A lógica do espetáculo na tentativa de golpe na Venezuela

Ao contrário do que afirma, Guaidó não tem apoio majoritário dos militares venezuelanos, e tampouco tem o controle de bases militares. Com ajuda da imprensa e aliados estrangeiros, opositor tenta criar racha nas Forças Armadas e forçar deposição de Maduro

Jornal GGN – A nova tentativa de Juan Guaidó de provocar a deposição de Nicolás Maduro, na Venezuela, vem cercada de uma “lógica do espetáculo midiático” e “mentiras flagrantes”, diz informe elaborado por grupos de apoio ao atual presidente.

Para começar o movimento subversivo, Guaidó, junto com o oposicionista Leopoldo López, divulgou nas redes sociais, por volta das 6h da manhã, um vídeo em que afirma ter recebido o apoio das Forças Armadas, e assegura ter tomado a base aérea de Carlota. Mas nem o apoio é majoritário, nem houve tomada de bases militares.

Na versão do governo, Guaidó mente para tentar inflamar as massas e dividir os militares. O opositor obteve apoio apenas de um “pequeno grupo” de dissidentes, que serão “desativados e punidos”, disseram ministros. Alguns desses militares, do setor de inteligência, foram os responsáveis por tirar López da prisão domiciliar.

Guaidó também não falava da base de Carlota, mas do Distribuidor Altamira, um famoso ponto de encontro da parcela da sociedade que é a favor da saída de Maduro e contra o chavismo. Há informações dando contra de que os dissidentes roubaram ou utilizaram indevidamente no levante equipamentos militares – dois tanques e carros – mas já foram recuperados.

Leia também:  Andes divulga manifesto em defesa do ensino superior público e gratuito

Para aliados, até agora, o golpe tem sido uma “operação informativa de amplo espectro”, que tenta emplacar a ideia de que há apoio total das Forças Armadas a Guaidó, quando o governo diz ter conversado com as unidades e controlado o impacto da ação dos dissidentes.

Em comunicado no Twitter, Maduro reafirmou a unidade dos comandos militares.

Na contraofensiva, um programa de TV venezuelano divulgou nas redes sociais um vídeo com jovens militares afirmando terem sido enganados por Guaidó e os comandantes que o apoiam.

 

OBSTÁCULOS A GUAIDÓ

A prevalecer a versão do governo Maduro, que não tem espaço na maior parte da grande mídia – brasileira, inclusive – as bases militares, até agora, demonstram lealdade ao presidente.

A Telesur transmitiu imagens de uma base militar sendo atacada por detratores do governo apenas com pedras. Em outro vídeo, dissidentes são presos pelas Forças Armadas que permaneceram alinhadas a Maduro.

Em contraste a isso, Guaidó insistiu no discurso de convocar populares para irem às ruas pressionar pela renúncia. As imagens gravadas de dissidentes militares – que usam uma faixa azul no braço, para se destacarem das Forças Armadas que permanecem com Maduro – foram usadas como incentivo para atrair apoiadores.

Leia também:  O que revela o áudio de Dallagnol do dia 28 de Setembro de 2018?

Com ajuda da imprensa, os opositores induziram líderes internacionais a se posicionarem – Brasil promoveu reunião sobre Venezuela e Eduardo Bolsonaro correu para a fronteira; EUA reafirmam apoio ao “presidente autoproclamado” e Espanha pediu cautela para evitar guerra civil. Com isso, tentam alimentar o noticiário constantemente e gerar alguma tensão.

Assista mais na Telesur:

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. É só observar o típico mauricinho de direita que é este tal guaidó. Um aécio venezuelano. Picareta até os intestinos. Mas pelo menos lá até agora o povo foi pras ruas e reagiu. Já aqui….

  2. Se Maduro ficar parado será golpeado e a Venezuela será outra colônia de americano.
    Dilma acreditou que poderia usar teses republicanas contra golpistas e o Brasil caiu neste esgoto que hoje se encontra.

  3. Maduro e Guaidó são dois cânceres para a Venezuela, pois promovem atritos, agravam a crise que o país enfrenta e cria uma situação praticamente sem volta de guerra civil.
    Precisa de uma intervenção da ONU, com o afastamento de ambos e a convocação de novas eleições, para minimizar os estragos que ocorrem no país.

  4. Carlos Alberto
    há 29 minutos
    “Militares” rebeldes com fuzis Colt (M16 e M4, 5.56, americanos), os militares do governo com fuzis Kalashnikov (AK47, 7.62, russos, o fuzil que mais matou no mundo e está a mais tempo em produção, por sua letalidade, durabilidade, resistência). Alguém ainda duvida quem são os fornecedores de armas e estão financiando essa guerra?

  5. Imprensa brasileira ABSOLUTAMENTE golpista!

    Os grandes órgãos de imprensa no Brasil são uma arma imperialista para subjugar o povo brasileiro!

  6. A luta de classes está a pleno vapor na Venezuela. Ao contrário dos partidários do Maduro, que lutam pelo presente, os partidários do Guaidó, com exceção dos pobres que, por ignorância, tomam o partido daqueles que os parasitas, lutam não por seu presente, mas pelo seu futuro, tal qual constatado por Marx e Engels no Manifesto Comunista.

    Quanto aos EUA, eles estão tentando fazer da Venezuela o que fizeram no Chile em 1973. O Maduro Pode ser assassinado, tal qual o Salvador Allende, e o Guaidó será o Traíra do seu próprio país, tal qual o Pinochet.

    Que Maria Santíssima fique do lado dos humildes e contra os arrogantes. Não sou digno mas te faço essa súplica, Mãezinha

  7. o que impressiona são as mentiras que a grande mídia
    norte-americana,venezuelana e brasileira comete….
    guaidó,pompeo e outos canalhas inventam o
    que querem e essa grande mídia divulga
    como se fosse realidade esses desejos
    imperialistas infames…

  8. Triste que a Venezuela fique no meio de uma disputa que não tenha nada ver com ela e sim com a luta pela hegemonia comercial do mundo no caso Estados Unidos, Rússia, China. Enquanto isso países que teriam que ter uma posição própria e original são capachos de uns e outros, deprimente a servidão…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome