Desenhando a onda privatizante, por Jorge Luis

Por Jorge Luis

Comentário à publicação “A aula de Dilma sobre a dolarização do petróleo brasileiro e o golpe na Petrobras”

Eu não sei se alguém já abordou a questão da privatização da nossa cadeia produtiva de petróleo pelo ângulo abaixo, mas como eu achei os resultados bem interessantes, resolvi compartilhar com vocês.

Imaginemos uma empresa (vamos chamá-la de “A”), que seja responsável por toda a cadeia produtiva. Ela mesma extrai, refina e distribui. Vamos considerar os custoa abaixo para cada uma das etapas (vou usar valores inteiros para faciliar os cálculos e o entendimento):

Extração: R$ 30,00
Refino: R$ 10,00
Distribuição: R$ 10,00

O custo operacional total é de R$ 50,00.


Quantos conjuntos de acionistas precisam ficar felizes? UM. Vamos dizer que uma margem de 30% deixe esses acionistas felizes, então o cálculo do nosso preço final fica assim:

Preço Final = R$ 50,00 (custo) + 30% de Margem (R$ 15,00) = R$ 65,00

Agora vamos imaginar outra situação. Desta vez, a empresa “A” é responsável apenas pela extração. A empresa “B” faz o refino e a empresa “C” faz a distribuição. Os custos operacionais ficam os mesmos. Quantos conjuntos de acionistas precisam ficar felizes? Agora são TRÊS. Assumiremos que todos eles fiquem felizes com 30% de margem. Vamos às contas:

A empresa “A” extrai o produto com custo de R$ 30,00 e ascrescenta a sua margem de 30% (R$ 9,00), repassando então o produto para a empresa “B” por R$ 39,00.

A empresa “B” compra o produto por R$ 39,00, realiza o refino com o custo operacional de R$ 10,00 e acrescenta a sua margem de 30%. A conta fica assim:

R$ 39,00 + R$ 10,00 = R$ 49,00 + 30% (R$ 14,70) = R$ 63,70

Finalmente, a empresa “C” compra o produto e faz a distribuição, acrescentando seus próprios custos operacionais (R$ 10,00) e sua margem de lucro de 30%:

R$ 63,70 + R$ 10,00 = R$ 73,70 + 30% (R$ 22,11) = R$ 95,81

Um produto que antes custava R$ 65,00 passou a custar mais de R$ 95,00.

Adivinhe quem paga a conta? Isso mesmo. Você.
Adivinhe quem lucra mais? Pois é. O mercado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora