Criada por Eike, OSX procura avançar em acordos com credores

Jornal GGN – Criada pelo empresário Eike Batista para fornecer equipamentos para a indústria de petróleo, a OSX tenta avançar em medidas previstas nos planos de recuperação judicial e em acordos com seus credores. O objetivo é sair da recuperação judicial e evitar qualquer risco de falência.

As dívidas das empresas do grupo somam cerca de US$ 2,5 bilhões com credores brasileiros e estrangeiros. A companha pretende vender a plataforma OSX1 e também negociar com os credores a permissão de comercializar a OSX3 para saldar suas dívidas. A OSX foi criada no auge do grupo EBX, de Eike, e previa construir 48 plataformas para outra empresa do grupo, a OGX. O plano não foi concretizada quando se confirmou que os campos da OGX não iriam produzir petróleo conforme o esperado.

Do Valor

OSX, de Eike, tenta avanço em acordos com credores

A OSX, criada pelo empresário Eike Batista como fornecedora de equipamentos e serviços para a indústria de petróleo, está avançando na implementação de medidas previstas nos planos de recuperação judicial das empresas do grupo, homologados há mais de um ano, em dezembro de 2014, na Justiça do Rio. Mesmo assim, ainda há um longo caminho a ser cumprido pela OSX, incluindo vencer a oposição de alguns credores, para que o grupo consiga sair da recuperação judicial e, assim, evite qualquer eventual risco de falência.

As companhias da OSX têm dívidas totais de cerca de US$ 2,5 bilhões com credores no Brasil e no exterior. Em janeiro, a OSX abriu caminho para a venda de pelo menos uma plataforma do grupo, a OSX1. E quer negociar acordo com credores para permitir a futura comercialização da OSX3, outra unidade de produção da companhia. A OSX2, que integra o trio de plataformas de produção do grupo, foi construída na Ásia, mas nunca entrou em operação. Foi assumida por fundação e é gerida pelo banco ING, líder dos credores. A venda das plataformas deve pagar as dívidas com os credores que financiaram a construção das unidades, mas não vai sobrar dinheiro. 

No processo de reestruturação, a OSX cortou custos operacionais e de manutenção, demitindo pessoal, e conseguiu dinheiro novo de credores, além de começar a pagar, em janeiro, em 12 parcelas, as dívidas de menor porte (até R$ 80 mil). “Conseguimos eliminar uma série de incertezas e implementar medidas previstas nos planos de recuperação judicial”, disse Eduardo Farina, o sétimo presidente da OSX em cinco anos. A OSX nasceu na época de glória do grupo EBX, de Eike, para construir e alugar plataformas para a empresa co­irmã, a OGX. Nos áureos tempos, a OSX previu construir um portfólio com 48 plataformas para a OGX. O plano mostrou­-se inviável e ruiu quando se confirmou que os campos de petróleo da OGX não iriam produzir segundo as estimativas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Eike XXX é um caso clínico da Síndrome de Jobs

    Eike XXX é um caso clínico da Síndrome de Jobs ou do Campo de Distorção da Realidade que, infelizmente, não fundara uma Apple planetária com a filosofia/criação/produto/obstinação/faz acontecer de Jobs mais os investimentos do mercado financeiro americano num nerd-hippie vegetariano que não gostava de tomar banho, pero si, Eike afundou-se no Mar de Xis dos campeões nacionais BNDES/FAT.

    “O campo de distorção da realidade (de Jobs) pode servir de estímulo, mas depois a realidade fala mais alto”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome