Comissão no Senado ouve Greenwald sobre mensagens de Sergio Moro

Convite partiu do senador Randolfe Rodrigues. Segundo ele, conteúdo revelado pelo Intercept 'traz preocupação sobre possível interferência em processos da Lava Jato, na contramão do princípio da imparcialidade'

Glenn Greenwald durante sessão na CCJ do Senado. Imagem: Reprodução

Jornal GGN – A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) recebe nesta quinta-feira (11) o jornalista Glenn Greenwald, responsável pelo site The Intercept Brasil. Os parlamentares querem saber mais a respeito das conversas entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava-Jato, vazadas pelo portal de notícias.

O convite ao jornalista partiu do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), sob alegação de que o conteúdo revelado “traz enorme preocupação no que diz respeito a uma possível interferência em processos, na contramão do princípio da imparcialidade, que deve balizar a conduta de membro do Ministério Público e do Poder Judiciário”.

Ainda segundo Randolfe, Greenwald vem sofrendo publicamente ataques de setores do governo, inclusive de Sergio Moro, que vem questionando a veracidade dos diálogos.

“Logo, a presença do autor dessas impactantes reportagens a esta comissão é fundamental para o esclarecimento de um assunto que vem trazendo enorme repercussão no país. É a oportunidade para que ele traga as explicações que considera necessárias à sociedade brasileira”, disse o parlamentar segundo informações da Agência Senado.

Desde 9 de junho, às reportagens assinadas por Glenn Greenwald no site Intercept e em outros meios de comunicação têm mostrado supostas trocas de mensagens pelo aplicativo Telegram entre Moro e procuradores, colocando em dúvida a necessária imparcialidade na condução dos processos judiciais, já que o então juiz aparece orientando os acusadores nos processos referentes à Lava Jato.

Glenn Greenwald já esteve na Câmara dos Deputados, onde defendeu a liberdade de imprensa e a transparência e reafirmou a autenticidade das conversas vazadas. O jornalista afirmou que o site está enfrentando pessoas poderosas do país, o que resultou em ameaças contra a sua vida e a de sua família.

A audiência da CCj nesta quinta-feira acontece desde as 10 horas. Veja a seguir a transmissão ao vivo.

Leia também:  'Inepta e lastreada por um amontoado de suposições', diz juiz sobre denúncia contra Lula, Frei Chico e Odebrecht

Leia também: Deputados querem convocar presidente do Coaf sobre investigação de Glenn Greenwald

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. A tática da míRdia é silenciar sobre o assunto, como se não existisse
    (já dizia ACM, o Toninho Malvadeza)
    Em tempos de mensalão®, havia transmissões diárias ao vivo…
    E assim vai se construindo a DEMO cracia…

  2. O Verdevaldo querer comparar o vazamento que ele diz ter com o do caso do Snowden é ridículo!!! O Snowden trabalhava na CIA como administrador de sistemas, então, é obivio que ele tinha condições de roubar mensagens, ELE É A FONTE!!! Quem é a fonte do vazamento da Lava Jato? Não querer revelar a fonte é um direito, então disponibilize para que seja autenticado.

    • Verdevaldo nao existe, voce queria dizer “Pau verde”? Eh que EU tenho dicionario de alemao e nao vi o pau dele ainda, mas suponho que eh cor de rosa, no entanto. Voce concordaria, amor? Isso nao seria mais obivio?

      Sim, so comentei sua primeira sentenca…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome