O programa do PMDB para a área social

Jornal GGN – De acordo com o jornal Valor Econômico, o PMDB deve lançar amanhã (26) o documento “Ponte para o Futuro 2”, que vai detalhar as propostas do vice-presidente Michel Temer para a área social. Enquanto isso, a presidente Dilma deve continuar a buscar apoio dos movimentos sociais para concluir o mandato.

O ex-ministro Wellington Moreira Franco, um dos formuladores do programa do PMDB para a área social, disse que os projetos de Dilma estão “destruídos”, que o Bolsa Família não tem reajuste desde 2014, que faltam recursos para o Fies e que os professores do Pronatec estão sem salários.

O partido diz que vai aprimorar os programas sociais que já existem e apontar “portas de saída” para a dependência do Estado.

Do Valor Econômico

Área social é destaque no confronto da semana entre Dilma e Temer

Por André Jubé

Na semana em que o Senado começa a analisar o processo de impeachment, a presidente Dilma Rousseff e o vicepresidente Michel Temer miram a área social. Até amanhã, o PMDB divulga o documento “Ponte para o Futuro 2 ­ Travessia Social”, que detalhará as propostas de Temer para o segmento e busca neutralizar o discurso de Dilma e dos petistas de que seu eventual governo eliminará programas e restringirá direitos.

Em outra frente, Dilma reforçará o discurso do “golpe” e buscará o apoio de seus eleitores e dos movimentos sociais para concluir o mandato. Amanhã a presidente volta ao palanque na Bahia ­ um dos Estados que lhe garantiu mais votos na Câmara dos Deputados contra o impeachment ­, em mais uma cerimônia de entrega de unidades do Minha Casa, Minha Vida, vitrine de seus programas sociais.

Leia também:  Crimes de ódio: Uma tipificação necessária para o Brasil, por Guilherme Nucci

O Minha Casa, Minha Vida é um dos programas mencionados no documento “Travessia Social”, e que Temer pretende aprimorar. Segundo dados do Ministério das Cidades, os governos Lula e Dilma já entregaram 2,63 milhões de casas. E na gestão Dilma, restam ser entregues mais 1,5 milhão de moradias, que já foram contratadas com a Caixa Econômica Federal.

O ex­ministro Wellington Moreira Franco, um dos formuladores do “Travessia Social”, disse ao Valor que os programas sociais comandados por Dilma estão “destruídos”. Lembrou que não há reajuste do Bolsa Família desde 2014 ­ naquele ano, os benefícios foram reajustados em 10%. Observou que faltam recursos ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e que professores do Programa de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec) não estariam recebendo salários.

O documento do PMDB para a área social foi elaborado por Moreira Franco e pelo economista Ricardo Paes de Barros, um dos “pais” do programa Bolsa Família e referência em desigualdade e pobreza. A proposta é aprimorar os programas sociais existentes, identificar fraudes e, principalmente, apontar “portas de saída” para a dependência do Estado.

O nome “Travessia Social” é criação do publicitário Elsinho Mouco, que também assinou os últimos programas do PMDB, já com discurso de oposição ao governo. O documento é a principal “vacina” que Temer e o PMDB usarão contra a retórica de Dilma e Lula de que haverá retrocesso e perdas de conquistas sociais.

Enquanto o PMDB entra na disputa pela área social, a presidente Dilma continuará a encarnar o papel de “vítima” e intensificará a exposição pública. Além da entrega de casas na Bahia, ela prosseguirá com a ofensiva internacional.

Leia também:  Os evangélicos norte-americanos e a política (II). Como se fabrica uma nação cristã, por Reginaldo Moraes

Depois de reafirmar a ilegalidade do impeachment à imprensa internacional, após sua participação na conferência da Organização das Nações Unidas (ONU), Dilma reforçará o discurso do “golpe” à jornalista Christiane Amanpour, da rede CNN, a quem concede entrevista nesta semana.

Dilma também discute a estratégia jurídica com o advogado­geral da União, José Eduardo Cardozo. Chegou ao Palácio do Planalto a notícia de que ministros do Supremo Tribunal Federal estão irritados com o discurso do “golpe” e com a excessiva judicialização do processo. Por isso, prevalece por ora a ideia de recorrer ao STF somente depois que o Senado votar a admissibilidade do processo, o que está previsto para 12 de maio. Se Dilma for afastada, então será o momento de Cardozo retornar ao STF, agora para alegar a falta de “justa causa” para o processo, ou seja, a inexistência de crime de responsabilidade.

Paralelamente, o ex­presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do PT, Rui Falcão, vão ecoar o discurso do “golpe” travestido de impeachment constitucional para interlocutores internacionais. A denúncia será transmitida durante discursos no seminário internacional da “Aliança Progressista”, que reúne partidos socialistas, democratas, progressistas e trabalhistas. O evento que ocorre hoje em São Paulo reúne dirigentes de siglas europeias e latino­americanas, como o ex­primeiro­ministro italiano Massimo D’Alema, presidente da Fundación de Estudios Progresistas Europeos (FEPS), Monica Xavier, secretaria­geral do Partido Socialista do Uruguai e o ex­prefeito da Cidade do México Marcelo Ebrard.

As articulações políticas vão se concentrar na capital federal nesta semana. Depois de comandar reuniões em São Paulo, Michel Temer passa a semana em Brasília. Nos próximos dias, receberá o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB­AL), que é apontado como seu desafeto.

Leia também:  "Jamais tivemos nos últimos 50 anos um desastre de imagem tão catastrófico", diz embaixador sobre Bolsonaro

Dilma reúne hoje ministros do núcleo político e lideranças da base aliada no Senado, para afinar sua estratégia de defesa. E o ex­presidente Lula volta amanhã a Brasília, para retomar as articulações contra o impeachment.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

21 comentários

  1. Falaram, falaram, mas não disseram nada

    Falaram, falaram, mas não disseram nada.

     

    Só no MCMV disseram que vão “aprimorar”. Na NOVILÍNGUA utilizada pelos neolibelês, significa que o programa vai pro buraco.

     

    Nos programas de assintência social, disseram que estão “destruídos”, e portanto destruídos ficarão.

     

    E a grana que o governo precisa par recuperar a economia?

    A turma do pato amarelo não quer saber de CPMF — nada do BC rastrear transferências bancárias, onde já se viu?!?

     

    O único lugar para tirar grana — já que vao “dessamarrar” o orçamento da União — serão os programas de saúde, educação e previdência.

     

    Vamos ver o “ponte para o inferno 3″….

  2. Cara, para ser uma “ponte para o futuro”…

    Haverá de existir expectativa de algum futuro. Conhecemos Moreira Franco aqui do RJ e Temer pelo alto teor de canalhice, conspiração e covardia, não creio em futuro para o povo com estes pulhas à frente, não esquecendo do “vice” Cunha.

    Mas estes canalhas não perdem por esperar, afinal, como escreveu o padre Fabio de Melo: “Traição é igual a um consórcio: um dia você será contemplado”.

     

     

     

  3. É ridículo. Os ratos estão

    É ridículo. Os ratos estão tratando o golpe de estado como se fosse eleição indireta. Como já foi abordado aqui, a credibilidade do Brasil está aruinada. Podem fazer mil programas de fachada, basta olhar quem são os maus elementos que apoiam o golpe pra saber que é tudo mentira.

  4. O programa do PMDB para a área social

    Eles estão de olho nas divisas externas acumuladas. No primeiro momento, torram essa grana para dar um aparente “alívio” na economia, enquanto institucionalizam a ponte para o passado. No segundo momento, a preço de banana verde, vendem tudo (Petrobras, BB, Caixa e outras coisas mais) enfim, o que foi construido a custas de suor do povo. Depois, bem, depois é fazer o que o FMI mandar, diga-se, com o país de joelhos e o povo na maior merda, sem saúde, educação, moradia e até o que comer.

    É o tal caso, a história se repete e a farsa tem cara.

  5. o que é politica social?

    Não duvido nada que um eventual governo do PMDB mantenha e ‘aprimore’ muitos dos programas sociais. O FIES, por exemplo, é uma forma de transferencia de recursos das universidades públicas para as privadas, é transferencia de recursos públicos para o setor privado. O minha casa minha vida é financiamento subsidiado a casa própria que no final enriquece as grandes construturas com dinheiro  público. Nada estranho que um governo pró-mercado e pró-empresas ‘aprofunde’ esses programas, ou seja, transfira mais recursos públicos para o setor privado. Com o bolsa familia o buraco é mais embaixo pois é um programa de transferencia de renda, de ricos para pobres. Certamente vão ‘aprimorar’, isso é, vão dar um jeito de ser gerido por empresas que vão ganhar uma bufunfa com isso.

    Agora  a politica social universal, os direitos sociais da nossa constituição, esses o governo do PMDB vai mandar para o espaço. Esqueça universidade públicas gratuitas, eles vão acabar com elas. Vão ser ‘geridas’ por empresas disfarçadas de “OS”. A saúde já está caindo aos pedaços e é possivel que o ‘programa socia’l do PMDB gere mais uma forma de transferir recursos públicos para o setor privado subsidiando planos empresariais de saúde, levando nosso modelo do SUS para o modelo americano. É possivel que faça o mesmo com a Previdencia, implantando um ‘modelo chileno’, mesmo que de forma ”gradual”. E quanto aos direitos trabalhistas, a maior forma de politica social em uma sociedade capitalista, um eventual governo do PMDB vai jogar no lixo o que ainda resta da CLT.

  6. de paradoxo em paradoxo, de

    de paradoxo em paradoxo, de roubo em roubo, o governo

    temerlão rouba até a

    ideia do programa social para justificar  o golpe….

    arranjaram até um pai artificial da inclusão social –

    mais um idsparate  e mais uma das milhares falácias que demonstam

    a falta de honestidade inclusive intelectual dessa gente….

        • O pior é que não notam que daqui a algum tempo vai acabar ….

          O pior é que não notam que daqui a algum tempo vai acabar a farra do boi!

          Blogs que dão mais importância a replicar artigos da grande imprensa estão assinando o seu atestado de morte num futuro breve. No momento que quiserem, dentro da lei e de forma justa, os proprietários do meios de comunicação vão bloquear a cópia mesmo que parcial dos seus artigos (lei de direito autoral) e neste momento as pessoas que escrevem GRATUITAMENTE para os blogs, vão estar de saco cheio e eles vão simplesmente SUMIR.

          Como é espertinho o turquinho, né!

  7. um traidor nunca se dá por satisfeito…

    pega o que conseguiu e entrega para outros estudarem qual a melhor forma de prejudicar também todos os que votaram

    na Dilma.

    qualquer dúvida, culpar já culparam mais de uma vez seus eleitores, principalmente os nordestinos

  8. com certeza…

    e já coloquei uma vez: alvo principal de qualquer fascista é o povo

    e principalmente os fracos, pobres, ou portadores de qualquer coisa considerada por eles, fascistas, como desvio

    e todos passam a ser atendidos ou tratados no âmbito da psicologia deles, fascista

  9. A “ponte para o futuro” quer

    A “ponte para o futuro” quer tranformar o estado num mero arrecadador/recolhedor de impostos já que eles mesmos dizem que tem que privatizar tudo para ele se dedica as suas funções constitucionais.

    Coloca nessa ponte um mínimo de R$ 6.000,00 ou mais.

  10. Vão continuar a privataria tucana. . .

    Vão é continuar a privataria tucana iniciada no governo FHC que vendeu um monte de empresas a preço de banana e enfiou o dinheiro arrecadado no nariz. E depois, como dizem os argentinos: “O que faremos depois que vendermos as últimas jóias da vovó?”

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome