconstitucional -ninguem a desafiou ainda.  Em segundo lugar, quanto mais baixo clero o politico for mais ela se aplica -tente ser vereador ou prefeito e mudar de partido que essa lei DE MERDA te pega na hora.

      Eh uma “lei” DE MERDA, discriminatoria, burra.  Simplesmente deploravel em aplicacao, independente da teoria que a fez passar no meio dos picaretas.  E SAO picaretas sim.

      Lembrete a quem o chapeu caber:

      Va fazer lei DE MERDA nas casas das suas putas maes, filhos da puta!

      • Porque eh que a lei DE MERDA

        Porque eh que a lei DE MERDA do Brasil te permite votar em um partido quando vota em um candidato mas nao te permite votar em um partido quando vota em um candidato????

        Ninguem esta vendo que essa lei eh inconstitucional?  Nao, eu nao voto “Martha” e nem em “Dilma” nao.  Eu voto no que eu acredito.  NO PT.

        Uh…  O dia que eu votar no Brasil, isso eh.  Aqui, eu so voto democrats, claro.  Exceto na proxima eleicao.  Faco questao absoluta de fazer o contrario do que eu ja fiz antes e votar em TODOS os republi(tu)cans na proxima eleicao:  eu quero que o governo dos Estados Unidos va se foder mais rapido e nao faco segredo.

    • Realmente. Me sinto  traída e

      Realmente. Me sinto  traída e envergonhada por não ter acreditado em meu marido que me disse  mais de uma vez que a marta era traidora, não lhe inspirava confiança. Como ele se foi não posso me desculpar. Mas meu voto  ela não terá jamais.  

  2. E o PMDB respondeu em

    E o PMDB respondeu em unissono:

    “OFELIA, VOCE POR AQUI?”

    Hei, se Aecio eh o Gafe Ambulante do PSDB, porque nao ter Martha como Gafe Ambulante do PMDB?  Pelo menos ela tem mais substancia!

    Aecio, alias, ta chegando perto do Psicotico Oficial da tucanada!  (Vai ser uma briga feia com Andrea…)

  3. MARTA COMO SEMPRE CAUSANDO UM

    MARTA COMO SEMPRE CAUSANDO UM PROFUNDO NOJO. DEIXA O PT POR SER DESONESTO E SE ALIA AO “FOCADO CUNHA”?  Quando meus filhos eram pequenos, já se vão aí mais de 30 anos, havia um desenho animado muito bacana, sobre  Os tres mosqueteiros. Ali cada personagem por suas características era representado por um bichinho. Lembro-me que Rechilieu era representado por uma  raposa. Cada vez que ollho para o Temer, me lembro desse desenho. Conde Rochefort poderia ser o cunha, não tenho certeza mas acho que era um cachorro e a milady uma gata dissimulada e traiçoeira poderia ser a marta. Agora o Aldo faz o que aí? Espião da república ou mais um traíra?

  4. A Martinha tá pagando mico.

    A Martinha tá pagando mico. Deixar o PT, tudo bem, mas sair com discurso de unificação do país ao lado de fugura como Eduardo Cunha parece piada.

  5. Este tipo de nojeira é que me

    Este tipo de nojeira é que me faz continuar no PT (com muita honra) .

    Quanto ao Aldo Rebelo ….

    Sobre um amontoado de mala$$ se preparando para pular o muro .

     

  6. Diz-me com quem andas…

    Se ela se diz acolhida pelo PMDB, que lá é o seu lugar e que se sente bem na companhia de gente tão qualificada, quem sou eu para desmentí-la.

    Vai, Marta, aproveita. Relaxa.

    Pergunto-me apenas o tipo de eleitor com o qual ela conta.

    P.S. Fui só eu quem percebeu a referência na frase de que Temer irá reunificar o país?

  7. Mudar é um direito. Isso é

    Mudar é um direito. Isso é inquestionável. A Dona Marta, por esse aspecto, não merece ser questionada. 

    Agora, cuspir – cinicamente – no prato que comeu, aí não. Ela não tem nenhuma moral para fazer qualquer discurso contra seu ex-partido; seja por linha direta ou indireta. Aliás, se ela realmente faz da decência um norte na sua carreira política porque: a) Não devolve espontaneamente o mandato adquirido pelo PT; b) Não busca abrigo numa legenda insuspeita, ou pelo menos com um histórico de estripulias menor que esse PMDB? 

    PMDB de Ulysses ou PMDB do fisiologismo, patrimonialismo, assistencialismo e – para não rimar tudo – da corrupção? 

    Se Heráclito de Éfeso, o grande filósofo grego Heráclito, vivesse nesses tempos hodierrnos decerto que seu famoso dito “Nada é permanente, exceto a mudança” teria como inspiração esse partido na neo convertida Marta:: “Tudo muda, exceto o PMDB ser governo, qualquer governo”. 

  8. MARTA: TEMER É QUINTA COLUNA

    http://www.parana-online.com.br/editoria/pais/news/105962/?noticia=MARTA+AGORA+QUER+O+GOVERNO+DE+SAO+PAULO

    São Paulo – Em entrevista à revista Época, a prefeita Marta Suplicy assumiu a culpa pela derrota nas eleições municipais e anunciou que poderá ser candidata ao governo do Estado. “Vou me colocar a serviço da candidatura do presidente. O que foi melhor para a reeleição, eu faço. Se minha candidatura ajudar, o partido vai decidir. Mas eu não estou pleiteando isso neste momento”, declarou.

    Marta disse que disputou “quase uma eleição presidencial” com o prefeito eleito José Serra (PSDB) e que não confia no PMDB. “O diretório municipal (do PMDB) queria, mas na hora de assinar o acordo veio o (presidente do PMDB paulista) Orestes Quércia e pediu para indicar o candidato a vice. Se eu colocasse o (presidente nacional do PMDB) Michel Temer como meu vice, teria dentro da minha campanha um quinta-coluna. Ele ia atacar o governo Lula de dentro da minha campanha”, argumentou.

    A prefeita também fez um balanço de sua gestão e concluiu que perdeu por erros de gestão e comunicação, mas acrescentou que acertou mais do que errou.

  9. Se achando….

    O PMDB acha que pode ser governo e oposição ao mesmo tempo.

    Vai cair das duas canoas.

    E a dona Marta querendo uma boquinha já contando com o PT no caixão.

    Vai relaxar e gozar…..

    Dentro d’água!

  10. Marta está finalmente presa
    Marta está finalmente presa no fundo do poço.
    Vê a abertura acima dela e pensa que está livre.
    Se livrar da prisão e do poço dentro dela, contudo, será muito difícil.
    Quem se acostuma a escuridão e a falta de liberdade raramente consegue ver claramente coisas que só podem crescer livres a céu aberto.
    Platão certamente não compreenderia Marta e ela dificilmente entenderá o mito da caverna.

  11. MARTA SÓ CAIU EM SÍ,QUANDO

    MARTA SÓ CAIU EM SÍ,QUANDO LANÇARAM ALEXANDRE PADILHA

    E NÃO ELA NAS ELEIÇÕES E AÍ FOI O MAIOR MICO,TB SÓ PODAVAM ELA NO PT

    FOI A MELHOR PREFEITA(O) Q SP JÁ TEVE E ELA À ÈPOCA SE EMPOLGOU TANTO

    Q CRIOU UMA SÉRIE DE TAXAS COM APOIO ATÉ DE ADVERSÁRIOS,CAIU NA ARAPUCA DELES

    PERDEU A REELEIÇAO,NÃO VÃO DEIXAR ELA SE CANDIDATAR,CAIU DE NOVO NA ARAPUCA!!!!

  12. Fez uma ótima administração, mas…

    … não votarei nela porque o Fernando Haddad é infinitamente melhor. Ponto final.

    A propósito: que que o Aldo do partido da vice-prefeita Nadia Campeão está fazendo aí ???

     

     

  13. Aldo Rebelo

    No passado votei no Aldo Rebelo. Desisti dele antes da última eleição.Sua presença nesse ninho está indicando que fiz bem! Nunca poderia imaginá-lo ao lado de Eduardo Cunha e de Renan Calheiros (ex-PC do B!). Quanto à Marta, sempre a considerei membro da alta burguesia e que algum dia iria se revelar. Revelou!

  14. Luiz Felipe Miguel produz uma

    Luiz Felipe Miguel produz uma boa análise sobre a evolução política do PT nos últimos anos. Creio, porém, que exagera ao enxergar a maior derrota progressista dos últimos cinquenta anos por culpa das dificuldades do PT em se manter coerente ao seu projeto utópico original.

    A contrário de Luiz Felipe, não acredito que o único avanço social conquistado pelo PT esteja no âmbito do consumo, através do incremento da renda. Longe disso… Existem reformas de base, silenciosas, que somente falarão daqui dez, quinze anos. O que Luiz Felipe teria a dizer da repercussão futura de projetos como “Minha casa, minha vida”, “Caminhos da Escola”, Prouni, multiplicação das escolas técnicas, Fies, “Mais médicos” e transposição do São Francisco, para ficar nesses exemplos? São projetos e programas que, se perdermos um pouco de tempo na internet, veremos que estão dando certo e aos poucos começam a mudar vidas e mentalidades. Nada disso tem efeito imediato na sociedade.

    Por outro lado, modificações profundas e imediatas em qualquer sociedade somente são alcançadas via revolução violenta. Se não é isso que se deseja, a alternativa é a progressividade, com pequenas abocanhadas ocasionais no stablishment e concessões à elite. Essa foi a estratégia do Lulinha Paz e Amor e, a meu ver, foi acertada. Pode-se dizer que o PT chegou ao poder e os que eram ricos permaneceram ricos e, talvez, ainda mais ricos. Mas, e daí? Isso sempre ocorreu. A diferença é que, dessa vez, algumas coisas foram produzidas em favor dos desfavorecidos, tanto o incremento na renda, reconhecido pelo articulista, como os programas que mencionei, além de outros. Não se pode pretender, a não ser ingenuamente, que a primeira investida contra essa estrutura podre vá direto no bolso dos ricos. Então, comecemos por fortalecer um pouco os pobres, alimentá-los e educá-los. Depois a gente vê o que essa gente forte é capaz de fazer.

    Tampouco se pode pôr de lado o cansaço natural com um governo que vai chegar a dezesseis anos no poder. Esse cansaço, aliado à talvez mais incansável perseguição midiática já testemunhada contra um partido, pode de fato produzir estragos eleitorais enormes na próxima eleição presidencial. Repito: e daí? Presumindo-se que o PT perca as eleições, o que fará o próximo partido no governo? Poderá impunentemente acabar com todos esses avanços sociais? Se fizer isso, dificilmente passará dos oito anos de praxe na presidência e provavelmente veremos o PT, ou outro partido de esquerda, retornar aclamado pelos pobres.

    Enfim, acho que o projeto de esquerda apenas começou. Esses dezesseis anos foram apenas a primeira etapa. Falo dezesseis anos pois estou convicto de que, de fato, ninguém quer o impeachment, querem apenas enfraquecer o PT.

    Talvez o autor tenha razão quanto a alguma falta de empenho do PT em provocar e liderar reformas mais profundas. Também um pouco esse sentimento de frustração. Todavia, isso decorra simplesmente da ausência de informações mais profundas e reais sobre a verdadeira estrutura de poder que se esconde por trás da mera aparência. Talvez estejamos testemunhando o limite do possível político.

    Na dúvida, depois de doze anos a esquerda ainda tem o meu voto, já que em mais de quinhentos a direita não cumpriu a sua própria utopia.

  15. Marta fez o correto

    O PMDB salvará novamente o país do caos político, como já fez em 1992.

    Aliás, como disse o Moreira Franco outro dia, é o partido que derrubou uma ditadura sem matar ninguém. Acham que é pouco ?

    Dilma tentou meter uma bola nas costas do PMDB, este foi seu grande erro.

    • reveja as suas fontes..

      voce esta inteiramente equivocado.

      PMDB  não salvou nada e Moreira Franco sempre foi um politico e administrador mediocre.

      PMDB  foi é e será sempre uma confraria de ratazanas.

  16. Marta perdeu-se

    Marta jogou no lixo todo uma trajetoria construída no PT, não só porque cuspiu no prato que comeu, mas o que encontrou no outro prato e terá que comer. De entrada, Eduardo Cunha, de sobremesa Renan Calheiros.

     

  17. Os grupos que Marta sempre
    Os grupos que Marta sempre apoiou, querem Eduardo Cunha, fora da presidência da Câmara (na verdade, a maior parte da população, também quer). De repente, se deparam com uma Marta que apóia Eduardo Cunha. O mais provável é que o PMDB escolha Chalita para disputar prefeitura, Marta fique com raiva, e mude de partido novamente.

    Mas por enquanto, no Senado, me pergunto: quais serão as escolhas de Marta?

    Ela sempre fez um discurso progressista, defendeu os direitos homossexuais, os programas sociais… O PMDB vem fazendo uma enorme pressão para que Dilma corte programas sociais; defendem terceirização para todos os setores de uma empresa; Eduardo Cunha, possui posições pouco favoráveis aos homossexuais.

    Como serão as votações de Marta?

     

  18. A miséria moral de ex-esquerdistas

    Relembrando

    A miséria moral de ex-esquerdistas

    Alguns sentem satisfação quando alguém que foi de esquerda salta o muro, muda de campo e se torna de direita – como se dissessem: “Eu sabia, você nunca me enganou”, etc., etc. Outros sentem tristeza, pelo triste espetáculo de quem joga fora, com os valores, sua própria dignidade – em troca de um emprego, de um reconhecimento, de um espaçozinho na televisão.

    O certo é que nos acostumamos a que grande parte dos direitistas de hoje tenham sido de esquerda ontem. O caminho inverso é muito menos comum. A direita sabe recompensar os que aderem a seus ideais – e salários. A adesão à esquerda costuma ser pelo convencimento dos seus ideais.

    O ex-esquerdista ataca com especial fúria a esquerda, como quem ataca a si mesmo, a seu próprio passado. Não apenas renega as idéias que nortearam – às vezes o melhor período da sua vida -, mas precisa mostrar, o tempo todo, à direita e a todos os seus poderes, que odeia de tal maneira a esquerda, que já nunca mais recairá naquele “veneno” que o tinha viciado. Que agora podem contar com ele, na primeira fila, para combater o que ele foi, com um empenho de quem “conheceu o monstro por dentro”, sabe seu efeito corrosivo e se mostra combatente extremista contra a esquerda.

    Não discute as idéias que teve ou as que outros têm. Não basta. Senão seria tratar interpretações possíveis, às quais aderiu e já não adere. Não. Precisa chamar a atenção dos incautos sobre a dependência que geram a “dialética”, a “luta de classes”, a promessa de uma “sociedade de igualdade, sem classes e sem Estado”. Denunciar, denunciar qualquer indicio de que o vício pode voltar, que qualquer vacilação em relação a temas aparentemente ingênuos, banais, corriqueiros, como as políticas de cotas nas universidades, uma política habitacional, o apoio a um presidente legalmente eleito de um país, podem esconder o veneno da víbora do “socialismo”, do “totalitarismo”, do “stalinismo”.

    Viraram pobres diabos, que vagam pelos espaços que os Marinhos, os Civitas, os Frias, os Mesquitas lhes emprestam, para exibir seu passado de pecado, de devassidão moral, agora superado pela conduta de vigilantes escoteiros da direita. A redação de jornais, revistas, rádios e televisões está cheia de ex-trotskistas, de ex-comunistas, de ex-socialistas, de ex-esquerdistas arrependidos, usufruindo de espaços e salários, mostrando reiteradamente seu arrependimento, em um espetáculo moral deprimente.

    Aderem à direita com a fúria dos desesperados, dos que defendem teses mais que nunca superadas, derrotadas, e daí o desespero. Atacam o governo Lula, o PT, como se fossem a reencarnação do bolchevismo, descobrem em cada ação estatal o “totalitarismo”, em cada política social a “mão corruptora do Estado”, do “chavismo”, do “populismo”.

    Vagam, de entrevista a artigo, de blog à mesa redonda, expiando seu passado, aderidos com o mesmo ímpeto que um dia tiveram para atacar o capitalismo, agora para defender a “democracia” contra os seus detratores. Escrevem livros de denúncia, com suposto tempero acadêmico, em editoras de direita, gritam aos quatro ventos que o “perigo comunista” – sem o qual não seriam nada – está vivo, escondido detrás do PAC, do Minha casa, minha vida, da Conferência Nacional de Comunicação, da Dilma – “uma vez terrorista, sempre terrorista”.

    Merecem nosso desprezo, nem sequer nossa comiseração, porque sabem o que fazem – e os salários no fim do mês não nos deixam mentir, alimentam suas mentiras – e ganham com isso. Saíram das bibliotecas, das salas de aula, das manifestações e panfletagens, para espaços na mídia, para abraços da direita, de empresários, de próceres da ditadura.

    Vagam como almas penadas em órgãos de imprensa que se esfarelam, que vivem seus últimos sopros de vida, com os quais serão enterrados, sem pena, nem glória, esquecidos como serviçais do poder, a que foram reduzidos por sua subserviência aos que crêem que ainda mandam e seguirão mandado no mundo contra o qual, um dia, se rebelaram e pelo que agora pagam rastejando junto ao que de pior possui uma elite decadente e em vésperas de ser derrotada por muito tempo. Morrerão com ela, destino que escolheram em troca de pequenas glórias efêmeras e de uns tostões furados pela sua miséria moral. O povo nem sabe que existiram, embora participe ativamente do seu enterro.

    Postado por Emir Sader às 02:11

    Alguns sentem satisfação quando alguém que foi de esquerda salta o muro, muda de campo e se torna de direita – como se dissessem: “Eu sabia, você nunca me enganou”, etc., etc. Outros sentem tristeza, pelo triste espetáculo de quem joga fora, com os valores, sua própria dignidade – em troca de um emprego, de um reconhecimento, de um espaçozinho na televisão.

    O certo é que nos acostumamos a que grande parte dos direitistas de hoje tenham sido de esquerda ontem. O caminho inverso é muito menos comum. A direita sabe recompensar os que aderem a seus ideais – e salários. A adesão à esquerda costuma ser pelo convencimento dos seus ideais.

    O ex-esquerdista ataca com especial fúria a esquerda, como quem ataca a si mesmo, a seu próprio passado. Não apenas renega as idéias que nortearam – às vezes o melhor período da sua vida -, mas precisa mostrar, o tempo todo, à direita e a todos os seus poderes, que odeia de tal maneira a esquerda, que já nunca mais recairá naquele “veneno” que o tinha viciado. Que agora podem contar com ele, na primeira fila, para combater o que ele foi, com um empenho de quem “conheceu o monstro por dentro”, sabe seu efeito corrosivo e se mostra combatente extremista contra a esquerda.

    Não discute as idéias que teve ou as que outros têm. Não basta. Senão seria tratar interpretações possíveis, às quais aderiu e já não adere. Não. Precisa chamar a atenção dos incautos sobre a dependência que geram a “dialética”, a “luta de classes”, a promessa de uma “sociedade de igualdade, sem classes e sem Estado”. Denunciar, denunciar qualquer indicio de que o vício pode voltar, que qualquer vacilação em relação a temas aparentemente ingênuos, banais, corriqueiros, como as políticas de cotas nas universidades, uma política habitacional, o apoio a um presidente legalmente eleito de um país, podem esconder o veneno da víbora do “socialismo”, do “totalitarismo”, do “stalinismo”.

    Viraram pobres diabos, que vagam pelos espaços que os Marinhos, os Civitas, os Frias, os Mesquitas lhes emprestam, para exibir seu passado de pecado, de devassidão moral, agora superado pela conduta de vigilantes escoteiros da direita. A redação de jornais, revistas, rádios e televisões está cheia de ex-trotskistas, de ex-comunistas, de ex-socialistas, de ex-esquerdistas arrependidos, usufruindo de espaços e salários, mostrando reiteradamente seu arrependimento, em um espetáculo moral deprimente.

    Aderem à direita com a fúria dos desesperados, dos que defendem teses mais que nunca superadas, derrotadas, e daí o desespero. Atacam o governo Lula, o PT, como se fossem a reencarnação do bolchevismo, descobrem em cada ação estatal o “totalitarismo”, em cada política social a “mão corruptora do Estado”, do “chavismo”, do “populismo”.

    Vagam, de entrevista a artigo, de blog à mesa redonda, expiando seu passado, aderidos com o mesmo ímpeto que um dia tiveram para atacar o capitalismo, agora para defender a “democracia” contra os seus detratores. Escrevem livros de denúncia, com suposto tempero acadêmico, em editoras de direita, gritam aos quatro ventos que o “perigo comunista” – sem o qual não seriam nada – está vivo, escondido detrás do PAC, do Minha casa, minha vida, da Conferência Nacional de Comunicação, da Dilma – “uma vez terrorista, sempre terrorista”.

    Merecem nosso desprezo, nem sequer nossa comiseração, porque sabem o que fazem – e os salários no fim do mês não nos deixam mentir, alimentam suas mentiras – e ganham com isso. Saíram das bibliotecas, das salas de aula, das manifestações e panfletagens, para espaços na mídia, para abraços da direita, de empresários, de próceres da ditadura.

    Vagam como almas penadas em órgãos de imprensa que se esfarelam, que vivem seus últimos sopros de vida, com os quais serão enterrados, sem pena, nem glória, esquecidos como serviçais do poder, a que foram reduzidos por sua subserviência aos que crêem que ainda mandam e seguirão mandado no mundo contra o qual, um dia, se rebelaram e pelo que agora pagam rastejando junto ao que de pior possui uma elite decadente e em vésperas de ser derrotada por muito tempo. Morrerão com ela, destino que escolheram em troca de pequenas glórias efêmeras e de uns tostões furados pela sua miséria moral. O povo nem sabe que existiram, embora participe ativamente do seu enterro.

    Postado por Emir Sader às 02:11

  19. Marta que ficou toda cheia de

    Marta que ficou toda cheia de didinho que Lula precisou desesperadamente dos votos malufistas para não passar a maior vergonha , agora ao lado desses?

  20. Queremos somente petistas
    Queremos somente petistas aguerridos e de esquerda no PT. Os falsos os petitas, os tucano petistas que caiam fora do PT, o melhor partido do Brasil, o partido do povo, do trabalhador!
    Queremos a auditoria da dívida pública, e as reformas estruturais voltadas para o povo e em defesa da soberania nacional. Os entreguistas que vão pra cadeia e pra PQP!

  21. Partido de rapineiros descarados

    Mais uma que acredita que fazer política é ser oportunista, não importa a coerência, a decência e a moral.

    Mais uma a se juntar à escória do Eduardo Cunha e sua laia. Só nos resta torcer para que o eleitor esclarecido não vote neste partido de rapineiros.

  22. O PMDB de Ulisses não existe

    O PMDB de Ulisses não existe mais.

    Marta sabe disso.

    Ela joga para o PIG e para os babacas.

    Temer tem dito frases ambíguas.

    Temer vai a eventos de movimentos golpistas.

    Temer é dissimulado.

    O PMDB é um partido que aluga seu apoio a quem estiver no poder. E cobra muito caro, vive disso nesse país de vida política dilacerada pela ditadura até hoje.

    Um partido que mantém na presidência da Câmara uma pessoa tão suspeita e tão golpista quanto o Cunha pode ser chamado de tudo, menos de partido democrático e unificador do Brasil.

    A vaidade faz as pessoas perderem totalmente o bom senso.

    Marta é mais uma que termina a vida política na lata de lixo da história.

    Poderia ter se preservado mais, se fosse inteligente de verdade.

     

  23. Noticia recuperada dos livros de antanho

    Na Roma antiga tinha um partido franquia e o nome coincidentemente era PMDB, os comentaristas o definiam como lugar onde cabiam: oves et boves et universa pecora.

    Traduzindo: o monturo.

  24. Diz um trecho do grupo de forró cearense ” ferro na boneca”….

    ;;;;” de rapariga eu entendo, sou viciado, meu costume é mulher”…..cantada  pelo vocalista Briola ( o Fred Krugger ),

    De traição, a  Marta entende:  Já botou galha no lerdo do Suplicy  com o argentino assessor petista !!

    Esquece!   Deixa prá  lá.  Marta foi um  rio ( pinheiros )  que passou pela esquerde !!!

    Já vai tarde !!!

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome