Bolsonaro indica, agora, que está sem saída e que deve cortar recursos de pobres

Bolsonaro pediu “opções de como atender a esses milhões de desassistidos” à imprensa, criticando-a, e afirmando que o governo está “aberto a sugestões”