Comentário do leitor: Uma oposição desarticulada na sabatina de Sergio Moro

Se a esquerda quer fazer oposição, tem de, no mínimo, sentar dias antes e trabalhar quais questões e como serão feitas. Distribuí-las pelos parlamentares. Recompô-las durante o depoimento e não deixá-las perecer sem resposta

Foto: Agência Senado

Comentário enviado por Giovani Zebende Borher

Assisti praticamente a todas as intervenções da oposição [na audiência com Sergio Moro] no Senado. E a meu ver a oposição estava muito pouco articulada. Perguntas longas e exageradas, algumas muito especificas e fora do contexto. Posso estar errado, mas o principal ponto a ser tratado era a conduta de um juiz. Contrapor suas práticas ao que a lei exige e ao que ele também já afirmou, de que é imparcial. Essa prática ele não pode negar. Ao contrário, ele assume. E se assume, é culpado de não ter dado o mesmo tratamento às outras partes. A melhor pergunta pra mim foi a do Senador Contarato (Rede), que ao final demonstra a prática irregular e criminosa do Moro. Esta prática invalida o julgamento do Lula. Talvez outros. Alcapone foi preso pelo whisky e não pelos assassinatos.

Ao fazerem muitas perguntas, as mais importantes se diluem nas respostas e até deixam de serem respondidas.

Se a esquerda, principalmente o PT, quer fazer oposição, tem de, no mínimo, sentar dias antes e trabalhar quais questões e como serão feitas. Distribuí-las pelos parlamentares. Recompô-las durante o depoimento e não deixá-las perecer sem resposta.

Por ser o tempo muito exíguo para que haja réplica, tréplica etc, bastaria um senador dar continuidade ao que o anterior iniciou. E aquelas perguntas sem respostas ou evasivas retornariam em pauta. Cada pergunta refeita, não respondida, retornada à pauta, diz ao expectador que não foi respondida. Sem resposta indica erro cometido pelo inquerido.

Leia também:  A Universidade Federal da Grande Dourados, no estado de Mato Grosso do Sul em transe, por Eudes Leite

Para mim o Moro fez dezenas de embates ontem mas cada um foi uma batalha estanque. Não foi a bancada oposicionista contra o Mouro. Foi senador fulano x Moro. Batalhas individuais.

Teve aquela em que o Senador reporta que também sofreu nas mãos do Moro e ao final o Moro pergunta: foi absolvido? Sim! então fiz valer a justiça!

E quase a direita leva a pauta para as fake news contra o The Intercept.

Infelizmente Moro saiu-se melhor do que o esperado.

E quando levantou-se a hipótese do Moro ter usado uma empresa para se preparar para o embate, a questão se perdeu no simples fato de não apresentarem provas. Pelo amor de Deus! Isso é dar pontos pro adversário.

Acompanho o seu trabalho e hoje creio que é o momento de se fazer um programa crítico ao desempenho destes nossos representantes. Para construirmos uma oposição forte, coesa e inteligente. Não houve reunião antes do evento?

CARO LEITOR,

ESTAMOS EM CAMPANHA PARA SUBSIDIAR UMA GRANDE REPORTAGEM QUE MOSTRARÁ A REALIDADE DE QUEM VIVEU A CAPITALIZAÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NA PELE. CLIQUE AQUI PARA CONHECER O PROJETO E APOIAR O NOSSO JORNALISMO INDEPENDENTE

WWW.CATARSE.ME/OEXEMPLODOCHILE

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. Moro saiu-se aparentemente bem porque é cínico e o cinismo desestabiliza qualquer oponente! Seus argumentos eram sempre o de minimizar ou não reconhecer o crime cometido, com o uso de, “não vi nada demais”, “é normal”, também apelava para argumentos ad hominem, desqualificando os acusadores e as acusações ou desafiando o The Intercept a divulgar tudo de uma vez, coisa que ele sabe que não é possivel e se possivel fosse, seria minimzada a notinhas de rodapé na grande mídia.

    1
    1
  2. A oposição de centro-esquerda e esquerda devem estudar com afinco a heróica resistência da URSS contra a avassaladora invasão da Alemanha Nazista. Lá, eles vão aprender como construir e gerir uma resistência monolítica e articulada, de firme comando único para derrotar o forte e feroz inimigo!….
    Recomendo os livros de memórias dos marechais G. Zhukov e A. Vasilevski (Memórias e Reflexões e A Causa de Toda a Minha Vida.)

    3
    1
  3. Nossa oposição é aquela que qualquer situação quer
    Um bando de cordeirinhos que sempre fazem a mesma coisa em qualquer situação: Notinhas indignadas que ninguem lê

    Hoje, por exemplo, a nota no tuiter do Fernando docinho de coco Haddad, é um primor: E se fossem os advogados do LULA mandando mudar o advogado de acusação

    Sempre disse que os fascistas e principalmente nossas FFAA são de frouxos, covardes e cagões.
    Peço desculpas as FFAA.
    Frouxos, covardes e cagões são os opositores.

  4. Nossos senadores pareciam meninos querendo dar uma “lacrada” e esqueceram a articulação. Perderam uma bela oportunidade de encuralar o Moro.

  5. O fato é que o “mecanismo” (não aquele fake, das telas, mas, o real) age com inteligência, planejamento e taticamente e, como disse Sérgio Machado a Jucá, o GOLPE, é com STF, com tudo e o inacreditável comprovou dizendo que o STF está do nosso lado, e o Toffoli posou ao lado na selfy para atestar a parceria. Então eles agiram com precisão cirúrgica, prenderam Dirceu e Genoíno e difamaram o partido trombeteando calúncias durante doze anos. Muitas lideranças que restaram não se reelegeram e as que sobraram foram eliminadas nas urnas em 2018. Lindbergh não se reelegeu e Dilma foi derrotada. O que sobrou é Lula, preso, Gleisi e Paulo Pimenta, guerreiros solitários, uma militância aguerrida, mas sem rumo e a trairagem que ficou no Senado e quis se fazer de eduada e elegante, de olho nas próximas composições. Deixaram claro que de onde menos se espera é que não sai nada menos. Quem pode dar um exemplo de como um parlamentar honesto poderia honrar o seu mandato naquela sabatina, por incrível que pareça, não é um político, mas um simples cidadão, intelectual, Cientista Social, Jessé Souza, em uma entrevista concedida ao 247. Parabéns ao Sociólogo e reúdio à trairagem do PT.
    https://www.youtube.com/watch?v=GUheUJDfAok

  6. Um defensor do bozo gastou todo o tempo pedindo dinheiro para a polícia do estado dele como se isso atribuição do governo federal.

    Outro senador falou, falou, elogiou o criminoso e ponto final.
    Os dois fizeram o seu papel: consumiram o tempo e nada acrescentaram.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome