Governo pretende vender três novas áreas no leilão do pré-sal

pre-sal_0.jpg
 
Jornal GGN – O governo de Michel Temer prepara uma nova licitação para ofertar três novas áreas do pré-sal em novembro, na 3ª rodada de partilha. De acordo com o jornal Valor Econômico, João Vicente Vieira, diretor do Departamento de Exploração e Produção de Petróleo e Gás do Ministério de Minas e Energia, disse que a Agência Nacional de Petróleo (ANP) elaborou uma lista com sugestões de áreas para as próximas rodadas, que deverão ocorrer entre 2017 e 2019. 
 
O sigilo sobre as áreas será mantido pelo ministério e pela ANP até a aprovação do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). Anteriormente, a agência se manifestou sobre três possíveis opções: Saturno, Pau Brasil e Peroba. 

 
Magda Chambriard, ex-diretora da ANP, afirmou que a área de Pau Brasil teria potencial para 8 bilhões de barris de petróleo “in situ” (total de óleo, ainda não aprovado, contido em um reservatório e não necessariamente recuperável). 
 
O objetivo seria realizar um calendário plurianual de rodadas, com expectativa de dez leilões entre 2017 e 2019, promovendo três rodadas por ano.
 
“Podemos fazer licitações numa frequência bastante grande. O cenário aponta para isso. Este ano teremos quatro rodadas e a ideia, já anunciada, é termos para 2018 e 2019 mais três rodadas a cada ano: uma ‘rodadinha’ [de áreas com acumulações marginais], uma rodada de blocos exploratórios [sob o regime de concessão], tanto no onshore quanto no offshore, e uma rodada de partilha do pré-sal”, afirma José Gutman, diretor da ANP.
 
Assine

7 comentários

  1. Indignado

    Nao sou , nao conheço e nada tenho direto nada  com a petrobras. Mas tenho um grave defeito sou brasileiro, com curso superior em universidade federal, e ainda nacionalista.

    Mas devemos  lutar por lei para punir entreguistas, criminosos lesa patria, por açao ou omissao. Inclusive lei extensiva aos descendentes destes, (processo no Brasil são a passo de cágado contra este tipo), que tenham se locupletado com dinheiro ou bens repassados destes fascinoras que hoje estrupam a naçao brasileiro e seu povo..

    Precisamos continuar lutando para um dia sermos uma naçao do tamanho e riqueza deste solo…..

  2. Bolsa familia para agiotas

    Nada funciona neste governo, a não ser vender ativos da Petrobrás, privatizar, retirar direitos!

    Governar para a PEC 55 é fácil!

    Se não crescer, os direitos diminuem, a renda cairá, os serviços públicos ficarão sucateados!

    Não precisamos de politica industrial, pois o grande lance do Brasil são os Juros!

    Os juros são protegidos por lei!

    Quem investir em juros, ainda que seja tesouro direito – terá a certeza – o juros NUNCA cairão para decepcionar o investidor!

    Agora, se você montar um negócio, uma lanchonete, sem renda paralela de juros você quebrará!

    As empresas vão acabar emprestando dinheiro a juros para seus empregados, para aumentar os lucros!

    Essa vai ser a produtividade da era PEC 55!

    Enquanto isso, eles articulam um jeito de escapar da cadeia, sobreviver e levar algum troco com privatizações e vendas de ativos da Petrobrás…

    Este é o trabalho diário deles…

    O povo, os que foram trouxas, e que lutaram contra o PT ainda acreditam que estão livre de tudo isso, e que uma boa abstração não faz mal!

    Amanhã vão acordar e tudo estará bem na vida deles…

    Você conversa com eles e eles ficam irritados e saem quase sempre dizendo: “mas, também o PT…”

    Nunca estão olhando o problema de frente, o que aconteceu e o que está acontecendo…

    Ficam olhando para um passado que contaram para eles que deveria ser…

    O PT era o vilão, o mordomo…

    Agem como se toda essa maldade vai cair somente sobre os trabalhadores, que são do PT e dos pobres, dos assistidos pelos governos do PT!

    Quem sobreviver verá!

    • bolsa….

      Ás ruas. Paremos enquanto é tempo com novas Privatarias. Será que não ficou mais que escrachado que somos comandados por bandidos, por uma Elite, uma Casa Grande cujo único interesse é a manutenção nababesca dos seus privilégios? Nada tem com desenvolvimento, nada tem com o país, nada tem com melhoria social, industrial, financeira, tecnológica ou educacional. Tais vendas do patrimônio nacional só servem para financiar ainda mais a tal Corte e seus gastos, que não tem limites. Estão dando nosso futuro e empurrando a nação a cada dia mais para o buraco.  Será que Pedrinhas e Alcaçuz no mês passado e hoje já esquecidos não nos dizem nada? Parece impossível mais afundaremos ainda mais. Nem com soberania estão mais se impiortando?!

      • Venda do “NOSSO” patrimônio…

        Teu comentário tá perfeito Zé Sergio…Sou contra violência, mas…está na hora da SENZALA invadir a CASA GRANDE… nao tem outra saída, estão literalmente “fazendo o que querem” com o nosso país, e se a população não se movimentar, organizada  com objetivos e focada, é atirar tudo pra cima e “cair fora”… 

  3. Isso só acontece porque este

    Isso só acontece porque este país é governado por consumados FILHOS DE UMA PUTAAA!!!!!

    Desculpem, mas tinha que desabafar.

  4. Uma das projeções/promessas

    Uma das projeções/promessas do atual governo, foi abrir as porteiras da Petrobras aos investidores parceiros de outras nações para gerar empregos e progresso para o povo brasileiro. Observamos morosidade, e que talvez não exista interesse externo em investir em campos de petróleo. Talvez a projeção não deu certo, e aí o governo tem que partir para planos B, C, D o mais rápido possível, visando privatizações em outras áreas para tirar o país do  buraco.

  5. Nada contra alguma coisa

    Nada contra alguma coisa privatizada (nem mercadoria nem serviço). Não sou daquele que não compraria um refrigerante ou uma linha telefonica da inciativa privada, se houvesse similar de uma empresa pública. A questão que se coloca, e que me deixa perplexo, é a tal privatização. Privatização é pegar algo que foi feito com dinheiro público, dinheiro de impostos da população, e vendido a troco mais de nada, para que um grupo privado, na maioria das vezes multinacional, comece a cobrar daqueles que se juntaram para construir aquela estrada, aquela hidrelétrica, aquele aeroporto.

    Como dizia Barbosa Lima Sobrinho, que partcipou ativamente da campanha ‘O petróleo é nosso’, se não fosse a Petrobrás jamais a inciativa privada teria descoberto um barril de petróleo aqui no Brasil. Pois as empresas encarregadas de dar parecer sobre a reserva de petróleio no Brasil, todas norteamericanas, dizia que o Brasil não era lugar de alguém investir um cruzeiro para procurar petróleo. Foi preciso apostar com o dinheiro público e mostrar que temos sim petróleo, e muito. Agora pegar e dar justamente para essa turma que não investiu um real?

    É o caso das telecomunicações, das estradas e dos aeroportos. Das estradas, por exemplo, alguém já viu a iniciativa privada construir um quilômetro de estrada que seja, para depois cobrar pedágio?. Porque a inciativa privada não constroi uma estrada transamericana que sai da Patagonia ao Norte do Canadá e que cobrem a tarifa de pedágio que lhes aprover. Agora pegar uma rodovia construida e pavimentada há anos, e só construir a gabine-móvel de pedágio e começar a cobrar a tarifa mais louca que existe, só aqui no Brasil mesmo. Há o caso de um trecho pedagiado da BR-153 que fica na cidade de Lapa no Paraná, e foi privatizado pelo governo FH o entreguista, na qual a empresa que cobra pedágio não investiu um único real antes de começar a cobrar mais de  U$4 dólares pela tarifa de pedágio num trecho de menos de 40 quilômetros. Está lá há mais de 15 anos e as vezes a empresa pinta as faixas, só. Já aconteceu de eu trafegar pelo dito cujo trecho e, como houve acidente tivemos que usar desvio rural porque a pedagiadora não tinha caminhão de reboque para guinchar os veículos envolvidos.

    Caso também das hidrelétricas, quantas usinas a iniciativa privada construiu para depois começar a distribuir e cobrar a energia? Quantas redes de transmissão a iniciativa privada já construiu? 

    Caso das teles: quantas mil quilômetros de rede elas já construiram, quanto já investiram para acomapnhar o desenvolvimento mundial das telecomunicações? O mesmo caso pode-se afirmar dos aeroportos, das ferrovias. 

    Quem defende a privatização, a primeira coisa que deveria defender era a construção dos serviços com investimento privado. Se não fizer isso está usando de má fé. Pois em todos os casos só querem o investimento público para elas tirarem o couro daqueles que efetivamente construiram tudo, que são aqueles pagam imposto neste país. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome