Marta critica PT, revela raízes do “Volta Lula” e aponta Mercadante como presidenciável

Jornal GGN – Em entrevista à jornalista Eliane Cantanhêde (Estadão), a senadora Marta Suplicy fez um discurso duro contra o próprio partido, o PT, distanciando-se da legenda que “ajudou a criar” em função dos “desmandos” e escândalos protagonizados nos últimos anos. Marta disparou também contra o governo Dilma Rousseff (PT), principalmente em relação à política econômica. A senadora revelou os bastidores do “Volta Lula” e disse que chegou a cogitar que seria ela a candidata a sucessora de Lula em 2010. 

Para Marta, o PT está completamente rachado entre dilmistas e lulistas, e isto prova-se com o afastamento de petistas ligados a Lula do primeiro escalão do novo governo Dilma. A senadora ainda projetou a candidatura do ministro Aloizio Mercadante – a quem chamou de inimigo – em 2018, como potencial sucessor de Dilma. Por fim, não descartou sua saída do PT, e disse que ainda não sabe para qual partido se endereçar.

Marta critica Dilma, ataca colegas e afirma: ‘Ou o PT muda ou acaba’

Por Eliane Cantanhêde

Do Estadão

Para a senadora Marta Suplicy (SP), que foi deputada, prefeita e duas vezes ministra pelo PT, o partido chegou a uma encruzilhada: “Ou o PT muda, ou acaba”. Em entrevista ao Estado, Marta não assumiu explicitamente, mas deixou evidente que está a um passo de sair do PT: “Cada vez que abro um jornal, mais fico estarrecida com os desmandos. É esse o partido que ajudei a criar?”.

Articuladora assumida do “Volta, Lula” em 2014, ela também deixou suficientemente claro que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em alguns momentos, autorizou os movimentos nesse sentido. Quanto ao governo Dilma: “Os desafios são gigantescos. Se ela não respeitar a independência da equipe econômica, vai ser desastroso para o Brasil”.

A declaração mais irada foi contra o chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que ela julga “inimigo do Lula” e “candidatíssimo” a presidente em 2018, mas “vai ter contra si a arrogância e o autoritarismo”. A seguir, os principais trechos da entrevista:

Por que a senhora articulou o movimento “Volta, Lula”?

Em meados de 2013, os desmandos aconteciam e a economia ia de mal a pior. Foi aí que disse ao Lula: ‘Presidente, está acontecendo uma coisa muito séria. O que o senhor acha que está acontecendo?’ Conversamos a primeira, a segunda, a terceira, a quarta vez… E ele dizia: ‘É verdade, estou conversando com ela, mas não adianta, ela não ouve’. A coisa foi piorando e, um dia, ele disse: ‘Os empresários estão se desgarrando…’. E perguntou se eu podia ajudar e organizei um jantar na minha casa, já no início de 2014, com os 30 PIBs paulistas. Foi do Lázaro Brandão a quem você quiser imaginar. Eles fizeram muitas críticas à política econômica e ao jeito da presidente. E ele não se fez de rogado, entrou nas críticas, disse que era isso mesmo. Naquele jeito do Lula, né? Quando o jantar acabou, todos estavam satisfeitíssimos com ele.

E falaram nele como candidato?

Ninguém falou claramente, mas todo mundo saiu dali com a convicção de que ele era, sim, o candidato.

Ele admitia que queria ser?

Nunca admitiu, mas decepava (sic) ela: ‘Não ouve, não adianta falar.’

Ele estava incomodado com Dilma?

Extremamente incomodado. E isso é que foi levando ele a achar que tinha de ser o candidato e fui percebendo que a ação dele foi mudando. A verdade é que ele nunca disse, mas sempre quis ser candidato e achou que ia ser.

Por isso a senhora trabalhou pela candidatura do Lula?

Sim, providenciando os encontros para ele poder se colocar. Foi quando convidei políticos, artistas para um grande encontro político. Convidei a Dilma, o Mercadante e todos os ministros de São Paulo, avisando que o Lula estaria presente. Todos confirmaram, mas, na véspera, todos cancelaram. E ela, Dilma, também não foi. Nessa época, ainda estava confuso quem seria o candidato. Tinha uma disputa. E, depois, quando ela virou candidatésima, ele não falava mais com ela.

O Lula deixava uma porta aberta?

Quando o Lula escolheu o Fernando Haddad para disputar a Prefeitura, eu avisei a ele que eu ia sair do ministério, porque discordava da política econômica, da condução do País, e ia voltar para o Senado. ‘E vou dizer que o candidato é o senhor. A única que tem coragem de dizer isso publicamente sou eu e vou dizer’. E ele: ‘Não vai, não, de jeito nenhum’. Eu: ‘Por quê?’ Ele: ‘Porque não é hora’. Veja bem, ele não negou, ele disse que não era hora.

Depois, como evoluiu?

Um dia, eu fui direta: ‘Lula, tem de ir pro pau, tem de ter clareza nisso’. E listei pessoas com quem poderia conversar para dizer que ele tinha interesse, que estava disposto. Aí ele disse que não, que não era para falar com ninguém. O que eu ia fazer? Concordei. Só que, quando eu já estava saindo, perto da porta, ele disse: ‘Pode falar com o Rui (Falcão, presidente do PT)’. Dois dias depois, sentei duas horas e meia com o Rui e disse a ele: ‘A situação está muito difícil eleitoralmente para o PT, mas muito difícil para o País. Porque vai ser muito difícil a Dilma conduzir o País de outro jeito, você já conhece o jeito dela’. Mas ele disse que íamos ganhar e que eu estava falando de coisas que eu não entendia.

Acredita que o Lula queria ser (candidato em 2014)?

Ele é um grande estadista, mas não quis enfrentar a Dilma. Pode ser da personalidade dele não ir para um enfrentamento direto, ou porque achou que geraria uma tal disputa que os dois iriam perder.

E quando o próprio Lula encerrou de vez o assunto?

Foi quando ele disse: ‘Marta, acabou. Vamos trabalhar para a Dilma e pronto. Você vai enfiar a camisa e trabalhar de novo’.

E a senhora, nunca pensou em ser candidata?

A quê?

A presidente…

Pensei sim. Quando era neófita, tinha clareza de que poderia ser presidente. Depois, isso caiu por terra, até que um dia o Lula, no avião dele, quando era presidente, me disse: ‘Minha sucessora vai ser uma mulher’. E pensei que ou seria eu, ou Marina (Silva) ou Dilma. Logo vi aquela história de ‘mãe do PAC’ e que era a Dilma. Pensei: ‘O que faço?’ Bom, ou ficava contra e não fazia coisa nenhuma, ou ajudava. Mais uma vez, decidi ajudar. Sempre achei que ia acabar ficando meio de fora das coisas, talvez pela origem, talvez por ser loura de olho azul, não sei.

Como vê o governo Dilma?

Os desafios agora são gigantescos, porque não se engendraram as ações necessárias quando se percebeu o fracasso da política econômica liderada por ela. Em 2013, esse fracasso era mais do que evidente. Era preciso mudar a equipe econômica e o rumo da economia, e sabe por que ela não mudou? Porque isso fortaleceria a candidatura do Lula, o ‘Volta, Lula’.

E a nova equipe econômica?

É experiente, qualificada. Vai depender de a Dilma respeitar a independência da equipe. Se não respeitar, vai ser desastroso. Agora, é preciso ter humildade e a forma de reconhecer os erros a esta altura é deixar a equipe trabalhar. Mas ela não reconheceu na campanha, não reconheceu no discurso de posse. Como que ela pode fazer agora?

Se Dilma não deixar a equipe econômica trabalhar, os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) podem correr para o Lula, pedindo apoio?

Você não está entendendo. O Lula está fora, está totalmente fora.

Tudo isso criou uma cisão indelével no PT, entre lulistas e dilmistas, como ficou claro na posse, quando o Lula foi frio com o Mercadante?

O Mercadante é inimigo, o Rui traiu o partido e o projeto do PT, e o partido se acovardou ao recusar um debate sobre quem era melhor para o País, mesmo sabendo as limitações da Dilma. Já no primeiro dia, vimos um ministério cujo critério foi a exclusão de todos que eram próximos do Lula. O Gilberto Carvalho é o mais óbvio.

Qual o efeito disso em 2018?

Mercadante mente quando diz que Lula será o candidato. Ele é candidatíssimo e está operando nessa direção desde a campanha, quando houve um complô dele com Rui e João Santana (marqueteiro de Dilma) para barrar Lula.

Quais as chances de vitória do PT com o Mercadante?

Ele vai ter contra si sua arrogância, seu autoritarismo, sua capacidade de promover trapalhadas. Mas ele já era o homem forte do governo. Logo, todas as trapalhadas que ocorreram antes ocorrem agora e ocorrerão depois terão a digital dele.

Afinal, quais são os desmandos da gestão do Juca Ferreira na Cultura?

Foi uma gestão muito ruim. Enviei para a CGU (Controladoria-Geral da União) tudo sobre desmandos e irregularidades da gestão dele.

O que aconteceu com a Petrobrás?

Para mim, todo o conselho e diretoria deveriam ter sido trocados. Respeito a Graça (Foster), até gosto dela. Não questiono sua seriedade e honradez. Mas, no momento, o mais importante é salvar a Petrobrás.

O PT foi criado com a aura de partido ético. Imaginava que pudesse chegar a esse ponto?

Cada vez que abro um jornal, fico mais estarrecida com os desmandos do que no dia anterior. É esse o partido que ajudei a criar e fundar? Hoje, é um partido que sinto que não tenho mais nada a ver com suas estruturas. É um partido cada vez mais isolado, que luta pela manutenção no poder. E, se for analisar friamente, é um partido no qual estou há muito tempo alijada e cerceada, impossibilitada de disputar e exercer cargos para os quais estou habilitada.

Então, a senhora vai sair do PT.

A decisão não está tomada ainda, mas passei um mês e meio, dois meses, chorando, com uma tristeza profunda, uma decepção enorme, me sentindo uma idiota. Não tomei a decisão nem de sair, nem para qual partido, mas tenho portas abertas e convites de praticamente todos, exceto do PSDB e do DEM.

Para concorrer à Prefeitura?

Não será uma decisão em função de uma possível disputa à Prefeitura, por isso é tão dura. É uma decisão duríssima de quem acreditou tanto, de quem engoliu tanto.

Tem uma gota d’água?

Não, mas na campanha da Dilma e do (Alexandre) Padilha em São Paulo, fui totalmente alijada. Quando Padilha me ligou pedindo para eu gravar, disse: ‘Ô Padilha, entenda. Eu não sou mais objeto utilitário, acabou essa minha função no PT’.

Por que Dilma e Padilha foram tão mal em São Paulo?

Não foi um voto pró-Aécio (Neves), foi um voto anti-PT, pelos desmandos que o PT tem perpetrado nesses anos todos.

O que vai ocorrer com o PT?

Ou o PT muda ou acaba.

119 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Daytona

- 2015-01-13 11:11:53

Aécio não saiu do PSDB, ficou

Aécio não saiu do PSDB, ficou e trabalhou pela derrota de Serra nas eleições de 2010. Serrá tampouco saiu. Ficou e trabalhou pela derrota de Aécio em 2014. 

Sobre o fascismo, o correto seria uma leitura aprofundada, o que o senhor, obviamente, não fez. Nem mesmo em seu alegado conhecimento enciclopédico o senhor demonstra saber do que está falando.

Do Dicionário de Política do Bobbio:

[NORBERTO BOBBIO]Fascismo.I. PROBLEMAS DE DEFINIÇÃO. — Na já vastíssima literatura referente ao Fascismo é normal depararmos com definições diversas e freqüentemente contraditórias deste conceito. A multiplicidade de definições é demonstrativa não só pela real complexidade do objeto estudado, como também pela pluralidade de enfoques, cada um dos quais acentua, de preferência, um ou outro traço considerado particularmente significativo para a descrição ou explicação do fenômeno. Só esse primeiro parágrafo do dicionário do Bobbio(um dos principais dicionários de ciência política, que o senhor certamente nunca leu)já desmonta seu comentário descabido acerca de "qualquer conceituação de qualquer livro", uma generalização completamente sem sentido, ainda mais em se tratando de conceitos que buscam explicar movimentos político-sociais complexos. Óbvio que, além da canastrice barata, seu comentário é produto de sua falta de cultura e leitura, pois atenta contra princípios básicos do próprio conhecimento. Bobbio continua: Preliminarmente podemos distinguir três usos ou significados principais do termo. O primeiro faz referência ao núcleo histórico original, constituído pelo Fascismo italiano em sua historicidade específica; o segundo está ligado à dimensão internacional que o Fascismo alcançou, quando o nacional-socialismo se consolidou na Alemanha com tais características ideológicas, tais critérios organizativos e finalidades políticas, que levou os contemporâneos a estabelecerem uma analogia essencial entre o Fascismo italiano e o que foi chamado de Fascismo alemão; o terceiro, enfim, estende o termo a todos os movimentos ou regimes que compartilham com aquele que foi definido como "Fascismo histórico", de um certo núcleo de características ideológicas e/ou critérios de organização e/ou finalidades políticas. Nesta última acepção, o termo Fascismo assumiu contornos tão indefinidos, que se tornou difícil sua utilização com propósitos científicos. Por isso, vem-se acentuando cada vez mais a tendência de restringir seu uso apenas ao Fascismo histórico, cuja história se desenrola na Europa entre os anos 1919 e 1945 e que está essencial e especificamente representado no Fascismo italiano e no nacional-socialismo alemão.

Por fim, uma definição:

Em geral, se entende por Fascismo um sistema autoritário de dominação que é caracterizado: pela monopolização da representação política por parte de um partido único de massa, hierarquicamente organizado; por uma ideologia fundada no culto do chefe, na exaltação da coletividade nacional, no desprezo dos valores do individualismo liberal e no ideal da colaboração de classes, em oposição frontal ao socialismo e ao comunismo, dentro de um sistema de tipo corporativo; por objetivos de expansão imperialista, a alcançar em nome da luta das nações pobres contra as potências plutocráticas; pela mobilização das massas e pelo seu enquadramento em organizações tendentes a uma socialização política planificada, funcional ao regime; pelo aniquilamento das oposições, mediante o uso da violência e do terror; por um aparelho de propaganda baseado no controle das informações e dos meios de comunicação de massa; por um crescente dirigismo estatal no âmbito de uma economia que continua a ser, fundamentalmente, de tipo privado; pela tentativa de integrar nas estruturas de controle do partido ou do Estado, de acordo com uma lógica totalitária, a totalidade das relações econômicas, sociais, políticas e culturais. Como s epode ver, em todos os sentidos seu comentário está incorreto, beirando o ridículo.

Marisa

- 2015-01-12 17:41:57

Marta falou com o coração na

Marta falou com o coração na hora errada, e pro canal errado. 

Eu entendo o que ela quis dizer, mas o contexto da entrevista é falho, logo, em vez de gerar compreensão, as afirmações dela vão servir para caracterizá-la como traidora.

Quis dar o bote, ganhar reconhecimento dentro do PT, e o que conseguiu foi criar antipatia por ela dentro e fora do partido. 

Batata

- 2015-01-12 17:11:53

Partido de Massas

O PT nos mais de 30 anos de história, consolidou relações com o movimento social e sindical e manteve-se como instituição de representação política de amplos setores organizados de nossa sociedade, fazendo de lideranças sociais, lideranças políticas reconhecidas. Os quadros partidários que ocuparam e ocupam cargos nas gestóes petistas são militantes que trazem respaldo social das áreas onde atuam, e suas indicações passam pelo crivo de instâncias partidárias afetas ao espaço político a que estivermos tratando ], nos âmbitos federais, estaduais ou municipais.

O PT, além das instâncias formais deliberativas, conta com setoriais de elaboração de proposições de políticas públicas, de secretarias onde se tratam dos assuntos de interesse dos movimentos sociais, e realiza encontros e congressos para construir suas estratégias políticas.

Tem ainda a Fundação Perseu Abramo que agrega intelectuais interessados em participar da elaboração de análises de conjuntura e avaliação de políticas sociais.

Os fatos que você vê contrariados são versões trazidas por fontes que preferem ignorar a possibilidade de termos um partido de massas.

A mídia golpista não se interessa pela existencia de um processo de organização partidária consolidado, e com respaldo social. Ou você é daqueles que acredita que as mobilizações petistas são feitas por chamados oportunistas de véspera de eleição, e os que se mobilizam são um bando de bobinhos em busca de um lider carismático qualquer?

Andre Araujo

- 2015-01-12 12:07:19

A historia mostra que ninguem

A historia mostra que ninguem é dono de partido. Não existe partido de um só. Maluf fundou o PP e hoje não controla nem a Executiva de SP, JK mandava no PSD que em 10 de abril de 64 votou em pso pelo Governo Militar e depois transformou-se em Arena, todos os partidos tem ciclos e fases, Lula não fundou o PT sozinho, do ponto de vista partidario José Dirceu foi mais importante que Lula, o PT tem dez alas, Lula precisa convencer para fazer acontecer.

Clever Mendes de Oliveira

- 2015-01-12 05:16:30

A Marta Suplicy precisa falar mais para sermos mais informados

 

Luis Nassif,

Um título muito bom para uma entrevista excepcional. Excepcional pela franqueza de Marta que acabou expondo uma série de debilidades do partido.

Dava o movimento do “Volta Lula em 2014” como fruto de pessoas que mais desserviam ao partido e que queriam a couraça protetora de Lula para esconder os seus malfeitos. Achava até que a maioria estava fora do partido. A Marta Suplicy para mim não pertence a esse grupo que queriam Lula como proteção. Então, pelo exemplo de Marta Suplicy, o movimento “Volta Lula em 2014" pecava mais pelo desconhecimento da política. Era muito mais fácil Lula reeleger Dilma do que eleger-se a si mesmo. Na tentativa de se eleger a si mesmo, Lula teria toda a história da Petrobras voltada contra ele. E teria também toda a avaliação ruim que se fazia do governo de Dilma Rousseff voltada contra ele.

Quando você falou da ameaça que Lula fez a Eduardo Campos de que ele poderia ser candidato, eu disse que esta era uma ameaça fraca, pois Lula candidato teria contra ele tudo de ruim que se falasse contra a criação dele.

Agora o PT foi fraco para chegar ao ponto de uma pessoa como Marta Suplicy participar de uma campanha que pretendesse a volta de Lula. A não ser que a proposta foi lançada como estratégia para não deixar o rebanho desagregar. Foi fraco também para deixar que pessoas dentro do PT fizessem essa avaliação que a Marta Suplicy faz da política econômica do governo da presidenta Dilma Rousseff.

A impressão que se tem é que você faz a cabeça dos petistas e de Marta Suplicy em particular. O parágrafo a seguir é ilustrativo como a santa ignorância acomete luminares do PT. Diz lá Marta Suplicy sobre a pergunta de Eliane Cantanhêde sobre o motivo para Marta ter articulado o movimento “Volta, Lula”:

“Em meados de 2013, os desmandos aconteciam e a economia ia de mal a pior. Foi aí que disse ao Lula: ‘Presidente, está acontecendo uma coisa muito séria. O que o senhor acha que está acontecendo?’ Conversamos a primeira, a segunda, a terceira, a quarta vez... E ele dizia: ‘É verdade, estou conversando com ela, mas não adianta, ela não ouve’. A coisa foi piorando e, um dia, ele disse: ‘Os empresários estão se desgarrando...’. E perguntou se eu podia ajudar e organizei um jantar na minha casa, já no início de 2014, com os 30 PIBs paulistas. Foi do Lázaro Brandão a quem você quiser imaginar. Eles fizeram muitas críticas à política econômica e ao jeito da presidente. E ele não se fez de rogado, entrou nas críticas, disse que era isso mesmo. Naquele jeito do Lula, né? Quando o jantar acabou, todos estavam satisfeitíssimos com ele”.

Ora, em meados de 2013 nós tivemos dois sinais contraditórios. A economia havia crescido no segundo trimestre de 2013 como só crescia nos momentos de forte retomada da economia. A primeira informação fornecida no final de agosto de 2013 foi que a economia crescera em um ritmo anualizado correspondente a uma taxa de 6%. Na última informação fornecida em agosto de 2014 tem-se que o crescimento fora de mais de 8%. E o outro sinal foram as manifestações que reduziram a popularidade da presidenta Dilma Rousseff em quase 30 pontos percentuais em apenas um mês. Nunca antes na história da humanidade algo semelhante com a popularidade de um chefe de executivo havia acontecido sem que um país estivesse em guerra com potencias estrangeiras e tenha perdido esta guerra.

Cabia o PT ter esclarecido isso para as lideranças do PT e repassado isso para os filiados do partido e depois tentar ganhar corações e mentes da população. No entanto o que se lia era crítica à política econômica do governo na grande imprensa e quando se ia em blogs como o seu havia ainda mais crítica. E Marta Suplicy se deixou influenciar.

E o pior foi que Marta Suplicy não só fez avaliação equivocada da política econômica de Guido Mantega como fez a avaliação equivocada sobre a alternativa política viável ao embarcar no movimento “Volta, Lula”.

É claro que a culpa não foi só do PT de não ter feito internamente mais reuniões de avaliação da política econômica e de esclarecimento dessa política. Há um pouco de vaidade de Marta Suplicy que sabe que sempre esteve no centro dos grandes acontecimentos do país, que convida para um jantar os “30 PIBs paulistas” e convive com eles, que tem carisma de sobra perto da praticamente ausência de carisma da presidenta Dilma Rousseff, que sabe comunicar como poucos e se vê diante de uma presidente com grande dificuldade de articulação. Então as coisas iam mal porque Lula fez a escolha errada lá atrás quando optou pela candidatura de Dilma Rousseff e só se recuperaria se Lula voltasse e ao fim fizesse a escolha certa que seria escolher a própria Marta Suplicy.

E enfim ficamos sabendo disso tudo e ficamos sabendo também que há desmandos. Não se sabe exatamente o que vem a ser os desmandos que deixa a Marta Suplicy estarrecida. Seria bom que a população também soubesse desses desmandos. O que sabemos é que na Petrobras houve desvio de recursos públicos com a participação inclusive de parte dos 30 PIBs paulistas. Espero que todos os envolvidos possam ser julgados e caso culpados sejam penalizados com justiça.

Clever Mendes de Oliveira

BH, 11/01/2015

Anarquista Lúcida

- 2015-01-12 02:00:01

Democracia é muito difícil mesmo

Há projetos coletivos, mas há diferentes visoes sobre eles, cada um quer impor a sua, etc. E vc sabe o narcisismo é um dos 2 bens mais bem distribuídos no mundo, todos têm, e mais do que o necessário... (rs)

Gilson.Raslan

- 2015-01-12 01:43:13

Egoista, pedante,

Egoista, pedante, mal-agradecida: isto é a MarTaxa. Esta mmulher é da massa cheirosa, tanto que a entrevista foi dada à rainha da massa cheirosa.

O PT não gosta dela por causa de sua classe e porque é loira dos olhos azuis. É muita pretensão? 

Um aviso à loira de olhos azuis: ministro não tem independência,  o que ele pode ter é autonomia, quem tem independência são os três poderes da República. 

Vai, MarTaxa, vai fazer companhia ao Paulinho FICHA SUJA da Forca Sindical, ao Jarbas Vasconcelos, ao Roberto GEIZEL Freire, aos barões do PIG, vocês se merecem.

 

lenita

- 2015-01-12 01:42:30

Concordo Anarquista . É que

Concordo Anarquista . É que não encontro outra explicação, daí falei da falta de  amadurecimento, por terem sido muitos casos. Pode ser tb pelo histórico das esquerdas no mundo inteiro, e não ligadas simplesmente a gênero.

Katia de Barros

- 2015-01-12 00:52:29

MAIS UM PROVAVEL CONDENADO

Olha, parece pragas daqueles que saem do PARTIDO acusando traição e etc..que o

PT não presta e vai procurar outros rumos...resultado ; não se elegem vão pra Direita, lá tambem  ..

não conseguem exito e fica por aí malagroda......mais uma na história....................

Sérgio T.

- 2015-01-12 00:39:46

Contradições...

Marta sempre me ocasionou sentimentos contraditórios. De um lado a acho inteligente, culta, corajosa, moderna, de outro, arrogante, voluntarista, não me parece boa formadora de "times", e no passado deu declarações meio sem senso de oportunidade... Agora aparece dando mais declarações contundentes, as quais só o tempo dirá o seu valor quanto ao mesmo "senso de oportunidade" que destaquei antes... 

O que essa entrevista revela, e eu e muitos vemos este problema se formando a anos, é que o PT mudou para pior. E claro, o poder mudou o PT e mudaria qualquer um. Esse é um efeito óbvio e esperado, o que se discute é o "quanto" deveria ou não.

Vai ser "interessante" ver onde isto tudo vai dar, pois somos nós o "zé povinho", que sofremos os solavancos das mudanças sócio econômicas no lombo... Por enquanto o PT vai se mantendo no poder graças a falta de alternativas minimamente viáveis para o país, pois colocar "figuras" como Aécio Neves no poder é uma burrice que o brasileiro não fez e espero que nunca faça... Por outro lado, considero o governo Dilma fraco, conservador, sem "raíz petista" e muito atrapalhado.

Trabalhemos então para que, sem abrir mão do direito de criticar, tudo se encaminhe bem no governo do "Pití"... Ops... do PT.

Um abraço.

Moura

- 2015-01-12 00:39:17

É muita contradição motivada por oportunismo e ambição

"Cada vez que abro um jornal, fico mais estarrecida" ... Então a Senadora se informa sobre o PT e o Governo Federal, no qual até poucos dias era ministra, pelos "Jornais"????? Claro, deve ser a Farsa de São Paulo, Estadão, Globo, e à noite deve ver também o que o Bonner vomita no JN... Sinceramente, ela está com problemas, nem pensa no que está falando, inclusive diz que só notou problemas no governo depois que o Haddad foi definido como candidato a prefeito de Sampa.... A charge do Bessinha diz tudo, é a natureza dela que demorou para se revelar de vez. Agora vai se juntar ao PIG como Madalena Arrependida... triste fim da madame....

Andre Araujo

- 2015-01-12 00:32:26

Disputas internas de muito

Disputas internas de muito maior intensidade ocorreram na eleição de 2012 entre Newt Gringrich e George Romney e nem porisso o PR rachou. Serra não saiu do PSDB e foi eleito Senador depois das brigas com Aecio. Churchill contestou

absolutamente a liderança de Chamberlin em 1938 quando este assinou o Acordo de Munich mas não saiu do Partido Conservador, conseguiu derrubar Chamberlin em abril de 1940 sem que Chamberlin saisse do Partido. Brigaram ao extremo mas não houve racha nos Conservadores.

Por qualquer conceituação de qualquer livro de ciencia politica FASCISMO pressupõe liderança autoritaria e não grupos

bagunceiros sem qualquer projeto ideologico.

Anarquista Lúcida

- 2015-01-12 00:25:53

É direito seu, claro

Mas acho muito triste isso. 

lenita

- 2015-01-12 00:12:56

Sinto muito Anarquista, mas

Sinto muito Anarquista, mas mantenho a minha opinião. E o que disse foi devido não só à Marta, mas aos inúmeros casos acontecidos, dentro do PT e protagonizados por mulheres. Não pense que não fico chateada com minha conclusão, mas é uma realidade. Aconteceram diversos casos com homens tb, mas me parece mesmo - e posso estar errada - que a mulher, atira mais, ou é levada a isto por uma mistura de sentimentos , ainda não totalmente entendidos, tanto na política e/ou em cargos de direção, por ser ainda recente sua atuação nestes casos. Não falei como mulher, apenas analisei a questão.

Kassapo

- 2015-01-11 23:11:27

Ô Martinha....

...Relaxa e goza !!!!!

Rabuja

- 2015-01-11 22:41:08

Idéias? Desde quando?

Acorda. Ela está brigando pelo poder.

Rcdo

- 2015-01-11 22:28:26

Como é que é?

"(...) se fazia necessário contar com quadros que implementassem políticas definidas em instâncias coletivas e que atendessem demandas diversas com inserções sociais complexas."

A respeito de que partido você está falando isso, Batata??????? Do Frente Amplio do Uruguai? Da Unidad Popular do Allende? Da Frente Sandinista de 86?

Do PT no poder é que me parece factualmente impossível que seja. Isso simplesmente contraria os fatos, e naum seria outra coisa senão idealização ingênua, ou pior, meramente wishful thinking.

Rabuja

- 2015-01-11 22:20:15

Eu ia comentar sobre aquele exemplo de "progressismo" dela

... insinuanado sobre a orientação sexual do Kassab.

Mas fiquei com preguiça, parece que a maioria (finge que) esqueceu.

A coerência entre discrusos e ações na política, se um dia existiu, morreu faz tempo.

 

 

Pedro Penido dos Anjos

- 2015-01-11 22:17:21

Mas, afinal, as peças

Mas, afinal, as peças publicitárias tentando descontruir o Kassab e apelando para insinuações a respeito das suas inclinações sexuais, existiram e foram ao por período prolongado, ou não?

Arthemísia

- 2015-01-11 22:15:57

Marta, ao sair, não esqueça

Marta, ao sair, não esqueça de devolver o mandato; fique à vontade também para se livrar de um sobrenome petista.

Anarquista Lúcida

- 2015-01-11 21:42:02

Vc já foi para o ralo há muito tempo e quer companhia, né?

Argh! 

Anarquista Lúcida

- 2015-01-11 21:40:25

Francamente Lenita, isso vindo de uma mulher...

Releia o texto do Rovai, ele responde bem a isso. As mulheres apenas tendem a ser menos hipócritas. O teor das picuinhas nao é diferente, apenas o grau de transparência. 

Anarquista Lúcida

- 2015-01-11 21:24:40

Q comentário tao pertinente!

Foi ela a prefeita de Sao Paulo, nao o marido. Usar ciumeiras de filho e marido contra ela é mesmo prova do machismo mais ignóbil. 

Anarquista Lúcida

- 2015-01-11 21:23:05

Outro machista!

Quer fazer o favor de criticar a política, sem insultar a mulher junto? 

Anarquista Lúcida

- 2015-01-11 21:19:38

"Volta Lula" é BURRICE

É preciso projetar novas lideranças, e nao ficar dependentes de um homem só. Que está VELHO, sobretudo para mais dois mandatos. 

 

Anarquista Lúcida

- 2015-01-11 21:16:54

Mas escolheu sim uma forma machista de expressar suas críticas

Madame é injustificável. 

alfredo sternheim

- 2015-01-11 20:39:40

Até tu, Brutus?

Arthemísia, perfeita a tua análise. É triste ver o idealismo perder espaço para a ambição pessoal. Ao dar uma entrevista que resvala na fofoca pura e predatória, sobretudo com Lula que é retratado como um fraco dominado por Dilma (dá pra acreditar?), a ex-prefeita se destruiu. Em uma ocasião de tanto apedrejamento ao PT, a Lula e Dilma, a senadora fez coro ao linchamento com declarações superficiais, mas predatórias. O artigo de Eliane C , sempre com ojeriza ao PT e a Lula, vai servir de arma para os tucanos.  Como disse Julio Cesar na tragédia de Shakespeare: "Até tu, Brutus?"   

Ze Guimarães

- 2015-01-11 20:28:31

Eu tbm concordo

Eu tbm concordo com o que o Sr. disse sobre Dilma ser conservadora, Sr. Daytona. Mas o maior perigo aqui não é o conservadorismo de Dilma, e sim a falta de noção sobre a dosagem do conservadorismo.

Lula também foi um Governo de centro esquerda, deu uma guinada para o lado conservador sem perder a agenda social. Muitos criticaram as decisões de Lula sobre pagar a Dívida externa, mas ele estava certo. sabia quando e onde ser conservador. Nos juros Selic ele foi progressista, pois abaixou os juros. Lula sabia com maestria onde dosar o conservadorismo no seu Governo, sem se afastar do programa petista.

Com Dilma é exatamente o oposto, ela é como um FHC (Argh!) de esquerda. Sobe os juros quando não devia ( economia estagnada), e outras medidas que o sociólogo também usou e abusou e foram o motivo de o psdb ter sido execrado do planalto pelas urnas. Aliás eu acho que juros altos deviam ser proibidos no Brasil, como nos países desenvolvidos, onde nunca ouvi falar em juros de 2 digitos (10%).

Infelizmente se o Lula realmente não concorrer em 2018 vamos ter apenas candidatos mediocres sem opções. E o pior é que o Geraldo Alckmin é o que o psdb tem de melhor  para competir (risos), pois por ele ter uma postura mansa menos agressiva do que Aécio, acaba passando uma imagem menos neoliberal, o que pode enganar muitos eleitores, e combinado com o desempenho econômico fraco de Dilma levar à um perigo eleitoral de o neoliberalismo retornar ao poder. .

Batata

- 2015-01-11 20:00:54

Quadros históricos personalistas

A Marta foi ao longo da história do PT um quadro intelectual, com destaque midiático que defendeu e defende posturas progressistas no campo da moral e dos costumes, combatendo machismos e intolerâncias religiosas e discriminação sexual. Sua presença no PT foi potencializada por sua relação com o Suplicy, que desde a fundação assumiu posições de destaque nas configurações dirigentes do Partido.

A relação deles com a base partidária foi muito mais icônica do que orgânica, pois diferentemente das lideranças advindas dos movimentos sociais, eles não contavam com uma militância com quem tivessem uma relação de interlocução e de sustentação política, e também não contavam com uma militância organizada como os grupos de esquerda que se instalaram no PT. Mantiveram-se no partido e foram prestigiados por serem figuras públicas que ampliavam os horizontes da interlocução do partido com os demais setores políticos.

A trajetória deles, e dela principalmente, foi marcada por posturas personalistas que, quando o PT galga a Presidência da República, não contribuiam mais para o processo de consolidação das alianças e do jogo interno do partido, pois se fazia necessário contar com quadros que implementassem políticas definidas em instâncias coletivas e que atendessem demandas diversas com inserções sociais complexas.  O fato da Marta ter perdido a eleição de 2004 para o Serra na Prefeitura de São Paulo, desmontou a composição de forças que se havia composto em torno dela na gestão municipal, deixando-a em um cenário partidário inserido em desafios muito maiores sem uma articulação política que a sustentasse.

A passagem dela pelo Ministério do Turismo, e sua gafe monumental no meio da crise dos aeroportos deixou claro o feitio de baixa institucionalidade que ela tratava a gestão e os usuários das políticas do seu setor. Na gestão do MinC, ela não se deu conta do legado da gestão do Gil/Juca e da tragédia da moça que passou por lá depois, e buscou dar caráter personalizado para sua gestão, sem âncora nos movimentos culturais. A idéia dos CEUs enquanto marca pessoal de sua gestão municipal, não deu conta das demandas que os movimentos culturais tinham pautado para a política federal de cultura, substituindo o investimento nas manifestações culturais estabelecidas, que foram foco da política dos Pontos de Cultura, pelos equipamentos da burocracia pública que se configuraram os CEUs federais, sem a âncora escolar que os CEUs municipais continham.

No campo da política partidária, sua resistência à candidatura Haddad em 2012, chegou às raias da chantagem, típica de políticos de partidos tradicionais, logo depois de ter sido cacifada e eleita pelo PT para o Senado. O prêmio da chantagem foi o MinC. Ou seja, o Senado era apenas um espaço de passagem para um outro posto, que na entrevista ela deixa explícito que era a Presidência.

Problemas de super-dilatação do Ego. Psicólogos deviam ser vacinados contra essas desvios de auto percepção.

Pelo teor da entrevista, ela já está fora do PT, cultivando o momento de glória que ela terá nas páginas do PIG.

O que ninguém pergunta: - quem sai com ela?

A Marina saiu com uma bandeira e com um séquito que garantiu sua presença no cenário político.

Para ser um fato que esvaia o PT, seria necessário que junto com ela saíssem setores significativos do partido.

Andre Araujo

- 2015-01-11 18:43:18

Negativo. A população precisa

Negativo. A população precisa estar informada do estilo de vida de seus candidatos, como se pode eleger um candidato sem saber o que ele é? Nos EUA é impossivel um canddiato esconder sua vida privada porque isso tem peso no exercicio do cargo. Quem quer manter resguardada sua intimidade NÃO PODE SER FIGURA PUBLICA.

Marta exerceu esse direito como candidata, a vida privada dela é muito bem conhecida e ela nunca reclamou.

Lucinei

- 2015-01-11 18:42:43

Isso vale para Marta, mas não

Isso vale para Marta, mas não só para ela…

Por Renato Rovai, em seu blog.

Marta Suplicy é uma pessoa controversa e difícil, mas não deveria ser politicamente julgada por isso. Sua entrevista de hoje é recheada de armadilhas e sinaliza para uma saída ruidosa do PT, mas o partido deveria tratá-la como uma oportunidade para algumas reflexões.

Marta não é diferente de boa parte dos políticos. Ela se move muito mais em função dos seus interesses pessoais do que do projeto coletivo.

Marta também é tão vaidosa quanto a maioria deles. É tão arrogante quanto a maioria deles. Sabe fazer intrigas quanto a maioria deles. Gosta tanto de poder como a maioria deles, até porque é ele que permite exercer um lado autoritário que alimenta a alma da maior parte deles.

Marta não é uma espécie rara na política. Ao contrário, é um pouco a essência da vida pública no país.

A diferença é que ao contrário da maioria dos seus pares, Marta é mais transparente. Fala em público aquilo que homens que se se julgam mais espertos preferem confidenciar a jornalistas em off no cafezinho do Congresso.

O excesso de vaidade e de transparência foi o seu principal adversário na reeleição à prefeitura de São Paulo. Naquele pleito, Marta perdeu para ela mesma. Seu governo era muito bem avaliado e seu adversário só amargava derrotas antes de superá-la.

Na entrevista a Eliane Catanhede publicada no Estado de S. Paulo de hoje (a entrevistadora também diz muito sobre a entrevista) Marta vai pra cima do PT como poucos dirigentes importantes o fizeram na história do partido. E Marta tem razão quando diz que o partido está em risco. O PT pode de fato, senão morrer, torna-se um projeto bem menor do que é ou já foi.

Mas o que Marta não diz é que ela é muito mais parte do problema do que da solução no que parece criticar.

Marta foi prefeita da maior cidade do Brasil e quando teve a oportunidade de oxigenar o partido e criar uma nova referência de relação com ele a partir do governo, não fez diferente do que aqueles que hoje critica. Marta foi exageradamente pragmática, sufocou adversários internos, priorizou relacionamentos com setores da direita em algumas áreas e não apostou em novas lideranças. Marta usou a máquina da prefeitura como um trator do ponto de vista das disputas internas.

Isso não significa que seu governo tenha sido um desastre. Muito pelo contrário, ela fez uma administração histórica em São Paulo e suas marcas (como os CEUs e os corredores) terão relevância por muitos e muitos anos.

A questão é que Marta hoje não tem poder e não pode exercê-lo do ponto de vista interno na mesma intensidade de quando era prefeita. Hoje são outros que movem o partido e suas estruturas a partir da força que detém em governos ou parlamentos.

O PT se tornou um partido muito suscetível à força dos seus prefeitos, governadores, ministros e parlamentares. E muito menos permeável às demandas dos movimentos sociais do que em outros momentos.

Essa é a crise do PT e que já foi identificada por Lula e outros dirigentes. É isso que pode senão matar o partido, diminui-lo e torná-lo insignificante.

Por isso a entrevista de Marta deveria ser tratada como um ponto de inflexão pela militância e dirigentes. Não é o momento para agir com o fígado e sair por aí xingando-a ou acusando-a disso ou daquilo. É hora de aproveitar para pensar o que leva personalidades políticas importantes a se acharem donos de um projeto e se comportarem como se não devessem nada a ninguém.

Isso vale para Marta, mas não só para ela

Daytona

- 2015-01-11 18:21:34

Quando a militância petista

Quando a militância petista acusou o massacre que Dirceu e outros estavam sofrendo pela ação midiática e judiciária na AP 470, bastou alguns lembrarem que o apoio da grande mídia às violações de direitos e garantias fundamentais era coerente com seu histórico de apoio à ditadura, para que o então minsitro Mercadante aparecesse com seus artigos, louvando o espírito democrático de nada menos que a Folha de São Paulo, grande apoiadora que chegou a fornecer seus veículos para ajudar os torturadores da ditadura.

Como ministro da Educação, Mercadante era bastante generoso em contratos sem licitação para dispensar milhões do dinheiro do contribuinte com a spublicações dos grupos Folha, Abril, etc.

Lixo puro!

Daytona

- 2015-01-11 18:16:55

Concordo com tudo que você

Concordo com tudo que você disse a respeito do ex-presidente Lula, mas acho que há um sério risco ao projeto progressista devido à ação de figuras inescrupulosas, lideradas pelo Mercadante.

O governo Dilma é praticamente um governo de centro-direita, e há tempos que a presidenta vem asusmindo essa postura cada vez mais conservadora.

Daytona

- 2015-01-11 18:13:31

Lula é um líder responsável,

Lula é um líder responsável, que entende o jogo de forças, ele nunca criticará a Dilma publicamente, sabe que isso, mesmo se estiver correto, enfraquecerá o movimento progressista que ele representa. Mas isso não quer dizer que esse momento delicado não está sendo explorado por políticos inescrupulosos, como o Mercadante, com a conivência da presidenta.

Qual a explicação para que um ministro do nível de um Celso Amorim seja descartado como foi?

Até parece que o ministério de Dilma está esbanjando talentos.

E o tratamento dispensado à militância?

Dilma é uma traidora.

Daytona

- 2015-01-11 18:10:00

Brigaram

Brigaram internamente?

Jornais que apóiam Serra publicando matérias com o título "pó parar governador", colunistas alinhados com Serra divulgando que Aécio bate em mulheres, jornalistas mineiros investigando as privatarias de Serra e tornando tudo público, isso é brigar internamente?

Ah, e as primárias nunca ocorreram.

Fascismo não pressupõe uma "grande e rígida organização com um líder incontestável", segundo sua deifnição, os movimentos terroristas islâmicos não seriam fascistas, muitas ditadura militares não seriam fascistas, etc.

O fascismo é um movimento reacionário, baseado no autoritarismo. As pessoas que vimos desfilando na avenida paulista, e que representam o que a grande maioria dos paulistas pensa, defendia justamente isso, basta ver suas principais bandeiras:luta contra os direitos de minorias(gays, por exemplo), luta pela derrocada de governos democraticamente eleitos, pedidos de intervenção militar(autoritarismo).

 

Andre Araujo

- 2015-01-11 18:04:54

A unica analise POSSIVEL é

A unica analise POSSIVEL é com os dados de hoje, é a FOTO DE HOJE.

Amanhã qualquer um pode morrer, cair o avião, ter um cancer, etc.

Pelo mesmo criterio é ABSURDO dizer que o Lula é o candidato em 2018, falta muito tempo.

Juscelino pesnava que seria candidato e vencedor em 1965, porisso votou em Castelo Branco na eleição indireta de 10 de abril de 1964. Castelo esteve no apartamento do deputado Joaquim Ramos em 9 de abril para se enconctrar com JK e ganhou a certeza de seu voto no dia seguinte. Estava tudo combinado, um ano depois Castelo cassou JK.

Porisso a tese de Lula em 2018 é sem nexo. Falta muito tempo e o mundo vai girar centenas de vezes.

-Charlie-

- 2015-01-11 17:50:48

Quadros históricos e

Quadros históricos e fundadores, intelectualidade acadêmica, classe média progressista, funcionalismo público já pularam fora do que se tornou o PT.

Ficaram alguns (poucos e resistentes) idealistas, mais os inocentes úteis (que são convocados às vésperas das eleições, para serem apunhalados pelas costas em seguida), os apaniguados, os sindicalistas pelegos e os espertalhões (que, cada vez mais, dão as cartas).

Que futuro promissor...........................

Gunter Zibell - pró-Rede

- 2015-01-11 17:48:22

Caso se confirme...

a ida de Marta para outro partido, provavelmente despontará como candidata forte à prefeitura de SP em 2016.

E franqueza e sinceridade de propósitos são valor em alta junto ao eleitorado.

Interessante será se isso não for um episódio isolado.

Nonato Amorim

- 2015-01-11 17:01:34

REVISTA PIAUÍ

Day, em outubro passado, assim como vinha fazendo com os outros presidenciáveis, a Revista Piauí publicou uma ampla reportagem com a Dilma. Entre outras coisas a repórter abordou algumas "reclamações" de Lula e Marisa sobre o jeito de governar da Presidenta. Na edição seguinte (sabedores que somos que Lula é mui recalcitrante a entrevistas para órgãos tupiniquins) o Instituto Lula teve uma carta publicada rechaçando as aleivosias da revista.

Bão, para consumo popular e de conhecimento universal, não há nenhuma reclamação da escolhida do Presidente para com sua pupila, não te parece?

 

Ze Guimarães

- 2015-01-11 16:59:38

Traição não é bem a palavra

Dilma agiu com sinceridade, não quis prejudicar o PT, O verdeiro problema, é que Dilma não tem a menor experiência e visão de economia que Lula tem. Dilma não estava preparada para ocupar o cargo que ocupa. Junte a isto uma dose cavalar de teimosia e está feito o estrago.

Lula está correto, criticar Dilma agora não iria resolver nada, devemos aos poucos ir pensando em alguém experiente para sucedê-la em 2018. Brigas internas só favorecem os adversários.

Criticar erros do passado, como as decisões de Lula ao nomear Dilma, para sucessora, ou JB para o supremo não vão mudar o que já foi feito, o negócio é tocar a bola pra frente.

Na pior das hipóteses, se Dilma tiver um acesso de teimosia, os brancos e nulos vão vencer do PT em 2018, e o neoliberalismo volta com força total, com todos os seus efeitos colaterias, recessão, desemprego, quebradeira de empresas, etc.

Na melhor das hipoteses, Dilma aprendeu um pouco com os erros do passado, e deixa sua equipe trabalhar com autonomia, ( quem sabe ela tem uma luz e abaixa os juros) e o PT vence em 2018, retomando o crescimento do PIB.

Pedro Penido dos Anjos

- 2015-01-11 16:48:18

Marta Suplicye Eliane

Marta Suplicye Eliane Cantanhêde se merecem.

Quando será que Marta vai sair do armário e se assumir como Marta Teresa Smith de Vasconcellos.

Minha sugestão para essa senhora é que ela funde um partido para chamar de só seu.

Poderia ser o PJCSP - Partido do Jockey Club de São Paulo, que tal?

E, para quem não se lembra, a "sexóloga" libertária foi responsável pela peça mais degradantes e descriminatórias da propaganda política brasileira. Aquela em que ela - sim, ela! - destilava insinuações sobre as preferências sexuais do então seu oponente á eleição para a prefeitura de São Paulo, o igualmente escorregadio Gilberto Kassab.

Caramba! Será que ninguem  vai se lembrar disso na hora certa?

Nonato Amorim

- 2015-01-11 16:41:28

PÔ, ANDRÉ!

Ulisses e as nuvens, camarada...

Nem parece que Vc é macaco velho nesse jogo de poder!

Faltam 3 anos, uma eternidade nesse jogo de muitas raposas e poucas, pouquíssimas galinhas, muita coisa vai mudar...teremos as maiores mudanças políticas desde a redemocratização, amigo.

Quem viver, verá!

Luis Domingos

- 2015-01-11 16:36:23

Marta fala verdades inconvenientes!
A Marta falou o que muitos petistas se tivessem o!portunidade falariam

Nonato Amorim

- 2015-01-11 16:32:16

ERROU FEIO!!!

Com o apoio do PIg NINGUÉM, nem mesmo Serra ou mesmo Aécio, ou Cabral ou Tasso ou... Depende apenas de que ponto de vista o sátrapa irá defender.

Veja só, anarca-cretino-fundamental: foi só a Marta atacar a Dilma e o PT...o Ibope foi a 1000. Até os estagiários do Seu Nassif caíram feito patinhos e deram destaque.

Te liga, cabeção!!!

hugo1

- 2015-01-11 16:27:25

Deve ser difícil ser Marta

Deve ser difícil ser Marta Suplicy. Olha o que ela diz:

E isso é que foi levando ele a achar que tinha de ser o candidato e fui percebendo que a ação dele foi mudando. A verdade é que ele nunca disse, mas sempre quis ser candidato e achou que ia ser.

Caramba! Ela ta falando do LULA que é o dono do PT. Alguém em sã consciência acha que o LULA precisa pedir permissão pra alguém DENTRO DO PT pra ser candidato a qualquer coisa?

Gizuis!!!

Mas Freud explica:

Projeção

Em psicologia, projeção é um mecanismo de defesa no qual os atributos pessoais de determinado indivíduo, sejam pensamentos inaceitáveis ou indesejados, sejam emoções de qualquer espécie, são atribuídos a outra(s) pessoa(s). De acordo com Tavris Wade, a projeção psicológica ocorre quando os sentimentos ameaçados ou inaceitáveis de determinada pessoa sãoreprimidos e, então, projetados em alguém.1

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Proje%C3%A7%C3%A3o_%28psicologia%29

Nonato Amorim

- 2015-01-11 16:26:10

ISSO, ISSO, ISSO...

Candidato futuro bom é candidato de boca fechada, mosca não entra!

Tá, e se Lula for candidato e não o Mercadante, como Dona Marta, ex-Martaxa do PIG, vai votar? Fará tal qual a piranha mor Sarney? 

Particularmente acho que Lula tem mais uma carta na manga para 2018: pode ser Wagner, Haddad ou mesmo alguém de fora do PT...

1000 pontos pra Vc, Athos!

Yacov

- 2015-01-11 16:20:26

"“Cada vez que abro um
"“Cada vez que abro um 'jornal', mais fico estarrecida com os desmandos. É esse o partido que ajudei a criar?”. Parei de ler aí ... Francamente.  "O BRASIL PARA TODOS não passa na REDE GLOBO de SONEGAÇÃO & GOLPES - O que passa na REDE GLOBO de SONEGAÇÃO & GOLPES é um  braZil-Zil-Zil para TOLOS"

Nonato Amorim

- 2015-01-11 16:16:25

Seu sonho, né?

 Do Merval, do Reinaldo, etc. E de um monte de coxinhas!!!

Avelino de Oliveira

- 2015-01-11 16:14:25

Caro Nassif e demais Marta e

Caro Nassif e demais

Marta e seu ego estratosférico.

Deveria ter feito uma entrevista coletiva, com Eliane, Merval, Raquel, Dora entre outros, ninguém iria aprovar.

 Mais uma divisão, caracas.

Saudações

 

Nonato Amorim

- 2015-01-11 16:14:16

BESSINHA

 

 

 

 

 

Luciano Lira

- 2015-01-11 16:12:42

Marta parece que está a

Marta parece que está a serviço do pig. Quem mal se sente que bom que ausente!

LuizArmando

- 2015-01-11 16:11:41

R.I.P.

Ufa!

Waldomiro Pereira da Silva

- 2015-01-11 16:11:19

O que ela tinha de virgem

O que ela tinha de virgem perdeu antes de entrar na política e de imaculada.......

Waldomiro Pereira da Silva

- 2015-01-11 16:11:17

O que ela tinha de virgem

O que ela tinha de virgem perdeu antes de entrar na política e de imaculada.......

Waldomiro Pereira da Silva

- 2015-01-11 16:03:09

.... voce veio a mando de

.... voce veio a mando de quem?

Colocação mais vazia!!!

Mercadante é lixo puro...(explique melhor)

Não se pode abrir o esgoto e não se trazer mais clareza as afirmações.

 

Waldomiro Pereira da Silva

- 2015-01-11 16:03:08

.... voce veio a mando de

.... voce veio a mando de quem?

Colocação mais vazia!!!

Mercadante é lixo puro...(explique melhor)

Não se pode abrir o esgoto e não se trazer mais clareza as afirmações.

 

Fredericodddd

- 2015-01-11 16:03:07

E o prefeito de SP tb está demolindo o PT

E prefeito de SP também está acabando com a essência do PT, com suas "alianças". Marta é mais sincera. Sai do PT "imagético"  e leva a alma do PT com ela. Parabéns Marta, não se submeta a Dilma. Haddad e outras novidades. Isso é espirito petista.

leonidas

- 2015-01-11 15:55:25

Agora ta querendo jogar a

Agora ta querendo jogar a Dilma para nosso colo?

kkkkkkkkkk

A Dilma é DE VOCES, nem vem

Sai fora ... rs

edna baker

- 2015-01-11 15:46:43

Eu sou PT. Eu sou Dilma.

Eu sou PT. Eu sou Dilma.

Daytona

- 2015-01-11 15:42:51

No fanatismo de muitos, está

No fanatismo de muitos, está passando despercebido o que Marta disse de mais substancial: Dilma traiu Lula, é uma traidora.

Isso tem respaldo nos fatos, Dilma afastou a maioria dos políticos ligados a Lula, vide Celso Amorim, um dos mais competentes homens públicos, descartado nesse ministério mais que mediocre formado por Dilma.

Faz sentido, é resultado do mensalão, a AP 470 serviu para enfraquecer setores do PT, Dilma se aproveitou para ocupar o espaço e estabelecer sua ditadura. A direita conseguiu seu objetivo de cooptar Dilma. Lula, um estadista responsável, desconfiou, acertadamente, que, se disputasse com Dilma, perderiam as eleições. Isso foi aproveitado pelos setores inescrupulosos do PT, liderados por Mercadante, verdeiro PSDB disfarçado de petista.

Dilma é a face da traição, vide o que fez com a militância, convocada para impedir a vitória de Aécio, prontamente traída assim que se reelegeu. 

Filipe Rodrigues

- 2015-01-11 15:34:54

Eduardo Cunha está no

Eduardo Cunha está no desespero, busca atrair desafestos do PT a todo custo para se viabilizar, mesmo que seu currículo seja conhecido a mídia o enxerga como salvação, para os anti-petistas até o diabo serve contra o PT.

Tem a candidatura do Julio Delgado (PSB) pela oposição também, o cara é hour concur e cristianizou o próprio pai (Tarcisio Delgado) nas eleições para governador de Minas quando preferiu apoiar o grupo do Aécio.

lenita

- 2015-01-11 15:32:04

Melhor pular Alex, assim não

Melhor pular Alex, assim não precisa xingar no domingo, pq é pecado mortal. Um bom domingo p/ vc.

Andre Araujo

- 2015-01-11 15:23:17

Aecio perdeu em Minas, não

Aecio perdeu em Minas, não tem mais base territorial propria, não tem chance alguma contra Alckmin, tampouco vai sair do PSDB, do qual é fundador e presidente, vai apoiar Alckmin.

Marcelo F. Campos

- 2015-01-11 15:22:21

MACHISTA!

MACHISTA!

Alex Sotto

- 2015-01-11 15:21:45

PQP !

Sério que eu li isso ?

 

Gilson AS

- 2015-01-11 15:20:33

Coloquei um filtro em 70%do

Coloquei um filtro em 70%do que a Marta disse.

Por causa dessa fala "chegou a cogitar que seria ela a candidata a sucessora de Lula em 2010."

É claro que essa entrevista é ressentimento em estado bruto.

Agora, coisas que ela falou da Dilma, Rui Falcão e Mercadante, acredito que tenham acontecido de verdade.

Aliás, o Nassif recentemente fez um post sobre o Rui Falcão, e corrobora com que a Marta disse.

Em relaçao ao que o Lula pensava, ela pode ter dado a interpretação dela, mas não significa que seria a mesma do Lula.

Em 2018 todos podem tirar o cavalinho da chuva, é Lula lá.

Alguém terá coragem de peitar o homem ?

A não ser que ele não queira e indique outro poste.

Que para minha preferência seria o Haddad por todos os seus atributos, e principalmente por ser jovem, até para fazer um contra ponto ao Aécio.

Alex Sotto

- 2015-01-11 15:17:08

E o PT vai se esvaindo. O

E o PT vai se esvaindo.

O último a sair, por favor, dê a descarga.

Andre Araujo

- 2015-01-11 15:09:41

Brigaram internamente,

Brigaram internamente, ninguem saiu do PSDB, no Partido Republicano nas eleições de 2012 aparecerem 6 candidatos em embates renhidos nas primarias mas não racha. Competição interna é natural em qualquer partido, são projetos pessoas em concorrencia, não é racha que obriga o candidato a sair do partido e seguir outro caminho.

Qanto a fascitas nas manifestações é opinião sua. Fascismo pressupõe uma grande e rigida organização com um lider incontestavel, absolutamente nada disso ocorreu nas manifestações, na minha opinião não eram nada, gente sem cultura para ter qualquer ideologia, apenas baderneiros.

armandolo

- 2015-01-11 15:08:09

Mais um massacre. Ninguem

Mais um massacre. Ninguem discutiu o conteudo de suas palavras. O PT acabou.

Severino Januário

- 2015-01-11 15:06:20

Seria bom se a Marta

Seria bom se a Marta continuasse lutando bravamente por suas idéias, mas sempre dentro do PT. As convenções e os encontros do PT já não quebram pau como antigamente.

Fernando J.

- 2015-01-11 15:05:10

Que parte da regra do jogo Marta não entendeu?

Com o advento da reeleição, comprada na bacia das almas a módicos 200 paus por cabeça no cheque pré, uma regra tácita se impôs no jogo político. O ocupante do cargo é o candidato natural à reeleição. Não há prévias. Só não será o candidato se: 1. não quiser; 2. tiver um problema grave de saúde; 3. o seu governo foi um desastre completo e absoluto; 4. morrer. Em que situação acima a Dilma se encaixa (Volta Lula)? E o Haddad em 2016? Por acaso a senadora Marta (sem partido-SP) se ofereceu para participar de prévias em 2004?  Alguém imagina o Obama disputando uma prévia? O Bush? O Clinton? O FHC? A senadora Marta tem todo o direito de pleitear a prefeitura em 2016. Não pelo PT, tem mais 32 partidos na praça, escolha. 

altamiro souza

- 2015-01-11 15:04:51

espero que não saia, mas essa

espero que não saia, mas essa entrevista preocupa porque  denota 

que ela não está entendendo a disputa política atual, a mais abrangente, a estratégia.

preocupa-se com a tática e esquece a estratégia mais de longo prazo.

ora, dar trela pro estadão e a essa grande mídia golpista,

é pedir pra morrer.

 

lenita

- 2015-01-11 15:03:14

As vezes penso que as

As vezes penso que as mulheres, na política, ainda não tiveram tempo de amadurecimento suficiente. É muita picuínha prô meu gosto !

Athos

- 2015-01-11 14:59:52

O afastamemto de.Lula nao

O afastamemto de.Lula nao seria semelhante ao de Hilary Clinton de Obama, ou seja, natural para quem vai ser candidato.

Mercdante e um zero, nulo.

anarquista sério

- 2015-01-11 14:56:07

Aoenas uma questão de

Aoenas uma questão de tempo.

   Curto tempo:

          Marta está condenada ao ostracismo.

lenita

- 2015-01-11 14:53:14

Ótima a sua análise, como

Ótima a sua análise, como sempre Alexis. Batem muito com o que penso.

Rabuja

- 2015-01-11 14:53:02

A viagem da senhora ególatra continua

Agora vai fazer o papel de vítima, mesmo que ele não combine nada com ela. Mas a imprensa decadente gosta e afaga seu ego.

Eu acho que qualquer jornalista que transcreve as falas desta senhora deveria colocar o pronome EU com letras maiúsculas porque ela pode achar que o jornalista está querendo diminuí-la.

Quando eu leio sobre o voluntarismo da senhora mimada sempre me lembro de uma entrevista dela que eu li no passado em que ela contava como conheceu o Eduardo Suplicy e decidiu que ele ficaria com ela. Alguém deve saber como recuperar esta história de voluntarismo, modo mimado de ser, egolatria, arrogância, etc.

Pelo cheiro do rastro que ela deixa, acho que esta senhora não é marta, é doninha. Qualquer dúvida, basta consultar https://jornalggn.com.br/comment/544765#comment-544765 ou a Wikipedia.

 

alfredo sternheim

- 2015-01-11 14:25:09

Marta já era

Apenas em função de sua vaidade ferida, de seus projetos pessoais na polícia, Marta Suplicy desconstroi de vez a sua carreira. Votei nela para prefeita (não me arrependo) e para senadora (me arrependo, porque apresentou pouca produtividade e logo foi para o ministério deixando um Malufista de suplente). Agora, bota titica no ventiulador, concede uma entrevista polêmica à estréia da jornalista tucana Eliane (ex Folha) no Estado. Eliane C tem obsessão anti Lula e anti PT. Fez perguntas bem adequadas para esse viés e Marta caiu (caiu?) no jogo. Se o ministro Juca foi irregular no governo federal, sua sucessora Marta deveria ter apontado publicamente (e de forma concreta) esses mal feitos, deveria ter alertado Dilma e o PT. Ao não fazê-lo, ou ao fazer isso só depois de sair do ministgério, revelou leniência comas irregularidades, cumplicidade talvez. Desafio Marta a fazer isso no senado. E se ela tem esse pensamento exposto na matéria do Estadão, há muito tempo que deveria ter saído do PT. Triste ver a vaidade, a ambição pessoal impelir certa pessoas para atitudes predatórias, deselegantes e incoerentes.. 

Fernando J.

- 2015-01-11 14:06:21

"renovação: sou a favor, desde que comece pelo outro"

Três vezes "rejeitada" e preterida: em 2010, pela Dilma; em 2012, pelo Haddad; e em 2014, pelo Padilha. Renovação nos quadros do partido? Ela é a favor sim, desde que comece pelo outro.

zéluiz

- 2015-01-11 13:59:34

Criticando o PT com tanta deselegância

a antiga Martaxa vai ser a nova Martarocha, candidata a miss PIG. Se não tivesse feito tantas concessões quando prefeita, se não tivesse a atitude subserviente à casagrande, que continua mantendo, teria o respeito de correligionarios e adversários quaisquer fossem eles. Agora, terá serventia para ajudar o coro. E, a caravavana passa,pelo quarto mandato consecutivo.

zéluiz

- 2015-01-11 13:59:10

Criticando o PT com tanta deselegância

a antiga Martaxa vai ser a nova Martarocha, candidata a miss PIG. Se não tivesse feito tantas concessões quando prefeita, se não tivesse a atitude subserviente à casagrande, que continua mantendo, teria o respeito de correligionarios e adversários quaisquer fossem eles. Agora, terá serventia para ajudar o coro. E, a caravavana passa,pelo quarto mandato consecutivo.

Manoel Junior

- 2015-01-11 13:49:53

Bye bye.

   O acesso fácil, que ela diz ter reunido ( os 30 +pibs), a sua arrogância ao dizer, dando ênfase ao seu pretenso trânsito

no clube do Tio Patinhas, expôe a face elitista da Marta. Ela é chegada a um fru-fru,  gosta de ser dondoca,e bem coxinha. Marta volta de onde nunca devia ter saido; aos Jardins. A sua pretensão ,e que pretensão, em ser candidata , apesar de legítima jamais encontraria respaldo no seu vazio eleitoral. Ela é a cara , a pôse e a empáfia do psdb. 

CELSO ORRICO

- 2015-01-11 13:47:18

chico da dilma

não me meça com sua régua que se restringe ao cumprimento da dilma..lulistas e dilmistas, um pé torto para um sapato roto e ambos afundando o PT..

Daytona

- 2015-01-11 13:46:47

No campo conservador não há

No campo conservador não há divisões?

Realmente, chega a ser emocionante ver como Serra e Aécio(só pra ficar em dois exemplos)são unidos.

Essa tendência de fragmentação idoelógica está relacionada a extremos, independente se sejam da direita ou da esquerda. Vise os movimentos fascistas de junho, como os fascistas forams e fragmentando, o episódio do racha entre os que defendiam a intervenção militar e os "fascistas democráticos" foi um exemplo. A maneira como porta-vozes da extrema direita, ao menor sinal de moderação, são imediatamente atacados por seus seguidores é outro exemplo(Noblat e Reinaldo Azevedo sendo chamados de petralhas por defenderem a cassação de Bolsonaro).

Mário Mendonça

- 2015-01-11 13:43:16

Prezado Eden Minha critica

Prezado Eden

Minha critica jamais foi a mulher, mas sim ao comportamento.

Quem conhece o petismo sabe do que estou expondo. 

Abração.

Mário Mendonça

Daytona

- 2015-01-11 13:39:05

Não sei até ond eo que a

Não sei até ond eo que a Marta diz é verdade ou não, mas algo é inegável? Mercadante é lixo puro, representa o que exise de mais podre no PT, é pior que muitos tucanos.

Luciano Prado

- 2015-01-11 13:35:32

Um projeto pessoal

Como simpatizante do PT não gostei do voluntarismo de Marta demonstrado nessa entrevista. Escolheu logo quem para entrevistá-la?

O problema de Marta é que embora tenha crescido no partido, galgando todos os cargos possíveis ainda assim se sentiu alijada. Queria a presidência da república. E elege como inimigo todos os que de alguma forma podem estar no seu caminho.

Ela tem razão em muitas coisas, entretanto fica evidente seu projeto pessoal. Talvez em um partido pequeno, sem expressão nacional, ela consiga por em prática esse projeto pessoal.  E quem sabe salve o país dos desmandos do PT.  Achar que disputas insternas só ocorram no PT é cegueira política.

Alguma dúvida nessas palavras?

“... Quando o Lula escolheu o Fernando Haddad para disputar a Prefeitura, eu avisei a ele que eu ia sair do ministério, porque discordava da política econômica, da condução do País, e ia voltar para o Senado...”

“Pensei sim. Quando era neófita, tinha clareza de que poderia ser presidente. Depois, isso caiu por terra, até que um dia o Lula, no avião dele, quando era presidente, me disse: ‘Minha sucessora vai ser uma mulher’. E pensei que ou seria eu, ou Marina (Silva) ou Dilma. Logo vi aquela história de ‘mãe do PAC’ e que era a Dilma. Pensei: ‘O que faço?’ Bom, ou ficava contra e não fazia coisa nenhuma, ou ajudava. Mais uma vez, decidi ajudar. Sempre achei que ia acabar ficando meio de fora das coisas, talvez pela origem, talvez por ser loura de olho azul, não sei.”

“... O Mercadante é inimigo, o Rui traiu o partido e o projeto do PT, e o partido se acovardou ao recusar um debate sobre quem era melhor para o País...”

“... gestão do Juca Ferreira na Cultura? Foi uma gestão muito ruim. Enviei para a CGU (Controladoria-Geral da União) tudo sobre desmandos e irregularidades da gestão dele...”

“... mas passei um mês e meio, dois meses, chorando, com uma tristeza profunda, uma decepção enorme, me sentindo uma idiota...”

“... Para concorrer à Prefeitura? Não será uma decisão em função de uma possível disputa à Prefeitura, por isso é tão dura. É uma decisão duríssima de quem acreditou tanto, de quem engoliu tanto.

 

 

 

Arthemísia

- 2015-01-11 13:31:07

Tô achando que precisamos

Tô achando que precisamos criar um programa "Mais Vergonha na Cara" nesse país. Como Marta foi capaz de dar uma entrevista dessas? Qualquer leitor desinformado pode esfragar na cara dela as contradições e o discurso totalmente articulado com o que a mídia quer ouvir sobre o PT.

Em primeiro lugar, como o PT é um desmando só e ela é pura e imaculada, se foi o partido que ela ajudou a criar e do qual ainda faz parte? Sorry, Marta, esse cargo de virgem imaculada concebida sem pecado já foi ocupado por Marina. Terá que arranjar outro personagem. 

Depois vem: Mercadante é o inimigo! Agora, fia? Antes Mercadante sempre foi o amigo porque sempre pertenceu ao PT que manda no país todo: o de São Paulo. Mercadante faz parte de um governo petista; Marta sai atirando e quem é o inimigo é ele? Marta sai atirando em Juca Ferreira (que trabalhou no governo Lula, a quem ela jura defender), sai atirando até no próprio Lula. Mas ela é amiga, Mercadante é inimigo. Entendi. Ela pode querer ser presidenciável e Mercadante não pode? Dou num e noutro e não quero volta, como diz o ditado popular.

Lula escolheu sozinho a candidata do PT, deixando inconsoláveis Marina e Marta (essa é a parte mais óbvia da entrevista, dita com todas as letras). Dilma é eleita, é reeleita e tem que governar com um Ministério indicado por Lula? E é Marta quem que acha isso? Marta que foi prefeita em Sampa, mas não se reelegeu? Ou a Marta feminista que não abriu mão do sobrenome do ex-marido?

Além de tudo, agora Marta que recorrer ao seu pedigree petista (sabe como é, os quatrocentões sempre gostam desse lance). Que eu bem me lembre, dona Marta sempre foi considerada pelos petistas radicais uma tucana infiltrada, ela e seu ex. Mesmo discordando dos radicais, pois acho que Marta e qualquer outra pessoa não oriunda da classe operária nesse partido deram contribuiçòes valiosas, sorry novamente Marta, mas você não pode querer a faixa de "a mais petista" porque isso simplesmente não existe. 

O PT sempre foi o mesmo saco de gatos que é hoje. A diferença é que alguns gatinhos deram cria e formaram outras famílias, por isso hoje temos PSOL, PSTU, quiçá tenhamos um dia a Rede. Não esqueçam, tudo isso estava dentro do PT e Marta quer dizer que ela é uma autêntica? Como todo mundo nesse partido, ela é uma autêntica de uma determinada facção, apenas isso.

Não sei se o pior de tudo é o critério de autenticidade que ela utiliza: ser fiel à Lula. É uma concepção bem coronelista essa, até aquém do próprio Lula, que se tivesse vocação para coronel não demonstraria respeito e trabalho pela gestão Dilma. Marta precisa aprender mais com o líder.

O final da entrevista, então, é glorioso. Ou o PT muda ou acaba. Faz quatro eleições que tentam acabar com o PT, e nada. Já prenderam até algumas das principais lideranças, e nada.  Já Heloísa Helena, Marina, Eduardo Jorge, Luciana Genro, PSOL, PSTU, para mim parecem mais acabados que o PT. Acho que a psicóloga está confundindo desejo com a realidade. Ademais, o PT mudou e talvez por isso não tenha acabado. O PT mudou porque saiu da falação para o governo e Marta está fazendo o inverso, saindo do governo para a falação. 

Boa sorte, Marta. Só um conselho: ao invés de fundar um novo partido, por favor vá para um que já exista, pois já temos partidos demais. Talvez fosse uma boa ideia pensar em ir para o PSDB (todos sabemos de sua eterna amizade com o impagável José Serra); quem sabe você pode ajudar a salvar esse partido da seca em que se encontra e ajudar esse país a ter uma oposição de verdade. Ponha todo seu capital político na rua, Marta, todos ganharemos com isso. Mas não apele para as baixarias midiáticas porque isso não lhe cai bem. Estamos esperando grandeza, porque baixeza já tá sobrando.

Andre Araujo

- 2015-01-11 13:27:31

Arlindo Chinaglia presidente

Arlindo Chinaglia presidente da Camara?  Já combinaram?

O caso Marta é mais um racha de esquerdas que vem desde Trotsky com Stalin. As divisões existem porque a esquerda quer mudar o mundo e cada um tem um projeto diferente de mundo. No campo conservador não há divisões porque não há o que mudar, fica tudo como está e ninguem briga, a não ser por questões pessoais.

Lucinei

- 2015-01-11 13:23:00

"Sempre achei que ia acabar

"Sempre achei que ia acabar ficando meio de fora das coisas, talvez pela origem, talvez por ser loura de olho azul, não sei."

... Talvez por jogar convesa fora... Perdeu a prefeitura de São Paulo por causa disso.

É impressionante como não conseguem perceber que só ganham cartaz quando estão falando mal do partido.

Vai pro senado. Tens um mandato a cumprir. Vai ser uma experiência boa. Está nova ainda.

Mas sobre o Mercadante ela está certa: é um desastre.

Filipe Rodrigues

- 2015-01-11 13:19:23

Dilma está certa ao enfraquecer o Lulismo no PT!!!!

Merece apoio ao nomear nomes mais a esquerda (Pepe Vargas, Miguel Rosseto) em postos chave do governo, a corrente majoritária (que Marta faz parte) é a maior responsável pela crise de identidade do partido.

O Campo Majoritário estão reclamando de quê???? Tem Mercadante em um posto importante e ao que tudo indicam Arlindo Chinaglia deve ser o próximo presidente da Câmara.

Se Lula não for candidato em 2018, Mercadante disputaria hoje sua indicação ao Planalto no PT com Jaques Wagner e Fernando Pimentel.

Malú

- 2015-01-11 13:17:14

É... pelo visto, quando Lula

É... pelo visto, quando Lula disse que apoiaria uma mulher para 2010, não foi só a Osmarina que se sentiu "a escolhida", a Marta também. Quem mais...??? É só entrar na fila que o Estadão vai entrevistar.

Nonato Amorim

- 2015-01-11 13:15:46

TABULEIRO 2018

Nas hostes tucanas: ALCKMIN versus AÉCIO (que irá pro PMDB -  o novo PMDB do PT será o PSD do Kassab);

Nas hostes petistas: LULA versus MERCADANTE (que irá pro...???)

Façam suas apostas...

(PS: Marta irá pro...???)

MarcoPOA

- 2015-01-11 13:05:44

O que enxergamos há horas...

A imagem classica do petista progressista de cartilha!

emerson57

- 2015-01-11 13:01:07

filho

"Frase do próprio filho: “Minha mãe sempre foi uma patricinha que só chegou aonde está por causa do meu pai."

Antônio - Minas Gerais

- 2015-01-11 12:52:36

Marta

Marta, só mais um símbolo do processo degenerativo, tanto político quanto moral, que se encontra o PT de São Paulo. O resto é dor de cotovelo por ter sido ignorada.

Avelino de Oliveira

- 2015-01-11 12:46:46

Caro Nassif e demais Eu

Caro Nassif e demais

Eu também critico o PT e também envelheci.

Suplicy perdeu a eleição, Marta sai do PT. Apesar de todos os pesares, gosto da Marta, não gostaria que ele saisse do PT assim não gostei da saída Marina, Heloisa Helena entre outros. Temos nossas discódias, tem vez que tenho vontade de estrangular a Dilma, e o tempo está passando, e com ele, eu junto.Mas ai, vou converso com outras pessoas, muito bem informada, para o período Medieval, e volto correndo.

Quem daqui já não quiz chutar tudo e ir embora de mala em cuia?!

Sinto pela saída de Marta, assim como de outros, temos que somar e não dividir.

Saudações

Snaporaz

- 2015-01-11 12:46:16

O  botox subiu-lhe à cabeça !

O  botox subiu-lhe à cabeça !

Eden SP

- 2015-01-11 12:45:26

madame?

Madame. Um tanto machista, não?

Pode-se criticar a altivez um tanto agressiva da Marta, mas há formas e formas de se relevar. Jaz a epoca em que os homens buscavam "relativizar" a firmeza de mulheres publicas por meio de termos e adjetivos que rebaixavam-nas a perspectivas patriarcais.

Estamos no seculo 21, ao que me consta.

Andre Araujo

- 2015-01-11 12:43:56

http://sembangkuala.files.wor

http://sembangkuala.files.wordpress.com/2010/07/ww2inkualalumpur01ej8.jpg

OS JAPONESES CONQUISTAM A MALASIA - Hoje há 73 anos o Imperio do Japão recebe a rendição dos ingleses em Kuala Lampur, capital da Malasia. Esse evento teve grande importancia para o Brasil. A Malasia era a maior produtora mundial de borracha, em enormes plantaçõs criadas com sementes roubadas do Brasil. Sem a borracha da peninsula,

os anglo-americanos se voltaram para o unico lugar onde havia borracha, a Amazonia. Em 1942 ainda não havia substituto para a borracha natural com grande produção, embora os alemães já produzissem um substituto, a buna.

Os EUA criaram uma companhia para desenvolver e comprar borracha no Brasil, a Ruber Reserve Company, em Manaus.

Essa companhia depois da guerra se transformou em Banco de Credito da Borracha S.A. , hoje Banco da Amazonia S.A.

A Rubber Reserve se tornou a maior empresa de Manaus durante a guerra, comprava toda a borracha disponivel.

Para aumentar a produção foram importados 40.000 trabalhadores, a maioria cearenses.

Essa historia é uma saga, ja contada em bons livros de Marcio de Souza e Werner Baer.

 

EJ

- 2015-01-11 12:32:37

Problemas

Marta quer mesmo é aparecer e o melhor caminho é criticar o PT e tudo o que dele se aproxime. Terá a mídia, que ela sempre adorou, a seu favor. Mas numa coisa ela chegou perto da verdade. O pior problema do governo é, sem dúvida, Mercadante. Tem poder demais. É ouvido demais. E não é o  melhor conselheiro. Aliás, nem devia ser. E é seguido de perto pelo da Justiça. Desse jeito, a tendência é Dilma terminar o governo, se terminar, completamente em baixa com a militância que a elegeu e sem o apoio dos que ela, hoje, afaga.

chico da dilma

- 2015-01-11 12:25:42

O próximo?Serás tu!

O próximo?Serás tu!

Toni

- 2015-01-11 12:24:19

.

Ela claramente já saiu do PT. Usará o tempo para a confirmação oficial da saida para ocupar as páginas e espaços ávidos do PIG e se autopromover ao mesmo tempo que lava a roupa suja. É a troca de favores exigida como sempre e praticada com Marina, Heloisa e outros.

 

alexis

- 2015-01-11 12:23:50

SABER SAIR A TEMPO – Uma história de Ficção

Marta está no PT desde a época romântica, onde dirigente sindical e elites de São Paulo discutiam juntos política em barzinho. A liderança indiscutível do Lula fez aglutinar e manter aglutinado esse tipo de pessoas. Era uma fase de namoro do PT, dentro do partido e com a sociedade e, como todo namoro, cheio de promessas e renuncias a vantagens pessoais.

Junto com o exercício do Governo, a individualidade de alguns dirigentes, somado ao seu natural envelhecimento - e até problemas domésticos pessoais, fizeram que a necessidade de auto-afirmação, o ciúme, a vaidade que se desperta no contato diário com a mídia, o canto de “macho ferido”, a síndrome de ser preterida por outra, etc. fosse pesando cada vez mais no convívio familiar, em relação ao mero sentimento romântico, plural, de namoro, da origem petista. Esta é fase de casamento, onde os defeitos começam a tomar importância. Perde-se um pouco o romantismo.

A turma segue unida e a casa em pé porque há um patriarca forte: o Lula. Filhos mais problemáticos (idealistas demais), inconformados com a camisa de força da responsabilidade do poder, saem de casa para continuar vivenciando a esquerda idealista, zen, de papo de barzinho. Três deles se encontram com Dilma, recentemente, postulando ao mesmo cargo presidencial. Outros parentes tiveram que assumir a manutenção da casa ou contrair dívidas em nome da família, em momentos de dificuldades, e estão pagando por isso na prisão.

O problema maior acontece ao sair Lula de casa – pelo menos temporariamente. Lula deixa a “governanta” de confiança tomando conta da família, com missões específicas a cumprir até o seu retorno. Muitos parentes graúdos almejavam ocupar esse lugar, de modo que alguns deles ficaram magoados, inclusive com mais gente saindo de casa naquela época. Da ala jovem, surgem sobrinhos e filhos promissores, como Haddad, Padilha, Pochmann e muitos mais.

Neste contexto, a tia Marta - já no seu terceiro casamento, ainda reivindica direitos familiares (alguém tem que falar para ela que Dilma e o PT ganharam a eleição, pois Marta fala como derrotada). Tio Eduardo, gagá há muito tempo, esforça-se para não ser ignorado (jogando-se balde de água na cabeça, usando calçinha vermelha ou cantando em inglês). A volta do patriarca não irá acabar com as mágoas e com as discussões familiares, mas, espera-se que naquele momento seja dada aos jovens da família a responsabilidade de tomar conta da casa (e do país), com novas energias e idealismo. Mas não, Marta acha que ainda é titular do time, como se fosse Tostão querendo jogar hoje, do lado do Neymar.

Marta, numa tentativa de driblar o tempo, sem mais opções de cores ou adereços na roupa ou na maquiagem, ou de um novo marido, quer agora trazer de volta os holofotes para sua vida política, como se fosse o último (penúltimo, realmente, pois sempre aparece outro) show da Marília Pêra. Marta apenas observa o nicho eleitoral que possa surgir por ser “paulista” mais do que ser “petista”, imitando a estratégia “nacionalista paulistana” utilizada por Alckmin na sua recente campanha.

Marta segue, embora tarde, os passos da Marina e de outras que queriam ter ocupado o lugar de Dilma na história do Brasil. Marta entrou jovem na vida política do Brasil, cresceu e teve momentos de grandeza, como poucos da sua geração, mas hoje corre o risco de sair pequena, magoada e rabugenta. Saber sair a tempo é uma arte mais rara que saber entrar no jogo. 

Nonato Amorim

- 2015-01-11 12:22:54

JE SUIS PT, JE SUIS LULA!

Óbvio! Ululante! 

Pára de ser pueril, GZ!

Fora com esses estagiários domingueiros, Seu Nassif! Como poder destacar isso?

Se fosse para falar bem do governo Petista o Estadão não daria uma linha para a Marta, pro Serra, pro Pó Pará e nem prá ninguém! Qual a novidade? Ou a proposta aqui não é sempre surpreender?

Vida longa prá Vcs!

Free Walker

- 2015-01-11 12:18:30

.

Marta ontem: 
PIG: Martaxa
BlogsProg: Uma grande prefeita petista 

Marta hoje:
PIG: Mesmo sendo petista foi uma boa prefeita. 
BlogsProg: Martraíra

hehe

 

 

5vpn

- 2015-01-11 12:18:07

Mais uma que quer acabar com esta "raça"

Ou PT muda ou acaba.

Mais uma que quer acabar com esta "raça". (vide bornhausen)

Seria Marta a Marina loura de olhos azuis?

Seria Marina a Marta morena e de olhos escuros?

CELSO ORRICO

- 2015-01-11 12:16:05

Heloisa Helena Marina, Gabeira,Soninha,

agora Marta, qual será o próximo ou a próxima a cuspir no prato que comeu?? mas em uma coisa eu concordei e concordo com ela: Lula deveria ter sido o candidato em 2014, o momento exigia um Estadista o que a Dilma está longe de ser..

 

walter araujo

- 2015-01-11 12:13:14

A Marta não tem do que

A Marta não tem do que reclamar e esse choro

é muito rasteiro.  São questões pessoalíssimas.

A verdade é que ela envelheceu no Partido e

nunca tomou atitudes de liderança necessárias

para manter-se à frente das questões políticas

principais do país.  Até para chorar suas pitangas

procura uma inimiga figadal do PT. Antes fosse a

um jornalista argentino.

José Fraga

- 2015-01-11 12:11:21

Dilma Roussef é o verdadeiro

Dilma Roussef é o verdadeiro Cavalo de Tróia: está destruindo o PT a partir de dentro; das entranhas...triste fim para um grande e importante partido de esquerda!

Silvio Torres

- 2015-01-11 12:10:55

Supla, Marta!

Supla, Marta!

Mário Mendonça

- 2015-01-11 12:05:51

Nassif Magoas de madame dá

Nassif

Magoas de madame dá nisto...!!!....

E a Catanhede, só trocou de pasquim, heim....!!!....

Alexandre Fontenele

- 2015-01-11 12:04:42

Isso Marta traia o PT e você

Isso Marta traia o PT e você terá toda mídia golpista ao seu lado, terá voz e vez. As críticas que ouvi sobrevvocê serão devidamente esquecidas pela mídia nativa. Por suas palavras, você tem um ego acima dos interesses do país. 

AlvaroTadeu

- 2015-01-11 12:03:38

Marta mudou. Para pior. Ciúme na política é fatal.

Marta não entendeu: quando ela separou-se do Eduardo Suplicy, isso bateu fundo no falso moralismo da Paulicéia Desvairada. Uma questão privada que a imprensa misturou com a questão pública. Prova disso foi sua derrota para o José Serra, depois de uma excelente gestão na Prefeitura. E em 2008, perder para o Kassab daquela forma acachapante, pois um ano antes o povo nem sabia o nome do prefeito. O que eu mais ouvia nas ruas era o qualificativo de "puta", não tinha nada a ver com suas qualidades administrativas..Para qualquer cargo, Marta está morta em SP, salvo se tiver coragem de ir para o PSDB onde tem tantos amigos. Aí,í a mesma imprensa que a destruiu pode tentar ressuscitá-la como fez com Marina Silva. P.S.: mesmo falido, o Estadão não perde a pose. Contratar a Eliane Cantanhêde mesmo estando num estado falimentar, está pior do que a presidência do Palmeiras: neste século, dois descensos à Segunda Divisão e a ameaça do ano passado, quando escapou por milagre na última rodada.

5vpn

- 2015-01-11 12:00:35

Marta critica PT, revela raízes do "Volta Lula" e aponta Mercada

Seria Marta  a Marina loura e de olhos azuis?

Seria Marina a Marta morena e de olhos escuros?

Dor de cotovelo e ressentimentos......

Fabio Passos

- 2015-01-11 11:53:43

A questão é clara:

"... é um partido no qual estou há muito tempo alijada e cerceada, impossibilitada de disputar e exercer cargos para os quais estou habilitada."

Free Walker

- 2015-01-11 11:51:16

Tudo que Marta disse ao

Tudo que Marta disse ao Estadão já vem desde 2013 sendo exposto amplamente pela grande mídia, mas os fanáticos do baixo clero tecladista do PT, os MAVistas, diziam que eram ilações do PIG.

 

sergio m pinto

- 2015-01-11 11:49:06

Mais um daqueles que acham

Mais um daqueles que acham que mandam no partido e, quando percebem que não são tão importantes quanto se acham, ou seja, não são políticos do partido mas apenas de si mesmos, saem atirando a esmo.

Exemplos não faltam - Heloisa Helena, Marina e outros menos votados.

Jorge Luis

- 2015-01-11 11:43:40

"A verdade é que ele nunca

"A verdade é que ele nunca disse, mas sempre quis ser candidato e achou que ia ser."

Incrível como sair do PT libera poderes mediúnicos nas pessoas; E aí, Marta, quais os números da próxima Mega-Sena?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador