Nova política da Petrobras provoca aumento no preço do gás de cozinha

 
 
Jornal GGN – A Petrobras anunciou uma nova política de preços do combustível para as distribuidoras de gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha. Com a mudança, haverá aumento de até 4% para as distribuidoras. 
 
A elevação no preço vai depender do tipo de contrato e também da região da distribuidora de gás. 
 
A nova política é anunciada duas semanas depois que a estatal reduziu os valores da gasolina e do diesel nas refinarias. Entretanto, a diminuição de preço destes combustíveis não chegou aos postos de combustíveis. 

 
Na média nacional, a gasolina ficou 0,41% acima do valor cobrado uma semana antes da queda dos preços nas refinarias.
 
O aumento do GLP é resultado de alterações nos contratos de venda do gás da Petrobras para as distribuidoras. Agora, serão incluídas taxas de uso da infraestrutura da estatal, como nos casos das empresas que usam tanques de armazenagem da Petrobras. 
 
Os preços entram em vigor nesta terça (1) e deverão ter maior impacto no Nordeste. De acordo com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), um botijão de 13 quijos tem o preço médio de R$ 53,76 na região. Com 4% de aumento, cada botijão deve ficar mais de R$ 2 mais caro. 
 
Alexandre Borajili, presidente da  Associação Brasileira dos Revendedores de GLP, criticou o aumento, dizendo que ele foi feito de “forma irresponsável” e sem as “devidas explicações”. 
 
Em nota para a imprensa, a Petrobras se justificou afirmando que não fez qualquer mudança na tabela de custos do gás, mas que alterou os contratos com as distribuidoras para ” melhor refletir custos de logística que tipicamente deveriam por elas ser cobertos, mas que eram suportados pela companhia”.
 
A empresa estima que os preços do botijão de 13 quilos ficará R$ 0,20 mais caro, em média, o que representa 0,36% de aumento em uma unidade que custe R$ 55. A Petrobras crê que o impacto máximo não vai passar R$ 0,70 por botijão nos preços cobrados pela estatal às distribuidoras. 
 
Por último, a companhia afirma que a mudança é importante para “evitar distorções e estimular investimentos na cadeia de logística”.
 
Atualizado às 11:27 para acréscimo de informações

1 comentário

  1. nova…

    Continuaremos com estas discussões toscas, rasa, com tamanha inocência? Vendido a área de gás de cozinha ao Grupo Ultra e a formação de um novo monopólio com quase 50% do mercado, o governo está apenas garantindo o lucro da multinacional. Pobre país limitado. Se explica.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome