Dilma refuta ideia de conflito entre ela e Lula

Da Folha

 
Em viagem à Europa, presidente diz que imprensa pode tentar, mas não vai conseguir criar ‘conflito’ entre ela e antecessor
 
Temer e ministros apresentaram ontem pacote de bondades à base na Câmara para tentar conter rebelião
 
A presidente Dilma Rousseff afirmou ontem ter apenas divergências “normais” com o ex-presidente Lula e tentou minimizar as informações de que seu antecessor tem feito críticas reservadas a seu estilo de governar.
 
Na edição de ontem, a Folha publicou reportagem mostrando que Lula tem dito a interlocutores do mundo político e empresarial que Dilma precisará de um novo time para conduzir sua política econômica e de um novo “núcleo duro” para ajudar a gerenciar o governo e as crises políticas com a base aliada no Congresso.
 
“Eu acho que vocês podem tentar de todas as formas criar qualquer conflito, barulho ou ruído entre mim e o presidente Lula, que vocês não vão conseguir”, disse a presidente, em entrevista a jornalistas brasileiros na Cúpula Brasil-União Europeia, em Bruxelas (Bélgica).

 
“O meu comentário é o seguinte: a imprensa é livre e tem direito de expressão e eu e o presidente Lula não temos divergências a não ser as normais”, afirmou.
 
Questionada se em algum momento ouviu críticas de Lula sobre suas estratégias política e econômica, respondeu: “Não, ele nunca comentou comigo”.
 
Apesar das críticas reservadas, o ex-presidente tem demonstrado confiança numa vitória de Dilma nas eleições deste ano e descarta tomar o posto de candidato à Presidência.
 
Para Lula, a presidente Dilma atualmente “está bem na foto” com o eleitorado, mas “divorciada” das classes empresarial e política, o que poderia trazer riscos futuros.
 
BLOCÃO
 
Na tentativa de melhorar a interlocução com a base na Câmara –onde partidos aliados criaram na semana passada um “blocão” independente para explicitar o descontentamento com Dilma–, o Palácio do Planalto apresentou ontem um pacote de bondades para tentar conter a ameaça de rebelião.
 
O governo decidiu mobilizar 12 ministérios para atender demandas dos congressistas, prometeu cumprir liberação de verbas para obras apadrinhadas por deputados e senadores no Orçamento de 2013, além de elaborar pauta de votações de consenso.
 
As propostas foram apresentadas aos líderes governistas na Câmara pelo vice-presidente, Michel Temer (PMDB), e pelos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais).
 
Na reunião, os deputados reclamaram sobretudo da falta de diálogo com o governo, do rompimento de acordos para pagamento das chamadas emendas parlamentares e da interferência do Planalto na pauta da Casa.
 
Eles afirmam que não pretendem romper com Dilma ou derrotar o governo nas votações em plenário, mas dizem que está mantido o bloco parlamentar capitaneado pelo PMDB e formado pelo PP, PR, PTB, PDT, Pros, PSC e o oposicionista Solidariedade, que somam mais de 250 dos 513 deputados. (LEANDRO COLON, MÁRCIO FALCÃO, RANIER BRAGON E FLÁVIA FOREQUE)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Justiça rejeita denúncia do "quadrilhão do PT" contra Lula

9 comentários

  1. Há quatro anos que a mi(r)dia

    fala, escreve, repete que Lula e Dilma vão brigar, estão brigando, tem que brigar. Isso é repetido em todas as reuniões sociais dos pais do coxinhas. Cadê os fatos?

  2. Especialista em fazer intrigas

    A midia venal e golpista no Brasil é especialista em fazer intrigas contra o governo do PT.

    Tudo o que é produzido pela midia serve como combustível à oposição que está desesperada para retomar o poder.

    Infelizmente, há alguns imbecis da ultra-esquerda que fazem o papel de codjuvantes da direita raivosa que vão no embalo das idiotices protagonizadas pela midia golpista.

  3. E a direitada coxinha não

    E a direitada coxinha não desiste: ainda afirmam que Lula e Dilma brigam. Ô desespero!!!

  4. Enquanto a oposição pensar

    Enquanto a oposição pensar que será compreendida por circunstâncias alheias divulgadas na mídia, em vez de conceitos racionais para a mundança suficientemente desenvolvida da atividade humana, não assumirão um caráter político por forma de possibilitar um relance das condições de eleger um presidente.

  5. “Jornalismo” criador de

    “Jornalismo” criador de intrigas típico das revistas de novelas, fofocas ou jornais e programas esportivos quando estão com falta de assunto. Quando eu tinha cachorro, jornais serviam pra eu forrar o chão para o bicho. Como ele morreu, nem pra isso jornal me serve mais porque tenho dinheiro pra comprar papel higiênico.

  6. Comentário.

    O governo discute, diverge; a “oposição” bate cabeça e abandona os seus na estrada. Desde quando, divergir, em si, é ruim? A “oposição” não diverge pois ainda não encontraram o local da reunião.

  7. Lula tem ressalvas ao governo

    Lula tem ressalvas ao governo Dilma? Com certeza, mas não iria propagá-las aos “canais vazantes” do pig, não é mesmo? Macaco velho como ele?

    A Folha pegou o que as “fontes” acham que o Lula acha e jogou no ventilador. As críticas, ele deve fazer sim, mas no pé do ouvido da presidenta. Se ela as vezes discorda é até bom. embora é mais certo que ele tenha razão. É sinal de que ela não é pau mandado. O tal poste

  8. Eles podiam até simular uma

    Eles podiam até simular uma briga de mentirinha hein…rsrssr, a oposição e a mídia teriam orgasmos múltiplos !!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome