Pré-sal já ultrapassa 1 milhão de barris/dia

Por Alex Prado

A Agência Nacional do Petróleo e do Gás Natural (ANP) divulgou os resultados de produção relativos a julho: o pré-sal já produz mais de 1 milhão de barris de óleo equivalente (boe), num dia marcado pela queda de quase 5% no valor das ações da Petrobrás, depois de divulgado que a diretoria da empresa desistiu – por enquanto – de vender parte da BR Distribuidora. A AEPET congratula o corpo técnico da Petrobrás pela marca obtida, o que só reforça nosso discurso em defesa da empresa e da riqueza do pré-sal para o povo brasileiro.

Em julho, a produção do pré-sal, oriunda de 54 poços, foi de 812,1 mil barris por dia de petróleo e 30,5 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d) de gás natural, totalizando pouco mais de 1 milhão de barris de óleo equivalente por dia. Houve aumento de 8,4% em relação ao mês anterior, informou hoje (1º) a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP).

Já a produção total de petróleo e gás natural no país, no mês passado, ficou em cerca de 3,066 milhões de barris de óleo equivalente (boe) por dia, dos quais 2,466 milhões de barris diários de petróleo e 95,3 milhões de m³ de gás natural. Na comparação com o mesmo mês de 2014, houve aumento de 8,8% na produção de petróleo e de 2,9% em relação ao mês anterior. A produção de gás natural aumentou 8,5%, se comparada à de julho de 2014, e caiu 0,2% frente ao mês anterior.

Leia também:  Por ser estatal, Petrobrás segura alta do petróleo, afirma secretário da FUP

O Campo de Roncador, na Bacia de Campos, registrou a maior produção de petróleo, com uma média de 371,3 mil barris por dia, e o Campo de Lula, na Bacia de Santos, foi o maior produtor de gás natural, com média de 14,3 milhões de m³ por dia.

A P-52, localizada no Campo de Roncador, produziu, em 17 poços a ela interligados, cerca de 161,2 mil barris de óleo equivalente por dia e foi a plataforma com maior produção.

Os campos cujos contratos são de acumulações marginais produziram um total de 66,5 barris diários de petróleo e 23,8 mil m³ de gás natural. O Campo Bom Lugar, operado pela Alvopetro, foi o maior produtor de petróleo, com 27 barris por dia, e Morro do Barro, operado pela Panergy, foi o que mais produziu gás natural, com 22,9 metros cúbicos por dia.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

28 comentários

  1. Nos preços que estão os

    Nos preços que estão os barris, por volta de 45, a prospecção do pré sal, é lucrativa? Pois se falava em 100 dólares o barril, para lucratividade. Então…..?!

      • É muito mais que isso, cada

        É muito mais que isso, cada navio plataforma de extração custa 2 bilhões de dolares e só o aluguel da plataforma dá mais do 9 dolares por barril. Depois não é só o custo da extração, tem o transporte da plataforma até a base que é outro custo.

        • André, 2 bilhões de dólares para uma plataforma é merreca.

          Tomando a plataforma que mais produziu a P-52, localizada no Campo de Roncador. Ela com 17 poços interligados produziu 161,2 mil barris de óleo equivalente por dia, isto equivale a 4.836.000 (4,8 milhões de barriis de petróleo por mês), se tomarmos 10US$ só para pagar a plataforma (na bucha) são 48 milhões de dólares por mês, para pagar a plataforma num calculo besta, seriam 41 meses, ou seja 3 anos e meio de produção.

          Colocando poços manutenção, transporte e mais uma coisinhas, em cinco anos ela está tudo paga com um petróleo a 10US$ o Barril, se passar para 45US$ em um ano!

          Em petróleo os valores tem outra ordem de grandeza. O que vale é a produtividade do poço, o resto é o resto.

          • Maravilha, quer dizer que a

            Maravilha, quer dizer que a P-52 funciona sozinha, o unico custo é a locação, não tem pessoal, seguro, gasto de equipamentos, custo dos geradores, selos mecanicos das bombas e das valvulas, troca das mangueiras e dos canos, 

            custo das tintas anti-corrisivas, correias dos compressores, a complicada operação dos instrumentos de controle, parece tudo muito simples e barato.

            Por outro lado uma unica plataforma receber produção de 17 poços é fantastico, não deve ser comum.

          • O cálculo que fiz é bem conservador.

            Quanto uma plataforma ser ligado a vários poços é algo extremamente comum. Quanto mais maduro for o campo maior será o número de poços.

        • André, ou se compra ou se aluga, não tem as duas coisas juntas!

          Pô André, muitas vezes escreves coisas sérias e boas, aí dá esta diarréia mental e escorrega. Cuidado com a tua imagem.

          • O aluguel  é calculado em

            O aluguel  é calculado em cima do custo do equipamento, quando se faz o contrato de locação parte-se do valor do equipamento para definir o valor do aluguel. Normalmente as plataformas são alugadas em sua maior parte, o que evita que a petroleira empate capital em bens que pode não precisa mais daqui a algum tempo.

          • Sim André, mas então não se soma o preço de uma plataforma …

            com o custo do aluguel!

            O que tu estas induzindo é o cálculo em dobro.

            Porém, há um pequeno problema, não há um balcão de plataformas num supermecado do petróleo em que se pede:

            – Me dá umas duas do tipo zz, mais outra do tipo xx e cinco do tipo yy.

  2. Globo, Estadão, Folha e

    Globo, Estadão, Folha e revistas da Abril, na Internet, continuam em silêncio a este respeito. Acabei de fazer uma pesquisa no Google sobre esta questão, e nas últimas 24 horas os jornalões continuam calados. Noticia boa sobre a Petrobras essa gente não quer publicar.

  3. a imprensa é isenta…de imparcialidades…..

    Está claro que qualquer tipo de informação inconveniente é omitida no pig, e este bobões falam em censura!

    • Escreve “gaz”

      Não se registra, escreve “gaz” e  ainda quer ser levado a sério.

      Deve ter gás na cabeça…

      • A gramática muda alguma coisa

        A gramática muda alguma coisa ?

           Se muda, então :

              气

        Tá bom assim ?

         

        • Muda, sim

          É como eu distingo um direitista ignorante de um direitista inteligente.

          Os direitistas inteligentes – pelo que vejo da gramática dos direitistas aqui no blog – por enquanto são obra de ficção…

          (E o bom é que ele aceita a provocação. Dá pra trolar o troll e se divertir por mais tempo. Parece um zeppelin, a gente amarra a corda e solta, pega corda que é uma beleza!

          • PASQUALE CIPRO NETO
            ‘A

            PASQUALE CIPRO NETO

            ‘A importância de se amamentar’

             ( ….)

              Ninguém é imune a cochilos quando escreve. Ninguém. Certamente já perpetrei inúmeras maravilhas. Quando me dou conta delas, pela minha própria observação ou pela advertência de alguém, só me resta alterar, corrigir etc. Na semana passada, por exemplo, perpetrei esta maravilha, apontada por um leitor de Ribeirão Preto: “…começar pela (re)preparação dos professores e seguir pela reforma e/ou construção de escolas adequadas, pelo pagamento de salários decentes etc.”.

            Percebeu, caro leitor? Acabei propondo a reforma de escolas adequadas… O que eu queria dizer era isto: “…e seguir pela reforma das escolas já existentes e pela construção de escolas adequadas…”. Foi isso o que eu efetivamente disse? É claro que não. Pau no professor! É isso.

    • O gás produzido nos poços não

      O gás produzido nos poços não e gás de cozinha (GLP – gás líquefeito de petóleo)

  4. Beto Richa dizia que as pessoas estavam iludidas com o pré-sal
    Em 2013, Ratinho urubuzando o governo Dilma perguntou para Beto Richa: “O senhor acredita no pré-sal”. E o ditador do Paraná soltou essa: “as pessoas estão iludidas achando que o pré-sal é pra amanhã”. Segundo ele, a riqueza do pré-sal seria pra além de 4 anos. Outro urubulogo que errou feio, veja o vídeo abaixo, a partir dos 8min24seg.[video:https://www.youtube.com/watch?v=KbKl7oEfzf0%5D  

  5. Por que será que pagaram pra

    Por que será que pagaram pra fazer o Inflávio e estão custeando as despesas para leva-lo de um lado para outro? Quem está bancando a palhaçada com o Inflávio? Quando será que os zumbis da mídia vão acordar para os verdadeiros interesses que estão por trás desta tentativa de golpe de estado e de cometer assassinato de reputação contra Lula? Sem contar que o Brasil também tem urânio, também. Não é uma questão apenas do preço atual do petróleo que deve ser pensada, mas no que ele pode vir a representar no futuro. E isto é que causa revolta, tem um bando de analfabetos políticos que não enxergam um palmo à frente do nariz apoiando gente que está conspirando contra o futuro do Brasil.

  6. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome