Aécio e o Rubicão

Hoje, no Valor, entrevista de Itamar Franco sobre Aécio Neves. Ontem conversei com um político mineiro muito ligado a Aécio.

A avaliação bate em parte com a de Itamar:

1.Aécio é muito habilidoso como político e tem amplo espaço para crescer.

2.No entanto, cometeu alguns erros iniciais primários. Um deles foi o de apostar as fichas no apoio de Geraldo Alckmin. Não tinha que se meter em São Paulo, nem Alckmin teria muito a acrescentar à sua candidatura. No fundo, parte relevante da disputa – mesmo dentro do PSDB – explorará uma certa mã vontade nacional contra o continuísmo de São Paulo.

3.Aécio não tem que sair do PSDB. Tem que disputar o voto internamente e confiar nas resistências que seu adversário José Serra enfrenta em setores do partido.

Aqui, trechos da excelente entrevista de Itamar a Paulo Totti, no Valor

Com vista para a serra do Curral, no décimo e último andar do edifício sede do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), centro de Belo Horizonte, está o escritório de quem já foi quase tudo na vida brasileira: prefeito, senador, vice-presidente e presidente da República, governador, embaixador em Washington, Lisboa, Roma. Nas urnas só sofreu duas derrotas, no início da carreira, para as funções modestas de vereador e vice-prefeito de Juiz de Fora, que só não é sua terra natal porque não nasceu em terra, mas no mar, num “ita” que saiu de Salvador e chegou ao Rio com um passageiro a mais, há 78 anos. Desde que voltou de Roma, Itamar Augusto Cautiero Franco é presidente do conselho de administração do BDMG. Fundador do PMDB, Itamar saiu do partido quando, em 2006, ao pretender voltar ao Planalto, numa disputa contra Luiz Inácio Lula da Silva, foi preterido pelo então governador do Rio, Anthony Garotinho. No mesmo ano, o ex-governador Newton Cardoso derrotou-o na convenção do PMDB mineiro que escolheu o candidato ao Senado. Nesta entrevista, Itamar conclama o governador Aécio Neves, a quem apoia para a Presidência em 2010, a desinibir-se e assumir ainda este mês a candidatura, “cruzar o Rubicão”. Perguntado sobre quem será o candidato ao governo de Minas na chapa de Aécio, Itamar diz que está sem partido – “sou ex-político” – , mas estuda três convites. “Apenas para ter uma filiação…”

Valor: O senhor deu poucas entrevistas desde que voltou da Itália. Numa delas, se queixou do tratamento que diz receber em São Paulo da imprensa e da classe política. A que atribui essa má-vontade?

Itamar Franco: Ao fato de eu não ser de São Paulo. Ao preconceito. A elite paulista não aceita, de um modo geral, quem não faz parte de seu clã. Mas não guardo mágoas… Você vai ver como essa elite vai tratar o governador Aécio Neves, que é de Minas.

Valor: O governador Aécio é o seu candidato a presidente?

Itamar: É o meu candidato. E é o candidato de Minas.

Valor: O senhor vê chances de ele sair candidato pelo PMDB, pois José Serra parece mais articulado que Aécio no PSDB? E como o senhor analisa este momento da política?

Itamar: Acompanhei essa eleição no Congresso e lembrei os tempos de estudante de física. Quando você olha através de um espelho côncavo um objeto numa determinada posição, vê uma imagem real e outra virtual. O que eu vi nessa eleição para as mesas? A imagem virtual. O PMDB elegeu os presidentes das duas Casas. Tenho certo direito de falar no PMDB porque fundei esse partido, fui o nono a assinar a ficha nacional, fiz parte da primeira executiva, quando ainda era MDB. Lá em Juiz de Fora, tínhamos que manter o livro de fundação do partido escondido da polícia. Fui prefeito em eleição direta numa cidade em que, dois anos antes, o general Olímpio Mourão Filho deflagrara o golpe. E fiquei 22 anos no PMDB, até que a ditadura partidária não me permitiu continuar. Mas, você pergunta se o governador Aécio vai entrar para o PMDB. Aí, é uma questão muito pessoal. Não sou intérprete do pensamento do governador.

Valor: O senhor ia comentar o quadro eleitoral para 2010. E falava da eleição no Congresso.

Itamar: [Desenha nomes no papel e vai unindo-os com setas; depois faz um círculo em torno dos dois blocos formados).O presidente José Sarney é ligado ao Lula. O Michel Temer é ligado a José Serra mais Orestes Quércia. Temer é um bom nome dos quadros do partido, mas pertence ao PMDB de São Paulo. O PMDB de São Paulo é comandado por Quércia que, por sua vez, já está apoiando o Serra. Por via de consequência, Quércia é o possível candidato a senador, numa composição PMDB/PSDB. Então, o quadro político tem mais ou menos esse desenho. O grave é que o PMDB, que é base do governo, que tem ministros, se alia a quem? Ao DEM, que é oposição. Como é que a opinião pública pode entender a política nacional se na Câmara alta da República dois partidos que deveriam ser diferenciados ideologicamente se unem? Não visaram os interesses nacionais. Por quê? Porque daqui a pouco, este aqui [aponta para o círculo em que colocou Temer, Quércia, Serra e DEM] vai estar combatendo o governo Lula. E este outro pode estar somando com o presidente e até dar o candidato a vice. Mas nunca este estará na linha deste [mostra com a caneta um e outro círculos]. Por isso digo que nosso quadro político é imagem virtual. Não real.

Leia também:  Juiz que analisará denúncia contra Glenn já absolveu Lula por falta de provas

Valor: Qual é a relação dessa eleição no Congresso com 2010?

Itamar: Serra foi beneficiado pela eleição do Temer, mas não foi beneficiado pela do Sarney. Não dá para dizer, porém, que o governador Aécio foi o beneficiado. Entendo que o presidente Sarney ficará ainda mais ligado ao Lula e fará o que Lula determinar. Sarney não é um simples apoiador do Lula. Ele comanda todo o sistema energético brasileiro. Dou um exemplo. Furnas sempre foi dirigida por mineiros. O dr. José Pedro [Rodrigues dos Santos, mineiro, amigo de Itamar] saiu há pouco da presidência de Furnas. Não foi nenhum mineiro para lá, não. Foi quem o Sarney determinou. Ele controla o próprio ministro [Edison Lobão], a Eletrobrás, Furnas, a Eletronorte. Até na Petrobras tem influência. Então, este homem está hoje devedor de Lula, muito mais do que Lula lhe deve pelo apoio. Controlar o sistema energético é ter muito poder. Quando Fernando Henrique tentou privatizar Furnas, eu era governador, e lutei contra. Graças a minha resistência, Furnas e Cemig continuam brasileiras. Mas isso, hoje, a gente só comenta. Para alguns eu não existi nem existo. Quando saí da Presidência ainda fiquei aborrecido, mas me lembrei de um verso de Castro Alves. Percebi que algumas pessoas que eu achava que eram estrelas eram apenas pirilampos [“Julguei-te estrela – e eras pirilampo”, do poema “Dalila”].

Valor: Quem são os pirilampos?

Itamar: Quando era criança pegava os pirilampos e punha numa caixinha de fósforos. Meus arquivos têm alguns pirilampos… Mas por enquanto não mostro para ninguém.

Valor: Como é isso de ditadura partidária no PMDB?

Itamar: As ditaduras partidárias são reais. E se tornaram mais fortes quando o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que o mandato pertence ao partido. O que penso é que precisávamos ter um percentual de candidatos independentes, para não ficarmos submetidos à ditadura partidária. Por que o governador Aécio quer prévias? Porque não quer se submeter à ditadura partidária, que também existe no PSDB. Num PMDB controlado por Sarney, Quércia, Geddel, Jader, Padilha, quem os derrota?

Valor: O Aécio é candidato a presidente. Se não for, vai para o Senado. Quem sai para governador?

Itamar: Aí vem o cacoete de engenheiro. Na matemática, quando o número de incógnitas é muito maior do que as equações, a questão não se resolve. A política mineira e a nacional têm excesso de incógnitas. Quem será o candidato a governador? Não sei. Eu estou sem partido, mas estudo o convite de três partidos. Não vou dizer quais. Possivelmente vou me filiar a um deles. Apenas para ter uma filiação.

Valor: O senhor sente falta de políticos que expressem abertamente o que pensam?

Itamar: Essa eleição no Congresso me fez pensar nisso. Os presidentes das duas Casas não falam nada sobre seus alinhamentos. E também não dizem o que pensam da reforma tributária, da fiscal, e sobretudo da reforma política. Desde estudante, estive ao lado de quem defendia ideias. Na política, meu primeiro inspirador foi Alberto Pasqualini [1901-1960], senador gaúcho que me fez entrar para o Partido Trabalhista Brasileiro, PTB, um homem com ideias avançadíssimas para a época. Até há pouco tempo você era eleito pelo que falava em praça pública. Hoje não. Você é preparado no estúdio, lhe dão um discurso para ler no teleprompter. Fui de um tempo que tinha de chegar na televisão e dizer o que pensava. Se falasse besteira estava liquidado.

Valor: E numa campanha chegou a brigar no estúdio. Como foi?

Itamar: O adversário é que quis me bater. Eu era candidato a senador em 1974. Os programas eleitorais eram ao vivo. O juiz eleitoral ficava assistindo, se alguém falasse algo que contrariasse a legislação o juiz interrompia. Eu estava viajando pelo interior. Aí o sujeito que já era senador e candidato à reeleição [senador José Augusto Ferreira Filho, Arena] colocava uma cadeira vazia e dizia: “Que dê esse prefeitinho que não veio? Tá com medo de debater”. Todo programa dele tinha o diabo daquela cadeira vazia. Um dia fui lá. A porta do estúdio estava aberta, entrei e sentei na cadeira. Falei pro locutor. “Estou aqui pra debater”. O juiz achou que era combinado e deixou minha imagem no ar. O locutor disse que desta vez era o candidato deles que estava viajando. E eu disse: “Então vou ficar aqui sentado”. Tudo isso no ar. O juiz percebeu que não era combinado e cortou o programa. Nisso o candidato que estava viajando chegou. Pegou um pedaço de pau e veio pra cima de mim. O estúdio ficou cheio de deixa disso. Um fotógrafo da Veja bateu a foto do meu adversário com o porrete na mão.

Leia também:  Quem são os jornalistas que irão entrevistar Sergio Moro no Roda Viva hoje

Valor: E a crise mundial como vai se refletir por aqui?

Itamar: Os Estados Unidos, têm um quarto do PIB mundial, e são o epicentro desta crise. É evidente que a crise vai chegar aqui. Desde 1983, os Estados Unidos já tiveram picos trimestrais de crescimento de 9,3%. Mesmo depois do 11 de setembro, um ano depois, chegaram a 7,5%. Mas 2008 fechou com menos 3,8%, uma queda muito grande. Para o Brasil, as projeções de 2009 são do professor Carlos Alberto Teixeira, um mineiro. Nosso PIB vai crescer 2%, depois de ter crescido 5,4% em 2007 e estimar-se 5,6% em 2008. O saldo comercial será de apenas US$ 9 bilhões, e déficit de conta corrente de US$ 25 bilhões. Não será uma marolinha. Mas no mundo todos parecem meio perdidos. Os economistas também. Até setembro não vi um economista de consultoria alertar sobre a crise iminente.

Valor: O governo está agindo corretamente? O que precisa mudar?

Itamar: Não vou analisar o presidente. Em 2002, eu era governador de Minas. Fui o primeiro governador de oposição a apoiar a candidatura de Lula. Eu tinha um bom relacionamento com o depois ministro Zé Dirceu e ele pediu para me engajar na campanha. E fui o único governador de oposição a falar no comício de encerramento em São Bernardo. Era chuva que só Deus sabe. O candidato Lula pegou no meu braço e disse ” gostaria que você falasse”. Depois nos afastamos não sei por quê. Ele me convidou para ser embaixador na Itália, falei que só ficava dois anos, fiquei, Ele ofereceu outro posto, eu não quis, voltei. Hoje não temos nenhum contato.

Valor: O senhor não respondeu sobre o que deve ser feito no Brasil.

Itamar: A primeira coisa que o governo tem de fazer não é novidade. Mudar a política monetária. Não se pode continuar com a taxa de juro mais alta do mundo.

Valor: A crise atrapalha os planos de Lula de fazer o sucessor?

Itamar: Não. Só se ela for realmente avassaladora. Do modo que está vindo, não. A gente tem que reconhecer. O Brasil está mais preparado do que antes de 2003. Acho que a crise não vai afetar o presidente. Se você andar pelo interior, e eu tenho andado, vai perceber que o Bolsa Família beneficia mais ou menos 11 milhões de famílias. Se multiplicar isso por baixo, por três, pois elas têm parentes, amigos pobres que ajudam outros pobres, vai dar muita gente. E esta gente o presidente está conseguindo manter ao seu lado. Vou dar um exemplo, me permita que não cite a cidade. Há uma cidade em Minas, ribeirinha ao São Francisco, cuja praia fica do outro lado do rio. Tem uma barcaça que faz a travessia. Quando a prefeitura não paga a passagem de R$ 1, a prainha da outra margem recebe mais ou menos seiscentas pessoas no fim de semana. Quando a prefeitura paga a passagem, há dez mil na prainha. O cidadão vai de graça e gasta o real dele com um peixe, uma pinguinha. Agora ponha nisso 90 reais por filho em idade escolar… Conversei com um prefeito de outra cidade do interior. Perguntei: “Me diz lá, o que estão achando do senhor presidente?”. E ele: ” Ó, vou dizer uma coisa. Já falam em terceiro mandato”. Não aprovo o terceiro mandato, nem o prefeito apoia. Mas isso mostra que a crise tem de ser mesmo avassaladora, para desfazer o prestígio do Lula.

Valor: E a Dilma?

Itamar: Acredito que a ministra Dilma Roussef é uma candidata muito forte. Não está falando o mineiro em favor da conterrânea. Fala o observador da política, homem que já foi político e hoje não é mais.

Valor: E espera que os leitores e a torcida do Atlético acreditem que não é mais político…

Itamar: Um ex-político. Mas, como ia dizendo, essa senhora vai dar trabalho. São aqui de Minas três figuras que mais entendem de energia neste Brasil: José Pedro Rodrigues dos Santos, ex-presidente de Furnas; o presidente da Cemig, dr. Djalma Morais e o dr. Marcelo Siqueira, também ex-presidente de Furnas. Eles podem atestar que ela entende muito de energia. A ministra fez uma palestra no Copacabana Palace, falou mais de duas horas sem olhar uma vez para o papel. É candidata forte. Não se iludam.

Leia também:  Soros critica Bolsonaro e anuncia US$ 1 bilhão para combater autoritarismo no mundo

Valor: Dizem que não é política.

Itamar: Já vi tanta gente que não era política chegar lá. Eu até discordo um pouco, ela é política desde jovem. Tanto que foi presa política aos 21 anos.

Valor: Mas o seu candidato é o governador Aécio, não?

Itamar: É o governador Aécio. Mas ele tem que assumir-se como candidato. Ele tem de chegar e dizer “Vim, vi e quero vencer”.

Valor: Como César?

Itamar: Exatamente. Como César, ter a ousadia de atravessar o Rubicão. Alea jacta est, a sorte está lançada, que, aliás, César não disse em latim, mas em grego. Se não atravessar o Rubicão, não vai a Roma. Aécio tem de atravessar o Rubicão logo. Este mês ainda.

Valor: Por que este mês?

Itamar: Porque a luta está aí. O Serra já atravessou o Rubicão dele, só não sei se vai transpor as montanhas… Nada contra o Serra, só estou analisando. Faz dois meses que não converso com o governador Aécio, a não ser pelo telefone. Acho que ele tem um bom combate a fazer no campo das ideias. Tem que mostrar o que quer para o país.

Valor: E o que ele quer?

Itamar: Ah, não sei. Sei que o presidente Lula está bem com a opinião pública não só porque tem o Bolsa Família. É porque a oposição não tem mensagem.

Valor: Depois de se reeleger governador, Aécio disse que ia percorrer o país para pregar uma nova forma de o PSDB fazer política. Isso parece que não andou.

Itamar: Sabe por que não andou? Porque tem que atravessar o Rubicão. E o Rubicão não é tão difícil de atravessar. Em verdade é um riacho… Mas há um anseio em Minas para que Minas volte à Presidência da República. Minha opinião é de que o presidente Fernando Henrique fez um mal ao país ao inventar a reeleição. Ele me disse que não ia fazer isso. Mas ele tem uma memória que eu chamo de peneira, retém algumas coisas e deixa escorrer as outras. Ele e o grupo dele acham até que ele é que assinou o Plano Real. Não fui eu não. Quando chega a noite, no seu quarto, ele apaga as luzes, joga um foco e proclama: “Olha aí, eu é que assinei o Plano Real”. Mas esquece de uma coisa: o grande sacerdote do plano real chama-se Rubens Ricupero… Eleito graças ao Plano Real, Fernando Henrique deveria fazer em seguida as reformas tributária, a fiscal e a política.

Valor: Mas tinha condições políticas de fazer logo essas reformas?

Itamar: Tinha, pois foi eleito em primeiro turno. Mas ficou mordido pela reeleição. Não queria briga, contrariar interesses, sacrificou tudo pela reeleição. Depois dele, os presidentes pensarão antes de tudo na reeleição. Quando eu estava na Presidência, disse ao meu líder no Senado: “Pedro Simon, não vamos lutar pela reeleição”. Estávamos em 1994 revisando a Constituição. E a reeleição não passou no Congresso por nove votos. Sabe por quê? Porque o Fernando Henrique tinha cerca de 16% e o Lula vinha com uns 35% nas pesquisas. Eles tinham medo de colocar a reeleição por causa do Lula. O mesmo aconteceu com o mandato de quatro anos. Não foi de cinco, por causa do medo da vitória do Lula. A história terá de me fazer justiça: fui presidente, não me candidatei à reeleição. Fui governador, e não me candidatei à reeleição. Sou contra.

Valor: E como foi sua primeira eleição a senador, em 1974, em pleno regime militar?

Itamar: Teve um homem bom, chamado senador Franco Montoro. Em 1974, eu era prefeito e fui à casa do doutor Tancredo. Falei: “O senhor vai ser candidato ao Senado?” “Eu não sou burro”, ele me disse. “Pois eu gostaria de ser”, eu disse. “Você não vai ter 300 mil votos”, mas mandou consultar a cúpula do então MDB de Minas. Consultei e ninguém queria. Daí fui ao Franco Montoro em São Paulo. Expliquei a situação. O que Montoro me disse nunca mais esqueci: “Os políticos brasileiros só estamos enxergando a superfície e na superfície vamos ser derrotados. Governo militar, presidente Geisel, imprensa, tudo é contra nós. Mas se você aprofundar um pouquinho o olhar, eu lhe aconselharia a ser candidato porque vamos fazer mais de dez senadores”. O MDB elegeu 16 senadores, inclusive o Quercia em São Paulo.

Valor: E agora será que só estamos enxergando a superfície?

Itamar: Não sei. Não temos mais um Montoro na vida.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

75 comentários

  1. Duvi-deó-dó que o Serra deixe
    Duvi-deó-dó que o Serra deixe o cavalo selado passar.. O PMDB sempre foi dividido, é uma reunião de políticos, não é um partido. Vai dividido até ver quem ganha, daí cola.
    Mas é bom ler o Itamar. De vez em quando.

  2. Caro Naasif:

    Nesta madrugada
    Caro Naasif:

    Nesta madrugada e em sessão secreta o Tribunal de Justiça do Espírito Santo abriu processo administrativo disciplina contra tres Desembargadores apanhados com a boca na botija por conta da “Operação Naufrágio”, da Polícia Federal que investigou a participação de advogados, juizes, desembargadores e serventuários da Justiça capixaba num poderoso esquema de venda de sentenças.
    Os tres desembargadores acusados são: O Presidente do Tribunal Frederico Pimentel,. Josenider Varejão e Elpídio José Duque.
    A pena máxima que podem recber será a aposentadoria compulsória com vencimentos proporcionais ao tempo de serviços. Ou seja: integral.
    Enquanto isso… tá bom, deixa prá lá…

  3. Apenas palpite, mas acho
    Apenas palpite, mas acho difícil o Aécio ser o candidato do PSDB pra 2010. O Serra já abriu mão em 2006, comanda hoje o maior estado do país e corre contra o tempo, pois o vencedor de 2010 sairá na frente pra 2014, ou seja, se não for ano que vem, só será viável novamente em 2018.

    Acredito que o Aécio será um dia presidente do Brasil. Político jovem,de bom nível e que percebeu com antecedência ser contraproducente essa polarização PT-PSDB. Além de conciliador tem consciência da importância de se trazer novas bandeiras e práticas políticas. Tem estatura pra complementar os avanços dos governos FHC, Lula e Dilma(ou Serra).

  4. Itamar Franco!
    Um dos maiores
    Itamar Franco!
    Um dos maiores presidente que este País já teve.
    Faz tempo que não envio nenhum comentário aos blogs, mas não poderia deixar de faze-lo agora, para homenagear esse homem de extrema cinceridade e honestidade…Um político que tanto nos faz falta hoje…
    Sou eleitor do PT e de Lula mas me causa tristeza não ver esse homem de volta a Presidencia da Republica.
    Que Deus o proteja, Itamar Franco….

  5. Ô Nassif,
    Vai ser mineiro
    Ô Nassif,
    Vai ser mineiro assim lá em Juiz de Fora… Nosso ex-presidente dá uma aula de mineirice e sapiência política nesta entrevista. Uai, sô! É por essa e por outras que este mineiro expatriado não esquece suas raízes…
    Abraços

  6. Esta ai um homem publico, que
    Esta ai um homem publico, que foi satirizado por essa imprensinha paulista de quinta.

    Ele como mineiro, deveria ter se preparado. Mas as mentiras e distorções eram tao grandes, que acho que ninguem conseguiria imaginar algo assim.

    Essa pergunta eu gostaria de colocar em um intervalo do JN: Quem assinou a MP q criou o Plano Real?

  7. Conversa,

    O PSDB e um
    Conversa,

    O PSDB e um partido eminentemente paulista e o escolhido sera Jose Serra. Nao adianta nada o Aecio ficar “costurando” “alianca” aqui e ali.

    O detalhe e que o Serra nao vai ganhar a eleicao. Quem ganha e a Dilma, e no primeiro turno. Ja esta decidido. Assim querem os deuses da politica.

    Aecio so tem chance em 2014 porque a Dilma nao vai se reeleger.

    Portanto, o Aecio pode ir tirando o “cavalo da chuva” que vai ser Serra x Dilma. Ela ganha.

  8. Parafraseando Raul Seixas e o
    Parafraseando Raul Seixas e o Paulo Coelho (da epoca que era mentalmente são e não metido à bruxo latino):

    Ei Aecio, o melhor que vc faz é deixar FHC de lado e foge do PSDB pra se candidatar em paz.

    Aecio, vc não tem noção mas corre risco de vida tentando resistir à máquina do psdb paulista. Vc não percebeu que além de Covas, Serra e Alckmin o resto do PSDB paulista é estéril – não produz ninguem de destaque ou que valha a pena confiar e seguir ? Porque vc acha que um partido com esse apoio intelectual (principal da Escolas das Americas instalada n USP) e da mídia não consegue formar líderes ?
    Não percebe que a luta entre serra e alckmin parece a luta pelo poder na era pré Stalin na gloriosa URSS?

    Cuidado ! Caia fora enquanto é tempo !

    Se vc mudar de partido, traio a Dilma e voto em vc.

    Bom fim de semana à todos !

  9. Minha admiração só cresce.
    Um
    Minha admiração só cresce.
    Um modelo de político, no melhor sentido. Polêmico, sério, correto.
    Tinha mesmo que ser atacado por Veja.
    Que Deus o proteja!

  10. Pergunta a todos: quando foi
    Pergunta a todos: quando foi que um ex governador ou ex prefeito de São Paulo , foi Presidente do Brasil..?? lembram,,, eu não me lembro
    FHS ex ministro pai do Real,,
    Quem chgou mais proximo foi Covas pois a ressistencia a ele era baixissima..
    Serra tem um alto indice de resistencia dificil de baixas, ate mesmo os Paulistas tem..
    veja hj ninguem divulga indices do Governo de SP e nem do Serra
    se ver a popularidade dele. é baixa,, veja as pesquisas livre, onde não se sugeri nenhum nome.. ele aparece com 3%
    O Lula e a Dilma estão doidinhos para que o Serra seja candidato e naum o Aecio.. ai eles vencem no 1o turno. de fomra esmagadora..
    mas é isso .. se houver previa nacional do PSdb o Aecio vencie.. pois é mais amigo e simpatico a todos. e fez muito amigos na camara e na politica..
    Ab a todos

  11. Itamar Franco foi
    Itamar Franco foi ridicularizado quando propôs o carro popular. Diziam que queria a volta do fusca. Há anos, até hoje, os veículos 1.0 representam o maior percentual de vendas.
    Achincalharam até o seu cabelo e, provavelmente, prepararam a armadilha da modelo desprovida de roupa íntima.
    O contexto é outro, entretanto, um sentimento anti-paulista – bem fundamentado, por sinal – vai fazer a diferença em 2010. Até porque há muitos paulistas descrentes da capacidade das lideranças paulistas.

  12. Gostaria muito de ter em 2010
    Gostaria muito de ter em 2010 Cristovão Buarque e Itamar Franco para presidente, um vice do outro, ou vice-versa. (ou seria viceversa? hummm.)

  13. O apoio ao Alkimin foi uma
    O apoio ao Alkimin foi uma aposta que não funcionou. Mas não penso que tenha sido um erro primário. Ainda mais se levarmos em conta o fortalecimento do partido.

    Não entendo como ressucitar o DEM logo na maior cidade da America Latina possa interessar ao PSDB. Principalmente em termos estratégicos.

    E quanto a sair do ninho tucano está muito longe de ser uma boa opção para o governador de Minas.

    O Aécio tem 48 anos de idade. Já o Serra é vinte anos mais velho. Mesmo que este último seja o candidato e vença as eleições, não seria natural sua reeleição com 74 primaveras nas costas.

    É provável, portanto, tendo em vista este cenário, que o Aécio se torne o principal ministro do Serra e com cacife suficiente para disputar as eleições em 2014.

    Por outro lado, se o paulista perder as eleições, o mineiro reinará absoluto na máquina partidária como senador por Minas e principal nome do PSDB.

    Tanto no primeiro cenário quanto no segundo a situação do Aécio no partido ainda é relativamente confortável. Não compensaria uma aventura em outra agremiação.

    Quanto à tentativa de ser o nome do partido para as eleições em 2010 é o que ele tem que fazer porque colherá dividendos.

    A tendência é que neste embate seu nome ganhe relevo no país, visto ser muito desconhecido fora da região sudeste.

    Ademais, há um ponto que pouquíssimos comentam: não será fácil o Serra se eleger sem o apoio do Aécio. Embora a recíproca seja verdadeira.

    A diferença é que há um tom mais ameno da parte do grupo aecista. Enquanto os tucanos paulistas praticamente ignoram essa condição. Basta ver como repudiam a realização das prévias.

  14. Itamar é bem melhor como
    Itamar é bem melhor como ex-presidente. O folclore sobre sua excentricidade,ajudou a empanar a figura do político mineiro,que jamais deixou de ser. Modestamente, pode ser considerado um Montoro,de lamentada ausência. Amadurecido pela idade e experiência,pode contribuir nesse momento de” aridez de homens e ideias”.Longe de cargos, postos e outros simbolismos do poder formal,apenas um precioso conselheiro da república.

  15. Foi um presidente muito
    Foi um presidente muito importante.

    O Brasil deve muito a este homem, seu único erro foi escolher FHC como ministro e deu no que deu.

    Extremamente injustiçado e ridicularizado pela mídia por ser nacionalista, não ser de “Sum Paulo” e não compartilhar o ideário “neo-liberal”.

  16. Não é a primeira vez que
    Não é a primeira vez que Itamar afirma que o pai do plano real é o Recúpero. Aliás, o próprio FHC, com a maior cara-dura, afirma que foi ele o responsável pela estabilidade econômica com a implantação do plano real.
    A culpa dessa mentira é da mídia paulista, que tenta, de qualquer forma, colar em FHC a imagem de estadista.
    Essa mídia paulista não tolera no poder pessoa de outros estados. Veja os exemplos: além de tirar o mérito de Itamar pelo implantação do plano real, ainda o ridiculariza, chamando o seu governo de república de Juiz de Fora, república do pão-de-queijo, república da broa de fubá. Também, faz piadas da pessoa do ex-presidente, chamando-o de o homem do topete, o homem do fusquinha.
    Essa mídia paulista é a desgraça do Brasil.

  17. Pedro Miranda. Economista,
    Pedro Miranda. Economista, Brasilia-DF
    Endosso tuas palavras, caro.

    Sinto falta desse político junto ao Governo LULA. Penso que com sua viva inteligência poderia ter ajudado muito ao nosso LULA.
    Quem sabe agora, com a D. Dilma, ELE possa voltar ao convívio de seus fãs.
    Um ab.

  18. O jogo sujo dos paulistas e
    O jogo sujo dos paulistas e da mídia, que apoia Serra, contra quaisquer
    candidatos é desigual. É muito dificil, a pretensão de Aecio Neves, que
    não o vejo, muito diferente do paulista. Serra never!

  19. Nassif: “Aécio não tem que
    Nassif: “Aécio não tem que sair do PSDB. Tem que disputar o voto internamente e confiar nas resistências que seu adversário José Serra enfrenta em setores do partido.”

    Duvido que haja prévias no PSDB. Principalmente se, em pesquisas internas informais, detectar-se o favoritismo de Aécio.

    O problema do PSDB paulista é mesmo a enorme rejeição de Serra fora de São Paulo. Os caciques vão tentar empurrar Serra gola abaixo dos tucanos.

    FHC já manifestou-se sobre isso: “é preciso obedecer a fila”.

  20. Luis,confesso que sempre que
    Luis,confesso que sempre que leio resenhas sobre os politicos no Brasil,fico confuso qto á denominação”politico habilidoso”,senão vejamos:um dos politicos que mais admirei no Brasil,Ulysses Guimaraes,apesar de ser considerado sempre muito “habilidoso”nunca foi eleito governador,e muito menos presidente,tendo ficado com um triste e imerecido sexto lugar ja no fim da sua carreira politica.Mario covas ,muito “habilidoso”tbem ,nao obteve sucesso na campanha para presidente,Orestes Quércia e muitos outros tbem considerados “habilidosos”nao obtiveram sucesso na tentativa de serem presidentes.Creio que só habilidade politica nao credencia ,no Brasil ,politicos que querem ser presidente, é preciso tbem estar no lugar certo , na hora certa, e contar com a sutileza do povo brasileiro na hora da escolha.abraços

  21. Caro Pedro Miranda
    Caro Pedro Miranda (12:32)

    Fico satisfeito em ver o nome do grande Itamar Franco em destaque e também que existem pessoas que pensam como eu.

    Também gostaria de ver de novo na Presidência em 2010, além do nosso Lula se fosse possível, o também nosso Itamar Franco.

    PSDB, Serra e FHC de novo, nunquinha.
    Deus me livre!

  22. Itamar franco vai passar pra
    Itamar franco vai passar pra história como um personagem indiferente.

    Não há notícias sobre a sua falta de honestidade.

    OK.

    Mas É ou FOI uma FIGURA XOXA(nem fede e nem cheira)

    E aceitar algujmas embaixadas pelo mundo,mais o descacterizam do que enobrece. Pra passar pra história deveria recusa-las.
    Tbm cedeu ao canto das sereias.Mesmo que essas sereias tenham sido honestas,não merece o pedestal dos homens idealistas.

    Ulisses se amarrou num mastro pra não ceder.Itamar se achava que não precisava de cordas.

    Foi seu grande erro( porque foi comprado não pela sereia,mas por embaixadas)

    E calou-se desde então.( e a omissão não colabora em nada com o Brasil)

    Não merece ser lembrado.

  23. A entrevista é um primor,
    A entrevista é um primor, além de oferecer um diagnóstico claro na situação política.
    Itamar Franco continua lúcido, inteligente e sobretudo transparente.
    Como faz falta na política gente como Itamar Franco. E nos oferece singela lição da política nacional.
    Enquanto alguns boquirotos causam vergonha aos brasileiros, nas suas entrevistas, refiro-me a entrevista de FHC para a BBC que está disponível no http://www.youtoube.com ;
    Já Itamar com seu didatismo singelo nos dá notável lição de brasilidade e pés no chão ao analisar a conjuntura nacional, ao lembrar bem que NÃO deixou privatizar a CEMIG e FURNAS, que continuam nossas, graças a Itamar Franco.
    A entrevista não esconde a realidade – reconhece a capacidade da candidata Dilma Roussef e seu potencial crescimento- reconhece que o Governo Lula é muito melhor que FHC e que ele de longe sempre foi MELHOR que o seu sucessor.
    Itamar mostra que os políticos podem agir com honestidade.
    Assim, temos um ex- Presidente que não é um pavão fraco , mas um cidadão consciente, perspicaz e mais importante que acredita no Brasil e no seu povo.
    Parabéns Itamar Franco, os brasileiros podem se orgulhar de seu ex-presidente .
    Fica a pergunta porque a grande imprensa NÃO dá mais espaço a Itamar Franco, ao contrário dos boquirotos, tem muito o que dizer.

  24. Pelo “simples” fato de ter se
    Pelo “simples” fato de ter se oposto bravamente à privatização da Cemig, provavelmente a melhor empresa de energia da América Latina, já merecerá uma menção honrosa nas páginas da história.

    Ao menos para quem é mineiro.

    Obs: Boa parte dos recursos que o Estado utiliza para investir nas mais diversas áreas são da Cemig.

    Sem ela é difícil imaginar como ficaria o Estado.

  25. Chico Pedro:

    Agora
    Chico Pedro:

    Agora é assim:

    ”vc já disse isso”( e não será publicado)

    ”vc está escrevendo rápido demais”'( essa é campeã0 e tbm não será publicado.

    Eu gargalhei alto quand li:vc está escrevendo rápido demais.

    CAMPEONÍSSIMA. KKKK

    Enfim, são novas regras

    Ou melhor:Novos regulamentos.Porque quem tem regra é mulher.

    Acostume-se.

    Abraços regrados a vinho..

  26. Opa…está tudo em ordem
    Opa…está tudo em ordem Nassif.

    Não houve probelama algum como mencionei.

    Perdão e bola prá frente.

  27. Anarquista:

    Depois de não
    Anarquista:

    Depois de não ver publicado uns três comentários estava até triste…rsss

    Cheguei a preparar alguns elogios ao pessoal da IG.

    Mas dessa vez funcionou…hehehehe

    Agora…essa da “digitação veloz” merece ir para os anais.

    Uhauhauhauhauhauha…

    Grande abraço amigo…E com uma cervejinha que hoje é dia!!!

    Hahahahahahahahaha

  28. Esse seria o vice dos sonhos
    Esse seria o vice dos sonhos do Serra, mineiro ilustre. Serra precisa dos Geraes, das montanhas. Da caixa dãgua nacional, nascedouro de bacias e rios nacionais. Brigar com Aécio é morte certa. E como tirar o moço da parada sem magoar a mineirada nervosa? Sô Serra tem que meditar bem, ver o capim crescer, as montanhas aguardam… Tem que atravessar o Liso, o Sussuarão, sô Aécio, as tais travessias. Sô Itamar foi lá, pôs a cara pra porrada dos paulisas e mamelucos de Piratininga, saiu ridicularizado, fama de dodo. A Veja em caldeirão reservado no inferno pelo tratamento dado a Itamar. Itamar guardou por 4 anos os presentes e pirilampos que recebia como governador numa sala do palácio. Governador de Minas numa canetada pos pra correr o pessoal do mensalão, via agências de publicidade e restituiu o poder de Minas na Cemig, sauqueada por sô Azeredo, o venal. Viu Aécio? Num tem jeito, o destino é dado, a dor vem do berço e a luta é sagrada. A caneta ta com vc, o homem da carta testamento era avô, o ghost do Getúlio, atravessa logo o Liso, o vampiro da Paulicéia tem que morrer, o dragão da maldade do capitalismno brasileiro, do Deus Mercado. Vai a fazenda televisiva do Hermógenes carcamano e midiático, nos confins da Paulicéia, cercado de favelas, antenas, gente com fome, água de chuva (mas na TV e mídia tudo rosa e colorido, o luxo escondendo o lixo) e mata o candidato da elite. Da Rede Globo, da mídia colonizadora e servil. Das moças bonitas da platinada, levarás só a lembrança, governador, no pega pra capar eles vão vender os seus colhões. Fode a Globo, a Veja e o resto todo. É aí que a travessia se consuma, um novo Brasil sem a mídia escravocrata e colonizada de Pindorama. Isso nem o PT conseguiu, Governador, nem o Lulinha teve peito.Pra entrar no ninho da serpente e sacanear seus ovinhos, tem que ser bonito, da elite tb. De dentro do ninho se revele nacional, mulato, brasiliano, trabalhista e livra a gente das mentes servis e da pornografia broxa da Rede Globo. O Itamar foi generoso lembrando do Rubicão, eu, mais mineirim e carcomido em mleituras mineriansa, usaria o Liso do Sussuarão como metáfora de travessia. Imagina a imporância de uma candidatiura que traz no seio a morte do vampiro de Pindorama? Lembra disso, governador…

    sds

    mas vai a luta e põe a cara pra porrada. Se não der, der a moça, a mineira Dilma, a história vai lembrar quem matou nas montanhas e nos campos geraes o retrocesso paulista, a entrega geral de Pindorama.

  29. Nassif.
    O Itamar Franco nunca
    Nassif.
    O Itamar Franco nunca foi um político de grande expressão, foi vice do outro Fernando, aquele que foi destituído, mesmo assim Itamar prestou um grande
    beneficio a Nação ao impedir que Furnas e Cemig acabasse nas mãos dos gringos, naquela época num editorial do jornal SBT Aquela coisa o ” Boris Casoy”, fez duras críticas ao Itamar por ele prometer, se

    furnas e Cemig fossem privatizadas ele iria cobrar pedágio ou royalts sobre as aguas que movimentava as hidrelétricas.
    Portanto Itamar merece a aposentadoria que possui, as aposentadorias
    do FHC deveria ser cassadas pois ele não as merece, ele é um entreguista impatriota, vendilhão da Nação

  30. Aliás, quando esse Paulo
    Aliás, quando esse Paulo Totti faz uma reportagem ou entrevista tem que ler: é de babar, coisa fina.

  31. “Nao temos mais um MOntoro da
    “Nao temos mais um MOntoro da vida”

    Realmente. Entre as obras deste homem incluem-se um monte de estradas vicinais, a disseminacao das “vacas mecanicas” (leite de soja nas escolas) , o reflorestamento de parte da Serra do Mar (quase toda destruida pelo Maluf) e a diminuicao drastica da poluicao de Cubatao. E isto numa epoca em que nao se preocupava com o “verde”.

    Infelizmente, os demais membros do partido jamais lhe estiveram a altura.

    Talvez, a unica excecao tenha sido o Covas. Eu me lembro que assim que foi detectado o cancer; ele, governador de Sao Paulo, nao foi procurar tratamento no Einstein, no Sirio ou nos States. Ele disse na TV que ia pro HC da USP. Que a medicina la e tao boa quanto em qq lugar do mundo (concordo com ele) e que a gente deveria se orgulhar do que ha de bom no Brasil.

    Mas isto foi em 2000. Hj qq probleminha o senador TUCANO Tasso Jereissat vai pra Cleveland. E outros de A a Z, que tanto falam na importancia da saude PUBLICA, tratam a propria saude em hospitais privados. E de uma coerencia …….

    Parabens ao Itamar pela entrevista e pela memoria do Montoro. Parabens ao Covas que, se nao foi um belo governador, foi um homem que valorizava o que o pais tem de bom.

  32. Entrevista de ITAMAR em 2004
    Entrevista de ITAMAR em 2004 :

    http://www.terra.com.br/istoedinheiro/356/economia/versao_itamar.htm

    Alguns trechos :

    A versão de Itamar
    Ex-presidente diz que Ricupero foi a alma
    do Real e acusa Serra de mentiroso

    Por Tina Evaristo

    Como foi o começo do Plano Real?

    “Quando o ministro Rubens Ricupero assumiu a
    Fazenda (março de 94) ele me procurou e disse que o Plano ainda não estava concluído. Havia temores na
    equipe econômica. Entre os receios, primeiro vinha o problema do câmbio, seguido do medo de que o Plano ferisse a candidatura de FHC.”

    Qual foi a sua reação?

    “O ministro Ricupero pediu-me um posicionamento.
    Disse que ele fosse adiante com o Plano e que não se importasse com o processo eleitoral. Ricupero, para
    mim, foi o grande sacerdote do Real.”

    A candidatura de FHC chegou a ameaçar a adoção do Plano?

    “Não. A equipe econômica é que tinha esse medo. O que chegou a ameaçar foi aquela infelicidade do Ricupero na televisão (como ministro da Fazenda, disse na TV, sem saber que estava sendo gravado, que não tinha escrúpulos).”

    O Plano Real é sua maior obra?

    “Eu diria que, na ordem econômica, foi a minha melhor obra. Mas o grande mérito, que vocês da imprensa não reconhecem, foi a manutenção da democracia no País. Quando eu assumi, havia uma sensação para alguns de que meu governo não duraria 48 horas. Ao entregarmos, depois de muitos anos, e de ter feito um sucessor, o Brasil continuava um país democrático. Creia, isso não foi fácil.”

    O Real foi lançado no seu governo. Por que o sr. é menos citado que o então ministro FHC?

    “O presidente Fernando Henrique levou os louros, talvez não porque quisesse, mas porque a imprensa sempre teve o desejo de descaracterizar o meu governo. À medida que a imprensa massageou o ego dele, FHC acabou não contando a verdade.”

    Foi um erro da imprensa?

    “Foi, mas quero aproveitar para falar da inverdade que cometeu o candidato a prefeito de São Paulo, José Serra, ao dizer que foi o PSDB que fez o Plano Real. É mentira dele, é mentira. É uma inverdade e este candidato já começa mal, mentindo desse jeito.”

    http://www.youtube.com/watch?v=I8mq7lPtYEs&feature=related

  33. Por questão partidária e
    Por questão partidária e elegância, o Aécio companhou o Geraldo Alckmin aqui em Minas Gerais nos discursos. Mas tenham a “Santa Paciência”, só não viu quem é cego, que pela cara do Governador de Minas ele estava carregando uma “mala sem alça”.

  34. Luis Nassif
    Porque o Valor
    Luis Nassif
    Porque o Valor não instigou o Itamar a falar do seu mentor Henrique Hargreaves?
    Nem tampouco daquela malsinada precatória de Minas.
    Tio-avô

  35. Nassif.

    Acho que estão
    Nassif.

    Acho que estão superdimensionando o Aécio Neves. Não vejo grandes aptidões de governante, gestor e até político de escala nacional. Parece como todos os outros tucanos. Nivelados. Tal como FHC, que foi “bombado” pelo Itamar, ao indicar ele como Ministro nas vesperas do plano real. Sem o plano real, vcs acreditam seriamente que ele teria relevância em escala nacional? Lembro até hoje quando Itamar Franco (um dos políticos que foi mais sacaneados pela imprensa depois do Lula) quando lançou a candidatura do FHC na televisão em situação muito similar a vivida hoje pela Dilma. Foi de bandeja, “faz o gol meu filho”. Itamar com certeza teve ter se arrependido. Pois a recíproca não foi verdadeira. FHC fez de tudo para torrar Itamar. Político honesto que merecia mais respeito. Enquanto esteve como presidente, honrou a faixa verde-amarela que vestiu. Lembro também do episódio do carnaval, onde uma das figurinhas da Globo tirou foto sem calcinha com ele, típica trapaça do Roberto Marinho para desmoralizar o Itamar. Voltando ao “case” Aécio, qual foi a atitude corajosa dele em sua carreira política? Viveu seus primeiros anos de aprendizado a luz do Tancredo (conciliador como todo político mineiro), depois alçou vôos mais altos na câmara dos deputados e voltou – se para Minas ocupar o espaço político deixado pela geração de políticos aposentados tal como Itamar. Qual foi a sua grande ação a nível nacional? As características de ambos os tucanos pretendentes a presidente da república são muito parecidas. Políticos locais, protegidos pela grande mídia, conciliadores e sem um grande projeto político para a nação brasileira. Enquanto o Serra traça um perfil típo de gerente de banco de cidade do interior, Aécio, que siquer mora em Minas, tem em um perfil de um político jovem de futuro por causa do nome forte que carrega, que ainda está por fazer algo que não sabemos ao certo. Ambos são invólucros vazios, sem ideologia, frios e sem sal. A mídia faz de tudo para desvalorizar o lider politico passando a imagem de populista e gastador e reluz a figura pequena do gestor, o gerentinho de terno de tergal que não se mete com as elites. Se não houvesse necessidade de líderes, os grande inovadores de gestão que ganham fortunas com cursos e livros sobre liderança estariam em maus lençóis e falidos financeiramente. Líderes políticos e estadistas estão em falta no mercado brasileiro, os últimos morreram ou estão muito velhos. Alguns apodreceram com as suas políticas e esqueceram de enterrá-los. Alguns estão em formação como o Ciro Gomes (odiado pela mídia tal como Lula e o Itamar), mas precisam viver e aprender. Aécio, se que ser um estadista, abandona a conciliação com as elites paulista e mineira de 500 anos, veste a camisa do povo brasileiro e vai conhecer os cantões deste nosso país maravilhoso com a bandeira da federalização, espírito público, modernidade, inserção social, distribuição de renda, etc. Enfim, uma agenda política que começou com o Lula e precisa de sangue novo para tocar esta obra para frente,

  36. Luis , o que seria melhor, um
    Luis , o que seria melhor, um candito personalista sem programa ou um candidato com programa e sem personalidade?

  37. “Sei que o presidente Lula
    “Sei que o presidente Lula está bem com a opinião pública não só porque tem o Bolsa Família. É porque a oposição não tem mensagem.”

    Itamar acertou no alvo! A oposição é um deserto de idéias. Seu comportamento, em geral, varia do desespero à apatia. Mais apatia que desespero.

    Na minha opinião, tirando alguns momentos de histeria midiática, como no Mensalão, Lula governa desde 2002 sem oposição.

  38. mcn:

    “‘Lula governa desde
    mcn:

    “‘Lula governa desde 2002 sem oposição.””

    quase perfeito,é pior ainda.

    A oposição se divide entre si:

    Ora é um líder eleito na câmara que não agrada o PSDB.

    Ora é um ”casteleiro” que empplaca sua candidatira no avulso.E foi eleito com o maciço apoio do PT.

    Com essa desacreditada oposição e com os duvidosos mensaleiros do PT, sobrou o que?

    LULA( o famoso,que colou, não sabia)

    enquanto isso Ze Dirceu está na berlinda.É aonde deveria estar mesmo.Mas não caguetou seu chefe LULA.

    Aliás,nem sobre tortura,nunca caguetou ninguém

    e muitos outros fizeram o mesmo.

    será que LULA reconhece?( como poderoso chefão que é)

    DUVIDO.

  39. Nasci em 1973 e Itamar foi o
    Nasci em 1973 e Itamar foi o único presidente que eu vi na minha vida entregar um país ao sucessor melhor do que recebeu. Só fico infeliz porque pouca gente se dá conta disso.

  40. Para os comentaristas de
    Para os comentaristas de plantão:

    Usem parágrafos por favor!!!! De preferência pulem uma linha antes de começar o próximo.

    Ninguém dá conta de ler em tela um único parágrafo de texto com 1500 caracteres.

    Quanto ao post, independente do candidato acho que a Dilma já pode correr pro abraço.

    Chico Pedro vai me defenestrar depois dessa…. rsrsrsr

  41. Nunca mais, nunca mais, nunca
    Nunca mais, nunca mais, nunca mais eu voto no PSDB!!!

    É a turminha da dilapidação do patrimônio público: eles entregam até as cadeias para a privataria, que lhes repassa uns caraminguás para o partido.

    Privatizemos o PSDB !

    Nem votaria no Aecinho se ele permanecer no PSDB. Já votei no Serra, achando que o Lula ia estragar o país, mas tive uma surpresa muito mais agradável com ele. Como falam que ele é mentiroso, já perdeu meu voto!

  42. Emocionei-me com a entrevista
    Emocionei-me com a entrevista do Presidente Itamar. Taí um político honesto. Irretocável. Patriótico que evitou que FHC doasse o sistema elétrico brasileiro. Vida longa para ITAMAR!

  43. Nassif, no dia em que os
    Nassif, no dia em que os governadores (SErra, Aécio, qualquer outro) acabarem com os cargos de confiança, e deixarem as nomeações políticas para cargos eminentemente técnicos (aliás, pra que serve um político em cargo técnico?), aí vou pensar em validar meu voto.

  44. Gostaria de deixar claro a
    Gostaria de deixar claro a todos que estão elogiando esse tal governador aqui de MG, que ele não passa de um fascista, bonitinho ordinário, que aqui em MG toda a imprensa fica sob um regime de ditatura branca.
    Qualquer jornalista que aponte uma farsa do governo deste cara é imediatamente demitido. Os jornais aqui em MG são todos vendidos.
    Nenhum jornal fala das deficiências, falhas, enganações do governo de MG. É uma ditadura ferrenha, manipulação desta mídia gorda e conivente
    com estes governos. Este governador de MG é da mesma laia do Serra, FHC, ACM,e etc… Basta virem aqui a MG e verem com os seus própios olhos. A mídia mostra para os outros estados uma visão irreal, paga por este governador. Usa verbas federais e fala que são verbas do governo estadual. Não se iludam com essa cara bonitinha, tomem cuidado!

  45. “Mas ele tem uma memória que
    “Mas ele tem uma memória que eu chamo de peneira, retém algumas coisas e deixa escorrer as outras”

    Um esgrimista na arte de agredir profundamente sem ofender.

    Parabens Itamar!

  46. O “MILAGROSO” PAC
    O “MILAGROSO” PAC TUCANO

    Blog Cidadania

    Declaro que nada tenho contra o PAC paulista, programa do governo de São Paulo de combate à crise que será anunciado pelas manchetes principais de todos os maiores jornais do país nesta sexta-feira, apesar de ser um programa paulista, e depois de passar o dia anterior sendo destacado ininterruptamente pelos portais de internet e pelos telejornais. Também quero deixar registrado que escrevo na quinta-feira à noite…

    Não rejeito a generosa cobertura publicitária que tal anúncio recebeu – e que ainda receberá muito – da imprensa, porque foi, acima de tudo, a mais legítima adesão do governador José Serra, autor da teoria de que o PAC original “não existe”, a nada mais, nada menos do que àquilo que ele vinha mandando Globos, Folhas e Vejas criticarem sem dó nem piedade, ou seja, ao… PAC (!?).

    Serra adotou medidas sobre as quais a imprensa falou menos do que do mero fato de que foram anunciadas. O governador tucano fez isso, obviamente, em reação a nota do PT que atacou a oposição tucano-pefelê por se limitar a pregar o caos em vez de ela também fazer alguma coisa contra a crise nos Estados que governa.

    Serra tentou se explicar dizendo que a responsabilidade de combater a crise é do governo federal, mas não quis deixar no ar a idéia de que “o próximo presidente do Brasil” não esteja fazendo outra coisa além de produzir previsões assustadoras para jornais publicarem, de maneira que inventou o “PAC paulista”, programa miraculoso que, ao menos na mídia, logo, logo revelará propriedades mágicas, fazendo cegos voltarem a enxergar e paraplégicos caminharem.

    Nada tenho, agora explico, contra a intenção do pré-candidato tucano à Presidência da República de parar de trabalhar com o maxilar contra a crise e começar a trabalhar com aquela caneta do governo estadual que o entorpecido povo paulista deixa em mãos tucanas há 14 anos justamente para eles não precisarem ficar só reclamando.

    A iniciativa paulista, mesmo sendo claramente eleitoreira, poderá ser boa mesmo que não cumpra o previsível e dê algum resultado – e não deverá dar, porque, à diferença do PAC federal, feito há mais de dois anos, quando Serra dizia ser um programa “desnecessário”, este “PAC” estadual começa quando a crise, ao menos no Brasil, dá sinais de que está amainando. Mas, pelo menos, Serra terá alguma coisa mais útil para fazer além de ficar escrevendo manchetes para a Globo, para a Folha etc.

    continua:
    http://edu.guim.blog.uol.com.br/

  47. SUCESSÃO: PRA GANHAR VALE
    SUCESSÃO: PRA GANHAR VALE TUDO!

    FHC pede a PSDB que boicote no Congresso medidas anticrise de Lula

    Atualizado em 11 de fevereiro de 2009 às 21:23

    Sugestão dos leitores Jorge Nunes e Audox
    por Conceição Lemes

    Deputados tucanos reuniram-se em São Paulo nesta terça-feira com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Motivo: debater a necessidade de o PSDB lançar o quanto antes o nome do candidato da sigla que disputará a sucessão presidencial em 2010.

    “Os deputados saíram da casa de FHC também com a recomendação de exercerem mais fortemente a oposição no Congresso em relação a medidas do governo Lula, incluindo aquelas voltadas para impedir o avanço da crise internacional”, afirma a jornalista Carmen Munari, em (reportagem da Reuters.)

    Agora, é oficial o que já se conjecturava.

    Estavam presentes ao encontro os seguintes deputados do PSDB:

    * Julio Semeghini (SP)

    * Walter Feldman (SP)

    * Paulo Renato Souza (SP)

    * Luiz Paulo Vellozo Lucas (ES)

    * Ricardo Tripoli (SP)

    * Vanderlei Macris (SP)

    * Fernando Chucre (SP)

    * João Almeida (BA)

    * Carlos Brandão (MA)

    A impressão que passa a “recomendação” do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é de que ele pede aos tucanos que trabalhem para que a crise econômica mundial arraste o Brasil e o leve ao fundo do poço, como aconteceu na gestão dele. O que é isso: quanto pior, melhor? Mesquinhez? Irresponsabilidade? Tiro no pé?

    Inviabilizar a adoção de medidas do governo Lula para combater a crise, é um crime contra o país. E agora, a menos que o ex-presidente dê alguma explicação para o teor de sua “recomendação”, a impressão que fica será a de que ele quer sabotar o país para seu grupo político voltar ao poder.

    Reunidos com FHC, tucanos querem apressar nome para 2010
    por Carmen Munari

    SÃO PAULO (Reuters) – Deputados tucanos debateram nesta terça-feira com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a necessidade de o PSDB lançar o quanto antes o nome do candidato da sigla que disputará a sucessão presidencial em 2010.

    Leia a íntegra:
    http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/fhc-pede-a-psdb-que-boicote-no-congresso-medidas-anticrise-de-lula/

  48. “…Gostaria de deixar claro
    “…Gostaria de deixar claro a todos que estão elogiando esse tal governador aqui de MG, que ele não passa de um fascista, bonitinho ordinário…”

    Mas assim fica fácil demais. Sem apontar onde estão os erros e disparar no alvo com brutal violência não sobrará um único político que nos sirva.

    Sou tão mineiro quanto vc e não coaduno da mesma opinião em relação ao Aécio.

    Se é verdade que está longe de ser um governo impecável, também está longe de ser um dos piores.

    Há claros avanços administrativos na atual gestão que de certa forma propiciam bem estar para a população.

    Se os jornalistas são demitidos porque criticam, por que não aprontam um escarcéu e mostram o problema…?

    Por que não iniciam um debate a respeito do assunto…?

    Há evidente exagero nestas reclamações.

  49. Quero deixar aqui a minha
    Quero deixar aqui a minha homenagem a esse politico digno e lucido que e’ o Itamar Franco. A historia lhe fara’ justica. A midia canalha nunca engoliu este homem que sempre preferiu seguir os caminhos do seu coracao e de seus compromissos politicos a ficar fazendo os conchavos que destruiu a atividade politica no Brasil nesses ultimos anos. Figura singular e que, infelizmente, nao tem mais como fazer politica nesse jogo de cartas marcadas que acontece apenas para iludir os telespectadores — que por sinal adoram ser iludidos.

  50. Não se pode esquecer outro
    Não se pode esquecer outro erro grave de Aéico: a malfadada aliança com Pimentel. O ex-prefeito de BH é um factóide que já foi desmascarado em Minas e assim que cavar seu espaço nacional (o que vem tentando desesperadamente) também terá seu lado fanfarrônico revelado para todos.

  51. Em que pese as paixões
    Em que pese as paixões estaduais, imagino que Aécio muito mais do que Serra representa um momento novo na história deste pais, primeiro foi, até prova em contrário, o criador de uma verdadeira mudança em como administrar com eficácia um Órgão Publico,como o governo de Minas, que encontrou em que pese o respeito que sempre teve, com o ex-governador e Presidente Itamar, totalmente quebrado e soube com eficiência, visão e competência montar uma equipe de pessoas competentes que administram e gerenciam o Estado, levando-o de uma insolvencia quase que total, a uma situação equilibrada, com contas e pagamentos em dia, totalmente equipado, modernizado, preparado, com planos ambiciosos em todos os setores de atividade, principalmente na Educação, mola mestra para o crescimento de um povo, procurou alternativas e meios financeiros em todos os cantos do mundo, para viabilizar seus projetos, levando o Estado de Minas a um crescimento jamais visto em nossos tempos, credenciando-o, até porque demonstra e já tinha demonstrado em seu primeiro mandato ser um politico competente e totalmente ligado aos anseios de todas as gerações, ser muito mais do que o Governador Serra, que já teve sua oportunidade de disputar uma eleição Presidencial, ter condições se candidato e eleito, transformar nosso pais, naquilo que todos nós imaginamos e queremos, melhor para todos nós e nossos filhos.Visão administrativa, vontade e competência não lhe faltam, não me julgando com ideais de esquerda, existe uma frase cantada em uma musica que diz,¨ Quem sabe faz a hora, não espera acontecer¨, espero que a hora e a vez por tudo que já mostrou seja de Aécio.

  52. substituir, onde mencionei de
    substituir, onde mencionei de uma insolvência quase que total, por uma grande dificuldade financeira

  53. Caro Nassif,

    Discordo de
    Caro Nassif,

    Discordo de voce

    1- Aecio tem o PMDB no bolso, com as portas escancaradas e pedindo de joelhos para ele se filiar ao PMDB. E com essa carta que ele joga para que o PSDB faca o que ele quer

    2- O Aecio nao vai esperar 2014/18 para correr o risco encarar Lula, sabendo que o mesmo pode encerrar seu governo com uns 70% ou mais de aprovacao.

    3- Se Aecio for pelo PSDB ele leva boa parte do PMDB, ja o Serra nao.

    4-Serra nao vai passar por cima de Aecio como “fez” como Roseane, pois Minas nao e Maranhao (na questao de numeros de eleitores)

    5-Serra tem que torcer para que passe a vontade de Aecio de ser presidente. Caso contrario, Serra tentara ficar em SP e nunca sera presidente. Ele sera um Alkmin de 2008 se forcar a barra. Por que?

    a) O PT garante a um candidato dele 30 a 35% indepedente de como a economia esteja no final de 2010. Imagina se a economia brasileira comecar a passar por essa crise em junho? E se nao inventarem nenhuma crise da pipoca ou do botox da Dilma?

    b)Aecio tem Minas inteira e o PMDB (ele e o unico que pode unir 90% do PMDB para uma candidatura e ai nao sera pouco)

    c) Serra fica so com o PSDB e PFL e nao tem SP inteira. Muito pouco.

    Conclusao: A disputa sera entre Dilma X Aecio (Segundo turno). “Torcendo para ela levar”.

  54. O serra esta cozinhando o
    O serra esta cozinhando o Aécio em “banho maria” até que ele se apague.
    Se apagando não será concorrente nem dentro do PSDB e nem fora!
    Vai restar apenas a Dilma!
    Aí entra mais um “caso Lanus” ou mais uma “emboscada” cheia de aloprados e uma imprensa ativa a seu favor – aí sim! as chances de se tornar presidente se tornam reais!
    Por enquanto não!

  55. Numa boa, Serra “sucks”,
    Numa boa, Serra “sucks”, jamais será presidente do Brasil.

    Mais inteligente seria o PSDB se abrisse a candidatura ao Aécio.

    Teria um candidato como o Lula, que perdeu muitas, foi vitorioso nas outras, e fez um governo de bom pra ótimo.

    Em tempo, sou petista filiado…

  56. O principal erro do Aécio
    O principal erro do Aécio está na adoção de uma prioridade de governo que não é a mais contundente, a mais atraente.

    Ele objetivou a segurança, quando o principal foco deveria ser a educação.

    Ao invés de um campo com tremenda repercussão no campo social ele optou por outra com viés “direitista”.

    Construiu não sei quantos presídios. Uniu as forças de segurança militar e civil na mesma estrutua física. Deu a elas recursos materiais que nenhum outro governador do Estado forneceu.

    Entretanto, tais medidas alcançam o fim sem atingir a fonte: a brutal desigualdade da sociedade.

    Podia fazer uma verdadeira revolução na área da educação. Teve tempo suficiente para tanto. Deveria conclamar os professores como, finalmente, os principais profissionais da nação.

    Mas esse ranço de “direita” e a ausência de perspicácia o levou à velha medida da correção final sem, contudo, buscar a solução efetiva daquilo que produz a violência, ou seja, a ausência de oportunidades.

    Desta forma, na questão social ele deixa muito a desejar, pois optou pelo viés “do mercado” e da “repercussão na mída”.

    A consequência disso tudo é que seu discurso tem alcance limitado.

    Há diversos outros pontos bastante sensíveis onde ele poderia tocar. O que, para mim, deixa claro que não é um homem de estado e com visão de longo alcance. Mas, apenas, um ótimo governador.

  57. Dos presidentes que vi, por
    Dos presidentes que vi, por certo Itamar foi um dos mais honrados – e, mais certo ainda, o mais subestimado. Culpa em boa parte das idiotisses da Veja, que o acusavam de louco – lembram da capa com Itamar caracterizado como Napoleão? Por sinal, em quantas conversas de botequim eu não defendi o ex-presidente, sendo eu acusado de maluco?

    Itamar como presidente revelou-se zeloso quanto à moralidade da administração. Conseguiu fazer nossa jovem democracia sobreviver ao impeachment. E, claro, inegável que a estabilização econômica é cria de Itamar, e não de Fernando Henrique.

    A despeito do imerecido ostracismo e das punhaladas nas costas que recebeu de FHC e PMDB, Itamar pode ficar sossegado. O tempo dará a ele um belo lugar nos livros e História. Afinal, como dizia uma das camisetas do Collor, ” o tempo é senhor da razão”.

  58. excelente entrevista com
    excelente entrevista com itamar franco, que transcende, em muito, o momento político brasileiro – serra, aécio, dilma etc -, revelando, mais uma vez, o caráter extraordinário de uma personalidade, a autenticidade de um dos últimos, senão o último, de uma tradição (em vias de desaparecimento) de homens públicos mineiros.

  59. O cenário não podia ser
    O cenário não podia ser melhor para Dilma.

    Com jeito mineiro de lançar candidatura, Aécio segue tergiversando através da entrevista de ex-presidente – este mesmo querendo ser o cavalo do Rubicão do governador.

    Aliás, a entrevista de Itamar me fez lembrar os tempos da República do Café com Leite, onde a discussão oblíqua entre São Paulo e Minas reinava.

    Quanto provincianismo: de um lado, o coro daqueles que apostam na eterna modernidade de São Paulo e de seus apóstolos, que só falam para os próprios paulistas; de outro, o coro dos ufanistas mineiros que se ressentem da proeminência paulista, apostam que o Brasil não suporta mais o seu bairrismo, e lamentam a perda de espaço de Minas na política nacional.

    O que o resto do Brasil tem a ganhar com esse tipo de bairrismo entre dois Estados que mais tempo dirigiram politicamente este país?

    Isso é que é o verdadeiro provincianismo regionalista do qual tanto os Estados “atrasados” do Nordeste são acusados pela historiografia. Com uma diferença: com as guanges do capitalismo financeiro do “Brasil moderno” a fatura é muito maior.

  60. Gostaria de reafirmar minha
    Gostaria de reafirmar minha opinião a respeito do governo de MG . Como a imprensa televisiva, radiofônica e escrita mostra as deficiências do governo federal, deveria mostrar as falhas do governo de MG! Será que é um governo tão perfeito? Perguntem aos professores, aos profissionais na área de saúde,o que a imprensa não divulga. Há também a questão das mineradoras. Como permitir as empresas de mineração de Eike Batista devastarem o pouco que resta de natureza no entorno de Belo Horizonte? O que haverá por trás disso?
    Por acaso, quem é Eike Batista? Sobre o Aecinho, muita gente,em MG , sabe! E há jornalistas que debatem sim: acessem o novojornal.net!

  61. Concordo plenamente com o ex-
    Concordo plenamente com o ex- Presidente Itamar. Franco Montoro foi o melhor governador que tivemos aqui no Estado de São Paulo. Pós Montoro tivemos o grande Mário Cova “rabujento” mas honesto. Bom o resto, vocês já sabem, só politicos pequenos. O último então, pretende ser presidente, me dá nojo. Dilma 2010 !

  62. Nassif, meus comentários
    Nassif, meus comentários estão sendo censurados?

    Quando vêm com baixarias, sim. Lembre-se que uma das regras do blog é não permitir apelidos depreciativos contra quem quer que seja.

  63. O Presidente Itamar com
    O Presidente Itamar com certeza ainda terá a sua biografia tratada de forma mais justa e respeitosa. Ele merece, por sua postura sempre ética e coerente.
    Itamar , a meu ver foi o grande responsável pelo plano real, afinal, quando coisas boas ou ruins acontecem, ou aconteceram nos governos Lula, FHC, Sarney os bônus e os ônus não foram deles? Nosso sistema de governo é presidencialista, assim sendo a responsabilidade última sobre os atos de Estado é do Presidente.
    Que cada presidente carregue os ônus de seus respectivos mandatos, que assumam as responsabilidades sobre suas mazelas mas que também tenham o direito ao reconhecimento por suas realizações.
    Itamar deve ser lembrado como um Presidente da província (como somos todos nós aqui das Gerais), às vezes claudicante, às vezes teimoso; culto sem ser performático, vaidoso sem ser exibicionista; não de origem operária, mas de origem humilde; refinado, mas anti elitista; orgulhoso, muito orgulhoso; profundamente mineiro, como todo mineiro.
    Itamar errou muito no início de seu mandato, passando uma impressão de paralisia, mas no momento do “pega prá capar”, foi o líder que bancou politicamente o Real, segurando todas as barras enquanto FHC se preocupava em se eleger.
    Espero que a história ainda coloque o presidente Itamar em seu devido lugar: um democrata, ético e responsável, nacionalista e idealista. Um presidente que com o controle da inflação monstruosa ( herdada ), trouxe o início do aumento da renda dos mais necessitados.

  64. Nassif,
    Sendo
    Nassif,
    Sendo você, mineiro, como eu, sabe que a mineiridade é um estado de espírito. E ser mineiro é antes de tudo carregar consigo um pouco de tradição, conservadorismo e revolta. Essa revolta nasceu do estilo de colonialização que sofremos, muito mais à espanhola do que à portuguesa. Vieram para roubar nosso ouro e nossas pedras preciosas, vieram portugueses e bandeirantes paulistas. Vieram e levaram nossas riquesas e deixaram, mutas vezes, nosso chão lavado de sangue e nossos alforges e almas vazias. Esses espaços vazios fez encher nosso coração com “um quê” de revolta que só se apresenta nessas terras alterosas. Fez-nos ter um inconformismo que só quem é mineiro entende. Quem nos vê de fora, pensa que somos conservadores e tradicionalistas… lêdo engano! Dessa revolta brotaram expoentes que levaram em suas mãos os destino do Brasil, em horas tão cruciais que se não houvessem existido, o Brasil hoje não seria nem sombra do que é. Poderia citar vários nomes e em várias áreas de atuação, mas seria redundante face a evidência de sua importância para o Brasil. Mas não me omitirei em citar Itamar Franco. Esse homem, que sempre exerceu funções públicas sem se enriquecer com elas, tendo galgado todos os cargos até ter sido o responsável pela condução do País em hora tão difícil, depois de termos passado pelo infortúnio de um impeachment. Saneou a economia, que talvez tenha sido um dos feitos mais importantes que nenhum homem público tenha conseguido “nunca antes na história desse País”. Alavancou FHC e por ele foi traiçoeiramente apunhalado: “Até tu, brutus?” Mas, demonstrou todo o inconformismo que só existe no sangue que corre em veias mineiras. Revoltado ante a iminente “privatidoação” de Furnas, amealhou regimentos de nossa valorosa Polícia Militar, a mais bem formada, mais atuante e menos corrupta de todo o País, e os fez ir até a cidade de São José da Barra, onde munido de explosivos, ameaçou dinamitar a represa de Furnas e escoar suas aguas rumo ao Rio Piau, afluente do velho Chico e com isso inviabilizar Furnas. Dizia ele: “A água é de Minas”. Barrou, com isso um desatino de FHC. É um mineiro em toda sua plenitude.

  65. 1. Nassif,
    Sendo você,
    1. Nassif,
    Sendo você, mineiro, como eu, sabe que a mineiridade é um estado de espírito. E ser mineiro é antes de tudo carregar consigo um pouco de tradição, conservadorismo e revolta. Essa revolta nasceu do estilo de colonialização que sofremos, muito mais à espanhola do que à portuguesa. Vieram para roubar nosso ouro e nossas pedras preciosas, vieram portugueses e bandeirantes paulistas. Vieram e levaram nossas riquezas e deixaram, muitas vezes, nosso chão lavado de sangue e nossos alforjes e almas vazias. Esses espaços vazios fez encher nosso coração com “um quê” de revolta que só se apresenta nessas terras alterosas. Fez-nos ter um inconformismo que só quem é mineiro entende. Quem nos vê de fora, pensa que somos conservadores e tradicionalistas… ledo engano! Dessa revolta brotaram expoentes que levaram em suas mãos o destino do Brasil, em horas tão cruciais que se não houvessem existido, o Brasil hoje não seria nem sombra do que é. Poderia citar vários nomes e em várias áreas de atuação, mas seria redundante face à evidência de sua importância para o Brasil. Mas não me omitirei em citar Itamar Franco. Esse homem, que sempre exerceu funções públicas sem se enriquecer com elas, tendo galgado todos os cargos até ter sido o responsável pela condução do País em hora tão difícil, depois de termos passado pelo infortúnio de um impeachment. Saneou a economia, que talvez tenha sido um dos feitos mais importantes que nenhum homem público tenha conseguido “nunca antes na história desse País”. Alavancou FHC e por ele foi traiçoeiramente apunhalado: “Até tu, Brutus?” Mas, demonstrou todo o inconformismo que só existe no sangue que corre em veias mineiras. Revoltado ante a iminente “privatidoação” de Furnas, amealhou regimentos de nossa valorosa Polícia Militar, a mais bem formada, mais atuante e menos corrupta de todo o País, e os fez ir até a cidade de São José da Barra, onde munido de explosivos, ameaçou dinamitar a represa de Furnas e escoar suas águas rumo ao Rio Piau, afluente do velho Chico e com isso inviabilizar Furnas. Dizia ele: “A água é de Minas”. Barrou, com isso um desatino de FHC. É um mineiro em toda sua plenitude.

  66. Caros,

    Lembro que há muita
    Caros,

    Lembro que há muita rejeição a Serra em São Paulo… PSDB nunca mais!

    Paulista

  67. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome