Temer moribundo no governo favorece Lula em 2018


Foto: Marcello Casal JR/ Agência Brasil
 
Jornal GGN – A permanência de Michel Temer no posto de presidente da República é eleitoralmente benéfica a partidos de oposição, sobretudo ao PT e Luiz Inácio Lula da Silva. Isso porque quanto mais o peemedebista tem a sua imagem afetada, com altos níveis de impopularidade, e a associação de seu governo PMDB a de partidos como o DEM e o PSDB, maiores a chances de adesão e apoio a um nome da oposição no Planalto em 2018.
 
A avaliação é de cientistas políticos e pesquisadores, consultados por reportagem do UOL, que entenderam que o sangramento de Michel Temer favorece a candidatura, principalmente, de Lula. O partido nega que tenha a intenção de se aproveitar desse possível fortalecimento às custas da destruição do atual governo.
 
Mas pesquisadores assim vem: enquanto no cenário atual de crise “é difícil imaginar que Temer se recupere e que recupere as condições de administração”, “do ponto de vista eleitoral, isso é vantajoso para o PT”,  manifestou o cientista político e professor emérito da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Fábio Wanderley Reis.
 
O desenho de quase fim do atual governo Temer foi reforçado, na visão dos especialistas, desde que o presidente garantiu um vitória apertada na denúncia contra ele na Câmara dos Deputados, ainda que empenhando todos os esforços, articulações, liberações de emendas parlamentares e, ainda, criação de cargos comissionados a cada aliança feita.
 
A margem de dissidentes e consideradas “traições” ao Planalto significa que o apoio que Temer detinha quando assumiu a cadeira, com a derrubada da ex-presidente Dilma Rousseff, não é o mesmo. Assim, ainda que de interesse de grande parte da então base no Congresso, interesses podem ser dificultados para conseguirem a aprovação na Câmara e no Senado.
 
“Não foi vitória arrasadora, foi uma vitória apertada relativamente, mostrando que nesse número há reticências e traições. Isso reforça a ideia de que será difícil para Temer executar uma administração com êxito, ainda mais sair como candidato viável para 2018”, avaliou Wanderley Reis.
 
Assim, enquanto Michel Temer se vê, a cada dia, mais impactado pela desaprovação popular e de redutos eleitorais, que compromentem automaticamente as eleições de 2018 dos parlamentares, o PT vai ganhando força. A estratégia seria mais favorável ao partido do que um dos objetivos aventados inicialmente, que era a queda de Temer e a substituição pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).
 
Visto como discreto e figura que poderia capitanear todos os interesses do PSDB, DEM e PMDB, além dos demais partidos de apoio ao governo atual, Maia daria sequência às aprovações das reformas e medidas estruturais econômicas que visam estes partidos. Entretanto, a opção já parece ter sido abandonada e a manutenção de Temer no cargo apenas favorece a oposição.
 
“Isso é mais interessante para o PT do que colocar Rodrigo Maia [na Presidência da República], que teria muitas chances de se fortalecer politicamente e que seria o homem-chave para colocar adiante as reformas que estão sendo pregadas. Então, talvez haja mais interesse em manter Temer moribundo, porque aí teriam muito mais chance de disputar a eleições do ano que vem”, analisou o cientista político e professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Michel Zaidan Filho, ao Uol.
 
Neste mesmo contexto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não deixou de incluir no discurso, durante o 14º Encontro da União Nacional por Moradia Popular, realizado na quadra do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, no centro da capital paulista, nesta quinta-feira (03), a “grotesca” sessão da Câmara dos Deputados, com a compra de apoio por Temer.
 
“Nós vimos ontem uma cena grotesca. Vocês viram que eles estão anunciando uma política fiscal muito dura, cortando dinheiro da educação, cortando dinheiro da saúde, cortando dinheiro da habitação, evitando qualquer gasto durante 20 anos. Alguém podia pensar que era sério. Tudo o que eles economizaram eles gastaram ontem à noite para comprar deputado”, disse Lula.
 
O deputado Wadih Damous confirma que esse efeito ao partido e à candidatura de Lula em 2018 é consequência natural do cenário de hoje. Mas lembra que “é um desastre ético-moral para o Brasil” e que não se pode “pensar assim”. “Do ponto de vista eleitoral, não é nenhum desastre a permanência de Temer. Mas é um desastre ético-moral para o Brasil. Temos a obrigação moral da proteção de evitar que um presidente denunciado por um crime gravíssimo se mantenha no cargo”, completou o deputado.
 
“A nossa expectativa é que a crise só vai se agravar, porque o governo não vai ter os votos para aprovar as reformas que quer. Eles tinham 400 deputados na base aliada, mas tiveram 263 votos. Inundou a caravela, que ainda vai afundar”, disse o líder do partido na Câmara, Carlos Zarattini (PT-SP), na lógica.
 

9 comentários

  1. E essa é, a meu ver, a

    E essa é, a meu ver, a verdadeira razão para a campanha da Globo contra o Temer. A Globo percebeu claramente, ao contrário do otavinho e outros, que o grande problema são as eleições. São muito mais importantes para o golpismo do que a aprovação agora das reformas, pois estas só podem sobreviver de facto se o campo democrático não ganhar em 2018.

  2. Matéria indecente. Tudo

    Matéria indecente. Tudo favorece Lula para 2018. Inclusive o golpe que os donos da UOL promoveram. Já que Temer favorece o Lula porque os Frias não fizeram editorais defendendo a legalidade que seria a presidenta eleita no cargo. Porque contrataram o perito de araque para desqualificar a gravação de propina. 

    Hipócritas.

  3. Governo fraco e sem

    Governo fraco e sem credibilidade fortalece qualquer tipo de oposição: seja à Esquerda, à Direita ou do Centro. Isso é evidente.

    Também é evidente que teria que sobrar alguma casquinha para o Lula e para o PT. Articulistas da grande mídia e o(a)s  pés rapados que esbravejam nos rádios e You Tube já lançaram o repto de que o Temer só se salvou por causa do PT face as razões já expostas no texto acima. Ou seja, a culpa é do PT e do Lula. 

    Como assim, se todos os deputados do partido votaram a favor da investigação do “coiso”? Se se beneficiaram que culpa tem disso?

    Enquanto isso fica em segundo plano o que o TEMERoso fez para se safar. Alguns dão na casa dos bilhões o custo da operação.

    Tem jeito não. Quando o Lula e o PT não apanham, dão neles. 
     

     

  4. Estratégia oportunista fortalece Temer

    Temer teve uma dupla Vitória: recebeu os votos dos mercenários e cúmplices da bandidagem mas também ganhou o apoio de toda a oposição, que compareceu em peso dando o quorum necessário para a votação, cujo resultado já se sabia de antemão, caso houvesse quorum. Se a oposição não tivesse dado o quorum, Temer continuaria refém da denúncia, sangrando,  enfraquecido, à espera da  segunda denúncia  e  sem conseguir implementar as reformas repudiadas pela maioria do povo brasileiro. No meu entender, o povo brasileiro foi traído tanto  pelos aliados  de Temer, o  que não é de se espantar,  como  também  pela oposição.  Sua estratégia mostra oportunismo e mesquinhez, o  povo que se dane, em primeiro lugar o partido ! ! Temer não saiu mais fraco dessa votação  e sim fortalecido. O PSDB vai apoiar todas as reformas, que não piderão ser mais revertidas.  Esse é o preço que o povo vai pagar pelos políticos que tem. 
     

    • estratégia…

      E a Esquerdopatia Ditatorial Tupiniquim mostra sua verdadeira natureza. Democracia, uma ova. Brasil é o cacete.” Vamos deixarTemer para nos darmos bem em 2018″. E o país até lá? E a Justiça? E a Liberdade? E as transformações? E o poder nas mãos dos cidadãos? E os empregos? E como pagar as contas? O que interessa é se dar bem nas eleições e continuar mamando no Orçamento do Estado. O Brasil se explica. E se lamenta. 

  5. Com o andar da carruagem parlamentar,

    o “preço do voto” a favor do governo certamente se tornará cada vez mais caro. Então, para passar as tais reformas apresentadas (aposentadoria, CLT, etc.), os parlamentares provavelmente vão cobrar muito mais do que essas migalhas que estão recebendo.

    Afinal, mutios destes parlamentares já se suicidaram politicamente.

    E a cada dia que passa o governo tem que se explicar cada vez mais e isso é ruim para governo em defensiva.

    O ex da Alemanha Oriental, Egon Krenz,  pode dar aulas sobre liderança em marcha a ré.

  6. De fato…

    Temer ficando favorece tanto o PT quanto amputar uma perna resolve uma unha encravada no dedão. Ah, sim! Quando é que a Pholha vai fazer uma matéria para dizer quanto a permanência de Temer favorece o capital especulativo, a bancada da bala, do boi e da Bíblia? Ou interesses estrangeiros?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome