Roberto Freire e a “paródia” dele mesmo

Filho de Renato Russo recorre à Justiça e retira do ar paródia do PPS que ironiza Campos e Marina

  • Na representação, Giuliano Manfredini diz que partido agiu ‘sem qualquer ética’ e ‘impõe descrédito à obra original’
  • Roberto Freire: ‘pergunte a ele se fazer paródia é algum crime’

A paródia no blog do PPS
Foto: Reprodução

A paródia no blog do PPS Reprodução

RIO – A brincadeira do PPS em divulgar no blog do partido uma paródia da música “Eduardo e Mônica”, da Legião Urbana, ironizando a aliança entre o governador de Pernambuco, Eduardo Campos e a ex-senadora Marina Silva, ambos do PSB, parou na Justiça. O filho de Renato Russo, Giuliano Manfredini, entrou nesta sexta-feira com uma notificação extrajudicial de violação ao direito autoral contra o diretório nacional do PPS, em Brasília, e, à tarde, conseguiu fazer com que a legenda retirasse da internet a versão política da canção. Há exatos 17 anos, o cantor e compositor morria por complicações causadas pela Aids.

– A ação surtiu efeito. Pedimos ao PPS que retirasse a letra desta música do ar e eles retiraram – afirmou o advogado do filho de Renato Russo, Luiz Edgard Montaury Pimenta.

O GLOBO teve acesso à representação. Nela, os advogados de Giuliano Manfredini alegam que “Eduardo e Mônica”, a original, “é, na verdade, uma estória (sic) de amor, narrada em versos e que refletiu uma homenagem de seu autor (Renato Russo) a uma dupla de amigos, sem qualquer conotação negativa ou associação indevida com partidos políticos”.

Para o filho de Renato Russo, “é sabido que esse partido (PPS) utilizou-se da obra intitulada (Eduardo e Mônica) na exploração de propaganda partidária vexatória, destinada a atingir a recente união dos possíveis candidatos à próxima eleição presidencial (Eduardo e Marina), bem como a clara intenção de angariar notoriedade ao referido blog no qual hospeda a indigitada obra transformada, induzindo a erro os usuários”.

Segundo a representação de Giuliano Manfredini, a atitude do PPS põe em descrédito a música do pai:

“Na verdade, a nova obra, uma transformação desautorizada criada sem qualquer ética por esse partido político, impõe um descrédito à obra original do Sr. Renato Russo, cuja paródia é ofensiva não somente aos referidos candidatos Eduardo (Campos) e Marina (Silva), como também à letra originalmente criada pelo Sr. Renato Russo, transmitida por herança ao notificante, que não deseja qualquer associação indevida com partidos políticos, muito menos que possam atingir a honra ou reputação do autor”.

O presidente do diretório nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire, criticou o filho de Renato Russo:

– O diretório nacional não é responsável pelo blog. Mas eu pergunto: será que é proibido fazer uma paródia neste país? Pergunte a ele (Giuliano Manfredini) se fazer paródia é algum crime. No Brasil, todo mundo está sendo proibido de tudo. É lamentável. Diz ao menino para ficar tranquilo. O pai dele continua sendo o autor da música.

“Eduardo e Mônica” é uma das mais importantes canções escritas por Renato Russo e sucesso na discografia da Legião Urbana. A sátira “Eduardo e Marina, uma canção de amor” foi publicada pelo diretório regional do PPS de São Paulo na última segunda-feira, dois dias depois do anúncio do acordo entre o governador e a ex-senadora.

– Retiramos do ar em respeito à obra do Renato Russo porque ele é o ídolo de todos nós – disse o secretário de comunicação do PPS, Maurício Huertas nesta sexta-feira.

Um dos trecho da paródia diz:

“Eduardo abriu os olhos, mas não quis polemizar / devolveu os cargos, bons cabritos não berram / enquanto Marina tentava montar a sua Rede, mas parou no TSE, como eles disseram”.

Em outra estrofe, a paródia mostra as supostas contradições de Marina em apoiar a pré-candidatura de Campos à Presidência em 2014. A ex-ministra tentava criar a Rede, com foco na sustentabilidade, e foi barrada pelo TSE. Segundo Marina, a Rede seria uma alternativa aos partidos já existentes, que, segundo os marineiros, fazem parte da “velha política”.

“Ela falava coisas sobre sustentabilidade / também ecologia e metabolização / E o Eduardo ainda estava no esquema: escola, hospital, porto, transposição”.

A letra começa e termina com o seguinte verso:

“E quem um dia irá dizer / que existe razão / nas coisas feitas pela oposição”.

A canção ironiza ainda a intenção de Marina Silva de também querer disputar a Presidência:

“Eduardo e Marina trocaram telefone / depois telefonaram e decidiram se aliar / o Eduardo sugeriu uma vice-presidência / mas Marina queria mesmo era se candidatar”

A presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e o senador Aécio Neves, pré-candidato à Presidência pelo PSDB, também são citados:

“Eduardo e Marina querem chegar em Brasília / com o PPS e até o Kassab na coligação / porque 2014 a luta é dura / tem o Aécio e tem o Lula / e a presidente Dilma tá bolada pensando só na reeleição”

 

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Luiz Antonio Antunes Machado

- 2013-10-12 00:47:57

pps rede psb

Já começa pela prepotência e arrogância do globo que "se acha": Relata o termo estória e adiciona "sic", sugerindo um erro gramatical ou equívoco do termo, quando, e os abestados do globo deveriam saber pois são jornalistas e supostamente sabem escrever, este neologismo é usado desde a década de vinte do século passado para designar um relato ficcional (como o romance entre Eduardo e Mônica), cantada pela Legião Urbana !

Além disso, francamente, roberto freire cansou de se oferecer para a Marina Silva, que fingiu não perceber o "flerte" e foi para um porto mais seguro, pelo menos é o que parece.O tal Eduardo Campos em alta no Nordeste, e o PSB com muito mais musculatura que o pps  que foi fundado às custas do antigo PCB, que não era a minha praia, porém tinha muito mais substância que este partideco  capitulador e a reboque do deputado freire.

Se tentou ser engraçado, não foi ! Apenas conspurcou a obra de um grande artista.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador