Roberto Freire e a “paródia” dele mesmo

Filho de Renato Russo recorre à Justiça e retira do ar paródia do PPS que ironiza Campos e Marina

  • Na representação, Giuliano Manfredini diz que partido agiu ‘sem qualquer ética’ e ‘impõe descrédito à obra original’
  • Roberto Freire: ‘pergunte a ele se fazer paródia é algum crime’

A paródia no blog do PPS
Foto: Reprodução

A paródia no blog do PPS Reprodução

RIO – A brincadeira do PPS em divulgar no blog do partido uma paródia da música “Eduardo e Mônica”, da Legião Urbana, ironizando a aliança entre o governador de Pernambuco, Eduardo Campos e a ex-senadora Marina Silva, ambos do PSB, parou na Justiça. O filho de Renato Russo, Giuliano Manfredini, entrou nesta sexta-feira com uma notificação extrajudicial de violação ao direito autoral contra o diretório nacional do PPS, em Brasília, e, à tarde, conseguiu fazer com que a legenda retirasse da internet a versão política da canção. Há exatos 17 anos, o cantor e compositor morria por complicações causadas pela Aids.

– A ação surtiu efeito. Pedimos ao PPS que retirasse a letra desta música do ar e eles retiraram – afirmou o advogado do filho de Renato Russo, Luiz Edgard Montaury Pimenta.

O GLOBO teve acesso à representação. Nela, os advogados de Giuliano Manfredini alegam que “Eduardo e Mônica”, a original, “é, na verdade, uma estória (sic) de amor, narrada em versos e que refletiu uma homenagem de seu autor (Renato Russo) a uma dupla de amigos, sem qualquer conotação negativa ou associação indevida com partidos políticos”.

Para o filho de Renato Russo, “é sabido que esse partido (PPS) utilizou-se da obra intitulada (Eduardo e Mônica) na exploração de propaganda partidária vexatória, destinada a atingir a recente união dos possíveis candidatos à próxima eleição presidencial (Eduardo e Marina), bem como a clara intenção de angariar notoriedade ao referido blog no qual hospeda a indigitada obra transformada, induzindo a erro os usuários”.

Segundo a representação de Giuliano Manfredini, a atitude do PPS põe em descrédito a música do pai:

“Na verdade, a nova obra, uma transformação desautorizada criada sem qualquer ética por esse partido político, impõe um descrédito à obra original do Sr. Renato Russo, cuja paródia é ofensiva não somente aos referidos candidatos Eduardo (Campos) e Marina (Silva), como também à letra originalmente criada pelo Sr. Renato Russo, transmitida por herança ao notificante, que não deseja qualquer associação indevida com partidos políticos, muito menos que possam atingir a honra ou reputação do autor”.

O presidente do diretório nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire, criticou o filho de Renato Russo:

– O diretório nacional não é responsável pelo blog. Mas eu pergunto: será que é proibido fazer uma paródia neste país? Pergunte a ele (Giuliano Manfredini) se fazer paródia é algum crime. No Brasil, todo mundo está sendo proibido de tudo. É lamentável. Diz ao menino para ficar tranquilo. O pai dele continua sendo o autor da música.

“Eduardo e Mônica” é uma das mais importantes canções escritas por Renato Russo e sucesso na discografia da Legião Urbana. A sátira “Eduardo e Marina, uma canção de amor” foi publicada pelo diretório regional do PPS de São Paulo na última segunda-feira, dois dias depois do anúncio do acordo entre o governador e a ex-senadora.

– Retiramos do ar em respeito à obra do Renato Russo porque ele é o ídolo de todos nós – disse o secretário de comunicação do PPS, Maurício Huertas nesta sexta-feira.

Um dos trecho da paródia diz:

“Eduardo abriu os olhos, mas não quis polemizar / devolveu os cargos, bons cabritos não berram / enquanto Marina tentava montar a sua Rede, mas parou no TSE, como eles disseram”.

Em outra estrofe, a paródia mostra as supostas contradições de Marina em apoiar a pré-candidatura de Campos à Presidência em 2014. A ex-ministra tentava criar a Rede, com foco na sustentabilidade, e foi barrada pelo TSE. Segundo Marina, a Rede seria uma alternativa aos partidos já existentes, que, segundo os marineiros, fazem parte da “velha política”.

“Ela falava coisas sobre sustentabilidade / também ecologia e metabolização / E o Eduardo ainda estava no esquema: escola, hospital, porto, transposição”.

A letra começa e termina com o seguinte verso:

“E quem um dia irá dizer / que existe razão / nas coisas feitas pela oposição”.

A canção ironiza ainda a intenção de Marina Silva de também querer disputar a Presidência:

“Eduardo e Marina trocaram telefone / depois telefonaram e decidiram se aliar / o Eduardo sugeriu uma vice-presidência / mas Marina queria mesmo era se candidatar”

A presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e o senador Aécio Neves, pré-candidato à Presidência pelo PSDB, também são citados:

“Eduardo e Marina querem chegar em Brasília / com o PPS e até o Kassab na coligação / porque 2014 a luta é dura / tem o Aécio e tem o Lula / e a presidente Dilma tá bolada pensando só na reeleição”

 

14 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

us business database list

- 2014-11-08 23:28:30

Roberto Freire e a "paródia" dele mesmo | GGN
Helpful information. Luxky me I discovered your site accidentally, aand I'm surprised why this accident didn't took place earlier! I bookmarked it.

P Pereira

- 2013-10-12 22:05:08

.

Bem feito. Odeio essas paródias “musicais”, coisa de quem não tem capacidade criativa.

PS: tem comentarista confundindo paródia com sátira.

João Mac-Cormick

- 2013-10-12 20:20:47

Mas só a paródia do Eduardo e Marina? e as outras?

Por que então não pediram a retirada deste vídeo, que é uma paródia da mesma música com Lula e Dilma?

 

http://youtube.com/watch?v=JVyI9kuPXWY

 

Ze Chico

- 2013-10-12 19:01:11

Só que é marineiro de primeira viagem...

Pois é Gão, pode ser marineiro, só que de primeira viagem. O negócio só deu IBOPE porque ele proibiu... se tivesse ficado quietinho ninguém ia perceber nada. Fez propaganda do adversário. kkkkkk!!!

AlvaroTadeu

- 2013-10-12 18:36:11

A falha da Folha ou a Folha de falha.

Não sei se existe direito autoral em paródia, mas a Falha de São Paulo foi processada pela Folha e teve que sair do ar. A Folha alegou seu logotipo, sua marca comercial estavam sendo usados indevidamente. Claro nem tocaram no assunto sobre seus erros ridículos que eram explorados pelo pessoal da Falha. A Folha não estava preocupada com sua marca e sim com seu ridículo jornal sendo desmoralizado por alguns rapazes cheios de bom-humor e com uma visão crítica que os funcionários da Folha de São Paulo não têm.

Juarez Alencar

- 2013-10-12 18:03:06

Tenho a impressão que o

Tenho a impressão que o Renato Russo teria desgosto do filho. Moleque chato. Direito autoral em paródia, quem já se viu? Se alguém musicá-la e colocar no youtube, ele vai mandar tirar?

 

Antes dessa, ele entrou na justiça e tomou os direitos autorais do resto do pessoal da banda. Um absurdo sem precedentes, ele nao fazia parte dela!

 

A paródia é engraçada e trata da realidade. O PPS fazendo uma coisa boa, finalmente.

alexandre25

- 2013-10-12 14:50:02

pppppppppppppppp

Também achei uma bobagem do sr. manfredini em buscar proibir a paródia da musica do pai. Tem tanta coisa importante para a justiça se preocupar, agora tem q ficar resolvendo birrinhas do filhinho ofendido.

No tocante a atuação desse ex senador, roberto freire, sabe-se que é um traíra e amargo. Após ser descartado pelo grupo do PT correu para os braços do PSDB e passou a destilar todo seu ódio contra o ninho petista, numa tentativa de mostrar sua independencia política.



E lamentável esse senhor freire!!!

Gão

- 2013-10-12 14:48:26

O rapaz é marineiro.

   Deu toda a bandeira.

Isso é censura pura e simples.

Juliano Santos

- 2013-10-12 14:31:21

Foi a unica coisa boa que o

Foi a unica coisa boa que o PPS fez até hoje. Muito embora movido pela dor de corno. Bob Freire foi devidamente rejeitado, pois Marina é muito interesseira para dar mole para partido insignificante. O PSB do garotão de olhos verdes é que um bom partido.

Mas se cuida, Dudu. A julgar pela pesquisa da Datafalha de hoje, a Marina vai querer ficar por cima!

Orlando Soares Varêda

- 2013-10-12 13:45:47

PARA TRAIR OU COÇAR BASTA COMEÇAR

 

Com o devido respeito aos que discordam. Mas, devo dizer que achei uma bobagem, tanto a musiquinha do Renato Russo, assim como, a atitude do filhote do artista.

Quanto à paródia produzida pelo mau-caráter do ex-comunista Roberto Freire, nada a acrescentar. Pois, como sabemos todos, trata-se de um notório traíra tentando debochar da medíocre dupla sertaneja Dudu&Blabblá. Aliás, dupla calejada na arte de trair. Portanto,  tratamos aqui de traíras maduros ensarilhando suas armas preferidas.

Em vista disso, nada mais apropriado que recordar o ficha-suja ACM. Diria o mestre em falcatruas : "não se perdoa um traidor nem por hipótese."

Orlando

José Eudes

- 2013-10-12 13:21:35

se a moda  pega o zorra total

se a moda  pega o zorra total da globo tem quer ser censurado, não sou adepto do pps, muito menos do seu chefe, agora censurar uma parodia é de lascar.

Quintela

- 2013-10-12 12:02:24

Serra declinou...

Quando José Serra declino do "convite" para ingressar ao PPS não houve paródia...

Por que Roberto Freire age como um moleque malcriado...

Vingancinha pequena...

A culpa é de quem vota nele.

Ivan de Union

- 2013-10-12 10:22:35

Nao existe "violacao de

Nao existe "violacao de direito autoral" em parodia!  Isso eh ridiculo.

Justica de rico eh chique, ne?  Pra eles existe ate o que nao existe...

sergio m pinto

- 2013-10-12 10:15:00

Conseguiram o que queriam -

Conseguiram o que queriam - propaganda grátis para a paródia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador